Sinopse de 14.08.2019: aprovação do texto-base da MP da Liberdade Econômica é destaque da mídia impressa

Sinopse da grande mídia impressa:

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

📃 *Manchetes do dia*:

“Câmara dos Deputados aprova MP da Liberdade Econômica. Proposta visa melhorar o ambiente de negócios no país. Destaques serão votados hoje”. Manchete de capa do O Globo impresso.

“Câmara aprova texto-base da MP que reduz burocracia. Mudanças em regras trabalhistas caíram; projeto agora prevê um domingo de folga ao mês”. Manchete de capa do Estadão impresso.

“Câmara reduz burocracia e proteção trabalhista. Texto-base da MP da Liberdade Econômica é aprovado após concessões do governo”. Manchete de capa da versão impressa da edição paulista da Folha.

“Governo investiu só 6,5% do previsto em segurança pública. Orçamento planejado para a área, considerada prioritária pela gestão Bolsonaro, é de R$1,7 bilhão neste ano”. Manchete de capa da versão impressa da edição nacional da Folha.

“Itens trabalhistas saem da MP da Liberdade Econômica. Em uma tentativa de aprovar a medida provisória (MP) da “Liberdade Econômica” antes que perca a validade, no dia 28, o relator da proposta, deputado Jerônimo Goergen, e o governo desistiram de parte das alterações aprovadas pela comissão mista do Congresso e enxugaram a proposta que iria a voto na Câmara”. Manchete de capa do Valor Econômico impresso.

📃 *Editoriais do dia*:

“Alerta aos navegantes. Indicadores não permitem diagnóstico claro, mas cenário econômico é alarmante”. Editorial da Folha.

“Nível de atividade fraco esfria fusões e aquisições. Com a economia fraca, os retornos não parecem promissores”. Editorial do Valor Econômico.

“A vez do Senado. Casa precisa levar a sério o papel de escrutinar candidatos a postos elevados”. Editorial da Folha.

“Descontrole de Bolsonaro afeta relações externas. Ao continuar no estilo baixo clero, presidente fere decoro, prejudica acordos e negócios do Brasil”. Editorial do O Globo.

“Congresso avança na garantia de segurança jurídica aos investimentos. É preciso alavancar a participação do setor privado na economia, o que depende de regras claras”. Editorial do O Globo.

“Mudar a Receita é simplismo. Se a Receita Federal for convertida em autarquia de regime especial, o governo afastará da administração direta uma das funções vitais do Estado: arrecadar tributos”. Editorial do Estadão.

“São Paulo em ponto morto. Segundo novo balanço, há no Estado 1.591 obras paralisadas ou atrasadas, cujos contratos totalizam cerca de R$ 49,5 bilhões”. Editorial do Estadão.

“O fantasma do populismo. Argentina mostra que, sem governos responsáveis, o populismo continuará a pairar como fantasma na América Latina”. Editorial do Estadão.

📃 *Outros destaques*:

“Empresário faz apelo em defesa da Amazônia. O presidente da Suzano, Walter Schalka, fez ontem, durante evento em São Paulo, um chamamento à indústria em favor da floresta amazônica. “Temos de aumentar a nossa voz. Não podemos permitir o desmatamento. Temos que trabalhar contra isso”, afirmou o executivo”. Na capa do Valor Econômico.

“Emissão de gases de efeito estufa é recorde. Relatório de órgão científico americano compila dados sobre 2018 em todo o planeta; ano passado foi o quarto mais quente da história”. Na capa do Estadão.

“Montadoras dão preferência ao Brasil. A indústria automobilística vem perdendo força na Argentina e empresas estão preferindo produzir no Brasil. Ontem, a Honda anunciou que deixará de fabricar em Campana, na província de Buenos Aires”. Na capa do Valor Econômico.

“Sob ataque, Receita pode ter estrutura alterada. Bolsonaro assinará MP mudando Coaf para o BC e estuda transformar Receita em autarquia”. Na capa do O Globo.

“Bolsonaro faz pressão e PSL exige ‘fidelidade ideológica’. ‘Compliance’. Partido de presidente quer estabelecer diretrizes para candidatos nas próximas eleições; sigla expulsa o deputado Alexandre Frota, que fez críticas ao governo”. Na capa do Estadão.

“Conselho do MP reabre apuração contra Dallagnol. Órgão de fiscalização vai analisar teor de supostas mensagens trocadas pelo coordenador da Lava Jato no Paraná com o ex-juiz Sérgio Moro”. Na capa do Estadão.

“Conselho e fala de Dodge elevam pressão sobre Deltan. A pressão sobre Deltan Dallagnol aumentou ontem, depois de o Conselho Nacional do Ministério Público desarquivar procedimento contra ele por causa das mensagens vazadas pelo site Intercept. Embora tenha estendido a força-tarefa da Lava Jato por um ano, a procuradora-geral, Raquel Dodge, cobrou atuação “dentro dos marcos da legalidade”.” Na capa da Folha.

“Rio, São Paulo, DF e outras cidades têm atos contra cortes na educação. Organizados por entidades de estudantes, professores e sindicatos, atos aconteceram em todos os estados e no DF, e fizeram ressalvas ao recém-lançado programa para universidades”. Na capa do O Globo.

“Atos contra gestão de Bolsonaro levam milhares às ruas. Protestos convocados por centrais sindicais e pelo movimento estudantil contra a política educacional da gestão Bolsonaro reuniram milhares pelo país. A mobilização, porém, foi menor que a dos atos de maio.” Na capa da Folha.

“Justiça tira sigilo de bens de sócios da Odebrecht. O TJ-SP derrubou liminar-mente o sigilo judicial sobre bens particulares dos sócios controladores e dos administradores do grupo Odebrecht. Com a decisão, o acesso aos dados foi estendido aos credores da empresa.” Na capa da Folha.

“Político esteve 3 vezes no Paraguai com a Léros. Envolvimento. Documentos revelam que Alexandre Giordano viajou três vezes ao país vizinho, apesar de ele afirmar que participou de apenas uma reunião e não ter ligação com a Léros; em proposta oficial, empresa ofereceu US$ 31,50 KWh pela energia excedente”. Na capa do Estadão.

“Rim de porco, esperança humana. Saúde. Descelularização, uma lavagem do órgão animal para repovoar tecidos com células humanas, está em estudo na Santa Casa; já cientistas da Universidade de São Paulo utilizam engenharia genética para criar alternativas que evitem rejeição nos pacientes”. Na capa do Estadão.

“Suspeita de fraude leva Abdelmassih à prisão. Juíza analisa a denúncia de que o médico enganou perícia para cumprir pena em casa”. Na capa do Estadão.

“Em 80 horas, 5 jovens mortos à bala no Rio. Em 80 horas, violência tira a vida de cinco jovens e deixa famílias destroçadas”. Na capa do O Globo.

“Vento de 81km/h causa transtornos. Grupo fica preso no alto do Corcovado, e placa da estátua se solta com vento. Se tempo deixar, visitação será retomada hoje”. Na capa do O Globo.

“Argentina pode encarar crise da dívida em 2020. A má reação dos mercados ao resultado da prévia eleitoral na Argentina mostra que o país pode ter dificuldade para cobrir suas necessidades de financiamento e ser forçado a uma reestruturação de sua dívida”. Na capa do Valor Econômico.

“Kirchnerista atenua discurso e critica chavismo. Candidato peronista reforça perfil moderado e questiona Maduro”. Na capa do O Globo.

“Trump adia sobretaxas e alivia tensão. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prorrogou de 1º de setembro para 15 de dezembro o prazo para a taxação em 10% das importações de produtos chineses ainda não taxados”. Na capa do Valor Econômico.

“Compras de Natal levam Trump a adiar tarifa sobre produtos. Governo dos EUA adia aumento de tarifas sobre produtos eletrônicos chineses para evitar aumento de preços ao consumidor nas festas de fim de ano. No Brasil, Ibovespa sobe 1,36%, e dólar recua para R$ 3,96”. Na capa do O Globo.

📃 *Colunas e artigos*:

“A Lava Jato continua, mas submetida a um controle rígido tanto da parte do STF quanto da Procuradoria da República e do Conselho Nacional do Ministério Público. Algumas conclusões podem ser tiradas das recentes decisões da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e do Conselho Nacional do Ministério Público em relação à Lava Jato.” Na coluna de João Domingos, no Estadão.

“O que seria uma PEC paralela para tratar da inclusão de Estados e municípios na reforma da Previdência virou cipoal de PECs.” Na coluna de Vera Magalhães, no Estadão.

“A sinceridade dos loucos e outsiders sempre foi admirada como emanação de algum acesso a um conhecimento superior. Éo mais sólido e tradicional clichê que somos todos, em algum grau, loucos.” Na coluna de Leandro Karnal, no Estadão.

“Marcos Cintra é uma espécie de Suplicy da CPMF. Não há como discutir reforma tributária sem discutir a diminuição dos gastos do governo. A ideia geral é unificar tributos. A pior é a do secretário da Receita, Marcos Cintra, a volta da CPMF”. Artigo de Hélio Beltrão, no Estadão.

“Ministros são escolhidos por odiar suas pastas”. Na coluna de Gregório Duvivier, no Estadão.

“A cada qual sua jabuticaba. Argentina criou sistema de prévias partidárias peculiar”. Na coluna de Hélio Schwartsman, na Folha.

“Bolsonaro pega carona em maiorias para silenciar quem incomoda. Governo deturpa conceito de democracia ao tentar impor sua agenda ideológica”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

“Fezes na cabeça. Bolsonaro estava ficando repetitivo, só pensando em cocô. Mas isso agora pode mudar”. Na coluna de Ruy Castro, na Folha.

“Cuidado, consumidor. Imposto é um animal mais complexo do que parece à primeira vista”. Na coluna de Antônio Delfim Netto, na Folha.

“Como consertar nossas prisões? Audiências de custódia podem aliviar superlotação”. Artigo de Maria Laura Canineu, na Folha.

“A Esplanada tingida de jenipapo e urucum. Marcha das Mulheres Indígenas leva beleza a Brasília”. Artigo de Maria Paula Fidalgo, na Folha.

“A falta que faz um chanceler. Médici, Geisel e Figueiredo tinham suas opiniões, mas sabiam que deviam ouvir os profissionais”. Na coluna de Elio Gaspari, na Folha.

“Almas penadas. Diálogos entre Moro e Dallagnol pairam sobre a cabeça dos juízes como almas do outro mundo, que não existem, mas assustam”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Por que o país parou no semestre. Expectativa era de crescimento, mas a economia parou no início do governo Bolsonaro. Estilo caótico do presidente atrapalha a retomada”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Divórcio litigioso. Alexandre Frota, quem diria, virou vítima do bolsonarismo. O ator pornô grudou no capitão para entrar na política. A relação durou menos que seu casamento com Cláudia Raia. Ontem ele foi expulso do PSL, acusado de traição ao chefe.” Na coluna de Bernardo Mello Franco, no O Globo.

“A doença da moda. Drauzio adverte: “Não é frescura. Não é preguiça. Não é falta de força de vontade. Depressão é doença”. A boa notícia é que há tratamento.” Na coluna de Zuenir Ventura, no O Globo.

📊 *Mercado*: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a terça-feira, 13, em alta de 1,52%, a 103.462 pontos. O dólar fechou em baixa de -0,38%, a R$ 3,97, e o euro também fechou em baixa de -0,90%, a R$ 4,43.

⏳ *Destaque histórico*:

“Em 14 de agosto de 1920, começam os VII Jogos Olímpicos, em Antuérpia (Bélgica). Participaram 29 países, totalizando 2.543 homens e 64 mulheres. Esta edição contou pela primeira vez com atletas do Brasil, competindo em natação, remo, pólo aquático e tiro ao alvo. O Brasil ganhou três medalhas.” No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu