Sinopse16.07.2019: indicação de Eduardo Bolsonaro, concessões na infraestrutura, reforma tributária e investimentos são os destaques da mídia impressa

Sinopse dos grandes jornais impressos que circulam nacionalmente:

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Reação de senadores faz Bolsonaro avaliar risco de indicar filho. Presidente defende Eduardo para embaixada nos EUA, mas teme derrota pessoal se comissão rejeitar sugestão”. Manchete de capa da Folha impressa.

“Governo quer atrair R$ 208 bi em investimentos privados. Rodovias, ferrovias, portos e aeroportos estão no pacote de concessões”. Manchete de capa do O Globo impresso.

“Para governo, Câmara quer criar o maior imposto do mundo. Nas contas da equipe econômica, PEC analisada pelos deputados gera tributo de 30% sobre o consumo”. Manchete de capa do Estadão impresso.

“Projeto tenta promover um ‘choque de investimentos’. O Ministério da Economia elaborou projeto de lei para dar mais segurança jurídica a investidores e diminuir o risco de agentes financeiros em grandes obras, duas providências consideradas necessárias para atrair o interesse do setor privado por concessões que o governo promoverá na área de infraestrutura”. Manchete de capa do Valor Econômico impresso.

“Insatisfeito, coordenador da Lava-Jato na Procuradoria-Geral da República pede demissão. José Alfredo de Paula considera que estilo de Raquel Dodge emperra investigações. Saída amplia desgaste da chefe da PGR, que almeja recondução ao cargo, em setembro”. Manchete da hora (06hs23min) do O Globo online.

“Para Ciro, Tabata faz ‘dupla militância’: ‘ninguém pode servir a dois senhores’. Ex-ministro voltou a defender que quem votou a favor da reforma deixe o PDT”. Manchete da hora (06hs24min) do Estadão online.

“Temendo derrota, Bolsonaro sonda senadores antes de confirmar indicação de Eduardo. Presidente demonstra incômodo com possibilidade de Casa rejeitar o nome de filho para embaixada”. Manchete da hora (06hs25min) da Folha online.

“Mercosul vai eliminar a cobrança do roaming internacional”. Manchete da hora (06hs26min) do Valor Econômico online.

📃 Editoriais do dia:

“Incluir estados na reforma é essencial. Não estender as mudanças à Federação deixará governadores quebrados, na porta do Tesouro”. Editorial do O Globo.

“Rompimento na Bahia mostra que controle de barragens ainda é falho. Agência Nacional de Águas diz que fiscaliza menos de 1% das represas e que estados não enviam dados”. Editorial do O Globo.

“O poder como capricho. Caso o convite a Eduardo Bolsonaro para a embaixada em Washington seja oficializado, é responsabilidade do Senado barrar a indicação, que avilta o bom senso”. Editorial do Estadão.

“Museus ao deus-dará. A catástrofe que acometeu o Museu Nacional não foi um golpe extraordinário da sorte”. Editorial do Estadão.

“Enquanto a economia respira. Considerado prévia do PIB, IBC-Br aponta que a atividade econômica reage e poderá melhorar”. Editorial do Estadão.

“Projetos impopulares. Bolsonaro não parece empenhado em convencer maioria contrária a propostas suas”. Editorial da Folha.

“Nova CLT, 2 anos. Reforma trabalhista já teve o efeito benéfico de reduzir os litígios judiciais”. Editorial da Folha.

“Futuro do Fundo da Amazônia enfrenta a mais séria ameaça. O problema com o Fundo da Amazônia pode ainda alimentar a oposição em parlamentos europeus ao acordo com o Mercosul”. Editorial do Valor Econômico.

📃 Outros destaques:

“Insatisfeito com Dodge, chefe da Lava-Jato deixa cargo. Insatisfeito com Dodge, coordenador da operação na PGR deixa o cargo”. Destaque de capa do O Globo impresso.

“Bolsonaro lista 5 razões para nomear Eduardo. Indicação para embaixada nos EUA é tida como quase certa no Palácio do Planalto”. Destaque de capa do O Globo impresso.

“Bolsonaro ironiza críticos do filho. Bolsonaro ignora ataques até de aliados ao projeto de pôr filho em embaixada nos EUA”. Destaque de capa do Estadão impresso.

“Saúde suspende produção de 19 medicamentos gratuitos do SUS”. Destaque de capa do Estadão impresso.

“Trump mantém ataque visto como racista. A polêmica em torno de tuítes de Donald Trump considerados racistas a respeito de quatro deputadas democratas se intensificou. Ontem, Trump disse que elas “são livres para voltar a seus países””. Destaque de capa do Estadão impresso.

“Ciro: ‘Não se pode servir a dois senhores’. Ciro Gomes defende que os “rebeldes” do PDT que apoiaram reforma da Previdência, inclusive Tabata Amaral, deixem o partido. “Ninguém pode servir a dois senhores.” PSB também pode punir dissidentes.” Destaque de capa do Estadão impresso.

“Expulsar infiéis põe em risco verba eleitoral de sigla”. Destaque de capa da Folha impressa.

“Censo do país criticado por Guedes é um dos menores. Apesar das críticas do ministro, o questionário básico do Censo brasileiro está entre os menores do mundo”. Destaque de capa da Folha impressa.

“Previdência terá de ser revista em 5 anos, diz Mourão”. Destaque de capa da Folha impressa.

““Estoque recorde preocupa setor de açúcar no país. A diminuição do protagonismo do Brasil no mercado do açúcar vai obrigar as usinas a mais reduções na capacidade industrial. Após triplicar de tamanho em uma década, o setor enfrenta a concorrência asiática e pode ter o crescimento limitado no etanol pela ascensão das usinas de milho”. Destaque na capa do Valor Econômico impresso.

“Proposta para universidades sai amanhã. O “Future-se”, programa do governo para o ensino superior, será apresentado hoje ao presidente Bolsonaro, mesmo dia em que as linhas gerais serão discutidas com reitores das universidades federais. Entre os objetivos está o fortalecimento da autonomia financeira das instituições”. Destaque de capa do Valor Econômico impresso.

“TST decide que trabalhador paga honorário. Trabalhadores estão perdendo no Tribunal Superior do Trabalho (TST) a discussão sobre um dos pontos polêmicos da reforma trabalhista, que estabelece o pagamento de honorários em caso de derrota (sucumbência), mesmo se beneficiário da justiça gratuita”. Destaque de capa do Valor Econômico impresso.

“Aposta nas ‘maquininhas’. A empresa alemã SumUp, que no Brasil atua como ‘subcredenciadora’ de cartões, captou € 333 milhões para investir nos países onde atua. Aqui, vai destinar cerca de um sexto dos recursos para subsidiar a compra de ‘maquininhas’ e as taxas cobradas aos varejistas, diz Igor Marchesini”. Destaque de capa do Valor Econômico impresso.

📃 Colunas e artigos:

“Definir com base na certidão de nascimento um posto que deveria ser exercido por mérito é desvalorizar a chancelaria.” Na coluna de Ana Carla Abrão, no Estadão.

“Bolsonaro reafirma sua predileção pelo nepotismo”. Na coluna de José Casado, no O Globo.

“Reação a diálogos de Deltan e Moro expõe polarização dentro do Ministério Público”. Na coluna Painel, da Folha.

“Questão de interpretação. Estamos até o momento no terreno da interpretação das leis. Assim como o site Intercept Brasil, que divulga o material, tem lado evidente, vendo ilegalidade em todas as conversas entre os personagens, há inúmeros juristas e advogados que entendem ao contrário.” Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Risco controlado. Com Bolsonaro imobilizado, Congresso toma o protagonismo”. Na coluna de Joel Pinheiro da Fonseca, na Folha.

 

📃 Mais notícias:

“Ponte de R$ 2,9 bi provoca polêmica. O projeto do governo paulista e da Ecorodovias para construir uma ponte entre Santos e Guarujá gerou uma queda de braço no Porto de Santos”. No Valor Econômico.

“Usina lança título lastreado em precatório. A usina Coruripe, de Alagoas, busca captar R$ 800 milhões por meio de certificados de recebíveis do agronegócio (CRA). A oferta, estruturada pela XP, está sendo oferecida a investidores qualificados, com ao menos R$ 1 milhão em aplicações”. No Valor Econômico.

“Há 15 anos, Ciro foi ‘Tabata do PPS’ e desafiou decisão partidária”. Na Folha.

“Embates em votações vão tornar vida de Tabata Amaral ‘um inferno’, diz Ciro”. Na Folha.

“’Não há problema nenhum’ se Bolsonaro escolher outro vice em 2022, diz Mourão”. Na Folha.

“’Fumei, cheirei, viajei; agora, estou focado na Câmara’, diz Frota sobre papel na reforma”. Na Folha.

“Recursos que poderiam ter afastado Moro da Lava Jato ficam 2 anos sem julgamento”. Na Folha.

“Moro, Deltan e PF marcaram reunião para discutir fases da Lava Jato, apontam diálogos”. Na Folha.

“Órgão do MPF critica ‘cruzada moral’ ao comentar vazamentos da Lava Jato”. Na Folha.

“Dodge chama Deltan e procuradores para reunião e deve defender Lava Jato”. Na Folha.

“Após juiz negar, Lula entra com novas ações por danos morais sobre morte do neto”. Na Folha.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a segunda-feira, 15, em baixa de -0,10%, a 103.803 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,51%, a R$ 3,76, e o euro em alta de 0,33%, a R$4,23.

Destaque histórico:

“Na tarde de 16 de julho de 1950, 173.850 pessoas emudeceram na maior tragédia da história do futebol brasileiro. O Brasil precisava apenas de um empate contra o Uruguai para conquistar a sua primeira Copa do Mundo, em pleno Maracanã. O time saiu ganhando, mas acabou perdendo o jogo de virada, por 2 a 1.” No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu