Urânio, PF, ministro, Bolsonaro, mineração, FGTS e bancos são os motes das manchetes

Em sua manchete, O Globo revela que o governo pretende reativar a exploração de urânio, e quer apoio privado com esse objetivo. Polícia Federal quer nova investigação sobre contas do ministro do Turismo, envolvendo caixa 2, na ação em que Bolsonaro foi citado, conta a manchete da Folha; segundo o Estadão, governo quer abrir contas do FGTS a todos os bancos.

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Governo quer apoio privado para voltar a explorar urânio. Mineração, que pela Constituição é monopólio da União, está parada há cinco anos; País tem 7ª reserva do mundo”. Manchete de capa do Estadão.

“Polícia Federal pede investigação sobre contas de ministro. Novo inquérito enfocaria campanha de titular do Turismo, em desdobramento da apuração que citou Jair Bolsonaro”. Manchete de capa da Folha.

“Governo quer liberar recursos do FGTS a todos os bancos. Caixa perderia o monopólio do repasse de cerca de R$ 60 bilhões a projetos de habitação e saneamento”. Manchete de cada do O Globo.

📃 Editoriais do dia:

“O ‘Estado empresário’. O governo tem participação direta e indireta em 637 empresas. O desafio de promover a ampla desestatização prometida é muito maior do que o previsto.” Editorial do Estadão.

“A internet e o isolamento. A internet é benéfica em muitos pontos, mas não se pode ser ingênuo. Na rede, nem tudo é como parece.” Editorial do Estadão.

“Aos trancos e barrancos. Caminhar é o modo mais simples, ecológico, agradável, econômico e saudável de se deslocar. Nas calçadas brasileiras, contudo, é também uma aventura.” Editorial do Estadão.

“O valor da prova. Exame de mensagens permitirá revisão mais fundamentada das ações da Lava Jato”. Editorial da Folha.

“Retratos de família. Pesquisa mostra disparidades nos lares do país, indicando rumos para políticas”. Editorial da Folha.

“Declínio das exportações revela fragilidade do país. Falta uma estratégia para o Brasil atravessar as dificuldades criadas pela guerra comercial EUA-China”. Editorial do O Globo.

“Colômbia e Cuba precisam resolver a disputa sobre o ELN com diplomacia. Narcoguerrilheiros colombianos se abrigam na Venezuela e têm o apoio do regime de Havana”. Editorial do O Globo.

📃 Outros destaques:

“Câmara pode tornar Lei de Improbidade mais flexível. A um ano das eleições municipais, uma comissão especial da Câmara analisa projeto de lei que flexibiliza a Lei de Improbidade Administrativa. Uma mudança na legislação é defendida pela classe política como forma de combater o que classifica como “ativismo” dos Ministérios Públicos estaduais em relação, principalmente, à atuação de prefeitos. O projeto modifica 34 pontos da atual legislação.” Na capa do Estadão.

“‘Fogo que destrói Amazônia não é o do Evangelho’. Na abertura do Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia, papa Francisco fez crítica aos incêndios que atingem a floresta”. Na capa do Estadão.

“Papa critica fogo na Amazônia em abertura do Sínodo”. Na capa da Folha.

“Papa abre sínodo com crítica às queimadas na Amazônia. Em missa no Vaticano, Pontífice condenou ‘fogo ateado por interesses que destroem’ e ‘novos colonialismo’, além de se referir ao papel da Igreja na região: ‘Quantas vezes o dom de Deus não foi oferecido, mas imposto?’”. Na capa do O Globo.

“Bolsonaro diz que Folha desceu ‘às profundezas do esgoto’, com texto”. Na capa da Folha.

“Bolsonaro tem a maior taxa de vetos derrubados. Governo Bolsonaro tem a maior média de derrotas desde 1988”. Na capa do O Globo.

“‘A cultura tem de ser independente’, defende Fernanda Torres. A atriz, que estreia série amanhã, se emocionou com o apoio à mãe após ataque de Alvim”. Na capa do Estadão.

“’Nenhum sistema vai nos calar’. Fernanda Montenegro é aplaudida depois da fala na Virada do Livro, no Theatro Municipal de São Paulo; defendendo liberdade de expressão e o fim da reeleição, a atriz, que acaba de lançar sua autobiografia, fez no evento sua primeira aparição após ter sido atacada nas redes por diretor da Funarte”. Na capa da Folha.

“Alvo de Weintraub, professor com teto salarial é minoria. A vida real da ‘zebra gorda’ na universidade. Docentes de universidades federais com dedicação exclusiva têm qualificação acima da média e 16 anos de carreira para chegar ao teto.” Na capa do O Globo.

“Investidores pagam taxas altas em fundo. Carteiras incluem papéis de Petrobrás e Vale; investidor pode estar perdendo dinheiro, dizem especialistas”. Na capa do Estadão.

“Efeito Bolsonaro marca eleição para Conselho Tutelar”. Na capa da Folha.

“Direito tem muito aluno, mas aprova pouco na OAB”. Na capa da Folha.

“São Paulo. Tiroteio no bairro do Brás deixa seis feridos. Disparos foram efetuados após suposto desentendimento entre dois ou três homens; crime ocorreu ao lado do Sesc Pq. D. Pedro II”. Na capa do Estadão.

“São Paulo. Ladrões invadem TV Cultura e fazem reféns. Assaltantes invadiram a sede da TV Cultura, fizeram reféns e roubaram caixas eletrônicos na manhã de ontem. De acordo com a emissora, o caso ocorreu por volta das 7 da manhã, no prédio localizado no bairro da Água Branca, na zona oeste da capital.” Na capa do Estadão.

“PM do Rio tem um coronel para cada 62 soldados. PM tem oficiais de mais e soldados de menos para patrulhar as ruas”. Na capa do O Globo.

“TJ e magistrados repudiam fala de Crivella sobre juíza. Prefeito diz que magistrada que interditou Av. Niemeyer tem “beleza de parar o trânsito, mas não precisa praticar” e site para ensinar mulheres a arrumar namorado. TJ e associação de classe veem “machismo” e “ataque à democracia””. Na capa do O Globo.

“Novo potencial delator vem à tona e aumenta pressão contra Trump. Advogado, que também representa 1º vazador, afirma que denunciante já teria sido ouvido pelo setor de Inteligência”. Na Folha.

“Socialista vence em Portugal, mas terá de negociar. Partido do primeiro-ministro António Costa reforça domínio no Parlamento e vê principal adversário perder cadeiras; governante deve conservar a chamada ‘geringonça’, apelido dado ao grupo de legendas que, no poder desde 2015, diminuiu o déficit e o desemprego”. Na capa do Estadão.

“Socialistas vencem pleito português, mas sem maioria. A agremiação não conseguiu, contudo, maioria. Assim, terá de estabelecer alianças para governar, como já faz hoje”. Na capa da Folha.4” Socialistas perto de fazer maioria em Portugal

Partido Socialista obtém vitória expressiva em Portugal e pode escolher com quem governar”. Na capa do O Globo.

“Nova testemunha reforça que Trump pressionou Ucrânia. Advogado afirma que outro denunciante confirmou ações do presidente americano que levaram a processo de impeachment”. Na capa do O Globo.

📃 Colunas e artigos:

“É preciso recuperar a capacidade de reconhecer e desmascarar mentiras. E derrotar quem declara guerra à verdade.” Artigo de Moisés Naim, no Estadão.-

“Se não reagirmos a esse espírito de violência, não duvido que os casos de agressão interpessoal realmente aumentem.” Artigo de Daniel Martins de Barros, no Estadão.

“Cai o véu Para além do impacto da revelação, na Folha, de que a apuração sobre candidaturas laranjas no PSL de Minas levou a menções à campanha de Jair Bolsonaro, foi a reação de Sergio Moro (Justiça) à notícia o que mais surpreendeu membros do Judiciário e do Ministério Público. O ex-juiz saiu em defesa do presidente, e procuradores que atuaram na Lava Jato demonstraram incredulidade. Ministros de cortes superiores, alarde: o chefe da PF mostrou parcialidade, disse um integrante do STJ.” Na coluna Painel, da Folha.

“Laranjal financiou Bolsonaro. Essa será uma boa oportunidade para medir o quanto da aprovação de Bolsonaro ainda é lavajatismo”. Na coluna de Celso Rocha de Barros, na Folha.

“PF de Moro terá coragem para investigar campanha de Bolsonaro? Suspeita de caixa dois coloca em xeque liberdade de polícia comandada por ministro da Justiça”. Na coluna de Leandro Colon, na Folha.

“Funcionários do BNDES protestam contra nova gestão do banco. Associação se queixa de saídas como venda de ações por oferta pública”. Na coluna Painel S/A, da Folha.

“Caixa esqueceu que o país pediu censura nunca mais. Problema de censores com sexo fazia plateia gargalhar no meio de cena violenta”. Na coluna de José Henrique Mariante, na Folha.

“Crise no Peru, mal-estar no Brasil. As instituições importam frente ao ‘choque Odebrecht’”. Na coluna de Marcus André Melo, na Folha.

“Polarizada, eleição para conselhos tutelares omite debate que importa. Atribuições dos eleitos fica em segundo plano ante embate ideológico”. Na coluna de Thiago Amparo, na Folha.

“Primeira infância e o caminho da prosperidade. Estamos limitando o desenvolvimento das crianças”. Artigo de Flávio Cunha, na Foha.

“Até onde poderá ir a igreja de Francisco? As mudanças estão acontecendo, mas são lentas”. Artigo de Isabel Gnaccarini, na Folha.

“Pax Lusitana. Resiliência da coesão social e do respeito às instituições é objeto de fascínio”. Na coluna de Mathias Alencastro, na Folha.

“A urgente resposta à polarização. Falta quem defenda, a um só tempo, conter a pobreza e reformar a economia”. Artigo de Tabata Amaral, na Folha.

“Proposta de Moro de prisão em 2ª instância deve gerar resistência no STF. Ministros afirmam que a presunção de inocência até o fim do processo é garantida por cláusula pétrea da Constituição”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

“Clima é assunto para as crianças. Quem combate Greta ou se assusta com seu tom talvez não tenha ainda uma ideia nítida de como as coisas vão se complicar”. Na coluna de Fernando Gabeira, no O Globo.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) reabre nesta segunda-feira, 07, após o fim de semana.

Destaque histórico:

“Em 07 de outubro de 1971, aos 19 anos, o brasileiro Mequinho vence o Torneio Internacional de Xadrez, realizado na Iugoslávia.” No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu