Vou interferir, diz presidente em reunião, sobre PF; isolamento social cai

Vou interferir, diz presidente em reunião, sobre PF; isolamento social cai. Esses são destaques da grande mídia, nesta sexta-feira, 15 de maio de 2020, na seção DESTAQUES DA GRANDE MÍDIA IMPRESSA, do Anexo 6.

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

📃 *Manchetes do dia*:

“Bolsonaro reclamou da PF e de serviço de inteligência: ‘Vou interferir’. “Não vou esperar foder minha família toda de sacanagem, ou amigo meu’, disse.” *Manchete de capa do O Globo*.

“Média de isolamento social no País é de 43,4%, aponta monitor. Recomendação é de no mínimo 70%; Monitor ‘Estadão’/Inloco usa dados captados com diversas tecnologias.” *Manchete de capa do Estadão*.

“‘Vou interferir e ponto final’, afirmou Bolsonaro sobre PF. Transcrição reforça versão de Moro e sugere que presidente pressionava também outros órgãos .” *Manchete de capa da Folha*.

“Senado deve alterar projeto que limita os juros em 20%. Proposta de criação de um limite para os juros é criticada por especialistas, que veem risco de a medida provocar escassez de crédito. ” *Manchete de capa do Valor Econômico*.

“AGU revela citação à PF e contradiz Bolsonaro. Em manifestação encaminhada ao Supremo, a Advocacia-Geral da União (AGU) informa que o presidente da República mencionou as palavras “família” e “PF”. ” *Manchete de capa do Correio Braziliense*.

📃 *Destaques de capa*:

_O GLOBO_

“MP que blinda autoridades é criticada. Membros do Judiciário, parlamentares e especialistas criticaram a medida provisória editada pelo presidente Bolsonaro, que livra agentes públicos de processos por erros relacionados à pandemia. Bolsonaro disse que a medida destina-se só a servidores do Banco Central, mas isso não é mencionado no texto”.

“Presidente pede ‘guerra’ contra governadores. Em videoconferência com alguns dos principais líderes empresariais do país, que teve o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, como interlocutor, Bolsonaro conclamou os participantes a “jogar pesado” contra governadores para retomar atividades econômicas nos estados. “É guerra”, disse o presidente”.

“Merval Pereira: Mourão fala em entendimento. Vice-presidente afirma que a intenção de artigo é convidar forças políticas ao diálogo.”. 

“Pandemia: Situação peruana é crítica”. 

“Grupo é preso por fraudar compras emergenciais. GRUPO É ACUSADO DE SUPERFATURAR CONTRATOS”.

“Vírus avança, e presidente e Teich divergem. EM MEIO A DESENTENDIMENTOS DE BOLSONARO E TEICH, COVID-19 AVANÇA”.

“País deve perder 3 milhões de vagas com carteira. Governo estima que Brasil perderá este ano 3 milhões de vagas com carteira”.

_FOLHA_

“MP blinda agente público por atos de pandemia”.

“Em artigo, Mourão assusta ao insinuar sobre intervenção”.

“Presidente chama empresários para guerra com estados”. 

“Presidente insistem em cloroquina, contestada de novo”. 

“Brasil ultrapassa 200 mil casos de Covid-19”.

“Bolsonaro pede comparação com Argentina, e perde”.

“Cláudia Costin: Adiamento do Enem e equidade”.

“Ventiladores que governo terá serão metade do previsto”. 

“Bruno Boghossian: A fabricação de uma guerra”. 

“Mais de 500 mil óbitos somem de base de cartório”.

“Prefeitura expande programa de máquinas de lavar a moradores de rua”.

“Roberto Azevedo deixa OMC um antes do fim do mandato”.

“Empresa abre mão de patente de droga contra vírus, mas exclui o Brasil”. 

“Bruno Covas permanece internado para tratar inflamação do cólon”. 

“Cartola da natação por três décadas, Coaracy Nunes morre aos 82 ”.

“Implante faz cegos verem letras feitas com eletricidade”.

“Campeonato Alemão é o primeiro a voltar, com visibilidade e sob risco de fracasso”.

_ESTADÃO_

“Em reunião, Bolsonaro cita ‘família’ e ‘PF’, diz AGU. Manifestação foi enviada ao Supremo ontem; na terça, presidente negou ter tratado de Polícia Federal na reunião com ministros do dia 22”.

“País supera 200 mil casos. O Brasil rompeu ontem a barreira dos 200 mil casos de covid-19, com 13.944 infecções nas últimas 24 horas. As mortes chegam a 13.993 – 844 registradas no último dia”.

“‘Barca está afundando’. Pessoas que assistiram ao vídeo da reunião ministerial do mês passado afirmam que Jair Bolsonaro pediu ajuda para “salvar o governo” e disse “a barca está afundando””. 

“Medida provisória dá salvo-conduto a maus gestores. Medida provisória cria ‘salvo-conduto’ por irregularidades em decisões administrativas relacionadas à pandemia; regra é vista como inconstitucional no STF e por parlamentares”. 

“Governo mudará crédito para folha de pagamento. Anunciada como uma das principais medidas para fazer frente aos efeitos da pandemia, a linha só desembolsou R$ 1,5 bilhão de R$ 40 bilhões previstos; secretário afirma que as empresas não estão contratando o financiamento porque poderão ter de demitir”.

“Presidente pede a empresários ‘jogo pesado’ contra Doria. A empresários, presidente fala em ‘guerra’ e defende ação para evitar lockdown em SP”.

“O DRIVE-THRU DA CLOROQUINA. Kits com medicamentos são distribuídos para clientes infectados pela covid-19; remédios não têm eficácia comprovada”.

_VALOR ECONÔMICO_

“Desprestigiada, OMC também perde Azevêdo. Saída de Roberto Azevêdo da diretoria-geral da OMC ocorre num cenário de pandemia que faz desmoronar o comércio mundial”. 

““Populismo vai deixar herança diabólica”. Para presidente da Mercedes-Benz do Brasil e América Latina, a falta de coordenação dos governantes brasileiros no combate à pandemia retardará a retomada econômica”.

“Petrobras tem prejuízo de R$ 48,52 bi. Balanço do 1º trimestre da estatal é contaminado por baixas contábeis”.

“Déficit de R$ 24 bi. Crise nos mercados causada pelo avanço do coronavírus levou a Previ, fundo de pensão dos funcionários do BB, a um déficit de R$ 24 bilhões no primeiro trimestre do ano”.

“Bolsonaro propõe jogo ‘pesado’. Em teleconferência com cerca de 500 empresários, presidente pediu a eles para “jogar pesado” com governadores que estudam decretar “lockdown” para combater a pandemia”. 

“O drama de um médico na linha de frente. Executivo de hospital e médico que intuba quem não consegue respirar, Alexandre Teruya afirma que pela primeira vez sentiu medo e fragilidade”. 

“Indústria recua pela 1ª vez em todas regiões e cenário vai piorar, diz IBGE. Segundo economistas, locais que demoraram mais para adotar isolamento serão os que vão sofrer mais em abril e maio”.

“Com quase 14 mil mortes, Bolsonaro volta a atacar bloqueio. Para presidente, lockdown “agressivo” não teve êxito “em nenhum lugar no mundo””.

“Bolsonaro dribla seu ministro da Economia. Para ex-ministro Delfim Netto, presidente “´só faz confusão””.

“Governo põe emprego e pobreza em prioridades. Medidas pós-pandemia devem incluir ainda Lei de Falências e regras para garantias e capitais”. 

“Ajuda permanente de R$ 600 é muito cara, diz Mansueto. Para o secretário do Tesouro, o mais viável é fazer aperfeiçoamentos no Bolsa Família”. 

“Maia pede a Bolsonaro que Enem seja adiado. Presidente ficou de avaliar, segundo deputado”.

 _CORREIO BRAZILIENSE_

“Pandemia. Brasil chega a 13,9 mil mortes. Infectados superam 202 mil”.

“Servidores. Governo quer volta presencial do funcionalismo ao trabalho”.

“Presidente declara guerra pela abertura do comércio”.

“DF salva vidas com isolamento social. Projeção da Secretaria de Saúde mostra que, sem o distanciamento social, a capital correria o risco de ter 15 mil casos graves de covid-19. Com a medida, a estimativa é de que esse número caia para 700”.

“Elas ganharam a luta. No Distrito Federal, a professora Elinete Miller, 83 anos, deixou o Hospital Brasília, no Lago Sul, sob aplausos da equipe médica. Ela passou 40 dias internada por causa da covid-19, sendo 20 na UTI. Em Sergipe, Josefa Maria de Jesus venceu a doença aos 103 anos”. 

“MP para deixar os culpados impunes. Palácio do Planalto cria regra para blindar agentes públicos de responsabilidade na condução da luta contra a covid-19. Congresso e Justiça reagem com críticas”.

“Busca pelos R$ 100 milhões. Para os digitais, o site. O drive-thru é opção para os mais antenados. Já os tradicionalistas têm as filas nas lotéricas. Mesmo durante a epidemia, o brasiliense vai apostar na Mega-Sena, acumulada há 14 rodadas e com prêmio milionário. O sorteio será neste sábado.  

“Vírus tem ponto fraco. Em pesquisa pela cura da covid-19, cientistas alemães acharam brechas para impedir a infecção das células”.

“Reforço na linha de frente. Eduardo Resende recebeu o diploma de médico e está apto a atuar contra a covid-19. Ele foi um dos estudantes que tiveram antecipada a colação de grau para trabalhar na pandemia”.

“Testes com interferon. Remédio para hepatite C, o lambda pode evitar a hospitalização de pacientes com sintomas leves do coronavírus”.

📃 *Editoriais do dia*:

_FOLHA_

“Rever o rodízio. Com bom senso, SP deve repensar a restrição a carros, como fez em outros casos.” 

“Opaco e aviltante. Bolsonaro falta com transparência e seriedade ao tratar de cartões ou sua saúde.”

_O GLOBO_

“Teses de Bolsonaro não correspondem aos fatos. Pesquisas científicas e estudos sobre a Gripe Espanhola nos EUA derrubam bandeiras do presidente.” 

“Hospitais federais do Rio falham na preparação para o óbvio: a Covid-19. Escolhido como referência para a doença, Bonsucesso tem déficit de funcionários e equipamentos.” 

_ESTADÃO_

“A guerra de Bolsonaro. Presidente quer fazer crer que o isolamento social, adotado em todo o mundo para conter a pandemia, é escolha, não imperativo.”

“Lei da selva e comércio global. Mudança na OMC pode dar espaço à política truculenta de Donald Trump.” 

“A necessária voz da academia. Universidade indiferente à política não seria universidade.”

“Saída de Moro preocupa também a OCDE. Organização quer saber como a justiça do País vai agir, após o ex-ministro mencionar a suspeita de que o presidente queria intervir na PF.” *Editorial de Economia*.

_VALOR ECONÔMICO_

Populistas fazem muito mal à saúde. Já há a certeza que o coronavírus não irá embora de uma vez, nem a economia global se recuperará rapidamente.” 

_CORREIO BRAZILIENSE_

“Estados em dificuldade. O desperdício de energia causado pelo embate entre o Palácio do Planalto e a maioria dos governadores quanto à necessidade de adoção do isolamento social no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus é fato. Como também é fato que inúmeros governantes estaduais estão com dificuldade para honrar os salários dos servidores públicos.” Editorial do Correio Braziliense.

📈 Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quinta-feira, 14, em alta de 1,59%, a 79.011 pontos. O dólar terminou o dia em baixa de -1,44%, a R$ 5,82.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments