Sinopse 11.08.2019: Previdência é tema em destaque nas manchetes

? Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 274- A 142 dias do fim do ano de 2019, hoje é domingo, 11 de agosto de 2019, 223º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa:

? Edição: Sérgio Botêlho

? Manchetes do dia:

“Previdência privada ganhará 4 milhões de participantes. Estimativa é que salto nas adesões ocorra em 5 anos. Recursos devem atingir R$ 1 tri em 2020”. Manchete de capa do O Globo impresso.

“Previdência já tem votos necessários no Senado, revela placar. Levantamento do ‘Estado’ mostra que 53 senadores são favoráveis às mudanças na aposentadoria; 11 condicionaram apoio à inclusão de Estados e municípios”. Manchete de capa do Estadão impresso.

“Sob Bolsonaro, 44 indicadores pioram e outros 28 melhoram. Análise da Folha sobre 6 meses de governo mostra perda em saúde e educação e ganho em segurança”. Manchete de capa da Folha.

? Editoriais do dia:

“Previdência dos estados a caminho do colapso. A aprovação da ‘PEC Paralela’ é tão importante quanto foi a do projeto que tramitou na Câmara”. Editorial do O Globo.

“Sem dinheiro e sem inflação. As famílias, com dinheiro curto e péssimas condições de emprego, continuam comprando com muita moderação. Esse cuidado se reflete na inflação contida”. Editorial do O Globo.

“Falsa inocência. Males sociais causados pela jogatina são graves e urge uma ação do poder público”. Editorial do O Globo.

“Bolsonaro e a imagem do País. Atitudes do presidente põem em risco o agronegócio brasileiro no mercado externo”. Editorial do O Globo.

“Nó tributário. Entre propostas de reforma dos impostos, foco deve ser simplificação e justiça”. Editorial da Folha.

“Borboletas psicodélicas. Há nomes de todos os tipos nas ruas paulistanas, mas são poucos os de mulheres”. Editorial da Folha.

? Outros destaques:

“Assessor paraguaio liga Léros a governo do Brasil. Caso Itaipu. Nova mensagem de aplicativo sugere que José Rodríguez, assessor jurídico da vice-presidência do Paraguai, tratou brasileira Léros como indicada por Brasília; em conversas anteriores, ele usou nome da família Bolsonaro em negociação sobre Itai”. Na capa do Estadão.

“Lava-Jato abre novas frentes em meio a desafios. Congresso e STF podem afetar futuro da operação. Com a proximidade de votações no Congresso e no STF que têm impacto sobre a Lava-Jato, a operação enfrentará desafios num momento em que suas investigações avançam no Rio, e novas frentes se abrem com as delações do ex-ministro Palocci e do lobista Jorge Luz. O Conselho Nacional do Ministério Público deve julgar dois processos contra Deltan Dallagnol.” Na capa do O Globo.

“Alemanha bloqueia financiamento para projetos na Amazônia. Por causa do aumento do desmatamento, governo alemão vai congelar R$ 155 milhões que seriam destinados à Amazônia.” Na capa do O Globo.

“Executivos de empresas globais ficam otimistas com 2o. trimestre”. Na capa da Folha.

“Em alta, aplicativos de serviços são desafio ao mercado formal. Ainda sem regulamentação e sistemas de proteção muito claros, mas em franca expansão, os serviços via aplicativo acirram o debate sobre o futuro do emprego formal e os direitos desses trabalhadores.” Na capa da Folha.

“Reforma vai precisar enfrentar pelo menos 66 tributos no país. O total de impostos e taxas no Brasil é controverso. Mapa elaborado pela Folha contempla os tributos que representam 90% da receita de União, Estados e municípios, mas há inúmeras outras contribuições.” Na capa da Folha.

“Estados buscam doador europeu contra desmate. Com o Fundo Amazônia embargado pelo governo, Estados da Região Norte estão buscando doadores no exterior, como Alemanha e Noruega, para bancar o combate ao desmatamento. A ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, disse ontem que suspendeu o apoio às ações por causa de dúvidas em relação à “política do governo brasileiro na Amazônia”. Decisão afeta o repasse de RS 156 milhões. Na capa do Estadão.

“Crescem no País as agências de serviços a idosos. Mercado de “concierge de idosos”, agências que prestam serviços de companhia nas mais diversas atividades, cresce no País. Em 25 anos, pessoas com mais de 60 deverão ser um quarto da população”. Na capa do Estadão.

“Passageiros ainda confusos com obra no Santos Dumont. Defesa do consumidor. Faltando apenas 13 dias para o início das obras na pista principal do Aeroporto Santos Dumont, passageiros queixam-se da falta de informações e de ter que arcar com custo maior de deslocamento a partir do Galeão. Se o voo for cancelado pela empresa, o reembolso ao passageiro deve ser integral.” Na capa do O Globo.

“Minha história : Gilberto Natalini – Vereador em São Paulo pelo PV. Fui torturado por Brilhante Ustra. Quem defende tortura, como Bolsonaro, ou é louco degenerado ou não pertence mais à espécie humana. O Ustra era o terror. Aquilo era a própria cara da bestialidade.” Na capa da Folha.

“Juristas de oito países defendem libertação de Lula”. Na capa da Folha.

“Ex-presidente diz que não quer ir para o semiaberto”. Na capa da Folha.

? Colunas e artigos:

“Revelações de Palocci cheiram a pirotecnia”. Na coluna de Elio Gaspari, no O Globo.

“Os pais que os EUA roubaram dos filhos. Ser considerado ‘invasor’ e alvo declarado de extremistas na era Trump tornou-se o novo normal para 57,5 milhões de pessoas”. Na coluna de Dorrit Harazim, no O Globo.

“Alinhamento com Trump é falta de inteligência. O Brasil já começa a sofrer consequências práticas pelo alinhamento total com a política externa de Trump”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Paulo Guedes tem novo desafio: convencer Jair Bolsonaro de que cuidar da natureza não é “frescura” nem “coisa de esquerdista””. Na coluna de Eliane Catanhêde, no Estadão.

“Permitir uso político foi erro da Lava-Jato. Alguns dos integrantes da Lava Jato permitiram que ela fosse vista como bolsonarista, esse é o erro original”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Roubos em rua e homicídios caem no Rio”. Na coluna de Ancelmo Góis, no O Globo.

“PSDB dá prazo até quinta para Aécio deixar sigla”. Na coluna de Lauro Jardim, no O Globo.

? Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não abre finais de semana.

Destaque histórico:

Em 11 de agosto de 1827 foram instalados os primeiros cursos jurídicos no Brasil pelo imperador Pedro I, ano em que foram abertas as faculdades de Direito de São Paulo (atual Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo) e de Olinda (atual Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco).” No portal O Sul.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments