Sinopse de 03.08.2019: exoneração de diretor do INPE é o destaque das manchetes dos grandes jornais

? Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 266- A 150 dias do fim do ano de 2019, hoje é sábado, 03 de agosto de 2019, 215º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa:

? Edição: Sérgio Botêlho

? Manchetes do dia:

“Saída de diretor do Inpe agrava crise ambiental. Divulgação de dados sobre desmatamento da Amazônia gerou discórdia”. Manchete de capa do O Globo impresso.

“Bolsonaro transgride separação de Poderes, diz Celso de Mello. Para decano do STF, presidente ‘minimiza perigosamente’ importância da Constituição”. Manchete de capa do Estadão impresso.

“Bolsonaro exonera diretor do INPE após troca de críticas. Dados do instituto sobre desmatamento são alvo do governo há duas semanas”. Manchete de capa da Folha impressa.

? Editoriais do dia:

“Governo agiu com prudência na crise do Paraguai. Recuo de Bolsonaro, induzido pela diplomacia profissional, permite o reinício da negociação”. Editorial do O Globo.

“Bolsonaro continua a receber lições sobre limites do Executivo. Reedição ilegal de MP é um caso entre outros em que o Executivo invadiu espaços institucionais”. Editorial do O Globo.

“Na Funai. Acertada, decisão do STF terá impacto modesto na demarcação de terras indígenas”. Editorial da Folha.

“Exibição de força. Com respostas a Bolsonaro e à Lava Jato, STF reafirma poder e expõe divisões”. Editorial da Folha.

“Uma indústria sem espaço. A indústria brasileira, condenada a mais um ano de estagnação, paga preço alto por duas crises. Só o agronegócio está plenamente integrado no comércio global”. Editorial do Estadão.

“Recuo prudente. Diante da instalação de processo de impeachment no Paraguai, Brasil agiu rápido e decidiu anular o acordo sobre energia gerada por Itaipu”. Editorial do Estadão.

“Falta de mandato. Não faz sentido que Bolsonaro reabra questões complexas de ordem histórica, social, econômica, trabalhista e ambiental”. Editorial do Estadão.

? Outros destaques:

Diretor do Inpe cai após polêmica do desmate. O ministro Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) exonerou Ricardo Galvão, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Galvão, que dirigia o Inpe desde 1970, esteve no centro de polêmica com Jair Bolsonaro sobre desmatamento da Amazônia. No dia 19, Bolsonaro disse que dados do Inpe são “mentirosos”. Em resposta, Galvão chamou o presidente de “covarde”.” Na capa do Estadão.

“Comunidade científica reage. A exoneração de Galvão provocou uma série de críticas de especialistas na área ambiental ao governo”. Na capa do Estadão.

“‘Foi falha minha’, admite Bolsonaro. O presidente Jair Bolsonaro assumiu que errou ao reeditar medida provisória que transferia a demarcação de terras indígenas da Funai para a pasta da Agricultura. STF julgou a medida inconstitucional, pois MP do mesmo teor já havia sido rejeitada pelo Congresso este ano.” Na capa do O Globo.

“Planalto insta Guedes a tirar chefe do Coaf, aliado de Moro. Paulo Guedes (Economia) tem sido pressionado pelo Planalto a demitir o presidente do Coaf, Roberto Leonel. Jair Bolsonaro não tem gostado de críticas dele à suspensão de investigações que usem dados de órgão de controle sem aval judicial. Leonel foi indicado por Sergio Moro, quando o Coaf ainda integrava a pasta da Justiça.” Na capa da Folha.

“Privatização. Para reduzir dívida, Petrobras sairá do transporte de gás natural”. Na capa do O Globo.

“Competição faz Petrobrás baixar preço, diz entidade. A Abicom, associação dos importadores de combustíveis, fez levantamento e concluiu que a Petrobrás cobra mais por produtos nos mercados atendidos por suas refinarias e baixa o preço onde há portos e concorrência. A petroleira informou que concorrência é um dos fatores na formação de preços”. Na capa do Estadão.

“Governo faz boa gestão agrícola e na área ambiental. Entrevista : Roberto Rodrigues. Ex-ministro da Agricultura (2003-06), Roberto Rodrigues defende o trabalho da atual titular da pasta, Tereza Cristina, e de Ricardo Salles (Ambiente). Ele elogia a liberação de novos tipos de agrotóxico e a “desradicalização” promovida por Salles.” Na capa da Folha.

“Governo contraria discurso e protege produção nacional. Ao contrário do discurso de abertura comercial, o governo prorrogou sete medidas antidumping e aplicou três, protegendo de ventiladores a pneus. O Ministério da Economia disse buscar condições justas entre importados e nacionais.” Na capa da Folha.

“Elias Maluco: Supremo revoga prisão de assassino do jornalista Tim Lopes”. Na capa do O Globo.

“Fiocruz constata contaminação por mercúrio entre ianomâmis. Estudo encontrou índice de mercúrio acima do limite estabelecido pela OMS em 56% dos indígenas. Garimpos ilegais podem ser causa.” Na capa do O Globo.

“Saúde cobra empresa por não entregar remédio. O Ministério da Saúde cobra a devolução de cerca de R$ 20 milhões da Global Gestão em Saúde, que recebeu antecipadamente o pagamento para fornecer três remédios de alto valor e complexidade, mas entregou parte do que havia assumido em contrato. A empresa afirmou que “irá sanar as pendências””. Na capa do Estadão.

“Saúde cobra empresa por não entregar remédio. O Ministério da Saúde cobra a devolução de cerca de R$ 20 milhões da Global Gestão em Saúde, que recebeu antecipadamente o pagamento para fornecer três remédios de alto valor e complexidade, mas entregou parte do que havia assumido em contrato. A empresa afirmou que “irá sanar as pendências””. Na capa do Estadão.

“Governo agiu com prudência na crise do Paraguai”. Na capa do O Globo.

“Trump retira EUA de tratado de mísseis de médio alcance. Em vigor desde 1988, o acordo bania mísseis com alcance entre 500km e 5.500km lançados de terra, e era um dos instrumentos mais importantes de controle de armas entre EUA e Rússia. O presidente Trump justificou a medida acusando Moscou de violar o tratado.” Na capa do O Globo.

“China ameaça revidar nova tarifa imposta por Trump. Em mais um capítulo da guerra comercial entre China e EUA, Pequim prometeu revidar decisão de Trump de impor tarifa de 10% a US$ 300 bilhões em produtos chineses. O embaixador da China na ONU, Zhang Jun, prometeu que seu governo tomará “contra-medidas necessárias” e chamou medida de “ato irracional e irresponsável”. Mercados internacionais voltaram a cair ontem”. Na capa do Estadão.

“CPI no Paraguai vai investigar acordo de Itaipu. O parlamento paraguaio anunciou abertura de CPI para investigar a atuação do presidente Mario Abdo Benítez e do vice Hugo Velázquez no acordo assinado com o Brasil para venda de energia de Itaipu. O acordo foi anulado anteontem. Benítez é acusado de ter ferido a soberania do Paraguai”. Na capa do Estadão.

? Colunas e artigos:

“Dallagnol vira alvo no Supremo”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Quando Bolsonaro solta das suas, imagino: o que ele vê?”. Na coluna de José Eduardo Agualusa, no O Globo.

“A cada osso encontrado, surge a dúvida: descobriremos nossa pré-história antes de causarmos nossa extinção?” Na coluna de Fernando Reinach, no Estadão.

“Bolsonaro, tal como o PT, despreza pluralismo e o faria desaparecer”. Na coluna de Demétrio Magnoli.

“Recuo sobre Paraguai faz diplomacia atual se assemelhar à de Lula”. Na coluna de Fábio Zanini, na Folha.

“Repete-se aqui a lição de Berlusconi: burlesco, o chefe deve causar”. Na coluna de Mario Sergio Conti, na Folha.

? Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a sexta-feira, 02, em alta de 0,34%, a 102.674 pontos. O dólar também fechou em alta de 1,25%, a R$ 3,89, e o euro, da mesma forma, em alta de 1,31%, a R$ 4,32.

Destaque histórico:

“Em 3 de agosto de 1914, França, Bélgica e Grã-Bretanha declaram guerra à Alemanha, iniciando a Primeira Guerra.” No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments