Sinopse 31.07.2019: problemas no acordo UE-Mercosul, entrevista de Bolsonaro, livre comércio Brasil-EUA e bancos X finitechs são os destaques da mídia

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 263 – A 153 dias do fim do ano de 2019, hoje é quarta-feira, 31 de julho de 2019, 212º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa:

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Ato de Bolsonaro pode atrasar aval a acordo UE-Mercosul. Cancelamento de encontro com chanceler francês irrita europeus; apesar do desgaste, negociação não deve parar”. Manchete de capa da Folha impressa.

“Bolsonaro: ‘Sou assim mesmo, não tem estratégia’. Presidente diz que não mudará estilo de ataque a adversários”. Manchete de capa do O Globo impresso.

“Trump defende livre-comércio entre EUA e Brasil. Governo quer acordo ‘ambicioso’, com cotas de importação com menos tributos”. Manchete de capa do Estadão impresso.

“Bancos fecham agências e reagem ao avanço digital. O impacto da concorrência das fintechs começa a se tornar visível no resultado dos grandes bancos. Ao fechar agências e lançar plataformas digitais, as maiores instituições financeiras do país deixam claro que sentem os efeitos dessa nova competição e estão reagindo a ela”. Manchete de capa do Valor Econômico impresso.

📃 Editoriais do dia:

“Bolsonaro ainda não assumiu a presidência. Afirmações em desacordo com o cargo que ocupa formalmente prejudicam o governo e o país”. Editorial do O Globo.

“A política da raiva. Um governo que não respeita o passado e a convivência democrática não anuncia bom futuro”. Editorial do Estadão.

“Espiral de infâmias. Em declarações, Bolsonaro escancara leviandade e inclinação autoritária”. Editorial da Folha.

“Chacina paraense. Tragédias recorrentes evidenciam irracionalidade da política carcerária do país”. Editorial da Folha.

“Mais um massacre. Rebelião no Pará expõe a tragédia que vive há muitos anos o sistema penitenciário brasileiro”. Editorial do Estadão.

“Exploração de terras indígenas é causa de atrito com o Congresso. Supremo começa a arbitrar choques decorrentes da intenção de se abrir reservas a investimentos”. Editorial do O Globo.

“De volta ao realismo comercial? Brasil e EUA, as maiores economias americanas, poderão enfim ligar-se por um acordo”. Editorial do Estadão.

“Novos recursos a Estados não podem vir sem contrapartidas. Os governadores, em todas as ocasiões, demonstraram predileção por receitas livres. Desta vez não deve ser diferente”. Editorial do Valor Econômico.

📃 Outros destaques:

“Paraguai em risco de impeachment por crise de Itaipu. Acordo que altera pontos da administração compartilhada da hidrelétrica de Itaipu deflagrou crise política com risco de impeachment para o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez. Considerado lesivo aos interesses paraguaios pela oposição, o acordo enfraqueceu Benítez, que não controla o Parlamento.” Na capa do O Globo.

“Trump quer livre comércio com o Brasil. O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que deseja fazer um acordo comercial com o Brasil, um “grande parceiro”. Hoje, o secretário de Comércio americano, Wilbur Ross, tem reunião em Brasília com o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes.” Na capa do O Globo.

“Trump elogia Eduardo e diz que colega brasileiro não faz nepotismo”. Na capa da Folha.

“‘Muito feliz’ com Eduardo. Trump também afirmou ontem que está “muito feliz” com a indicação de Eduardo Bolsonaro à Embaixada nos EUA e que ela não configura nepotismo.” Na capa do Estadão.

“Brasil vai a reunião com negacionistas do clima pela 1ª vez. O governo brasileiro enviou representantes diplomáticos a uma reunião de negacionistas do clima nos Estados Unidos pela 1ª vez. A participação do país na 13a Conferência Internacional sobre Mudança do Clima, em 25 de julho, é relatada em telegrama obtido pela Folha.” Na capa da Folha.

“Entorno do presidente busca a lógica de suas falas. Aliados e militares tentam identificar o foco do comportamento intempestivo de Jair Bolsonaro, que, principalmente nos últimos dias, estaria sendo estimulado a dar vazão a temas laterais. Ontem, ele voltou a falar sobre amor-te do pai do presidente da OAB e chamou de “balela” documentos sobre mortos na ditadura.” Na capa da Folha.

“Documentos oficiais desmontam versão de Bolsonaro sobre desaparecido na ditadura”. Na Folha.

“Marco Aurélio (STF) sugere mordaça em Bolsonaro”. Na Folha.

“Auxiliares querem menos exposição de Bolsonaro. Auxiliares de Jair Bolsonaro fizeram reunião de emergência ontem no Planalto para avaliar as consequências da série de declarações dadas pelo presidente nos últimos dias. As conclusões são de que Bolsonaro precisa ficar menos exposto a entrevistas e de que integrantes da chamada ala ideológica têm influenciado o presidente de forma mais assertiva.” Na capa do Estadão.

“Bolsonaro critica perda de propriedade por uso de trabalho escravo”. Na capa da Folha.

“Bolsonaro chama de ‘balela’ documentos oficiais sobre mortos na ditadura militar”. Na Folha.

“’Não vou fugir desse país’, afirma Glenn em ato a seu favor no Rio”. Na Folha.

“Associação condena ataques a jornalistas após declarações de Bolsonaro”. Na Folha.

“Bolsonaro divulga vídeo editado e distorce pergunta da Folha sobre agenda oficial”. Na Folha.

“’Combate à lavagem ficaria prejudicado’. O dirigente do Coaf considera que a decisão liminar de Dias Toffoli (STF) de mandar parar investigações que se apoiem em informações bancárias e fiscais compartilhadas por órgãos de controle compromete o combate à lavagem de dinheiro. “Não cabe ao Coaf questionar decisões judiciais. No entanto, não há como negar a preocupação com o impacto imediato da decisão”, disse.” Na capa do Estadão.

“Após motim, detentos são transferidos a outros estados. Começou ontem a transferência de 46 suspeitos de participar da rebelião em um presídio em Altamira (PA), que deixou 57 mortos na segunda (29). A reação de autoridades à maior chacina do ano em penitenciárias tem sido criticada. Questionado, Jair Bolsonaro disse: “Pergunta para as vítimas dos que morreram lá”.” Na capa da Folha.

“Obras de prisão vizinha a Altamira estão atrasadas. Alternativa para desafogar a cadeia onde 58 morreram anteontem em Altamira (PA), o Complexo Penitenciário de Vitória do Xingu está quase três anos atrasado. A obra é contrapartida aos impactos da Usina de Belo Monte – o governo do Pará diz que ficará pronta em 60 dias. Questionado sobre o massacre, Bolsonaro disse que deveria ser perguntado “às vítimas dos que morreram lá o que elas acham”.” Na capa do Estadão.

“Cidadania e Educação sofrem os maiores cortes. Os Ministérios da Cidadania (R$ 619 milhões) e da Educação (R$ 348,5 milhões) foram os mais atingidos pelo contingenciamento de R$ 1,442 bilhão detalhado ontem pelo governo. Os cortes na Educação foram alvo de protestos no início do ano. A Pasta da Economia teve R$ 282,6 milhões contingenciados e a do Turismo, R$ 100 milhões. Em meio à crise nas penitenciárias, foram liberados R$ 60 milhões para a Justiça.” Na capa do Estadão.

“PF investiga se hacker foi pago com bitcoin.” Na capa do Estadão.

“Suspeitos de hackear a Lava Jato relatam maus-tratos de policiais federais após prisão”. Na Folha.

📃 Colunas e artigos:

“Um presidente detestável. Falta a Bolsonaro a decência mínima, que nos faz reconhecer o próximo como semelhante”. Na coluna de Hélio Schwartsman, na Folha.

“Bolsonaro conduz o país aos porões da selvageria. Declarações repulsivas, baseadas na divisão e no ódio, são seu modo de governar”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

“O falso mito. Curupira, Boitatá, Saci-Pererê e outros querem processar Bolsonaro”. Na coluna de Ruy Castro, na Folha.

“Conflito e morte nas aldeias wajãpis. Assassinato de cacique revive tempos sombrios”. Artigo de Radolfe Rodriges, senador da República, na Folha.

“Estado de Direito acima de tudo; a lei acima de todos. Decisão de presidente do Supremo merece aplausos”. Artigo de Fábio Tofic Simantob, presidente do Instituto de Defesa do Direito de Defesa, na Folha.

“Bolsonaro faz política do saudosismo da ditadura e só acentua perfil de falastrão. Se presidente tivesse informação sobre o desaparecimento de Fernando Santa Cruz, estaria cometendo crime de prevaricação”. Na coluna de Luís Francisco de Carvalho Filho, na Folha.

“A realidade paralela de Bolsonaro. Bolsonaro pode ter sua realidade paralela, mas Fernando Santa Cruz não foi executado por grupo de esquerda”. Elio Gaspari, na Folha e no O Globo.

“‘Lógica’ aguça os conflitos e aprofunda o mal-estar. Após se certificar da aprovação da reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro se desvencilhou do bom senso e do comedimento exigidos ao chefe de Nação.” Artigo de Carlos Melo, cientista político e professor do Insper, no Estadão.

“Com militares acuados, cabe ao Congresso e ao STF mostrar limites ao presidente.” Na coluna de Vera Magalhães, no Estadão.

“Não se governa com o verbo. Governa-se, ou deveria ser assim, com ações. As palavras servem para explicar e justificar as condutas. Ambas, ações e palavras, devem ser precedidas de reflexões, análises e ponderações.” Artigo de Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, advogado criminalista, no Estadão.

“Arroubos personalistas não podem ameaçar reformas. Ter um presidente sem superego, sem limites e controles, não é fácil. É um teste para nossa democracia, que tem que impor os limites. Nem se fale na insensibilidade, na falta de respeito com os mortos de um período negro de nossa história.” Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Arroubos afastam conservadores, estimulam oposição e ampliam dependência de Bolsonaro do centrão”. Na coluna Painel, da Folha.

“Bolsonaro acelera sem o contrapeso jurídico. Cresce no meio jurídico o entendimento de que Jair Bolsonaro está ultrapassando vários limites do cargo e do bom senso porque os freios e contrapesos não funcionam bem.” Na Coluna do Estadão, no Estadão.

“Reforma tributária. Para retomar o crescimento robusto, são necessárias mudanças que tornem mais competitiva nossa economia”. Na coluna semanal de Antônio Delfin Neto, na Folha.

“Sai a Previdência, entra a tributária. Ainda sem sinais mais fortes de melhora na economia, empresários começam a se apegar na tramitação da reforma tributária para tentar manter o clima de otimismo com a recuperação.” Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“O governador e o Pateta. Wilson Witzel gosta de se fantasiar de xerife, mas às vezes aparece com outros figurinos. No carnaval, ele imitou o ex-prefeito Eduardo Paes e vestiu um chapéu Panamá para ir ao Sambódromo. Em vez de aplausos, ouviu uma sonora vaia das arquibancadas.” Na coluna de Bernardo Mello Franco, no O Globo.

“A ocupação e a destruição da Terra. Nestes tempos de clima cada vez mais violento, parece inacreditável que a maior parte dos seres humanos não queira entender esse recado.” Artigo de Aloísio de Toledo César desembargador aposentado do TJSP, foi secretário de Justiça do Estado de São Paulo, no Estadão.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a terça-feira, 30, em baixa de -0,53%, a 102.933 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,21%, a R$ 3,79, e o euro também em alta de R$4,23.

Destaque histórico:

“Em 01 de agosto de 1498, Cristóvão Colombo se torna o primeiro europeu a visitar o que é hoje a Venezuela.” Na Wikipédia.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu