Sinopse: denúncias, economia e política são os destaques das manchetes

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 226 – A 190 dias do fim do ano de 2019, hoje é segunda-feira, 24 de junho de 2019, 175º dia do ano.

Sinopse dos grandes jornais impressos que circulam nacionalmente

🖋Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Deputados viajam a destinos turísticos com aval de Maia. Parlamentares apresentam justificativas precárias para viagens bancadas pela Câmara; custo chega a R$3,9 mi”. Manchete de capa da Folha impressa.

“Crime organizado lidera invasões de mananciais em SP. Meio ambiente. Desde janeiro do ano passado, houve pelo menos 24 novas invasões em áreas de proteção ambiental e a maior parte se concentra na região das represas Billings e Guarapiranga, que abastecem a capital; terrenos podem custar até R$ 100 mil”. Manchete de capa do Estadão impresso e, também, da versão online.

“Preço do pedágio deve variar de acordo com condição de rodovias. Governo quer conceder 16 mil quilômetros até 2022. Na Via Dutra, a cobrança seria por trecho percorrido”. Manchete de capa do O Globo impresso.

“Exportação faz Sul crescer bem acima da média do país. Dados do IBGE, do Banco Central (BC) e do Ministério da Economia revelam que a região Sul está tendo desempenho na economia bem melhor que o do restante do país”. Manchete de capa do Valor Econômico impresso.

“Bolsonaro diz que não vai ajudar a incluir estados na reforma. Em reunião com a bancada do Podemos, ele disse não ver motivos para brigar pelos governadores”. Manchete da hora da Folha online.

📃 Editoriais do dia:

“Ruínas da Odebrecht. Crise da gigante empreiteira é marco do colapso do modelo tradicional de mobilização de capital para grandes obras”. Editorial da Folha.

“Saúde inflacionada. Aumentos acima da inflação tornam os planos cada vez menos acessíveis”. Editorial da Folha.

“A vida em tempo de desemprego. Há 3,3 milhões de trabalhadores há pelo menos dois anos à procura de uma ocupação remunerada. Esse número é 42,4% maior do que o de dois anos antes”. Editorial do Estadão.

“Falta ação para redefinir o futuro da indústria. Ausência de políticas públicas, alto custo da inovação, burocracia e baixa qualificação profissional são empecilhos”. Editorial do O Globo.

“O trabalho aos domingos. O número de setores econômicos autorizados a funcionar em caráter permanente aos domingos e nos feriados foi ampliado de 72 para 76”. Editorial do Estadão.

“CMN (Conselho Monetário Nacional) deve seguir estratégia de redução da meta de inflação. Uma meta de inflação de 3,5% em 2022 colabora com uma necessária distensão monetária”. Editorial do Valor Econômico.

“É preciso correr para regulamentar o uso de patinetes na cidade. Inútil discutir se atribuição é municipal, estadual ou federal, enquanto crescem os acidentes”. Editorial do O Globo.

“O círculo vicioso da violência. Transferir menores infratores para o regime domiciliar não resolve o problema da superlotação nos presídios”. Editorial do Estadão.

📃 Outros destaques de capa:

“’Proposta não é anti-Guedes’. Autor da proposta de reforma tributária, o líder do MDB na Câmara, deputado Baleia Rossi (SP), diz que há hoje no cenário político uma “conspiração” a favor da aprovação da mudança do sistema tributário brasileiro. Baleia Rossi afirma que a proposta não é “anti-Guedes”, o ministro da Economia.” Na capa do Estadão.

“Governo ignora ‘banco de talentos’ de congressistas. Governo frustra parlamentares ao ignorar indicações pedidas há 3 meses”. Na capa do O Globo.

“Bolsonaro diz que não vai ajudar a incluir estados na reforma”. Na capa da Folha.

“Doria busca marca na Educação. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), pretende dar prioridade à educação e, assim, criar uma marca que o diferencie de outros políticos, principalmente, do presidente Jair Bolsonaro, com quem pode disputar a próxima eleição presidencial”. Na capa do Valor Econômico.

“Moro cancela ida a audiência na Câmara. Ministro responderia a perguntas de deputados sobre diálogos vazados na próxima quarta-feira, dia 26; vice-presidente da CCJ cita viagem como motivo de cancelamento e diz que uma nova data será marcada”. Na capa do O Globo.

“Sergio Moro tuíta que ‘montanha pariu um rato’”. Na capa da Folha.

“Câmara vai acelerar reforma tributária. Parlamento. Para tentar emplacar o que batizaram de ‘agenda boa’ em contraposição à ‘agenda negativa’ da Previdência, as lideranças da Câmara dos Deputados vão acelerar a tramitação da tributária logo após a votação na Comissão Especial da primeira”. Na capa do Estadão.

“Estudo mostra que demitido gasta FGTS rapidamente. Um estudo que acompanhou o consumo de trabalhadores demitidos sem justa causa, que receberam o FGTS, mostra que, logo após a rescisão, há um pico de compras de mais de 35% acima da média mensal do ano anterior à rescisão. O aumento de gasto não dura muito e, a partir do segundo mês, começa a cair”. Na capa da Folha.

“PSL e PSOL são partidos mais coesos. Em lados políticos opostos, siglas demonstram unidade diante da orientação da liderança na quase totalidade das votações na Câmara”. Na capa do Estadão.

“Lancha de Cabral e Lamborghini de Eike vão a leilão. Juiz Marcelo Bretas autoriza venda de lancha do ex-governador, Lamborghini de Eike Batista, fazenda do operador Carlos Miranda e outros bens que, somados, podem restituir os cofres públicos em mais de R$ 12 milhões; lances começam em julho”. Na capa do O Globo.

“‘Calote’ de delatores chega a R$ 120 mi. Judiciário. Informações constam dos 217 acordos de delação homologados pelo Supremo e analisados pelo ‘Estado’ no Sistema de Monitoramento de Colaborações”. Na capa do Estadão.

“Empresa lucra mais no Brasil que na China. As empresas no Brasil e em outros países da América Latina têm sido mais lucrativas do que na China e no restante da Ásia, região com crescimento econômico bem mais elevado, segundo estudo da Comissão para América Latina da Economia Alemã com a consultoria McKinsey”. Na capa do Valor Econômico.

“Banco digital vive expansão acelerada. A criação de bancos digitais, movimento que começou há cerca de cinco anos no país, se tornou mais intensa em 2019. Como resultado, mensalmente, são abertas entre 500 mil e 1 milhão de contas nessas plataformas, segundo estimativas da consultoria Boston Consulting Group, com base em dados públicos”. Na capa do Valor Econômico.

“Choque de culturas desafia Belini na Cemig. Depois de trabalhar 45 anos na Fiat, dos quais 11 no comando da montadora na América Latina, Cledorvino Belini sabia que não teria vida fácil na estatal mineira Cemig, que preside há quatro meses. O choque entre duas culturas opostas, porém, tem sido maior que o esperado”. Na capa do Valor Econômico.

“Renda fixa com taxa alta e retorno baixo. Levantamento com base em dados da empresa de análise Morningstar mostra que há 53 fundos de varejo com taxas de administração acima de 2,5% ao ano, sendo que 49 deles não estão pagando nem o CDI (indicador que segue de perto a taxa Selic) a seus 1,6 milhão de cotistas”. Na capa do Valor Econômico.

“Câmara {do Rio} derruba limite a propaganda em prédios no Rio. Projeto Cidade Limpa, que coibia publicidade devido à poluição visual, é derrubado na Câmara”. Na capa do O Globo.

“Parada Gay: críticas a Bolsonaro e elogio a decisão do STF. Parada LGBT reúne milhões em São Paulo com música e política”. Na capa do O Globo.

“Parada Gay em SP tem crítica a Bolsonaro. Presidente foi principal alvo de cartazes; artistas e políticos também protestaram”. Na capa do Estadão.

“23ª Parada do Orgulho mistura festa e crítica. Público tomou Av. Paulista no evento; com shows de Iza, Lulu Santos e da spice girl Mel C, parada teve críticas a Bolsonaro e celebrou a criminalização da homofobia”. Na capa da Folha.

“Irã ameaça espalhar conflito pelo Golfo. Oriente Médio. Diante de novo pacote de medidas dos EUA, que será anunciado hoje, governo iraniano alerta que conflito militar afetaria outros países e tropas americanas estacionadas na região, e garante que está pronto para retomar seu programa nuclear”. Na capa do Estadão.

“Na derrota, o recado vitorioso de Marta. Ao fim do jogo, enquanto as francesas se emocionam com a dramática classificação às quartas de final do Mundial na prorrogação, em casa, as brasileiras não escondem o abatimento depois de tanta luta em Le Havre”. Na capa do O Globo.

“França, de novo. Brasil perde da França por 2 a 1 e dá adeus ao torneio, repetindo outros fracassos em Mundiais; atleta convoca o País para apoiar o futebol feminino”. Na capa do Estadão.

“Argentina vence Qatar por 2 a 0 e escapa de eliminação precoce. Sem brilho de Messi, Agüero e Lautaro Martínez marcam sobre o Qatar em atuação nada convincente da equipe”. Na capa do O Globo.

“Flamengo, o maior desafio de Landim. O engenheiro Luiz Rodolfo Landim Machado construiu sua reputação profissional na indústria de petróleo e gás. Sua outra paixão pode ajudar a torná-lo popular: o Clube de Regatas do Flamengo, que o elegeu presidente em 19 de dezembro”. Na capa do Valor Econômico.

“Universal Music enfrenta ação coletiva nos EUA. Grupo busca indenização de US$ 100 milhões pela perda de gravações valiosas em um incêndio em 2008”. Na capa do Estadão.

“Escrita essencial. Ana Maria Machado festeja 50 anos de carreira com novas edições e homenagem na Bienal do Rio”. Na capa do Estadão.

📃 Colunas e artigos:

“CCJ deve analisar texto que limita ação do STF. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara deve analisar nesta semana um projeto de lei que torna crime de responsabilidade “a usurpação de competência” do Congresso por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Trocando em miúdos, o PL permite impeachment de ministros que ‘legislarem’”. Na Coluna do Estadão, no Estadão.

“Por ter sempre defendido a Operação Lava-Jato, sofri algumas críticas por não tê-la condenado agora, com o material divulgado pelo Intercept. Na verdade, escrevi dois artigos sobre o tema. Provavelmente, não os acham adequados aos tempos de julgamento rápido e linchamento em série que a atmosfera da rede propicia”. Na coluna de Fernando Gabeira, no O Globo.

“Moro arriscou e agora paga preço. Opção por esticar o direito até o limite embutia custos.” Na coluna de Vinicius Mota, na Folha.

“Lava Jato. A operação não é causa, mas sim consequência. A análise deveria ter como ponto de partida a vasta delegação de poderes que teve lugar durante o processo constituinte”. Na coluna de Marcus André Melo, na Folha.

“Não tem tonto no Planalto. Bolsonaro não se aproveita só do desgaste de Moro para se posicionar como força eleitoral”. Na coluna de Leandro Colon, na Folha.

“Com vazamentos, Bolsonaro sequestra Moro. Bolsonarismo chama ministro da Justiça para dentro de seu mundo”. Na coluna de Celso Rocha de Barros, na Folha.

“Só há justiça com a certeza da imparcialidade. Suspeição do ex-juiz Moro impõe a libertação de Lula”. Artigo de Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010)”, na Folha.

“Há inconformismo com as soluções de sempre para a crise. É um bom começo. Primeiro se dizia que bastava trocar o governo para trazer de volta a confiança, os investimentos e, por tabela, o crescimento. Depois a tese foi adaptada às circunstâncias e a garantia da retomada passou a ser exclusividade da reforma da Previdência. Agora, finalmente, parece que até os reformistas mais radicais começam a cair na real e a palavra de ordem virou ‘é preciso ir além da Previdência’”. Na coluna de Cida Damasco, no Estadão.

“Presidencialismo sem coalizão. A grande pergunta é: como ficarão a governabilidade e a agenda de reformas com um governo que dificilmente terá maioria no Congresso?” Artigo de Christopher Garman e Rosangela Batista Cavalcanti,  diretor executivo do Eurasia Group e cientista política, no Estadão, página A6.

“Os riscos da nova moeda do Facebook. Ao lançar sua criptomoeda, o Facebook dá um passo para estar ainda mais presente no nosso dia a dia. Mas uma empresa devia ter tanto poder?” Na coluna de Samy Dana, no O Globo.

“A servidão bate à porta. Efeitos danosos do mundo virtual são bem concretos”. Na coluna de Jorge Luiz Souto Maior, na Folha.

“Em uma era de populismo e de antielitismo, chineses continuam governados por uma elite que permanece distante da população”. Na coluna de Fareed Zakaria, no Estadão.

📃 Mais notícias:

“Celso deve decidir destino de Lula e Moro. Julgamento em que petista acusa ex-juiz de parcialidade será retomado amanhã”. Na página A5, do Estadão.

“Caso Lula volta ao STF em ambiente político de Lava Jato em xeque. Após divulgação de conversas de Moro, pedido da defesa para anular condenação pode ser julgado na terça”. Na Folha impressa.

“Dallagnol quis planilha da Odebrecht em sigilo, diz jornal”. Na página A5, do Estadão.

“Mensagens de Moro e Lava Jato provocam reações de políticos”. Na Folha impressa.

“Em áudio, Moro pede desculpas a integrantes do MBL por chamá-los de tontos”. Na Folha impressa.

“Governo e parlamentares reeditam projetos derrotados e ‘oferecem’ judicialização”. Na Folha impressa.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo reabre, hoje, após o final de semana.

Destaque histórico:

“Em 24 de junho de 1374, um súbito surto de Dança de São João faz com que as pessoas nas ruas de Aachen, na Alemanha, experimentem alucinações e comecem a pular e contrair-se incontrolavelmente até desmaiarem de cansaço.” Na Wikipedia.

👍Positivo:

“Coletivo de mulheres confecciona gorros para moradores de rua em SP”. Na Isto É online.

👎Negativo:

“Estudantes do interior de SP ficam no prejuízo após agência de intercâmbio falir”. No G1.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu