Sistema prisional, SUS e educação são os destaques das manchetes dos jornais

Sistema prisional, SUS e educação são os destaques das manchetes dos jornais. Violência prisional retroalimenta o crime; é mínima a preferência de jovens pelo magistério; SUS é auxiliado pela teleconsulta.

SINOPSE DE 24 DE JUNHO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

 JORNAIS  :

Manchete e destaques do jornal O Globo : Cadeia violenta alimenta o crime. Em 4 anos, 6.368 presos morreram no país. Proporção de homicídios é maior dentro do que fora do cárcere. Facções que oferecem ‘proteção’ estendem ações para além dos presídios. Levantamento feito por O Globo, com base na Lei de Acesso à Informação, revela que, de 2014 a 2017, morreram nas cadeias do Brasil 6.368 homens e mulheres. Em média, são mais de quatro casos por dia/

Para resolver crise, presidenciáveis prometem construir mais prisões. Líder nas pesquisas, Bolsonaro diz que encontrar solução não está entre prioridades/

Bancada da ‘lei e da ordem’ busca as urnas. Estudo revela que 429 militares e policiais espalhados pelo país devem concorrer em outubro/

Militares trans lutam para manter fardas. Com transexualidade fora da lista de doenças da OMS, militares trans lutam para manter postos no país/

Quem é o eleitor de Alckmin/

Em Mariana, depressão assombra as vítimas. Sem indenização nem reassentamento desde que, em 2015, a barragem da Samarco se rompeu e destruiu Bento Rodrigues, em Mariana (MG), ex-moradores cumprem a dolorosa rotina de voltar aos escombros de suas vidas e lutam contra a depressão/

WhatsApp, a caixa-preta das eleições deste ano. Tecnologia para a privacidade impede rastreamento de boatos/

Lauro Jardim: Começa a transição. A equipe econômica — ministro Eduardo Guardia à frente — já começou a trabalhar na transição, recebendo os assessores econômicos dos presidenciáveis para abrir as contas do governo. Na semana passada, Guardia se encontrou com Pérsio Arida e Edmar Bacha, comandantes em chefe da esquadra econômica de Geraldo Alckmin. No dia 14, Mansueto de Almeida, secretário do Tesouro, conversou com Paulo Guedes, o guru de Jair Bolsonaro. Nos próximos dias, será a vez de Mauro Benevides, principal assessor econômico de Ciro Gomes, ser recebido por Guardia/

Lauro Jardim: O capeta. O terror do mercado financeiro neste momento atende pelo nome de Ciro Gomes/

Lauro Jardim: Sem rumo. O núcleo duro de Michel Temer continua achando que Henrique Meirelles está perdido na pré-campanha/

Lauro Jardim: Volta ao lar. Depois de dois anos separado, José Serra voltou a morar na mesma casa em que Mônica, sua mulher/

Ascânio Seleme: Os gastos crescentes da Corregedoria Nacional de Justiça com diárias. Gastos altos e inúteis com diárias mostram importância de fiscalizar a aplicação do dinheiro público/

Editorial: Usinas de concentração de renda. Injustiças sociais, com renda concentrada e precários serviços públicos básicos fazem parte da imagem do país. Afinal, essas mazelas acompanham o Brasil há muito tempo. Com a redemocratização, institucionalizada na Carta de 1988, pensava-se que o quadro social melhoraria. E melhorou, com o fim da hiperinflação herdada por Sarney da ditadura e o golpe certeiro que a alta dos preços recebeu do Plano Real, com Itamar Franco no Planalto e Fernando Henrique no Ministério da Fazenda. Mas controlar a inflação é necessário para combater a pobreza, porém não o suficiente.

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo : Só 2,4% dos jovens querem ser professores no Brasil. Pouco reconhecimento e baixos salários estão entre motivos para desinteresse, que aumentou em 10 anos. Baixos salários e pouco reconhecimento social estão afastando potenciais futuros professores da profissão. De acordo com dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), só 2,4% dos alunos de 15 anos demonstram interesse pela docência no Brasil – há 10 anos, esse número chegava a 7,5%, informa Isabela Palhares/

Denúncia aponta regalias a presos da Lava Jato. O Ministério Público Federal e a Polícia Federal investigam denúncia de supostos privilégios a que os presos da Operação Lava Jato – políticos, ex-executivos e lobistas – teriam acesso no Complexo Médico Penal, em Curitiba. As suspeitas são de que detentos teriam acesso a telefone celular, internet, visitas íntimas, comida exclusiva e serviços de cozinheiro, segurança e zelador, entre outras regalias/

Mais brasileiros com crianças buscam os EUA. A crise econômica do País provocou um aumento explosivo na imigração de famílias brasileiras que tentam a sorte como ilegais nos EUA. Pais com formação superior e filhos pequenos se arriscam a entrar pelo México/

Empresários se aproximam de presidenciáveis. Para entender a agenda dos pré-candidatos mais bem cotados e garantir interlocução com quem pode ocupar o Planalto no ano que vem, principais nomes do empresariado vêm intensificando agenda de conversas com políticos/

Candidatos da PF fazem ‘intensivão’/

Ex-petista é apontado como líder entre presos. Carta que denuncia regalias diz que André Vargas é elo com agentes; ex-deputado nega/

Sem celebração, PSDB completa 30 anos. Fundado há três décadas, partido terá comemoração discreta e fechada; crise ética e falta de renovação abalam sigla, avaliam cientistas políticos/

‘É muito dinheiro público dado sem restrição’. Procurador regional critica regras que disciplinam repasse do fundo eleitoral para os partidos/

Sentimentos do eleitor ‘moldam’ pré-candidatos. Pesquisa mostra que 83% dos entrevistados têm ‘emoções negativas’ sobre a eleição; discurso de presidenciáveis pode absorver ‘raiva’/

Coluna do Estadão. Câmara abre caminho para CPI da Lava Jato. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pediu um estudo da assessoria técnica da Casa para avaliar a criação de CPIs. O resultado deve abrir caminho para a instalação da CPI da Lava Jato, apresentada pelo PT sob o pretexto de investigar suspeitas de que escritórios de advocacia direcionaram depoimentos de delatores. Desde que foi protocolada, Maia já arquivou 5 dos 10 pedidos que estão à frente. Como existe uma fila que não pode ser furada e só cinco CPIs funcionam ao mesmo tempo, para viabilizá-la ele precisa se livrar de outras três/

Vera Magalhães: PT preso a Lula. Pouco antes de ser preso, numa das cenas da narrativa épica em que tentou transformar o que, na verdade, era uma derrota sem precedentes, Lula cunhou a frase segundo a qual não era mais uma pessoa, mas uma ideia. Passados mais de dois meses de sua prisão, não houve comoção nacional, minguou a vigília, as tentativas de levar a sua soltura fracassam uma a uma e o PT, seu partido, segue preso à pessoa de Lula, sem uma única ideia a apresentar ao País/

Editorial1: Abuso de autoridade. É preciso aperfeiçoar a legislação para possibilitar a responsabilização de agentes públicos que abusam do cargo que ocupam/

Editorial2: O grito ganha mais uma. As excessivas concessões aos grevistas ainda causarão muitos prejuízos ao País/

Editorial3: O perigo da ‘voz do povo’. É um curioso exercício visitar a página do Senado na internet e, na seção chamada “e-cidadania”, observar as sugestões de cidadãos para a formulação de novas leis no País. Ali, qualquer pessoa pode fazer uma proposta, e as mais votadas podem ser convertidas em projetos de lei. É provável que os idealizadores dessa iniciativa tenham imaginado que, assim, aproximariam os eleitores de seus representantes no Congresso, além de permitir que esses eleitores pudessem expor o que, em sua opinião, deveriam ser as prioridades nacionais. Na prática, a participação dos cidadãos resulta, na maioria absoluta dos casos, em constrangedora demonstração de paroquialismo e oportunismo, emulando a atuação de muitos políticos eleitos.

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo : Teleconsulta soluciona 62% dos casos e reduz fila do SUS. No programa, profissionais de saúde tiram dúvidas e dão conselhos a colegas. Consultorias médicas a distância têm sido usadas para aumentar a resolubidade da atenção primária à saúde e reduzir as longas filas de espera no SUS (Sistema Único de Saúde), informa Cláudia Collucci/

Doleiro que está foragido negocia para evitar prisão. Procurado pela Interpol desde maio e com ordens de prisão do Brasil e do Paraguai, o doleiro Dario Messer se diz disposto a colaborar com a Justiça, mas quer negociar as condições para que se entregue, como a possibilidade de responder aos processos em liberdade/

PSDB isola MDB e prioriza outros aliados nos estados. DEM, PSD e PP são tratados como parceiros prioritários por Alckmin/

Alckmin diz que vice deve ser do Nordeste e de outro partido. Tucano faz aceno ao DEM para garantir apoio do partido a sua candidatura/

Em 2003, Bolsonaro parabenizou grupos de extermínio por substituir pena de morte no país. Fala era resposta a deputado que havia afirmado que o governo da Bahia assumira a existência de esquadrões na região/

Assessor de Temer tenta explorar minério raro em terra indígena. Empresa ligada a ex-deputado do PSDB busca aval de índios para atuar em áreas isoladas do Amazonas. Uma empresa vinculada a Elton Rohnelt (PSDB), assessor do presidente Michel Temer (MDB), vem tentando convencer comunidades indígenas a praticar mineração na remota fronteira do Brasil com a Colômbia/

Bruno Boghossian: Dividido entre mercado e eleitor, Bolsonaro esconde propostas. Presidenciável quer evitar debates na TV e expõe divergências com seu economista/

Painel: Acuado por greve dos caminhoneiros, Temer procurou dirigentes de emissoras de TV/

Editorial1: Juízes sem teto. Indefinição sobre o auxílio-moradia impôs ao país os custos de um privilégio indefensável/

Editorial2: Todo o poder a Erdogan. Protagonismo de presidente turco apresenta uma distorção de seu movimento político.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu