Setor aéreo poderá ter 100% de capital estrangeiro

SINOPSE DE 14 DE DEZEMBRO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Governo libera 100% de capital estrangeiro no setor aéreo. Crise da Avianca motivou medida provisória para derrubar limite de 20%. Em reunião de emergência no Planalto, três dias após a Avianca pedir recuperação judicial, o governo decidiu editar medida provisória para derrubar o limite de 20% de participação de capital estrangeiro nas companhias aéreas brasileiras. O texto da MP — que teve concordância do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes — permite que investidores estrangeiros tenham até 100% do capital de aéreas que fazem voos domésticos. Para especialistas, a concorrência pode reduzir o preço das passagens.

‘Não existe passar a mão na cabeça de quem errou’. O deputado Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) publicou em redes sociais que “não existe passar a mão na cabeça de quem errou”, referindo-se a seu ex-assessor Fabrício Queiroz, que, segundo o Coaf, movimentou R$ 1,2 milhão. O vice eleito, general Mourão, disse que Jair Bolsonaro demorou a comentar o caso.

Depósitos em dinheiro para ex-assessor de Flávio Bolsonaro repetiam valores e agências. Levantamento do GLOBO mostra depósitos idênticos, em dinheiro e na mesma agência na conta de Fabrício Queiroz, que somaram R$ 55 mil entre janeiro e dezembro de 2016.

Coaf vê depósitos de servidores de outros órgãos. O relatório da investigação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sobre servidores e ex-funcionários da Alerj mostra que, entre os que movimentaram valores suspeitos, há pessoas lotadas em secretarias de prefeituras e em outros órgãos estaduais, como o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Caso Marielle: alvo de operações no Rio e em Minas é quadrilha especializada em clonagem de carros. Investigadores suspeitam de que bando clonou Cobalt prata usado pelos assassinos da vereadora.

Polícia suspeita de vazamento da operação para tentar prender suspeitos do caso Marielle. Autoridades se recusaram a fazer um balanço da ação que aconteceu nesta quinta-feira.

Polícia Civil intercepta plano de milicianos para executar o deputado Marcelo Freixo, neste sábado, 15. Grupo paramilitar da Zona Oeste, citado no plano, é investigado também no caso Marielle.

Com prisão pedida, Battisti pode ser extraditado. O ministro Luiz Fux, do STF, determinou a prisão do ex-ativista italiano Cesare Battisti para possível extradição. A decisão de mandá-lo de volta para a Itália, onde tem condenação a ser cumprida, caberá ao presidente Temer ou, a partir de janeiro, a Jair Bolsonaro. Ambos já se manifestaram pela extradição.

MP já tem mais de 330 denúncias contra médium. O Ministério Público de Goiás já recebeu mais de 330 denúncias contra João de Deus. Em entrevista à revista Veja, Dalva Teixeira, filha do médium, diz que sofreu abusos do pai dos 10 aos 14 anos. “Ele é um monstro”, afirma. João de Deus propôs à Justiça que suas consultas sejam monitoradas por câmeras e policiais.

Ato marca os 50 anos do AI-5. Cartazes com fotos de mortos e desaparecidos políticos durante a ditadura militar são exibidos em ato na Câmara dos Deputados que lembrou os 50 anos da assinatura do AI-5.

MERVAL PEREIRA: Lembrar o AI-5 é preciso para não repetir erros

FLÁVIA OLIVEIRA: Caso João de Deus mostra que mulheres têm que ser ouvidas

Lauro Jardim: Collor dá aula no Rio Branco, ironiza futuro chanceler e é aplaudido.

Partidos de oposição já formam bloco para apoiar Rodrigo Maia na Câmara. Atual presidente da Casa pode conseguir apoio de até dez partidos, que poderiam lhe garantir até 242 votos na eleição da Mesa Diretora, em fevereiro.

Ministério da Fazenda defende fim de subsídios para energia eólica e solar. Avaliação é que essas fontes já estão competitivas.

Futuro ministro da Saúde diz que Funasa pode ser extinta. Nascedouro de casos de corrupção, órgão teria perdido função ao longo dos anos, servindo apenas de cabide de empregos.

Haddad é condenado por chamar Edir Macedo de ‘charlatão’. Petista deu declaração durante o segundo turno da campanha eleitoral.

Filha de João de Deus diz que foi abusada dos 10 aos 14 anos de idade. Dalva Teixeira, de 49 anos, afirmou à revista ‘Veja’ que o pai ‘é um monstro’.

Promotores investigam gastos envolvendo posse de Trump, diz jornal. Segundo Wall Street Journal, Justiça quer saber se houve malversação de fundos ou se doadores deram dinheiro em troca de acesso ao governo.

Editorial1: Ampla maioria espera que Bolsonaro faça bom governo. Se não dispersar esforços e atacar de frente os constrangimentos fiscais, o novo governo se beneficiará de um clima favorável aos negócios e ao crescimento.

Editorial2: Lembrar o AI-5 é preciso para não repetir erros. Eleição de Bolsonaro serve de marco da consolidação das liberdades democráticas.

 

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Milicianos mataram Marielle por causa de terras, diz general. Secretário da Segurança do RJ afirma que crime estava sendo planejado desde 2017. O secretário da Segurança Pública do Rio, general Richard Nunes, disse ao repórter Marcelo Godoy que a vereadora Marielle Franco foi morta porque milicianos acreditavam que ela poderia atrapalhar negócios ligados à grilagem de terras na zona oeste. O crime, segundo Nunes, estava sendo planejado desde 2017, meses antes de o governo federal decretar intervenção no Estado. Para o general, nomeado pelo interventor em fevereiro, os milicianos “superestimaram o papel que a vereadora poderia desempenhar”. “Ela estava lidando em determinada área do Rio controlada por milicianos, onde interesses econômicos de toda ordem são colocados em jogo.” Na opinião de Nunes, hoje, “milícias e facções criminosas que controlam o tráfico se equivalem”. Questionado se prenderá os envolvidos no crime antes de deixar a secretaria, no fim do mês, ele disse “não ter ideia”.

Militares admitem ‘incômodo’ com caso Coaf. Para oficiais-generais ouvidos pelo Estado, Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, já deveria ter explicado suas movimentações bancárias, para evitar problemas ao futuro governo. Vice-presidente eleito, Hamilton Mourão admitiu “incômodo” com a demora, mas disse ter “plena confiança” no presidente e no filho.

Flávio nega envolvimento. Flávio Bolsonaro usou as redes sociais para dizer que não fez nada errado no caso Coaf. “Sou o maior interessado em que tudo se esclareça.”

75% veem Bolsonaro no caminho certo. Segundo Ibope, apoio é maior entre famílias de melhor renda; pesquisa foi feita antes de revelações sobre ex-assessor de filho do presidente eleito.

Fux, do STF, revoga liminar e manda prender Battisti. O ministro Luiz Fux, do STF, determinou a prisão cautelar para fins de extradição do ex-ativista Cesare Battisti, condenado na Itália por quatro assassinatos nos anos 1970. Em outubro de 2017, Fux concedeu liminar que impedia a deportação, mas ontem a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu a prisão.

Estrangeiros poderão ter até 100% do capital das aéreas. Medida provisória assinada ontem por Michel Temer permite que companhias aéreas tenham até 100% de capital estrangeiro – hoje, o limite é de 20%. A mudança teve o aval da equipe econômica de Jair Bolsonaro e foi feita apenas dois dias após a Avianca pedir recuperação judicial. As ações das empresas aéreas fecharam em alta.

Infraero vai acabar, afirma futuro ministro. O futuro ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse ontem que a Infraero deve ser privatizada ou liquidada em um prazo de até três anos. Ele afirmou também que toda a rede de aeroportos deve ser concedida.

País ganha novo submarino hoje. O S-40 Riachuelo, primeiro de uma frota de quatro novos submarinos de ataque da Marinha do Brasil, entra hoje no mar pela primeira vez, no Complexo Naval de Itaguaí, no Rio. O investimento no projeto, ao longo de 20 anos, chegará a R$ 37 bilhões.

Coaf mira lavagem de dinheiro no futebol.

Eliane Cantanhêde: Sinalizações externas do governo Bolsonaro replicam posições de Trump, mas nem tudo que é bom para os EUA é bom para o Brasil.

Celso Ming: Dá para entender, no atacado, ideia de que é preciso desengessar leis trabalhistas. Não dá para entender, no varejo, o que significa.

Desafios do eleito. Para analistas que participaram de evento promovido pelo Estado e pelo Ibre-FGV, conciliar interesses será o desafio do futuro governo.

Editorial1: Os alertas de Guardia. Não se resolverá o problema das contas públicas vendendo estatais, mas enfrentando a questão do gasto, o que envolve necessariamente a reforma da Previdência.

Editorial2: O esbulho da lei. No caso do indulto natalino, juízes atuam como se estivessem numa esfera própria.

Editorial3: Cenário trágico. Apesar dos massacres nos superlotados presídios dos Estados do Amazonas, Roraima e Rio Grande do Norte, que ocorreram há quase dois anos e resultaram em mais de 120 detentos mortos, os problemas crônicos dessas e de muitas outras unidades do sistema prisional continuam longe de qualquer solução.

 

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Temer autoriza 100% de capital externo nas aéreas. Presidente edita medida provisória após Avianca pedir recuperação judicial. O presidente Michel Temer (MDB) assinou uma medida provisória (MP) que permite a grupos estrangeiros assumir o controle total das companhias aéreas no país. Hoje, esse limite é de 20%. A decisão ocorre em meio ao processo de recuperação judicial da Avianca Brasil. Antes de baixar a MP o governo consultou o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, que após falar com o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), deu seu aval. Para continuar em vigor, a medida precisa ser convertida em lei, pelos congressistas, em no máximo 120 dias. Temer falou com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB), a fim de costurar o apoio deles. Para o secretário de Aviação Civil, Dario Rais Lopes, 2019 terá cenário mais positivo para o setor e perspectiva de passagens mais baratas. A Latam se posicionou a favor da medida, considerando que haverá geração de riqueza para o Brasil, e a Azul, contra. Gol e Avianca não se manifestaram.

Governo Bolsonaro: Após eleição, perfis falsos e robôs pró-Bolsonaro seguem ativos, aponta estudo. Twitter questiona esse tipo de pesquisa, afirmando que as empresas não têm acesso a todos os dados disponíveis da rede.

Vinícius Torres Freire: Companhias do país já são estrangeiras

Governo Bolsonaro. Ex-assessora na Câmara atuava como personal trainer no Rio

Para Bolsonaro, reação a relato de futura ministra sobre Jesus é surreal

Presidente eleito critica fiscais do Ibama e diz que multas são extorsivas

Polícia do Rio intercepta plano para matar Freixo. A polícia do Rio de Janeiro interceptou um plano de milicianos que pretendiam matar o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) durante evento com militantes no sábado (15). Freixo tem proteção policial desde que presidiu, há dez anos, a CPI das Milícias. Ele disse que é precipitado relacionar a ameaça ao assassinato de Marielle Franco.

Defesa busca aval para João de Deus manter sua atuação. A defesa de João de Deus pediu à justiça a manutenção dos atendimentos espirituais em Abadiânia (GO) e disse que ele só voltará à rotina com anuência do juiz. Casa em que o médium atua viveu clima tenso após o Ministério Público pedir sua prisão sob suspeita de abuso sexual.

OMC reverte parte da condenação de políticas brasileiras. A Organização Mundial de Comércio reverteu a condenação de 2 das 7 políticas industriais adotadas pelo Brasil e denunciadas em 2015 por União Européia e Japão. Também foi retirado o prazo de 90 dias dado para adequar os cinco programas considerados ilegais.

Editorial1: Balaio partidário. PSL terá de competir por relevância com siglas conhecedoras do Congresso e do governismo.

Editorial2: Paris é uma incógnita. O Brasil vai abandonar ou não o Acordo de Paris? Ninguém sabe ao certo.

 

Manchete do jornal Valor Econômico: Temer abre setor aéreo ao capital estrangeiro. A 18 dias do fim de seu mandato, o presidente Michel Temer decidiu abrir completamente o mercado de aviação civil a empresas estrangeiras

Fisco amplia cobrança a terceiros. A Receita Federal publicou orientação a seus fiscais que amplia as possibilidades de inclusão de terceiros como responsáveis solidários em autuações tributárias.

O reinventor do porco. “À Mesa com o Valor”, o chef Jefferson Rueda desfaz a má fama da carne suína com as inovações da sua Casa do Porco, que leva 20 mil pessoas ao mês a área degradada de São Paulo.

XP acusa BTG de usar informações sigilosas. Dois expoentes do mercado financeiro vão entrar em conflito judicial. A XP Investimentos vai processar o BTG Pactual por supostamente ter quebrado o acordo de confidencialidade assinado pelo banco quando foi contratado como um dos coordenadores da oferta inicial de ações (IPO) da corretora.

Venda de participações em ativos da Caixa poderia render R$ 60 bi. A equipe de Jair Bolsonaro tem em mãos diagnóstico que aponta potencial arrecadação de R$ 60 bilhões (incluídos tributos) em quatro anos com a venda de participações em cinco empresas da Caixa Econômica Federal: Caixa Seguridade, Caixa Cartões, Caixa Loterias, Caixa Banco Digital e Caixa Gestão de Recursos.

Unesp expulsa 27 alunos por fraude em cotas. A Universidade Estadual Paulista (Unesp) expulsou 27 alunos por fraude na declaração usada para pleitear vaga por cotas destinadas a negros e pardos. Além do desligamento, os estudantes ficam impedidos de ingressar na instituição por cinco anos.

Selic estável é oportunidade única ao governo Bolsonaro. O governo Bolsonaro começa em janeiro com a oportunidade única de consolidar o patamar de juros mais baixo da história do país. Diante dos baixos índices de inflação, o Banco Central retirou a ameaça de elevar os juros num futuro próximo e deu forte indicação de estabilidade

Azambuja pede independência e reflexão ao PSDB. Governador reeleito de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB) pede um exercício de reflexão ao partido. Para ele, o maior erro foi ter ocupado cargos no governo Temer. Agora, na gestão Bolsonaro, defende independência, mas votando a favor de uma “agenda para o país”

A fé que move o Planalto e até embaixadas. O projeto de transferir a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém é uma demanda de igrejas pentecostais e neopentecostais, que desfrutam de grande influência no governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Segundo os evangélicos, os judeus estão no centro da realização de todas as profecias bíblicas.

Congresso. Relator dá mais recursos para o Bolsa Família. Comissão mista aprova proposta de Orçamento; matéria vai a plenário na próxima semana.

Transição Expectativa sobre Bolsonaro é positiva, segundo o Ibope. Otimismo também foi registrado em relação a Lula e Dilma.

Equipe marca cirurgia para o dia 28 de janeiro.

Congresso. Pauta da Câmara fica para fevereiro. Projetos que eram prioridade acabam o ano sem votação e dependerão do governo Bolsonaro.

Moro critica indulto dado por Temer em 2017.

Processo investiga o fato do ex-assessor de Flávio Bolsonaro ter realizado movimentações bancárias atípicas no valor de R$ 1,2 milhão.

Advogados temem ação sobre repatriação. No meio jurídico, há preocupação sobre as garantias para quem fez o procedimento de acordo com a lei de 2016.

Editorial: Ampla maioria espera que Bolsonaro faça bom governo. Se não dispersar esforços e atacar de frente os constrangimentos fiscais, o novo governo se beneficiará de um clima favorável aos negócios e ao crescimento.

Deixe uma resposta

Fechar Menu