Janot, STF e Lula são os temas em destaque nas manchetes

*Sinopse da grande mídia impressa*: Janot, STF e Lula são os temas em destaque nas manchetes. Ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot, perdeu o porte de armas por decisão do Supremo; Lava Jato pede progressão da pena de Lula para o semiaberto.

Manchetes, neste sábado, 28, espelham as principais notícias das capas dos grandes jornais do país. O Globo e a Folha destacam a ordem do STF que resultou em busca e apreensão cumprida pela Polícia Federal em apartamento do ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot. Motivo da ordem dada pelo Supremo, lavrada pelo ministro Alexandre de Moraes, foi revelação feita por Janot, em entrevista, de que teria se armado, em ida ao STF, para matar o ministro Gilmar Mendes. Janot está impedido de portar arma. Por sua vez, o Estadão noticia o pedido feito por procuradores da Lava Jato para que o ex-presidente Lula passe ao regime semiaberto. Para isso, segundo o jornal, Lula teria de pagar R$4,1 milhões.

? Edição: _Sérgio Botêlho_

? *Manchetes do dia*:

“STF determina busca e apreensão contra Janot. Ex-PGR está impedido de portar arma e se aproximar de ministros”. Manchete de capa do O Globo.

“Lava Jato pede a juíza que Lula passe ao regime semiaberto. Para que o benefício seja concedido, porém, ex-presidente teria de pagar R$ 4,1 milhões”. Manchete de capa do Estadão.

“Supremo reage e ordena ofensiva contra Janot. Após dizer que quis matar Gilma, ex-PGR é alvo da PF e perde porte de arma”. Manchete de capa da Folha.

? *Editoriais do dia*:

“A confissão de Janot. Talvez agora fiquem mais explicitadas algumas ações do então procurador-geral, não apenas incompatíveis com o cargo, mas que escapavam a qualquer senso de racionalidade”. Editorial do Estadão.

“Um freio à farra. Segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas, das dez profissões mais bem remuneradas do País, seis são da elite estatal”. Editorial do Estadão.

“A crise da ordem liberal. O único caminho para unir prosperidade e justiça é ampliar a liberdade individual distribuindo responsabilidade social”. Editorial do Estadão.

“Cabe agora ao STF reduzir os danos. Referendada uma grave ameaça à Lava-Jato, os estragos podem ser em parte reparados na ‘modulação’”. Editorial do O Globo.

“Situação argentina se complica com evidências de conflito na oposição. Contradições marcam campanhas dos principais adversários do presidente Mauricio Macri”. Editorial do O Globo.

“Nova ordem. STF forma maioria por tese que põe em xeque a Lava Jato; modulação será crucial”. Editorial da Folha.

“Oceanos em alta. No ritmo atual, diz relatório, subida do nível do mar terá efeitos dramáticos”. Editorial da Folha.

? *Outros destaques*:

“PF apreende pistola em apartamento de Janot. Busca acontece após ex-procurador-geral dizer que pensou em matar ministro do STF”. Na capa do Estadão.

“Procuradores da Lava Jato pedem Lula no semiaberto”. Na capa da Folha.

“Dallagnol pede que Lula vá para o semiaberto. Dallagnol é um dos que assinam o pedido para ida ao semiberto. Ex-presidente se reunirá com defesa, e decisão será da Justiça”. Na capa do O Globo.

“Supremo negocia alcance de decisão que afeta Lava-Jato. Após decisão que ameaça sentenças da LavaJato, o presidente do STF, Dias Toffoli, vai propor que o réu só poderá ter a condenação anulada caso tenha recorrido das alegações finais em primeira instância e mediante comprovado prejuízo. Porém, há resistência para aprovar regras que preservem a operação.” Na capa do O Globo.

‘Informalidade no Brasil atinge quase 40 milhões, afirma IBGE”. Na capa da Folha.

“A taxa de desemprego recuou em agosto, para 11,8%, em movimento favorecido pelo aumento da informalidade, que bateu recorde. Atualmente, 38,8 milhões de pessoas, ou 41,4% da mão de obra nacional, trabalham sem carteira ou amparo legal.” Na capa do O Globo.

“Presidente decide manter brecha a caixa dois em lei.” Na capa da Folha.

“O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com 14 vetos, projeto aprovado pelo Congresso que flexibiliza regras partidárias. Entre os pontos vetados, estão o trecho que abria a possibilidade de parlamentares aumentarem a verba pública para campanhas eleitorais e a volta da propaganda política no rádio e na TV. Artigos que dificultam a fiscalização de caixa 2 foram mantidos.” Na capa do Estadão.

“Lei eleitoral é sancionada com brecha para caixa 2. Presidente mantém pagamento de advogados e contadores por terceiros, mas veta nova regra para fundo eleitoral”. Na capa do O Globo.

“Centrão quer derrubar vetos. Entre os pontos que deputados e senadores querem restabelecer, está o que aumenta o fundo eleitoral”. Na capa do Estadão.

“Após Exército, queimada cai e desmate avança. Balanço do 1.º mês de ações das Forças Armadas na Amazônia mostra redução de 25,1% nos incêndios, mas queda de 63,7% nas apreensões de madeira e avanço no desmatamento, conforme dados de Ibama e Inpe. Segundo a Defesa, houve 68 prisões”. Na capa do Estadão.

“Investigação sobre ação dos hackers presos aponta a prática de espionagem, prevista na Lei de Segurança Nacional. A investigação sobre as invasões de aplicativos de comunicação de altas autoridades da República aponta a prática de crime contra a Lei de Segurança Nacional, na modalidade de espionagem. A citação ao “possível crime” consta de documentos do inquérito sigiloso a que o Estado teve acesso.” Na capa do Estadão.

“Estados descumprem acordo sobre gastos. Estados que não conseguiram se enquadrar a plano fiscal podem ser obrigados a pagar R$ 30 bi à União a partir do ano que vem”. Na capa do Estadão.

“STF derruba reajuste anual para servidor. Decisão do STF traz alívio à equipe econômica porque se o voto fosse pela obrigatoriedade, os pagamentos seriam retroativos”. Na capa do Estadão.

“SP tem menor índice de homicídios em 18 anos. Foram 6,25 mortes para 100 mil habitantes no Estado; segundo o governador, a redução de óbitos provocados por policiais não é meta”. Na capa do Estadão.

“Casa branca admitiu ontem que funcionários do governo orientaram o arquivamento do registro de telefonema entre Donald Trump e o presidente ucraniano em um sistema separado e supersecreto mantido por funcionários da inteligência”. Na capa da Folha.

“Câmara dos EUA intima assessor de Trump. Para não ser acusado de obstrução de Justiça, Mike Pompeo seria obrigado a entregar documentos sigilosos; deputados democratas aceleram impeachment e marcam primeiros depoimentos para tentar concluir processo até o fim de outubro”. Na capa do Estadão.

“País sem leitura. Segundo lei sancionada em 2018, o governo deveria ter desenvolvido o novo Plano Nacional do Livro e Leitura, com metas para os próximos dez anos. Mas o tema está parado no Ministério da Cidadania sem um titular nomeado”. Na capa da Folha.

“Fiasco de gestões passadas, centro de SP tem novo plano”. Na capa da Folha.

“TSE veta depoimento de repórteres no caso do Whatsapp”. Na capa da Folha.

“Antes de ser a “índia de Bolsonaro”, Ysani curtia Jean Wyllys”. Na capa da Folha.

“Witzel dá prazo para privatizar Cedae: outubro de 2020. Governador diz que se reuniu com AGU para acelerar liberação de recursos da Lava-Jato; obra também dependeria de royalties”. Na capa do O Globo.

“MPF contesta norma que permite acusar grávida de ‘abuso de direito’. MPF contesta resolução que dá autonomia a médicos contra vontade das grávidas”. Na capa do O Globo.

“‘Sextou’, e o festival virou pista de dança. Foi sem chuva que a Cidade do Rock abriu os portões e virou uma imensa pista de dança, no primeiro dia do festival. Em clima de “sextou”, após deslocamento difícil até a área, o público que lotou o gramado pulou e sacudiu com o baile do DJ brasileiro”. Na capa do O Globo.

? *Colunas e artigos*:

“Fala pode custar caro ao MP e à Lava Jato. O mundo forense, sempre confortável em seus castelos, está assombrado – e não é com o risco iminente que cerca a Lava Jato. De juízes a promotores, de ministros a procuradores, eles amanheceram ontem meio atarantados, por assim dizer, se perguntando: o que levou o poderoso chefe do Ministério Público Federal na etapa 2013/2017, hoje no ofício da advocacia, a fazer revelação pública de que planejava encher de bala de um revólver o ministro Gilmar Mendes?” Na coluna de Fausto Macedo, no Estadão.

“Anula a jato. STF abre caixa de Pandora e atua contra a estabilidade jurídica pela qual deveria zelar”. Na coluna de Helio Schwartsman, na Folha.

“A disputa de poder entre o Supremo e o MP”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Gilmar Mendes foi avisado há mais de um ano de que Janot planejou matá-lo. Ministro do STF não levou a história a sério”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

“O dono da bola. Disputa de protagonismo entre Câmara e Senado é egolatria estéril, que trava reformas”. Na coluna de Julianna Sofia, na Folha.

“Lideranças partidárias querem desidratar a parte do bolo do leilão do pré-sal que vai para o presidente Jair Bolsonaro. Querem irrigar com mais dinheiro, sobretudo, para os cofres dos governos regionais, principalmente para as prefeituras, às vésperas das eleições do ano que vem.” Na coluna de Adriana Fernandes, no Estadão.

“Sassaricando na crise. Até os camelôs abandonaram as ruas do Centro do Rio, mas os velhos armazéns resistem”. Na coluna de Alvaro Costa e Silva, na Folha.

“Ritmo lento de geração de vagas não permite comemoração”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Bacurau. Bacurau não é um filme sobre imperialismo, mas sobre a nossa barbárie”. Artigo de Fernando Haddad, na Folha.

“O governo federal deve gastar R$ 4,7 bilhões em remuneração aos militares? NÃO. Injustificável diante de severa restrição orçamentária”. Artigo de Luís Eduardo Afonso, na Folha.

“O governo federal deve gastar R$ 4,7 bilhões em remuneração aos militares? SIM. Apesar do dispêndio, haverá superávit com a reforma”. Artigo de Fábio Zambitte, na Folha.

“Ataque de Janot a Gilmar aglutina STF em torno do controverso inquérito contra fake news e ameaça”. Na coluna Painel, da Folha.

“Com quantas Gretas? Ambientalistas escolhem caminho do simplismo e se fecham num gueto sueco”. Na coluna de Demétrio Magnoli, na Folha.

“Greta Thunberg é fruto de um modelo nórdico onde dinheiro não fala tão alto. Criança sueca aprende desde cedo valores como coletividade, independência e integridade”. Artigo de Helen Beltrame-Linné, na Folha.

“Amazônia preservada, um feito dos brasileiros. Conservar e explorar sustentavelmente toda aquela imensa área exige muito trabalho”. Artigo de Fernando Azevedo e Silva, ministro da Defesa, no Estadão.

“Durante os nove meses do governo Bolsonaro a opinião pública, a mídia e a sociedade civil entraram em contato com um estilo particular de governação, repleto de grosserias, idas e vindas no plano decisório, muito desencontro administrativo, pouca qualidade técnica nas proposições governamentais e um espírito beligerante nas relações internacionais. O discurso presidencial na ONU, terça-feira, foi um exemplo eloquente disso.” Artigo de Marco Aurélio Nogueira, no Estadão.

“A esquerda americana contra corrupção. Nos Estados Unidos, tema virou base da campanha democrata”. Na coluna de Roberto Simon, na Folha.

“Sísifo e a lei. Ao Supremo cumprirá colocar limite às paixões da Lava Jato, sem debilitá-la”. Na coluna de Oscar Vilhena Vieira, na Folha.

“Especialista da ONU Mulheres vê ‘retrocesso’ na questão de gênero. Joana Chagas. Gerente de programas da ONU Mulheres chama a atenção para cortes em recursos para políticas públicas no Brasil e para a situação de refugiadas”. Artigo de Marina Gonçalves, no O Globo.

? *Mercado*: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a sexta-feira, 27, em baixa de -0,23%, a 105.078 pontos. O dólar terminou o dia em baixa de -0,10 a R$4,16. O euro fechou em alta de 0,13%, a R$4,55.

⏳ *Destaque histórico*:

“Em 28 de setembro de 1992, a Câmara dos Deputados aprova por 441 votos a favor, a abertura de processo de impeachment contra Fernando Collor de Mello”. No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments