Sinopse 05.08.2019: dívidas de famílias, reforma da Previdência, empresas paulistas e educação são os destaques

? Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 268- A 148 dias do fim do ano de 2019, hoje é segunda-feira, 05 de agosto de 2019, 217º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa:

? Edição: Sérgio Botêlho

? Manchetes do dia:

“Dívida de famílias cresce de novo e é a maior em 3 anos. Depois de um longo processo de redução de débitos pós-recessão, o endividamento das famílias brasileiras voltou a crescer e agora alcançou o maior nível em três anos, segundo dados do Banco Central”. Manchete de capa do Valor Econômico impresso.

“Governo monta estratégia para votar Previdência. No segundo turno, principal objetivo é manter no texto corte da pensão por morte para 60% do valor”. Manchete de capa do O Globo impresso.

“Acordos com empresas são contestados por promotores do estado. Colaborações, que citam políticos e aliados do governador, poderiam compensar cofres paulistas em R$103 milhões”. Manchete de capa da Folha impressa.

“Governo quer R$ 6,5 bilhões de fundos regionais na educação. Ministério da Economia pretende descentralizar recursos a Estados para fortalecer ensino básico”. Manchete de capa do Estadão impresso.

? Editoriais do dia:

“Decálogo do bom governante. Um governante deve ser o primeiro a se mostrar aberto à conciliação das divisões políticas. É papel dele pacificar a sociedade, não estimular rupturas”. Editorial do Estadão.

“O preço do passado. Pelas estimativas do Judiciário, o pagamento dos precatórios custará pouco mais de R$ 12 bilhões aos cofres públicos, no próprio exercício”. Editorial do Estadão.

“Falta dinheiro no governo, mas sobra em 220 fundos. Engessamento orçamentário impede a transferência de recursos paralisados para áreas sem dinheiro”. Editorial do O Globo.

“Inpe na encruzilhada. Após vexatória demissão de diretor, caberá a ministro escolher entre ciência e ideologia”. Editorial da Folha.

“Matando o mensageiro. Governo exonera diretor do Inpe. Faria melhor se usasse os dados do desmatamento para punir quem viola lei ambiental”. Editorial do Estadão.

“Onda de calor na Europa reacende debate sobre o aquecimento global. Multiplicam-se eventos extremos, e o tempo para a reação, por meio de cortes nas emissões, fica mais curto”. Editorial do O Globo.

“Progresso africano. O PIB da África subsaariana deve crescer relevantes 3,3% em 2019”. Editorial da Folha.

? Outros destaques:

“Cai a receita dos bancos de investimento. Nos primeiros sete meses, os bancos receberam R$ 1,96 bilhão em comissões com fusões e aquisições, dívida, financiamento e oferta de ações, segundo Dealogic. A queda é de 4,9% em relação ao mesmo período de 2018”. Na capa do Valor Econômico.

“Aumentam as pressões sobre dono do Casino. Circulam no mercado especulações de que Jean-Charles Naouri, CEO e acionista controlador da gigante de supermermercados Casino, dona do Pão de Açúcar, da Monoprix e da Franprix, será obrigado a reestruturar seu grupo, endividado em € 3 bilhões”. Na capa do Valor Econômico.

“OEC terá corte de 55% nos débitos. A Odebrecht avançou na renegociação das dívidas de duas controladas, a construtora Odebrecht Engenharia e Construção (OEC) e a produtora de etanol e açúcar Atvos. As dívidas das duas empresas em negociação somam R$ 23 bilhões e o grupo pode reduzí-las pela metade”. Na capa do Valor Econômico.

“Independência mineira. Ex-cartola do Atlético Mineiro, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, agora no PSD, busca a reeleição e os críticos o têm como um forte candidato ao governo do Estado. Kalil não se alinha a Jair Bolsonaro e acha que o radicalismo do presidente é um equívoco”. Na capa do Valor Econômico.

“O canavial 4.0 da maior usina do mundo. “Isso aqui é o mundo das máquinas”, afirma Fabio Venturelli, presidente do Grupo São Martinho, apontando para os canaviais da usina de Pradópolis (SP), a maior do mundo, com 135 mil hectares. Desde abril, quando começou a safra 2019/20, a unidade opera sob o conceito da indústria 4.0”. Na capa do Valor Economico.

“Aumento salarial em massa agita Cielo. Em três dias, a Cielo promoveu e deu aumentos entre 10% e 30% a 510 dos seus 3.275 funcionários. Foi a “temporada de reconhecimento”, ação que elevou em 5% sua folha de pagamento”. Na capa do Valor Econômico.

“Projeto dá a CPI poder para firmar delações. Proposta do senador Jorge Kajuru (PSB) é vista com ressalvas por colegas e juristas”. Na capa do Estadão.

“Congresso retoma trabalhos com foco na economia e recados a Bolsonaro”. Na Folha.

“Se Guedes quiser mudar, não tem problema nenhum, diz Bolsonaro sobre chefe do Coaf”. Na Folha.

“’Não leio jornal para não começar o dia envenenado’, afirma Bolsonaro”. Na Folha.

“Cerca de 1/3 pensa como Bolsonaro em temas de frases agressivas, indicam pesquisas”. Na Folha.

“Um mar de esgoto na paisagem da Baía de Guanabara. O Rio caiu do 39° para o 51° lugar no ranking de saneamento básico do Instituto TrataBrasil, que avaliou as cem maiores cidades brasileiras. A queda é resultado do avanço da favelização na cidade, da falta de investimentos em obras e da precária fiscalização de redes clandestinas de água e esgoto, como as que jorram dejetos em pontos diferentes da Baía de Guanabara. A Cedae, que no ano passado previa investir R$ 559,7 milhões no município, só destinou R$ 38,2 milhões.” Na capa do O Globo.

“Milícias já se expandem por 12 estados. Grupos milicianos estão sendo combatidos em pelo menos 12 estados, como Piauí e Amazonas. O modo de agir é semelhante ao estabelecido no Rio: empresários financiam negócios irregulares, em especial a grilagem de terra, e se aliam a policiais, responsáveis por ameaças, extorsões e até homicídios.” Na capa do O Globo.

“‘Botei parentes no passado, sim’, diz Bolsonaro. Ao comentar reportagem do GLOBO, presidente diz que nunca infringiu regra do STF sobre nepotismo e critica imprensa. Dentre os 286 assessores nomeados nos gabinetes dele ou dos filhos desde 1991, ao menos 37 são casos em que há indícios de o funcionário não trabalhar efetivamente.” Na capa do O Globo.

“País desconhece potencial de minério da Amazônia. Exploração ilegal preocupa especialistas, que pedem investimento em tecnologia e traçam mapa da riqueza do solo.” Na capa do O Globo.

“Bolsonaro se diz ‘chateado’ com ministro do STF. Jair Bolsonaro está “chateado” com as críticas do ministro Celso de Mello, do STF. Para o decano, o presidente “minimiza perigosamente a importância da Constituição”. “Foi pessoal”, diz Bolsonaro.” Na capa do Estadão.

“Mineração pode atingir 1/3 das áreas indígenas. A determinação do governo de permitir a mineração em terras indígenas pode afetar quase um terço das reservas no País. Pela lei, esses territórios são da União e se destinam à posse permanente dos índios que as ocupam. Mas a atividade em territórios demarcados nunca foi regulamentada e é alvo de discussão no Congresso há décadas.” Na capa do Estadão.

“Projeto dá a CPI poder para firmar delações. “EUA têm segundo ataque a tiros em 13h. Rotina. Homem mata frequentadores de bar em Ohio, incluindo a própria irmã, menos de um dia depois de atirador deixar 20 mortos no Texas, caso investigado como crime de ódio a estrangeiros; opositores criticam Trump por rejeitar imigrantes e controle de armas”. Na capa do Estadão.” Na capa do Estadão.

“Capitalização de Previdência fracassa em 12 estados do país. Ao menos 12 estados que adotaram sistema de capitalização da Previdência para parte dos seus servidores o extinguiram ou sacaram recursos para pagar benefícios. O desvio é superior a R$ 7 bilhões.” Na capa da Folha.

“A gestão Bolsonaro pretendia criar sistema de capitalização com contas individuais para trabalhadores, proposta rejeitada pelo Congresso.” Na capa da Folha.

“Participação de pessoa física já representa 20% na Bolsa”. Na capa da Folha.

“Caixa detalha regras e datas para saques de PIS e FGTS”. Na capa da Folha.

“O cinema não é um partido e deve dialogar com Bolsonaro. Entrevista da 2a : Rodrigo Teixeira. É preciso dialogar com o governo e mostrar que cinema gera emprego, paga imposto e não pode acabar, diz Rodrigo Teixeira, produtor de filmes nacionais aclamados neste ano. Sobre a tensão causada pela ameaça do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de extinguir a Ancine, cortar verbas e “filtrar” temas, Teixeira diz que é necessário conversar sem radicalizar.” Na capa da Folha.

“Presidente diz que Guedes pode trocar o comando do Coaf. Jair Bolsonaro afirmou ontem que o ministro da Economia tem “ carta branca” sobre o órgão. Paulo Guedes é pressionado pelo Planalto a demitir Roberto Leonel, aliado de Sergio Moro (Justiça). O presidente do Coaf fez críticas a decisão de Dias Toffoli.” Na capa da Folha.

“ICMBio transfere oceanógrafo de Noronha para O Sertão”. Na capa da Folha.

“Após 50 anos, greve geral em Hong Kong. Hong Kong enfrenta hoje sua primeira greve geral em mais de 50 anos, após outro fim de semana de protestos, por vezes, violentos. Um dos centros financeiros mais importantes da Ásia, ela atravessa sua pior crise política desde a devolução do seu controle do governo britânico para o chinês em 1997”. Na capa do Valor Econômico.

“Oposição culpa Trump por ataques a tiros. Em 13 horas, os americanos viram dois ataques a tiros causarem 29 mortes em dois estados. Num deles, o atirador do Texas deixou um manifesto contra “a invasão hispânica”, o que levou vários pré-candidatos democratas a responsabilizarem o discurso anti-imigração de Donald Trump pelo atentado.” Na capa do O Globo impresso.

? Colunas e artigos:

“Um crescimento sustentado e não aos soluços, como tem ocorrido no Brasil, depende da retomada dos investimentos.” Na coluna de Cida Damasco, no Estadão.

“Gás da Bolívia terá redução no preço de 40%. Na semana passada, a ANP lançou as bases para novas contratações de serviço de transporte de gás no trecho brasileiro do gasoduto Bolívia-Brasil. A partir de janeiro, quem comprar gás na Bolívia passará a pagar no máximo R$ 4,50. Hoje, a Petrobras paga R$ 7,50. A redução será de pelo menos 40%.” Na coluna de Ancelmo Góis, no O Globo.

“Saiam de suas tocas! Há um morcego na porta principal e, enquanto o Doutor Eiras não manda a camisa de força, ele chupa o sangue geral”. Na coluna de Cacá Diegues, no O Globo.

“Cordiais cortadores de cabeça. O que se coloca pela frente não é apenas brigar com Bolsonaro. O essencial hoje é pensar em como sobreviver à sua passagem”. Na coluna de Fernando Gabeira, no O Globo.

“País gasta 3% do PIB com pensões. O Brasil é um ponto fora da curva em relação às pensões por morte. A despesa pública com esse benefício gira em torno de 3% do Produto Interno Bruto (PIB). A média no âmbito dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) é de 1% do PIB.” Artigo de Rogério Marinho, no O Globo.

“Destemperos e precedentes. Aqui, já temos juiz do STF a classificar de inadmissível, outro a sugerir mordaça e jurista de renome a falar em interdição de alucinado. A julgar pela novela que se desenrola a cada dia, pelos destemperos, delírios vingativos e arroubos personalistas, e diante da insanidade da escalada retórica, a chapa está esquentando neste agosto.” Na coluna de Ana Maria Machado, no O Globo.

“É a ecologia, estúpido! Vamos pagar caro pelo corte de cabelo e pela política ambiental de Bolsonaro”. Na coluna de José Henrique Mariante, na Folha.

“Dodge faz a lição de casa para ser reconduzida por Bolsonaro. O subprocurador Augusto Aras é o preferido, mas atual chefe da PGR emite sinais para ficar”. Na coluna de Leandro Colon, na Folha.

“Bolsonaro radicaliza. A boa notícia é que, conforme o bolsonarismo acelera a degradação moral, aliados de peso vão abandonando o Planalto”. Na coluna de Celso Rocha de Barros, na Folha.

? Mercado: A Bolsa de Valores de São Paulo reabre nesta segunda-feira, 05, após o final de semana.

Destaque histórico:

Em 5 de agosto de 1585, há 434 anos, os portugueses fundam a Cidade Real de Nossa Senhora das Neves, atualmente João Pessoa, capital da Paraíba.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments