Sinopse da grande mídia

? Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 194

?Edição: Sérgio Botêlho

? A 222 dias do fim do ano de 2019, hoje é quinta-feira, 23 de maio de 2019, 143º dia do ano.

? Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quarta-feira, 22, em baixa de -0,13%, a 94.361 pontos. O dólar terminou o dia em baixa de -0,17%, a R$ 4,04, e o euro, também em baixa de -0,24%, a R$ 4,51.

? Denúncias:

“Witzel promete retirar do currículo curso em Harvard que não fez”. Na capa do O Globo.

?Economia:

“Reforma é positiva ou recessiva? No seminário que marcou os 20 anos da adoção do regime de metas de inflação no Brasil, promovido pelo Banco Central, no Rio de Janeiro, o assunto principal foi a política fiscal e seus efeitos sobre a atividade, num momento em que a economia decepciona e alguns especialistas defendem cortes nos juros”. Na capa do Valor Econômico.

?Economia:

“Avança reforma tributária feita pelo Legislativo”. Na capa do O Globo.

?Economia:

“Governo estuda nova taxa para lucro imobiliário”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

?Economia:

“Caixa devolverá R$ 3 bi à União. Reembolso se refere a empréstimos feitos no governo de Dilma Rousseff. Movimento será seguido por outros bancos estatais. Governo espera receber R$ 30 bilhões este ano”. Na capa do Estadão.

?Economia:

“Na contramão de Guedes, Doria anuncia política industrial em SP. Gestão elegeu 11 setores, que representam 75% da indústria de transformação, para montar pacote de benefícios, como regimes tributários e financiamentos.” Na capa da Folha.

?Economia:

“Empresário não vai investir baseado em algo místico”. Na capa da Folha.

? Governo:

“Governo recua e R$ 1,5 bi volta para educação. O governo Bolsonaro reverteu ontem o bloqueio de verba que havia feito no início de maio e recursos de R$ 1,59 bilhão voltarão para a área da educação”. Na capa do Valor Econômico.

? Governo:

“Após protestos, governo reduz cortes do MEC. Uma semana após as manifestações contra cortes de verbas da educação em todo o país, o Ministério da Economia anunciou a liberação de R$ 1,6 bilhão para o MEC. O dinheiro sairá da reserva orçamentária do governo federal, reduzindo o contingenciamento inicial de R$ 7,4 bilhões.” Na capa do O Globo.

? Governo:

“Planalto recua, e venda de fuzil será vetada a civis. Após críticas, o presidente Bolsonaro recuou no decreto das armas. Ficou proibido o porte (nas ruas) de fuzis pela população, e o Exército adiantou que também vetará a posse (em casa) deste tipo de armamento. Caberá à Força definir, em 60 dias, as armas que serão permitidas a civis. Especialistas ainda veem ilegalidades no decreto.” Na capa do O Globo.

? Governo:

“Novo decreto veta fuzil a civis, mas libera para as áreas rurais”. Na capa do Estadão.

? Governo:

“Outras mudanças. Decreto estabelece idade mínima de 14 anos para tiro esportivo, dá à Anac poder de decisão sobre armas em voos comerciais e amplia lista de categorias que podem portar armamento”. Na capa do Estadão.

? Governo:

“Entorno do presidente deve deixá-lo governar”. Na coluna de Ascânio Seleme, no O Globo.

? Governo:

“Jair Bolsonaro está perdendo o sentido de urgência para o que realmente importa para o País.” Na coluna de William Waack, no Estadão.

? Infraestrutura:

“Líderes de movimentos nacionalistas se agarram ao bordão “farinha pouca, meu pirão primeiro”. Na coluna de Celso Ming, no Estadão.

⚖️Justiça:

“Com sinalização do Planalto, Dodge já pensa em novo mandato”. Na capa da Folha.

? Negócios:

“Natura compra rival Avon e passa a atuar em 100 países. Em seu mais ambicioso movimento de consolidação até hoje, a Natura anunciou a compra da concorrente americana Avon para criar a quarta maior empresa dedicada exclusivamente ao mercado de beleza do mundo. Transação será feita com troca de ações.” Manchete de capa do Valor Econômico.

? Negócios:

“Vale e CCCC investem em siderúrgica. O grupo chinês China Communications Construction Company (CCCC), em parceria com a Vale, assina hoje com o governo paraense um protocolo para construir uma usina de aço em Marabá”. Na capa do Valor Econômico.

? Negócios:

“Bagagem gratuita cria dilema no governo. O Senado aprovou, em votação simbólica, a medida provisória que acaba com as restrições ao capital estrangeiro nas empresas aéreas. O texto traz de volta a franquia mínima de bagagens: cada passageiro pode, em voos nacionais, despachar bagagem de até 23 kg ao viajar em aeronaves com mais de 31 assentos.” Na capa do Valor Econômico.

? Negócios:

“Aéreas criticam volta da franquia de bagagem. O Senado concluiu a votação da MP das Aéreas, que abre o setor às empresas estrangeiras. O texto, porém, restituiu a franquia de uma bagagem de até 23kg por passageiro. A Iata, que reúne 300 companhias, diz que a medida cria insegurança jurídica e afugentará grupos internacionais interessados em atuar no Brasil.” Na capa do O Globo.

? Negócios:

“Empresas com mulheres na liderança lucram mais. Empresas com mulheres em postos de liderança têm melhor desempenho nos negócios, e isso acontece também no Brasil, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT)”. Na capa do Valor Econômico.

? Negócios:

“Compra da Avon leva Natura à liderança mundial em vendas diretas”. Na capa do O Globo.

?Política:

“Câmara mantém Ministério de Bolsonaro, mas tira Coaf de Moro. ‘Lamento o ocorrido. Faz parte do debate democrático’, afirmou o ministro da Justiça.” Manchete de capa do O Globo.

?Política:

“Câmara aprova MP que reduz ministérios, mas Moro perde Coaf. Derrota do ministro, que lamentou o resultado, foi articulada pelo Centrão.” Manchete de capa do Estadão.

?Política:

“Centrão e Maia aprovam MP de Bolsonaro; Moro perde. Bloco empurra Congresso na aprovação da reestruturação do governo, mas retira Coaf da Justiça.” Manchete de capa da Folha.

? Saúde:

“STF limita acesso a remédio sem registro. O Supremo impôs restrições ao fornecimento de medicamentos que não tenham registro na Anvisa, mas manteve a possibilidade em casos excepcionais.” Na capa do Estadão.

? Segurança Pública:

“CCJ aprova que homofobia vire crime”. Na capa do O Globo.

? Social:

“Movidos a carvão e lenha. Um quinto dos lares improvisa na cozinha. Um quinto das famílias do Brasil, ou 14 milhões dos domicílios, usa lenha ou carvão para cozinhar, um salto de 27% entre 2016 e 2018, segundo pesquisado IBGE. No Sudeste, o aumento chegou a 60%. Empobrecimento com a crise econômica e alta do botijão produziram o resultado.” Na capa do O Globo.

? Tragédia:

“Rompimento de barragem em MG deve afetar 10 mil”. Na capa do Estadão.

Destaque histórico:

“Em 23 de maio de 1822, começam as obras da primeira ferrovia do mundo, entre as cidades inglesas de Stockton e Darlington, de 40 quilômetros de extensão.” No portal Terra.

?Positivo:

“‘Setor privado não investe em ditaduras’, afirma Maia”. Na Isto É online.

?Negativo:

“Witzel adicionou ao currículo doutorado em Harvard, mas não estudou na universidade.” No JB online.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments