Sinopse: Projeto sobre abuso de autoridade aprovado no Senado é destaque das manchetes dos jornais

? Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 229 – A 187 dias do fim do ano de 2019, hoje é quinta-feira, 27 de junho de 2019, 178º dia do ano.

Sinopse dos grandes jornais impressos que circulam nacionalmente

?Edição: Sérgio Botêlho

? Manchetes do dia:

“Senado aprova punição para abuso de autoridade de juiz. Projeto, parado na Casa desde 2017, foi incluído no pacote de dez medidas contra a corrupção”. Manchete de capa do O Globo impresso.

“Após desgaste de Moro, Senado torna crime abuso de autoridade. Proposta prevê punição a juízes que expressarem opinião sobre processo que ainda não foi julgado”. Manchete de capa do Estadão impresso.

“Sargento preso com 39 kg de cocaína constrange Planalto. Detido na Espanha, militar auxiliava comitiva de Bolsonaro; caso põe em xeque aparato de segurança do presidente”. Manchete de capa da Folha impressa.

“Aumenta o interesse do investidor local por ações. O interesse dos brasileiros por ações de empresas está em alta. Nas ofertas de papéis realizadas neste ano, até o momento, os investidores locais aplicaram de R$ 8 bilhões, ante R$ 4,6 bilhões nos 12 meses de 2018”. Manchete de capa do Valor Econômico impresso.

? Editoriais do dia:

Vetos na lei das agências servem como um alerta. Bolsonaro repete Lula diante da autonomia desses órgãos, mas a nova legislação é um avanço”. Editorial do O Globo.

“Crise humanitária na fronteira com o México repercute nos Estados Unidos. Nos últimos dias, imprensa americana tem mostrado situação trágica de crianças imigrantes”. Editorial do O Globo.

“Caminho aberto para a reforma. Num avanço notável, consolida-se o cenário em que a maioria dos parlamentares parece convencida da premência da reforma da Previdência. Resta detalhar o formato”. Editorial do Estadão.

“Alívio pelo menos na inflação. Após susto nos primeiros meses do ano, as pressões inflacionárias cederam, atenuadas principalmente pela normalização do custo dos alimentos”. Editorial do Estadão.

“A prudência do STF. Ao menos no que diz respeito à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o STF vem cumprindo a lei”. Editorial do Estadão.

“Rainha do Planalto. Ao contrário do que entenderam cortesãos, eleição não leva um programa ao trono”. Editorial da Folha impressa.

“Contas do ensino. Acúmulo de verbas carimbadas desincentiva a eficiência dos gestores”. Editorial da Folha impressa.

“Petróleo tem alta moderada com investidas de Trump contra o Irã. Ofensiva de Trump pode destruir tênue equilíbrio no Oriente Médio”. Editorial do Valor Econômico.

? Outros destaques de capa:

“Militar é preso na Espanha com cocaína levada em avião da FAB. Sargento da Aeronáutica fazia parte da equipe de apoio da viagem de Bolsonaro para G20. Manoel Silva Rodrigues foi detido no aeroporto de Sevilha com mala que transportava 39 quilos da droga. Ele era tripulante do voo da FAB que dá apoio à comitiva do presidente Bolsonaro para reunião do G20. Desde 2011, Rodrigues, que foi chamado de “mula qualificada” pelo vice Mourão, participa de viagens presidenciais.” Na capa do O Globo.

“Militar com droga embaraça o Planalto, Preso na Espanha com 39 kg de cocaína na bagagem, o segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, integrante da comitiva que acompanha a viagem do presidente Jair Bolsonaro a Tóquio, fez pelo menos 29 viagens oficiais, servindo a três presidentes.” Na capa do Estadão.

“Congresso reage a governo e impõe agenda para arma. Um dia após o governo editar três decretos e enviar um projeto de lei sobre posse e porte de armas no País, o Senado aprovou ontem permissão para que habitantes de áreas rurais usem armas em toda a extensão da propriedade, não apenas na sede.” Na capa do Estadão.

“Em aceno, comissão estende posse rural de arma. A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou projeto de lei que permite a ruralistas ter posse de arma em toda a propriedade, não só dentro de casa. O texto, que precisa passar pelo plenário, é um aceno ao governo depois de Jair Bolsonaro revogar decretos de posse e porte. Senadores se propõem a dar aval a propostas menos radicais que as do Executivo”. Na capa da Folha.

“Projeto antiabuso de autoridade passa no Senado. Senadores aprovaram texto que pune excessos por parte de juízes e procuradores. Proposta, que vai para a Câmara, voltou a ser examinada após a revelação de diálogos atribuídos a Sergio Moro e a membros da Lava Jato.” Na capa da Folha.

“Entrevista Gilmar Mendes, ministro do STF: ‘O cemitério está cheio de falsos heróis’. Defensor do projeto que pune autoridades que cometem abuso, o ministro rebate a força-tarefa da Operação Lava Jato, que enxerga nessa lei uma forma de amedrontar juízes e investigadores. Mendes diz acreditar que o projeto pode evitar o surgimento de “falsos heróis””. Na capa do Estadão.

“Sem reforma, DF e 12 estados não resolvem déficit. Estudo revela que 12 estados e o Distrito Federal poderiam reduzir ao menos à metade o déficit previdenciário, ao longo de dez anos, se estados e municípios fossem incluídos na reforma da Previdência da União. Mato Grosso, Pará e o Distrito Federal poderiam até tornar superavitários seus regimes próprios.” Na capa do O Globo.

“Por Previdência, governo libera lote extra de emendas. O governo de Jair Bolsonaro (PSL) liberou ontem, em vários ministérios, lotes extras de emendas para deputados federais que aceitarem votar a favor da reforma da Previdência. Parlamentares confirmaram o acerto à reportagem. Cada congressista terá direito a R$ 20 milhões a mais em verbas para direcionar a suas bases —metade pelo apoio na comissão da Câmara e metade em plenário. A oferta não agradou à cúpula de siglas do centrão como PP e PR”. Na capa da Folha.

“Levy afirma que BNDES não tem nada a esconder. Ex-presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy afirmou em depoimento à CPI da Câmara que o banco “não tem nada a esconder”. Ele negou que sua demissão da instituição tenha relação com suposta relutância em abrir a chamada ‘caixa-preta’”. Na capa do Valor Econômico.

“Com mudança em alíquota de compulsório, BC libera R$ 16 bi”. Na capa da Folha.

“Rede D’Or acerta a compra da Perinatal. A Rede D’Or São Luiz fechou a aquisição da maternidade Perinatal, que tem duas unidades no Rio e centros neonatais na Região Metropolitana. O negócio reforça o plano da empresa de diversificar sua atuação e dobrar o número de leitos hospitalares. Confirma, também, tendência de concentração do setor.” Na capa do O Globo.

“O homem da nuvem que prevê o futuro. O holandês Werner Vogels, vice-presidente e chefe de tecnologia da Amazon, é responsável pela criação das lojas físicas sem caixa e agora vai criar um drone de seis hélices. Seu papel é antecipar o futuro na Amazon”. Na capa do Valor Econômico.

“Bloqueio de contas da Braskem deixa acionista sem dividendos. Os acionistas da Braskem dificilmente receberão pagamento de R$ 2,67 bilhões em dividendos proposto ao conselho de administração da companhia. Ontem, a Justiça de Alagoas determinou bloqueio de R$ 3,68 bilhões em contas bancárias da petroquímica para indenizar moradores de Maceió (AL)”. Na capa do Valor Econômico.

“JBS antecipa pagamentos e normaliza relação com bancos. Dois anos após fechar acordo com bancos no Brasil para preservar linhas de crédito em meio à crise da delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista, a JBS pagou mais de R$ 13 bilhões em dívidas bancárias no país, reduzindo esses compromissos a cerca de R$ 8,7 bilhões”. Na capa do Valor Econômico.

“Eletrobras deve pagar por compulsório. Uma conta de R$ 17,9 bilhões, iniciada há 50 anos, terá de ser paga pela Eletrobras, e não pela União, acionista majoritária da estatal. A decisão, tomada ontem pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), refere-se a empréstimo compulsório que começou a ser cobrado na década de 1960”. Na capa do Valor Econômico.

“MP pede pena maior para Lula. O procurador Maurício Gotardo Gerum recomendou ao TRF da 4S Região o aumento da pena do ex-presidente Lula na ação do sítio de Atibaia. O petista foi condenado em primeira instância a 12 anos e 11 meses de prisão”. Na capa do Estadão.

“Entrevista Fausto De Sanctis: Moro não fez nada de errado, e STF tem violado ética. Para magistrado que julgou processos das operações Satiagraha e Castelo de Areia, conduta do ex-juiz não mancha sentenças da Lava Jato.” Na capa da Folha.

“STF barra férias em Aruba de senador que cumpre pena. Condenado a 4 anos e 6 meses em regime aberto, o senador Acir Gur-gacz (PDT-RO) foi liberado pelo juiz Fernando Messere, do TJ-DF, a passar férias com a família no Caribe. Anoite, Alexandre de Moraes, do STF, vetou viagem.” Na capa do Estadão.

“Cassada, no Conselho de Etica. Indicada pelo PSL para presidir o Conselho de Ética do Senado, Juíza Selma Arruda (MT) foi cassada pelo TRE por caixa 2. Ela recorreu”. Na capa do Estadão.

“Contas de Alckmin e França têm ressalvas por gastos em educação”. Na capa da Folha.

“Merkel vai questionar Bolsonaro por desmate”. Na capa do Estadão.

“Bolsonaro terá reuniões com Trump, Macron e Xi durante o G20”. Na capa da Folha.

“Witzel rebate Doria e sugere que GP Brasil alterne entre Rio e SP”. Na capa da Folha.

“Mercosul e UE voltam a discutir acordo”. Na capa do Estadão.

? Colunas e artigos:

“A Lava Jato se sentia operando em terra já arrasada. Em cima dela a sociedade terá de encontrar um novo caminho”. Na coluna de William Waack, no Estadão.

“Economia moderna não combina com atraso ambiental. Não existe modernidade econômica com atraso ambiental e retrocesso social. Governo fala de reformas em meio a velharias”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Dormindo com o inimigo. Os potenciais candidatos já se mexem. E, pior para Bolsonaro, são todos do espectro político de centro”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“E se Lula fosse solto? Nenhum problema. O país seguiria seu curso, curvando-se à história e moldando seu caráter de acordo com ela.” Na coluna de Ascânio Seleme, no O Globo.

“Reforma da Previdência enviada ao Congresso foi menos ambiciosa por causa das próprias escolhas do presidente”. Na coluna de Zeina Latif, no Estadão..

“Bolsonaro e seu reinado. Presidente pode até querer fazer crer que suas escolhas não são políticas, mas são”. Na coluna de Mariana Carneiro, na Folha.

“É leviano condenar Bolsonaro antes da lei. Julgamento da internet é sempre mais rápido do que o da Justiça”. Na coluna de Mariliz Pereira Jorge.

“O equívoco do presidente. Vetos na lei das agências reguladoras afetam eficiência”. Artigo de Simone Tebet, na Folha.

? Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quarta-feira, 26, em alta de 0,60%, a 100.689 pontos. O dólar terminou o dia em baixa de -0,16%, a R$ 3,85, e o euro estável a R$ 4,38.

Destaque histórico:

“Em 27 de junho de 1950, o presidente norte-americano Truman ordenou ao seu exército que socorresse os sul-coreanos. O ato marcou a entrada americana na Guerra da Coréia, no apogeu da Guerra Fria. O conflito durou três anos e dividiu o território em dois países: Coréia do Norte, socialista, e Coréia do sul, influenciada pelos EUA.” No portal Terra.

?Positivo:

“Proibição de sacolas plásticas em mercados do Rio de Janeiro começa a valer”. No UOL.

?Negativo:

“As perdas nas lojas físicas do varejo, em 2018, voltaram a crescer 7 %, após dois anos seguidos de queda.” Na Isto É online.

 

MATÉRIAS DE ÚLTIMA HORA:

“PF prende assessor especial de ministro do Turismo em caso dos laranjas do PSL. Ação deflagrada mira candidaturas laranjas patrocinadas por Marcelo Álvaro Antônio”, Na Folha.

“Bolsonaro critica fala de Angela Merkel sobre pauta ambiental do Brasil: ‘Temos muito a ensinar à Alemanha’”. Na BBC Brasil.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments