Sinopse: reforma da Previdência é destaque unânime das manchetes

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 242 – A 174 dias do fim do ano de 2019, hoje é quarta-feira, 10 de julho de 2019, 191º dia do ano.

Sinopse dos grandes jornais impressos que circulam nacionalmente

🖋Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Reforma vai a plenário; Placar aponta pelo menos 298 votos. De 504 deputados ouvidos, 117 são contra mudanças na Previdência, 24 estão indecisos e 65 não responderam”. Manchete de capa do Estadão impresso.

“Pressões complicam votação da reforma na reta final. Bolsonaro defende regra especial para PF; 331 votam contra adiamento”. Manchete de capa do O Globo impresso.

“Congresso aumenta a fatura pela Previdência. Governo Bolsonaro amplia a oferta de emendas parlamentares, mas enfrenta resistências na Câmara”. Manchete de capa da Folha impressa.

“Reforma tem seis regras de transição na aposentadoria. A reforma da Previdência prevê seis regras de transição para os novos critérios de aposentadoria, cuja implementação será gradual ao longo de 14 anos. Dessa forma, pretendeu-se abranger o maior número de trabalhadores nos diversos estágios da vida”. Manchete de capa do Valor Econômico.

📃 Editoriais do dia:

“O peso do apoio popular à reforma da Previdência. Tendência de aumento da aprovação das mudanças é um recado aos políticos”. Editorial do O Globo.

“Déficit apontado pelo TCM expõe problemas de gestão na prefeitura. Serviços no Rio patinam, mas rombo nas contas do município cresce, chegando a R$ 3,25 bilhões”. Editorial do O Globo.

“O ‘racha’ do PSL. Ao contrário do que sugerem a razão e o bom senso, tem sido justamente o partido do presidente da República uma das maiores fontes de atribulações no curso da reforma da Previdência”. Editorial do Estadão.

“O lobby cartorial de sempre. A Medida Provisória (MP) n.° 876 corre o risco de caducar se não for aprovada até a quinta-feira”. Editorial do Estadão.

“Redescobrindo o pragmatismo. Brasil está de volta, disse o presidente Michel Temer no Fórum Econômico Mundial em janeiro de 2017”. Editorial do Estadão.

“Mais sim, menos não. Datafolha mostra alta do apoio à reforma da Previdência, que descola de Bolsonaro”. Editorial da Folha.

“Trens e tucanos. Cade pune 11 empresas por cartel em SP, em caso que desgasta caciques do PSDB”. Editorial da Folha.

“Desempenho da indústria esfria previsões para o ano. No balanço final, calcula a Goldman Sachs, a produção industrial voltou ao nível de 15 anos atrás”. Editorial do Valor Econômico.

📃 Outros destaques de capa:

“Governo libera emendas, mas líderes estão insatisfeitos. O governo acelerou a liberação de emendas parlamentares para tentar aprovar a reforma da Previdência. Apesar disso, líderes partidários demonstravam insatisfação. Deputados insistiam que o Planalto precisava honrar acordo feito há cerca de um mês e liberar R$ 20 milhões em emendas para cada um deles após a aprovação do texto. Somente nos dias 4 e 5 de julho, o governo empenhou R$ 1,6 bilhão.” Na capa do Estadão.

“Câmara retira prisão em 2ª instância de texto de Moro. No dia em que o assunto principal foi a reforma da Previdência, a Câmara rejeitou uma das principais bandeiras do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e da Lava Jato. O grupo que analisou o pacote anticrime apresentado pelo ex-juiz decidiu, por 7 votos a 6, retirar do texto a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.” Na capa do Estadão.

“Governo deve reincorporar cubanos ao Mais Médicos. O governo pretende editar, em agosto, medida provisória para reincorporar os cubanos que vivem no País ao Mais Médicos, informa Lígia Formenti. A ideia é que eles trabalhem na atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS) por dois anos. Depois disso, será necessária revalidação do diploma. A estimativa é de que dois mil médicos estejam nessa situação.” Na capa do Estadão.

“Substituto do eSocial começa a valer em janeiro. O governo acabará com o eSocial e lançará, em janeiro, dois novos sistemas de envio de dados previdenciários, trabalhistas e tributários. O volume de informações prestadas pelo empregador deve cair de 900 para 500 já em setembro.” Na capa do Estadão.

“Petroleiras investem na exportação. Com o aumento da produção no pré-sal, as petroleiras se preparam para elevar também as exportações de petróleo, investindo em opções para facilitar o escoamento da produção brasileira para o exterior”. Na capa do Valor Econômico.

“Projetos divergentes na reforma tributária. Em um grande acordo, que envolveu governo e oposição, o Senado decidiu que vai defender a proposta de reforma tributária baseada no texto formulado pelo ex-deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR)”. Na capa do Valor Econômico.

“Novo perfil de clientes. A Andrade Gutierrez mostra sinais de recuperação, com previsão de faturar R$ 4,5 bilhões em 2019. A construtora passou a operar no país apenas com clientes privados, diz Gustavo Coutinho”. Na capa do Valor Econômico.

“Riqueza financeira cresceu 7% no país em 2018. A riqueza pessoal dos brasileiros aumentou 7% no ano passado, muito acima da média global de 2%, e alcançou cerca de US$ 2 trilhões, segundo levantamento da Boston Consulting Group”. Na capa do Valor Econômico.

“Assaltos caem, mas bancos enfrentam o ‘novo cangaço’. O chamado “novo cangaço” age no interior do país, desafiando bancos, a polícia, empresas privadas de segurança e de transporte de valores. São quadrilhas numerosas, bem organizadas e fortemente armadas, capazes de bancar operações custosas”. Na capa do Valor Econômico.

Relator propõe R$ 2 bi a mais para eleição em 2020. O deputado Cacá Leão (PP-BA), relator da proposta de Orçamento para 2020, prevê uma verdade R$ 3,7 bilhões aos partidos para a campanha eleitoral municipal. A quantia excede em R$ 2 bilhões o valor destinado ao Fundo Eleitoral em 2018. PT, PSL e MDB vão receber a maior parcela dos recursos.” Na capa do O Globo.

“TCM: Crivella cumpre uma em cada 3 metas. Relatório da Corte vê problemas em diversas áreas. Estudo do Tribunal de Contas do Município aponta que o prefeito Marcelo Crivella cumpriu 61 dos 194 projetos de governo avaliados pela área técnica da Corte fiscal. O relatório revela uma série de problemas administrativos, com números aquém do esperado em setores como educação, saúde e segurança. A prefeitura diz que está saindo da crise.” Na capa do O Globo.

“Pacote de Moro: retirada a prisão em 2ª instância. Por 7 votos a 6, grupo de trabalho da Câmara retirou do pacote anticrime item que formaliza a prisão após condenação em 2- instância, que, segundo a maioria, tem que ser alterada por uma PEC. O ministro Sergio Morovê a medida como fundamental para o combate à corrupção. Plenário pode revogara decisão.” Na capa do O Globo.

“Internação involuntária tem apoio de 83% dos brasileiros. A internação de dependentes químicos contra sua vontade para tratar o vício tem apoio de 83% dos brasileiros, segundo revela pesquisa do Datafolha. Nela, 27% disseram ter um parente próximo envolvido com o consumo de drogas. Especialistas questionam a eficácia da ação, estimulada por nova lei.” Na capa da Folha.

“Crianças carregam arma falsa em desfile. Criança com uniforme da PM paulista manuseia arma falsa durante o desfile de 9 de Julho em São Paulo, em que outros garotos também interagiram com policiais; corporação responsabiliza pais e diz que irá coibir prática nos próximos eventos”. Na capa da Folha.

“Libertados seguem monitorados pela ditadura Maduro. A ditadura de Nicolás Maduro na Venezuela libertou 22 presos políticos para agradar a ONU, mas eles têm de se apresentar à Justiça a cada 15 dias e não podem falar em redes sociais ou entrevistas. “Nos tiraram da jaula, mas nos colocaram uma correia no pescoço”, disse à Folha o jornalista Braulio Jatar.” Na capa da Folha.

“Decreto flexibiliza regra para determinar o que é cerveja. Decreto publicado pelo governo Jair Bolsonaro ontem alterou as exigências para que uma bebida seja considerada cerveja, o que gerou polêmica entre advogados. A nova norma elimina série de restrições, como o uso de cereais não maltados — por exemplo, milho e arroz — e de produtos de origem animal.” Na capa da Folha.

“Governo pretende esvaziar Comissão de Ética Pública. O governo Jair Bolsonaro planeja esvaziar a Comissão de Ética Pública da Presidência, retirando dela o poder de recomendar a exoneração de altos servidores que cometeram desvios de conduta. O atual presidente do órgão teme um “tremendo retrocesso”.” Na capa da Folha.

“Doria defende Lava Jato, mesmo com erros, e diz manter apoio a Moro”. Na capa da Folha.

“Acordo viabiliza prisão de suposto operador do ‘doleiro dos doleiros’”. Na capa da Folha.

“Nuzman fez passagem rara pelo Brasil em data citada por Cabral”. Na capa da Folha.

“Intercept divulga primeiro áudio de Deltan para procuradores da Lava Jato”. Na Folha.

“Grupo de trabalho na Câmara rejeita prisão em 2ª instância de pacote anticrime”. Na Folha.

“Família de ‘doleiro dos doleiros’ faz delação e promete devolver R$ 370 mi”. Na Folha.

“PF acha 583 kg de cocaína em fazenda de prefeito que prometeu barrar Funai”. Na Folha.

“Ex-chefe da Funai sob Bolsonaro diz que venda de aviões é ato antigo da gestão”. Na Folha.

📃 Colunas e artigos:

“Países que utilizam trabalho infantil desincentivam o investimento, já que há um recurso barato abundante: as crianças.” Na coluna de Mônica de Bolle, no Estadão.

“Novo regime não vai ser menos desigual. Reforma iria cortar o rombo e diminuir privilégios. Avançará no primeiro item, mas manterá a desigualdade entre brasileiros”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“De última hora. O presidente Jair Bolsonaro, ao interferir na tramitação da reforma da Previdência para garantir aos policiais federais e à Polícia Rodoviária regra mais branda, fora da emenda principal, ajudou o trabalho da oposição de obstrução da votação.” Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Precisamos falar sobre fake news. O que posso afirmar, como presidente do Congresso Nacional, é que, embora não saibamos ainda o antídoto que usaremos contra a disseminação de notícias falsas em escala industrial, não passa pela cabeça de ninguém aceitar a utilização de qualquer tipo de controle que não seja democrático.” Artigo de Davi Alcolumbre, presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional.

“Funcionárias em casa, as empregadas domésticas são um território rico para debates sociológicos e psicológicos.” Na coluna de Leandro Karnal, no Estadão.

“Bala perdida e frango rastreável. Controle de munições no Brasil tem se mostrado falho”. Na coluna de Fernanda Mena, na Folha.

“Não caiu a ficha de Bolsonaro. Não à toa presidente anda com a popularidade no volume morto”. Na coluna de Fábio Fabrini, na Folha.

“Governante menor. Que sorte, a de João Gilberto! Bolsonaro não o elogiou”. Na coluna de Ruy Castro, na Folha.

“Confusão proposital? Bolsonaro tem ideia distorcida de que exemplo individual pode moldar política pública.” Na coluna de Nicola Pamplona, na Folha.

“O céu é o limite. Acordo Mercosul-UE é um marco na história do país”. Artigo de Kátia Abreu, na Folha.

“Nas mãos do capitão Forrest Gump! Presidente poderia e deveria conduzir, liderar, unir”. Artigo de Márcio França, na Folha.

“Os últimos vazamentos de mensagens trocadas entre a Lava Jato e o ex-juiz Sergio Moro tendem a aprofundar a cisão que já existe no Supremo. Há uma ala da corte que, a despeito de críticas emitidas por colegas, está disposta a sustentar todas as medidas da autoproclamada “república de Curitiba”.” Na coluna Painel, da Folha.

“Esquerda perde força na batalha da reforma”. Na Coluna do Estadão, no Estadão.

“A Moro tudo, menos o papel de bobo. O ex-juiz e o coletivo da Lava Jato repetem o erro do PT e insistem na desqualificação das informações”. Na coluna de Elio Gaspari, na Folha.

“Guedes e Coaf não esclarecem se Glenn Greenwald é investigado. Órgão do Ministério da Economia dá explicações genéricas sobre seu trabalho e não responde se elaborou algum relatório sobre as movimentações financeiras do jornalista”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a terça-feira, 09, em alta de 0,42%. O dólar terminou o dia em baixa de -0,24%, a R$ 3,81, enquanto o euro também fechou o dia em baixa de -0,44, a R$ 4,27.

Destaque histórico:

“Em 10 de julho de 1997, em Londres, cientistas relatam as descobertas da análise de DNA de um esqueleto de Neandertal que apoia a “hipótese da origem única” da evolução humana, colocando uma “Eva mitocondrial” entre 100 000 e 200 000 anos atrás”. Na Wikipedia.

👍Positivo:

“Vale é condenada pela primeira vez por tragédia em Brumadinho”. Na Veja online.

👎Negativo:

“PM mata homem a tiros após briga por poltrona no cinema”. Na Veja online.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu