Violência e governança são os temas das manchetes dos jornais

_SINOPSE NACIONAL DE 19 DE AGOSTO DE 2018_

Edição: Sérgio Botêlho

*_JORNAIS_*:

*Manchete e destaques do jornal O Globo*: Assassinos de aluguel são investigados no caso Marielle. Polícia apura envolvimento de bando de matadores de elite na execução, que teria custado R$ 200 mil a miliciano/

Partidos driblam regra de verbas para mulheres. Com a falta de detalhamento da lei que obriga a destinação de 30% do fundo eleitoral para candidatas, legendas executam estratégias polêmicas, como o uso de suplentes para contabilizar recursos exigidos pela Justiça Eleitoral/

Eleitorado feminino no centro do debate. Marqueteiros apontam que atrair voto das mulheres, maioria entre os indecisos, será desafio para candidatos à Presidência. Marina Silva, única mulher na disputa, leva vantagem, na avaliação de especialistas, mas adversários tentam modular discurso/

MDB pede impugnação de Alckmin, e tucano fala em tapetão. Candidato rebateu afirmação de Temer de que poderia ser nome apoiado pelo governo: ‘O presidente nem gosta de mim’/

Temer cobrou Meirelles depois de debate. Depois do debate da Band, no dia 9, Michel Temer ligou para Henrique Meirelles e cobrou dele uma defesa mais firme do governo/

Operador de Cabral lista caixa dois a 40 políticos. Carlos Miranda afirma que Paes pediu R$ 20 milhões para campanhas do MDB; ele nega/

José Casado: Problema de Bolsonaro é com as mulheres. Candidato errou ao subestimar Marina Silva e enfrenta resistência do voto feminino, maioria do eleitorado/

Com citação fora de contexto, candidato do PSL usa Bíblia para defender armas. Teólogos rejeitam tese exposta por Bolsonaro e alertam para descontextualização/

Sob Mourão, Clube Militar quer formar candidatos de farda. Vice de Bolsonaro e presidente da instituição diz que a intenção é formar bancada que faça ‘política com P maiúsculo’/

Elio Gaspari: Há demofobia nos ataques a Ciro Gomes. Desde o mês passado, quando Ciro Gomes anunciou que, se eleito, trabalharia para limpar a lista de devedores da Serasa, ele tem apanhado mais que boi ladrão. Protetor de caloteiros, irresponsável, demagogo. Se um sistema de crédito tem 63 milhões de consumidores na lista negra, algo de grave está acontecendo na economia. O total dessa dívida é de R$ 225 bilhões, e o espeto médio do caloteiro do Serasa é de R$ 1.200. No último grande calote do mercado financeiro, a Sete Brasil acertou pagar só R$ 2 bilhões aos grandes bancos que lhe emprestaram R$ 18 bilhões. Ganha um fim de semana em Miami quem conhecer um diretor de banco que emprestou à Sete acreditando/

Míriam Leitão: O que se sabe e o que não se sabe nesta eleição. Uma lista do que não sabemos nesta eleição mostra a dimensão da incerteza. Maior do que qualquer outra que tivemos/

Ascânio Seleme: A prisão de Lula faz muito bem ao petismo. A prisão de Lula faz muito bem ao PT. Depois das duas ondas gigantes de corrupção que varreram o petismo, o partido precisava mesmo de um fato grande o suficiente para fazer frente ao prejuízo político que ganhava proporções insuportáveis já no início do segundo mandato de Dilma. Se o impeachment serviu para moldar o discurso do golpe e da perseguição política, a prisão do líder máximo multiplicou este efeito com toda a publicidade que ganhou/

Bernardo Mello Franco: Conversa para tapear eleitor. Nos primeiros dois encontros na TV, os presidenciáveis seguiram a cartilha dos marqueteiros. Houve pouco confronto de ideias e muita conversa fiada para tapear o eleitor/

Descaso de estado. Sistema que mata em vez de reeducar adolescentes. “Eu disse a ele: aqui eu sei que você não está na rua, aqui você está seguro. Era o que eu pensava” Karina Aparecida dos Santos Rabelo, que teve filho de 16 anos, apreendido por roubo de celular, enforcado por colega de alojamento após discussão/

Plantou, mas não colheu. Plantio deveria ocorrer em agosto de 2017; compromisso foi assumido na cerimônia de abertura dos Jogos-2016. Cerca de 13.500 mudas, de 207 espécies da Mata Atlântica, foram plantadas pelos atletas em tubos e transferidas para viveiro; a ideia era mostrar uma floresta desenvolvida, com flores e frutos na abertura de Tóquio-2020/

Frete sobe, e empresas buscam frota própria

Empresas planejam frota própria. Para fugir do aumento dos custos do transporte de cargas com o tabelamento criado pelo governo para acabar com a greve dos caminhoneiros, em maio, empresas fazem as contas em busca de alternativas. Algumas já investem em caminhões próprios e outras buscam a navegação/

Inesperado, embate com Bolsonaro não faz parte de estratégia de Marina/

MDB de Meirelles pede que TSE vete coligação de Alckmin: ‘É tapetão puro’, reage o tucano/

MPF estuda nova investigação contra Bolsonaro por ‘Açaí da Wal’/

Déficit de vagas em creches desafiará o novo governo. No país, apenas 32,7% das crianças com até 3 anos são atendidas; 52% das novas unidades pagas pela União estão atrasadas/

Editorial1: Pressão de facções sobre eleitores tem de ser combatida. Pesquisa mostra que, dos pontos de votação no estado, 12,7% estão em áreas sob domínio de criminosos/

Editorial2: Crise da Turquia reflete perfil autoritário e populista de Erdogan. Inflação já está em dois dígitos, mas presidente imprime à economia gestão demagógica.

*Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo*: Falta de dinheiro se torna ameaça a Censo Demográfico do IBGE. Instituto precisa de R$ 1 bilhão já em 2019, mas deve receber cerca de R$ 200 milhões. Considerado imprescindível para a definição de políticas públicas, o Censo Demográfico 2020 ficará mais enxuto para não ser inviabilizado/

Campanhas ‘terceirizam’ saída para crise nos Estados. Planos de governo de importantes candidatos a governador do Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro, que se encontram em grave crise financeira, contêm propostas de soluções que necessitam de boa vontade da União. Em alguns casos, candidatos “terceirizam” para o governo federal a solução dos problemas/

Ações na Justiça. Ao menos 1/4 dos candidatos a governador respondem nos tribunais a processos que têm relação com a administração pública/

Livro relembra ‘JEITINHO’ de Ciro Gomes. Na mais longa entrevista que já concedeu – em 1994, publicada no livro No País dos Conflitos, esgotado -, o hoje presidenciável Ciro Gomes (PDT) contou que sua primeira candidatura a deputado estadual, em 1982, pelo PDS (ex-Arena), desrespeitou o prazo de filiação partidária. “Eu não era filiado a partido nenhum e havia passado já o prazo de filiação. Mas deram lá um jeito, conforme os costumes da terra, e a minha filiação foi feita.”/

Kofi Annan – 1938 = 2018. Primeiro africano a ser secretário-geral da ONU (entre 1997 e 2006), o ganês Kofi Annan morreu ontem, em Berna, na Suíça. Obteve sucesso em conflitos como do Quênia, mas foi criticado pelos EUA ao condenar guerra contra Iraque/

Ecologista apoia ação de populações nativas/

Coluna do Estadão: Geraldo Alckmin e Flávio Rocha se encontrarão na próxima terça-feira, a pedido do presidenciável tucano. Na semana passada, Jair Bolsonaro acenou ao empresário com a possibilidade de um ministério em seu governo/

Coluna do Estadão: A entrada de Fernando Collor (PTC) na disputa pelo governo de Alagoas não incomoda os adversários. Seus opositores dizem que, se ele começar a crescer, é só divulgar a imagem da Lava Jato apreendendo suas Ferrari, Lamborghini e Porsche. Collor dará palanque a Alckmin. Além do PSDB, ele tem o apoio do DEM, PP, PSB, PSC, PROS e PRB. Seu principal oponente, o governador Renan Filho (MDB), apoia o ex-presidente Lula/

Eliane Cantanhêde: Marina atinge Bolsonaro. Todo o resto chuta o PT e Alckmin, e ninguém chuta cachorro morto/

Vera Magalhães: Marina rasga os manuais. Ela encarnou aquele que Alckmin gosta de evocar como seu padrinho: Mario Covas/

Leandro Karnal: Ódio nostálgico. Sem o anonimato das redes, o preconceituoso volta a ser o velho panaca de sempre/

‘Tapetão puro’, diz Alckmin sobre pedido de Meirelles ao TSE. Candidato à Presidência pelo PSDB também afirmou que não tem o apoio de Temer: ‘Ele nem gosta de mim’/

‘O governador deve aprender a respeitar a lei’, afirma Meirelles sobre Alckmin. O candidato do MDB à Presidência da República nas eleições 2018 , Henrique Meirelles , rebateu as declarações do ex-governador de São Paulo e presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB)/

Alckmin pode perder 36% do tempo de TV. Meirelles entrou com uma contestação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a invalidação do apoio de DEM, PP, PRB, PR, PTB e Solidariedade ao tucano/

Editorial1: Voracidade e ineficiência. Com voracidade incomum, o Estado brasileiro abocanha um terço do valor da produção interna e devolve à sociedade, em troca, serviços insuficientes e de baixa qualidade/

Editorial2: Um fôlego para Santas Casas. MP tira rede filantrópica da sala de emergências/

Editorial3: O STF e o auxílio-voto. Além de ter aprovado a inclusão na proposta orçamentária de 2019 de um reajuste salarial de 16% para seus ministros, e que, se concedido, terá efeito cascata de cerca de R$ 4 bilhões para todo o Judiciário, o Supremo Tribunal Federal (STF) tomou outra decisão marcada pelo corporativismo e pela insensibilidade fiscal.

*Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo*: Só 5 dos 26 estados do país são eficientes, diz ranking. Levantamento da Folha mostra quais governos entregam mais gastando menos. Ferramenta lançada pela Folha e pelo Datafolha, o Ranking de Eficiência dos Estados – Folha (REE-F) mostra quais estados entregam mais educação, saúde, infraestrutura e segurança à população utilizando o menor volume de recursos financeiros. O REE-F considera 17 variáveis agrupadas em 6 componentes para calcular a eficiência dos 26 estados e avaliar a situação das finanças/

Venezuelanos e brasileiros vivem dia de ataques em RR. Pacaraima, em Roraima, se transformou ontem em uma zona de conflito entre brasileiros e venezuelanos compedradas, incineração de pertences de refugiados e vandalização de carros de moradores. Os incidentes começaram após um comerciante ter sido surrado em tentativa de assalto/

Kofi Annan, líder da ONU e Nobel da Paz, morre aos 80. O ganense Kofi Annan, o primeiro africano negro a liderar a ONU, mediador em alguns dos conflitos mais importantes da virada deste século e Nobel da Paz em 2001, morreu ontem aos 80 anos. Ele foi central para a “Renascença Africana”, escreve Fábio Zanini/

Samuel Pessôa: Ciro surpreende ao comparar Brasil e Alemanha/

Para se contrapor ao PT, Ciro faz imersão no agronegócio e acena a ruralistas/

Embate com Bolsonaro antecipa estratégia de campanha de Marina Silva/

Dinastias políticas lançam mais de 60 nomes nas eleições. As principais dinastias políticas do país, como os Sarneys, os Calheiros e os Barbalhos, lançaram mais de 6o candidatos nas eleições, mostra levantamento. Se levados em conta núcleos familiares menores, o número aumenta expressivamente/

Só 4 de 10 alunos da rede pública miram graduação/

Texto associado a Lulu Santos pedindo reforma política é falso/

Benedito Novo. Bastião tucano em 2014 é trincheira de Bolsonaro no Sul/

Com vice ligada ao agronegócio, Alckmin amplia defesa ruralistas/

Para se contrapor ao PT, Ciro faz imersão no agronegócio e acena a ruralistas/

Fama de explosivo. Na busca por eleitor indeciso, Ciro Gomes adota ‘perfil soft’

Samuel Pêssoa: Salário na Alemanha é alto porque a produtividade é alta/

Isso é tapetão puro, diz Alckmin sobre pedido de impugnação de coligação/

Direção do MDB ignora aceno de Temer a Alckmin e dá aval para ação contra tucano no TSE/

Editorial: Brasil inseguro. País não consegue deter avanço da criminalidade, e mesmos êxitos como o de São Paulo são parciais.

v

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu