Sinopse de 08.08.2019: aprovação de reforma, permanência de Lula em Curitiba e trabalho intermitente são os destaques

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 271- A 145 dias do fim do ano de 2019, hoje é quinta-feira, 08 de agosto de 2019, 220º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa:

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Câmara conclui Previdência e mantém pilares da reforma. Economia prevista, de R$933,5 bilhões, em dez anos, foi preservada; texto vai para o Senado, que pode fazer mudanças”. Manchete de capa do Estadão impresso.

“Câmara conclui votação da reforma e mantém economia de R$ 933 bilhões. Texto vai ao Senado, que deve incluir estados e capitalização em PECs paralalelas.” Manchete de capa do O Globo impresso.

“Após reação de políticos, STF proíbe transferência de Lula. Congresso se mobiliza, vai a Toffoli, e decisão de juíza é suspensa por 10 votos a 1”. Manchete de capa da Folha impressa.

“Todas as funções poderão ter trabalho intermitente. Na primeira manifestação do Tribunal Superior do Trabalho (TST) sobre o contrato de trabalho intermitente, instituído pela reforma trabalhista de 2017 (Lei nº 13.467), os ministros da 4ª Turma do TST decidiram que essa forma de contratação é válida para qualquer atividade exercida pelo empregado”. Manchete de capa do Valor Econômico impresso.

📃 Editoriais do dia:

“Desafios à inovação. Nos países desenvolvidos, a contribuição da iniciativa privada é maior e decisiva. Brasil precisa mudar sua cultura”. Editorial do Estadão.

“Capricho infantil. As vítimas da retaliação ignóbil de Jair Bolsonaro ao assinar a MP 892/2019 serão pequenos e médios jornais e as populações de suas cidades, que deixarão de ter poderosas fontes de informação”. Editorial do Estadão.

“O alto índice de perda de água. Brasil perde em média 38,3% da água potável, o que agrava o problema do acesso e torna ainda mais urgente a busca de uma solução”. Editorial do Estadão.

“Autoritarismo chinês gera temores de intervenção militar em Hong Kong. Série de manifestações leva ao medo de um novo massacre da Praça da Paz Celestial”. Editorial do O Globo.

“Segundo turno da reforma é fato inédito. Nunca mudanças tão profundas na Previdência conseguiram tramitar com algum êxito no Congresso”. Editorial do O Globo.

“Médicos nos rincões. Programa do governo Bolsonaro apresenta virtudes, mas custos suscitam dúvidas”. Editorial da Folha.

“Polícia politizada. Forças de segurança dão mostras de truculência contra atos de tom oposicionista”. Editorial da Folha.

📃 Outros destaques:

“STF derruba decisão que mandava Lula a presídio. Ex-presidente iria para cadeia sem sala especial”. Na capa do O Globo.

“STF suspende transferência de Lula para Tremembé”. Na capa do Estadão.

“STF suspende transferência de Lula para SP. Em dia de rara convergência entre dois Poderes da República, o STF suspendeu decisão da primeira instância da Justiça Federal que transferia o ex-presidente Lula para o presídio de Tremembé (SP)”. Na capa do Valor Econômico.

“Corregedor da Procuradoria abriu mão de apurar Deltan. Em 2017, o então corregedor-geral do MPF, Hindemburgo Chateaubriand Filho, criticou Deltan Dallagnol em divulgação de palestra, mas não abriu apuração, apontam diálogos obtidos pelo The Intercept e analisados com a Folha.” Na capa da Folha.

“Ministério terá texto próprio sobre reforma tributária. Embora tenha participado de acordo para que uma proposta única tramite no Congresso, Paulo Guedes (Economia) não vai alterar a estratégia de apresentar um texto próprio aos parlamentares. Só depois disso, abriria diálogo. Ao menos cinco frentes gestam projetos, incluindo Câmara e Senado.” Na capa da Folha.

“Câmara rejeita pauta opositora que alteraria Previdência”. Na capa da Folha.

“Decreto fixa regras de relicitação. O governo baixou decreto fixando regras para a devolução amigável de concessões em infraestrutura, para posterior relicitação. O mecanismo obriga as empresas a devolverem a concessão”. Na capa do Valor Econômico.

“Governo quer dividendos de estatais para fechar contas. O governo vai pedir ajuda das estatais federais para fechar suas contas. A ideia é obter 13 bilhões com a antecipação de dividendos. O principal alvo é a Caixa, que tem de pagar dividendos obrigatórios de 25% do lucro e pode distribuir mais 25%. O BNDES também deve contribuir.” Na capa do Estadão.

“Salles ataca Noruega em sessão no Congresso. Ministro ataca Noruega e questiona existência do Fundo Amazônia”. Na capa do O Globo.

“Ministro do Meio Ambiente critica a Noruega. O ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) disse no Senado que a Noruega, maior doadora do Fundo Amazônia, “explora petróleo no Ártico”,  “caça baleia” e “coloca no Brasil essa carga”, em resposta a críticas à gestão ambiental”. Na capa do Estadão.

“MEC bloqueia R$ 348 milhões para compra de livros didáticos. Ministério afirma que valor pode ser liberado em caso de ‘evolução positiva’ do cenário fiscal do país; medida impacta cadeia produtiva do setor”. Na capa do O Globo.

“Palocci delata ‘pagamentos’ feitos pela Ambev. Documento do STF mostra que o ex-ministro Antonio Palocci relatou à PF “pagamentos indevidos” da Ambev aos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff e a ele próprio. O interesse da empresa seria impedir a elevação de impostos sobre bebidas. A Ambev não comentou o caso. O PT disse que são “mentiras””. Na capa do Estadão.

“Bingos conseguem aval na Justiça de SP para funcionar. Bingo em funcionamento no Itaim-Bibi, zona sul de SP. As casas desse tipo são proibidas desde o ano 2000, mas algumas têm conseguido aval da Justiça para abrir na capital paulista. As autorizações são concedidas a entidades beneficentes, que se associam a empresas”. Na capa do Estadão.

“Após dizer que homem agride mulher por medo, Moro se retrata. Em solenidade pelos 13 anos da Lei Maria da Penha, ministro da Justiça associa violência a prova de ‘pretensa superioridade’”. Na capa do O Globo.

“Tijuca é o bairro com mais furtos a imóveis, um crime em alta no Rio. Rio teve 5,3 mil furtos a residência desde 2018”. Na capa do O Globo.

“BRT tem mais pescadores do que ônibus. Medidas adotadas durante seis meses pelo município não surtiram os efeitos esperados”. Na capa do O Globo.

“Para prefeitos, fake news e medo inibem vacinação. Medo, percepção de que não protege e fake news são fatores citados por municípios, em pesquisa do Ministério da Saúde, para explicar a dificuldade em imunizar crianças e gestantes contra a gripe. No interior de SP, um casal foi obrigado pela Justiça a regularizar a vacinação do filho de 3 anos.” Na capa da Folha.

“Governo de SP suspende apostila escolar que fazia publicidade de Doria”. Na capa da Folha.

“Trump é recebido com protestos ao visitar cidades palco de massacres no fim de semana”. Na Folha.

“Trump modera discurso sobre armas”. Na capa do Estadão.

“Após ataques, Estados Unidos mergulham em ansiedade e alarmes falsos”. Na Folha.

“”Ativos muito caros paralisam investidores”. O empresário Abilio Diniz, um dos maiores acionistas do Carrefour e da BRF, acha que as cotações das ações no Brasil e no exterior estão elevadas demais e que, por isso, haverá “ajuste de preços””. Na capa do Valor Econômico.

“Nestlé sai do setor de leite longa vida. Dez anos após construir sua primeira fábrica de leite longa vida no Brasil, a multinacional Nestlé anunciou a venda desses ativos à Laticínios Bela Vista, dona da marca Piracanjuba. Paralelamente, licenciou as marcas Ninho e Molico à empresa goiana, pelas quais receberá royalties”. Na capa do Valor Econômico.

“Sem crédito, estaleiro fecha em Pernambuco. O Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Ipojuca (PE), suspendeu suas atividades por tempo indeterminado, por falta de encomendas de navios. Os controladores da empresa, Camargo Corrêa e Queiroz Galvão, tentam renegociar dívida de R$ 1 bilhão com o BNDES”. Na capa do Valor Econômico.

📃 Colunas e artigos:

“Trump e Bolsonaro brincam de War com a Venezuela. O mais razoável para o presidente brasileiro é voltar a atacar Maduro no Twitter”. Na coluna de Roberto Dias, na Folha.

“Debate sobre transferência de Lula resume uma política contaminada. Petista está preso há quase 500 dias, mas opositores ainda buscam revanche. O STF pôs de pé uma resposta institucional. A imagem de Moro se deteriorou um pouco mais, tanto no tribunal quanto no Congresso. De outro lado, os apoiadores do ex-juiz e de Bolsonaro tomam fôlego para atacar essa aliança. O fosso aumenta”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

“Farinha do mesmo saco. João Doria, ao optar pelo bate-boca, não irá se diferenciar de Bolsonaro.” Na coluna de Mariliz Pereira Jorge, na Folha.

“Ela veio para ficar. A extrema direita bolsonarista é uma minoria de homens brancos de renda alta”. Na coluna de Maria Hermínia Tavares de Almeida, na Folha.

“A renovação da esquerda. Devemos buscar respostas às questões da sociedade”. Artigo de Guilherme Boulos, na Folha.

“Detox espiritual ao alcance de todos. Deixar o Facebook é como ir para uma ilha paradisíaca”. Na coluna de Barbara Gancia, na Folha.

“Toffoli cogitou liminar contra transferência de Lula, mas ministros quiseram dar ‘resposta institucional’ a Lebbos”. Na coluna Painel, da Folha.

“Gilmar Mendes dá cautelar que impede investigação sobre Glenn Greenwald. Ministro acatou pedido da Rede Sustentabilidade para que qualquer investigação contra o jornalista fosse suspensa”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

“Combater a pobreza ou os mais ricos? Tema politicamente mais morno, pobreza perde espaço para a retórica da desigualdade”. Na coluna de Fernando Schüler, na Folha.

“Falsa esperança. Neste momento, o fator-chave é uma bem organizada, conduzida, coordenada e aguerrida sólida base de votações no Congresso. Quando ela vai existir? Após Previdência, aumentou ainda mais a necessidade de base no Congresso”. Na coluna de William Waack, no Estadão.

“0 BC parece esperar demais da reforma da Previdência. Há razões para celebrar, mas o risco fiscal continuará elevado”. Na coluna de Zeina Latif, no Estadão.

📊 Mercado: A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quarta-feira, 07, em alta de 0,61%, a 102.782 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,53%, a R$ 3,98, enquanto o euro também em alta de 0,70%, a R$, 4,46.

Destaque histórico:

“Em 8 de agosto de 1974, o republicano Richard Nixon renuncia à presidência dos Estados Unidos. Sob ameaça de impeachment, por ter dado aval à espionagem da sede do Partido Democrata em Washington, Nixon foi o primeiro dirigente norte-americano a renunciar.” No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu