Rejeição da segunda denúncia contra Temer na CCJ é o destaque

CCJ recomenda rejeição à segunda denúncia contra Temer. Aécio volta ao Senado e discursa
CCJ recomenda rejeição à segunda denúncia contra Temer. Aécio volta ao Senado e discursa

Edição: Sérgio Botêlho

Versões impressas das três principais mídias do país: “Câmara deve absolver Temer por ampla maioria. Até oposição já admite derrota em plenário”, conta a manchete de O Globo. “Temer vence na CCJ e Maia marca votação de denúncia no dia 25. Governo esperava 42 votos, mas conseguiu 39”, diz a do Estadão. “Comissão da Câmara rejeita a 2a. denúncia contra Temer. Foram 39 votos favoráveis e 26 contrários”, explica a da Folha.

A decisão da CCJ é a principal matéria do noticiário, nesta quinta-feira, 19. Retorno de Aécio Neves ao Senado e questionamentos à portaria sobre o trabalho escravo completam o rol dos principais destaques da mídia.

Jornais de Economia: “Depois dos juízes, fiscais do trabalho e procuradores do Ministério Público do Trabalho declararam que não devem aplicar os principais pontos da reforma com o argumento de que há violação a princípios constitucionais, a outras leis trabalhistas e normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT)”, comenta a manchete do Valor Econômico. “Políticas públicas voltadas às micro e pequenas empresas (MPEs) não se traduziram em aumento da produtividade dos negócios, aponta o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)”, revela a manchete do Diário Comércio e Indústria.

Outros destaques: Governo promete cargos ao centrão antes da decisão sobre 2ª denúncia. Painel: Paz com Maia é prioridade para o Planalto. Lauro Jardim: Maia desmente Planalto sobre reunião. Planalto manobra, mas PSB destitui líder pró-Temer e troca nomes na CCJ.

Dodge recomenda revogação de portaria. Regras de trabalho escravo podem afetar exportação. ‘Retrocesso inaceitável’, diz FH sobre trabalho escravo. Revisão de regras sobre trabalho escravo pode prejudicar exportador. Retrocessos podem levar o Brasil a sofrer com barreiras não tarifárias. Subprocurador-geral do MPT classifica como “retrocesso” nova política sobre trabalho escravo.

Caixa tenta obter dinheiro do FGTS. Arrecadação federal cresce e governo pode gastar mais. Lançamento de imóveis aumenta 69%. No Nordeste, usinas eólicas garantem energia na seca. Projeto prevê reajuste de plano de saúde de idosos. Projeto de lei de leniência dos bancos é aprovado e segue ao Senado. Ibovespa fecha no azul após 2 quedas; varejistas são destaques positivos.

Tucano volta ao Senado e afirma não sentir rancor. Tasso pede que Aécio abra mão da presidência do PSDB. Tasso convoca reunião para tratar sobre sucessão no PSDB. Aécio pede tempo para decidir se deixa comando do PSDB.

Eleitos, opositores de Maduro se negam a fazer juramento.

Brasília: uma capital com sede de chuva.

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Câmara deve absolver Temer por ampla maioria. Até oposição já admite derrota em plenário. CCJ rejeita segunda denúncia de Janot por 39 a 26, em sessão marcada pela presença da tropa de choque do governo/Miriam Leitão: Está custando caro manter Temer no cargo/Pedro Dias Leite: Lava-Jato tem a sua pior semana/Projeto libera reajuste parcelado para idosos. Aumento por faixa etária, hoje proibido após os 59 anos, seria aplicado em etapas. O texto que discute na Câmara mudanças nos planos de saúde vai prever a liberação do reajuste por faixa etária também para quem tem mais de 60 anos. Hoje, por causa do Estatuto do Idoso, o último aumento só pode ser aplicado aos 59 anos. A proposta do relator Rogério Marinho (PSDB-RN) é que este percentual passe a ser aplicado em etapas, incluindo quem tem mais de 60. O parecer também reduz o valor das multas para operadoras que neguem atendimento/Dodge recomenda revogação de portaria. A procuradora-geral, Raquel Dodge, recomendou ao ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, a revogação da portaria que modificou regras de combate ao trabalho escravo. Para o ex-presidente Fernando Henrique, a medida é “um retrocesso inaceitável”. Auditores entraram em greve contra as novas regras/Caixa tenta obter dinheiro do FGTS. Para se adequar às novas regras do setor financeiro, que entram em vigor em 2018, a Caixa pediu empréstimo de R$ 10 bi ao Conselho do FGTS.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Temer vence na CCJ e Maia marca votação de denúncia no dia 25. Governo esperava 42 votos, mas conseguiu 39, placar menor do que o obtido quando primeira investigação foi barrada na comissão da Câmara; plenário dará palavra final/Eliane Cantanhêde: Temer vai escapar também da segunda denúncia, mas com menos votos do que na primeira e com dificuldades para aprovar alguma reforma da Previdência, por mais enxuta que seja/Tasso pede que Aécio abra mão da presidência do PSDB. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) voltou ao Senado após 21 dias de afastamento determinado pelo STF. No plano partidário, o presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati (CE), defendeu que o mineiro renuncie ao comando da legenda: “Agora ele não tem condições”/Projeto prevê reajuste de plano de saúde de idosos. Proposta de reformulação da lei de planos de saúde apresentada na Câmara prevê o fim da proibição do reajuste de mensalidade após os 60 anos. O texto permite que o aumento ocorra em cinco parcelas quinquenais. Também está prevista a redução do valor de multas pagas pelas operadoras em caso de negativa de atendimento. A proposta, que tem aprovação do ministro Ricardo Barros (Saúde), poderá ser modificada pelos deputados/Arrecadação federal cresce e governo pode gastar mais. Pelo 2.º mês consecutivo, a arrecadação federal cresceu mais do que a inflação. O resultado indica melhora da atividade econômica e eleva as chances de o governo pagar parte das despesas previstas no Orçamento e que ficariam para 2018. Cálculos apontam para crescimento real de cerca de 6% nas receitas de setembro ante o mesmo mês de 2016. Embora impulsionada pelo novo Refis, a alta da arrecadação foi puxada por IPI e Cofins/Odebrecht tenta barrar vazamento de delações/FHC critica portaria do trabalho escravo.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Comissão da Câmara rejeita a 2a. denúncia contra Temer. Foram 39 votos favoráveis e 26 contrários; palavra final cabe ao plenário da Casa/Roberto Dias: Diante de escândalo, Aécio deu apenas declarações enxutas. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) se diz indignado. Mas esse tal sentimento não se converteu na dignidade mínima para que ele — ocupante de cargos eletivos há 30 anos — aparecesse cara a cara com jornalistas em uma entrevista coletiva e respondesse a perguntas/Tucano volta ao Senado e afirma não sentir rancor/Regras de trabalho escravo podem afetar exportação. Membros da União Européia sinalizam que mudanças na definição de trabalho escravo no Brasil podem prejudicar as exportações. O ex-ministro Rubens Ricupero diz que o “retrocesso” leva o país aos anos 1990 nas vendas externas. A fiscalização do governo e o resgate de trabalhadores despencaram em 2017/Eleitos, opositores de Maduro se negam a fazer juramento. A oposição a Nicolás Maduro disse que seus cinco governadores eleitos não farão juramento à Assembleia Constituinte, controlada pelo regime do ditador venezuelano. A decisão coloca em dúvida se eles assumirão os cargos, já que o chavismo exige que a posse seja feita perante o órgão/Farinata integrará merenda escolar, afirma João Doria. O prefeito de SP, João Doria (PSDB), anunciou que farinha feita com alimentos perto da validade integrará a merenda escolar. Citando o cardeal dom Odilo Scherer, ele disse, em evento: “O pobre tem fome, não tem hábito alimentar”.

Manchete do jornal Correio Braziliense: Temer perde votos, mas vence fácil na CCJ. Deputados aprovam, por 39 votos a 26, relatório que rejeita denúncia contra o presidente da República. Votação no plenário da Câmara deve ocorrer na quarta-feira/Brasília: uma capital com sede de chuva.

Manchete do jornal Estado de Minas: CCJ rejeita a segunda denúncia contra Temer. Em mais uma vitória do presidente, comissão vota pelo arquivamento de nova acusação da PGR.

Manchete do jornal Zero Hora, do RS: Comissão da Câmara rejeita a segunda denúncia contra Temer.

Manchete do jornal Valor Econômico: Fiscais e procuradores vão ignorar mudanças na CLT. Depois dos juízes, fiscais do trabalho e procuradores do Ministério Público do Trabalho declararam que não devem aplicar os principais pontos da reforma com o argumento de que há violação a princípios constitucionais, a outras leis trabalhistas e normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT)/Lançamento de imóveis aumenta 69%. No terceiro trimestre, seis grandes companhias – Direcional, Even, EZTec, Gafisa, MRV e Tenda – lançaram empreendimentos que somam R$ 3,544 bilhões, 69% mais que no mesmo período de 2016. As vendas tiveram comportamento semelhante: aumento de 63%, para R$ 3,502 bilhões/China agora quer exportar seu socialismo. O presidente Xi Jinping sinalizou ontem seu desejo de uma nova era para a China, transformando-a em uma nação moderna até 2035. Xi indicou que o partido continuará reforçando seu controle sobre a sociedade e a economia, projetando ao mesmo tempo poder para fora do país e oferecendo um modelo para outras nações/No Nordeste, usinas eólicas garantem energia na seca. Durante o dia de ontem, até as 18h, a energia hidráulica respondeu por 62,5% da geração no país, as térmicas, por 24%, e eólicas, 9,6%. Mas no Nordeste, as eólicas eram responsáveis por mais da metade da geração (51%). Região se torna ‘laboratório modelo’ de fontes renováveis no país.

Manchete do jornal DCI-Diário, Comércio, Indústria e Serviços: Políticas para as pequenas pouco ajuda a produtividade. Políticas públicas voltadas às micro e pequenas empresas (MPEs) não se traduziram em aumento da produtividade dos negócios, aponta o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)/Temer vencerá denúncia, mas perderá maioria. O governo deverá vencer na votação da segunda denúncia contra o presidente Temer. Corre, porém, o risco de vencer e não levar diante da ameaça de perder maioria na Câmara, com votação inferior aos 263 alcançados na primeira denúncia.

Manchete do Jornal do Senado: Senado aprova campanha nacional de prevenção à Aids. Segue para sanção projeto que cria o Dezembro Vermelho, um ev.ento anual destinado a conscientizar a população sobre os riscos da doença.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online: Decisão da Câmara sela a pior semana da história da Lava-Jato. Aumentam riscos de novas medidas contra investigações/Governo tem surpresas e perde dois votos na CCJ/’Não é hora de comemorar’, diz Temer após a votação/Lauro Jardim: Maia desmente Planalto sobre reunião/De volta ao Senado, Aécio pede tempo para decidir se deixa comando do PSDB. Tucano recebe ultimato de integrantes da direção do partido/Tasso convoca reunião para tratar sobre sucessão no PSDB. Senador defendeu saída definitiva de Aécio da presidência do partido/Raquel Dodge pede revogação de portaria sobre trabalho escravo. Procuradora-geral entregou ofício pessoalmente ao ministro do Trabalho/’Retrocesso inaceitável’, diz FH sobre trabalho escravo. Ex-presidente usa rede social para condenar portaria/Comissão do Senado convida ministro a explicar portaria. 

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: CCJ aprova parecer que rejeita denúncia contra Temer e ministros. Relatório favorável ao presidente elaborado pelo tucano Bonifácio de Andrada foi aprovado por 39 dos 66 votos; Maia marca votação em plenário para quarta-feira, 25/Temer recebeu mais de 30 parlamentares nesta quarta/Eliane Catanhêde: Se é para derrubar a denúncia, que seja logo/Aécio diz que volta ao Senado sem rancor e afirma ser vítima de ‘armação’. Sem citar Joesley e a PGR, tucano diz ter sido vítima de ’empresários inescrupulosos’ e ‘homens de Estado’. 

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Governo promete cargos ao centrão antes da decisão sobre 2ª denúncia. Planalto destrava nomeações de siglas como PP, PR e PTB, que estavam represadas. Saiba como votou cada um dos deputados: Votos pró-Temer no PSDB foram de aliados de Aécio/Bernardo Mello Franco: Deputados já parecem cansados de fazer sempre o mesmo teatro ruim/Painel: Paz com Maia é prioridade para o Planalto/Terapia gênica para tratar linfoma do tipo não Hodgkin é aprovada nos EUA/Revisão de regras sobre trabalho escravo pode prejudicar exportador. Combate ao trabalho escravo despenca sob Temer/Retrocessos podem levar o Brasil a sofrer com barreiras não tarifárias. 

Manchete da hora do Correio Braziliense online: Na CCJ, deputados rejeitam a segunda denúncia contra o presidente Temer/Defesa Civil suspende estado de emergência no DF.

Manchete da hora do Estado de Minas online: CCJ aprova parecer de relator que pede o arquivamento das denúncias contra Temer. O presidente foi denunciado pelos crimes de obstrução da Justiça e organização criminosa/Aécio volta ao Senado e diz ser vítima de armação de ’empresários inescrupulosos’.Sem citar nomes, Aécio acusou Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F, de enriquecerem ‘às custas do dinheiro público’. 

Manchete da hora do jornal Zero Hora, do RS, online: CCJ da Câmara aprova parecer que recomenda rejeição de segunda denúncia contra Temer. Por 39 votos a 26 e uma abstenção, deputados aprovaram texto do relator Bonifácio de Andrada (PSDB-MG). Matéria agora segue para o plenário da Casa, onde deve ser votada na semana que vem/Subprocurador-geral do MPT classifica como “retrocesso” nova política sobre trabalho escravo. Apontado como o maior especialista no assunto pelo próprio MPT, Luis Antonio Camargo de Melo lamentou que governo federal atenda a “interesses dos empresários, do capital, do produtor rural”.

Manchete da hora do Valor Econômico online: Projeto de lei de leniência dos bancos é aprovado e segue ao Senado. O projeto aumenta o valor das multas aplicadas pela CVM e pelo BC e também institui acordos que empresas financeiras poderão fazer/Projeto de lei de leniência dos bancos é aprovado e segue ao Senado. O projeto aumenta o valor das multas aplicadas pela CVM e pelo BC e também institui acordos que empresas financeiras poderão fazer/Planalto manobra, mas PSB destitui líder pró-Temer e troca nomes na CCJ/China: PIB desacelera no terceiro trimestre, para alta de 6,8% ao ano/Aécio retoma cargo e se diz vítima de “ardilosa armação”. 

Manchete da hora do DCI-Diário, Comércio, Indústria e Serviços online: CCJ aprova parecer pela rejeição de segunda denúncia contra Temer. Por 39 votos a 26, integrantes da comissão referendaram o parecer, a ser analisado pelo plenário da Câmara em votação prevista para a próxima semana/Ibovespa fecha no azul após 2 quedas; varejistas são destaques positivos. Índice da bolsa paulista registra alta de 0,51%, a 76.591 pontos/Aécio volta ao Senado e diz ser vítima de armação de ’empresários inescrupulosos’. Sem citar nomes, senador acusou Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F, de enriquecerem “às custas do dinheiro público”.

Manchete da hora da Agência Senado: Senadores buscam consenso sobre projeto do Uber.

Manchete da hora da Agência Câmara: Câmara aprova novas regras para processo administrativo do BC. O Plenário da Câmara aprovou o texto do deputado Alexandre Baldy (Pode-GO) para o Projeto de Lei 8843/17, que cria novas normas para o processo administrativo aberto pelo Banco Central ou pela Comissão de Valores Mobiliários. Esse projeto contém parte da MP 784/17, que não foi votada pelo Congresso e perde validade nesta quinta-feira. Texto segue para análise do Senado.

You may also like

Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments