Redes sociais e economia são os destaques das manchetes dos jornais

SINOPSE DE 27 DE JULHO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS

*Manchete e destaques do jornal O Globo*: Ações do Facebook têm queda histórica. Papéis da empresa desabaram 19% ontem. Perda de US$ 120,91 bilhões em valor de mercado em um único dia é a maior já registrada em Bolsa nos EUA. As ações do Facebook desabaram 19% ontem, derrubando seu valor de mercado em US$ 120,91 bilhões, a maior perda em um único dia já registrada em Wall Street. Os resultados do segundo trimestre da empresa, divulgados na quarta-feira após o fechamento dos mercados, mostram que o aumento da base de usuários da rede social ficou abaixo do esperado. Executivos da empresa afirmaram que o crescimento da receita vai desacelerar, por causa dos controles de privacidade estabelecidos após os escândalos de vazamentos de dados e de uso de informações pessoais por terceiros. A fortuna de Mark Zuckerberg encolheu US$ 15,9 bilhões/

Cercado por investigados, Alckmin formaliza aliança com o centrão. Coligação traz vantagens e também ônus para o tucano. Em solenidade realizada em Brasília, o pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, anunciou que contará com o apoio do centrão, formado por DEM, PP, PR, PRB e SD, siglas que reúnem diversos políticos investigados em escândalos de corrupção, alguns deles presentes à cerimônia. O bônus é que, ao aliar-se ao bloco, o tucano soma agora dez partidos na coligação, o que lhe garante mais de um terço do tempo total do horário eleitoral gratuito/

Fake news: especialistas cobram clareza. Facebook é contestado sobre os critérios usados para retirar perfis e páginas do ar/

Um presidenciável entre o príncipe e o astronauta. Bolsonaro diz ser ‘mais simpático’ a Marcos Pontes, e Luiz Philippe faz oferta: ‘Estou disponível’/

Merval Pereira: Mudanças em risco. A formalização do apoio dos partidos do centrão à pré-candidatura do tucano Geraldo Alckmin deu uma clareada na disputa presidencial, sem entrar no mérito se esse fato é bom ou mau para o futuro do país. Não se trata aqui de analisar conceitualmente essa união, que para muitos é um abraço de afogados. Outros acham que a candidatura tucana ganha substância e passa a ser competitiva. O fato é que a adesão do centrão (ou será adesão ao centrão?) passará agora pelo crivo dos eleitores, e as pesquisas eleitorais mostrarão mais adiante as consequências dessa decisão/

Míriam Leitão: Congresso receberá o maior pacote anticorrupção do mundo/

Lydia Medeiros: Semanas de alta tensão antecederam o acordo. A imagem de um sorridente Geraldo Alckmin, ontem, recebendo o apoio dos dirigentes do centrão, foi precedida de semanas de alta tensão. Sentado à direita, ACM Neto, presidente do DEM, por pouco não viu seu partido embarcar na campanha de Ciro Gomes (PDT), que jogou todas as suas cartas na negociação/

Justiça cassa direitos políticos de Garotinho por oito anos. Anthony Garotinho (PRP) foi condenado pela Justiça do Rio por desvio de R$ 234,4 milhões da saúde quando Rosinha Matheus era governadora. A sentença cassa seus direitos políticos por oito anos, mas cabem recursos. Garotinho mantém pré-candidatura ao governo/

Paes lança pré-candidatura ao governo com críticas ao MDB. O ex-prefeito Eduardo Paes anunciou sua pré-candidatura ao governo do Rio pelo DEM. Ele criticou a gestão do MDB, ao qual esteve filiado por dez anos, e defendeu a intervenção na segurança pública do estado. Paes não falou sobre alianças nem vice/

Dois suspeitos do caso Marielle identificados. Justiça decreta a prisão da dupla. A Justiça decretou a prisão de dois suspeitos da execução da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Segundo testemunha-chave, Renato Nascimento dos Santos e William da Silva Sant’anna estavam no veículo que atacou o carro da vereadora, ao lado do ex-PM Alain de Moraes, que foi preso na terça. Eles são acusados de integrar milícia da Zona Oeste chefiada por Orlando de Curicica/

PF investiga fraudes no Carf. Ex-secretário de Dilma e economista ligado ao PSDB são investigados por fraude no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais/

Governo Ortega divide esquerda. A repressão do governo Ortega a protestos na Nicarágua, que já fez 295 mortos, divide a esquerda do continente entre críticos e apoiadores/

Editorial1: Os bilhões gastos por falta de controle. Pente-fino em programas ditos sociais encontra grande desperdício de dinheiro, prova consistente de que o Estado de fato não gerencia bem as despesas/

Editorial2: Concessão de saneamento da Barra melhoraria serviço. Niterói, onde a água e o esgoto são administrados pela iniciativa privada, aparece em 19º no ranking do Instituto Trata Brasil. Já o Rio está num modesto 39º lugar.

*Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo*: Facebook perde US$ 119 bi, maior queda de Wall Street. Projeções pessimistas divulgadas pela própria empresa fizeram com que valor das ações caísse 19% em um dia. Com queda de 19% em suas ações no pregão da Nasdaq, o valor de mercado do Facebook caiu de US$ 629 bilhões para US$ 510 bilhões. A desvalorização, de US$ 119 bilhões, é a maior da história de uma companhia de capital aberto em Wall Street em um único dia e equivale ao valor de empresas como Nike (US$ 125 bilhões), McDonald’s (US$ 122,6 bilhões) ou General Electric (US$ 114 bilhões). O resultado reflete o pessimismo dos investidores após a divulgação de projeções da empresa para os próximos trimestres: na quarta-feira, o Facebook anunciou que prevê queda no ritmo de crescimento de receita e de usuários para os próximos anos, bem como redução de suas margens de lucro – haverá mais gastos para proteger os dados dos usuários. Na véspera, em negociações após o fechamento do mercado, a empresa já operava com queda de 20%, perdendo US$ 128 bilhões/

Alberto Goldman: Um candidato do PSDB em oposição ao PSDB. De modo oportunista, Doria critica gestões do partido/

Geraldo Alckmin no centro do Centrão. O Centrão oficializou o apoio à pré-candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência. A aliança – que reúne PR, PRB, PP, DEM, Solidariedade e mais cinco legendas – dará ao tucano ao menos mais quatro minutos por bloco no horário eleitoral, mas ainda deixou pendente a escolha do vice na chapa, após a desistência do empresário Josué Gomes da Silva. Alckmin terá de administrar conflitos em ao menos doze Estados onde partidos do bloco rivalizam com o PSDB em campanhas regionais/

Coluna do Estadão: Troca rápida. Com a prisão de André Puccinelli (MDB) pela Operação Lama Asfáltica, a eleição no MS está indefinida. O deputado Mandetta (DEM) pode ser o candidato do grupo no lugar do emedebista. Outra saída do DEM é apoiar o tucano Reinaldo Azambuja. Cotada para vice de Alckmin, Tereza Cristina (DEM) se reuniu com Mandetta ontem para discutir alternativas/

‘Viagens forçadas’ já consumiram R$ 250 mil. Para escapar da obrigação de assumir a Presidência quando Michel Temer está fora do País, Eunício Oliveira (MDB-CE) e Rodrigo Maia (DEM-RJ) já gastaram ao menos R$ 250 mil com viagens ao exterior. As viagens forçadas ocorreram porque se um dos dois permanecesse no País teria de assumir a Presidência e, pela legislação eleitoral, quem assume fica impedido de disputar a eleição/

Pressionada, Dersa move ação contra ex-diretor. A Dersa moveu ação de improbidade administrativa na Justiça paulista na qual pede a condenação de seu ex-diretor Paulo Vieira de Souza pelo suposto desvio de R$ 374,9 mil no programa de reassentamento de famílias nas obras do trecho sul do Rodoanel, concluído em 2010. A estatal foi pressionada pelo Ministério Público de São Paulo a abrir o processo/

PF apura suspeita de fraudes no Carf. A PF investiga o economista Roberto Giannetti da Fonseca, ligado ao PSDB, e Daniel Godinho, ex-secretário de Dilma (PT), suspeitos de fraudes no Carf/

EUA falham e ilegais ficam longe dos filhos. Os EUA descumpriram a ordem judicial de reunir imigrantes ilegais e seus filhos, separação decorrente da tolerância zero aplicada de abril a junho. Cerca de 2,5 mil crianças foram para abrigos sem os pais. Pelo menos cinco brasileiros continuavam isolados ontem/

Fernando Gabeira: A maioria dos eleitores brasileiros pode colocar a pedra lá em cima para vê-la, de novo, rolar montanha abaixo/

Eliane Cantanhêde: Os eleitores demonstram profunda indiferença pela eleição e não estão nem aí para os candidatos, quanto mais para os vices/

Editorial1: Ressocialização pelo trabalho. A Política Nacional do Trabalho no Âmbito do Sistema Prisional (Pnat)é boa medida do governo federal com vista à ressocialização de milhares de presos/

Editorial2: O bônus da segurança externa. O investimento direto estrangeiro reforça a segurança no País em fase de tensões/

Editorial3: Autenticidade na rede. A despeito da ruidosa reação, é louvável a medida do Facebook de remover páginas e perfis que não usam identidades autênticas, com usuários, por exemplo, que se fazem passar por outra pessoa. A prática de ocultar a identidade real na internet corrói as bases de uma comunicação verdadeira. Faz sentido, portanto, que o Facebook proíba a representação falsa no ambiente virtual da rede.

*Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo*: Facebook tem perda recorde na Bolsa de NY. Resultado decepciona e empresa perde US$ 120 bi em valor de mercado em um dia. O Facebook perdeu ontem US$ 120 bilhões (R$ 446,8 bilhões), na maior queda de valor de mercado em um dia de uma companhia na história da Bolsa de Nova York. Os papéis da empresa recuaram 19%, para US$ 176,26. No ano, acumulam perda de 0,11%. Até a véspera, subiam 23,3%. O forte recuo, equivalente ao valor do McDonald’s ou da Nike na Bolsa americana, dilapidou US$ 15,4 bilhões do patrimônio do fundador Mark Zuckerberg. Trata-se de resposta de investidores à receita abaixo do esperado no primeiro balanço trimestral divulgado após o escândalo envolvendo a consultoria política Cambridge Analytica. Analistas revisaram para baixo projeções para o preço das ações do Facebook. Segundo o banco JPMorgan, pesam a incerteza acerca da reação de anunciantes e usuários ao vazamento de informações de perfis na rede e da monetização de serviços/

Programa do PT vai propor limite à atuação do Supremo. O programa de governo do PT para a eleição presidencial vai propor limitar a atuação do Supremo e a revisão de leis de combate ã corrupção e ao crime organizado, com críticas às delações premiadas. Segundo a versão mais recente do documento, à qual a Folha teve acesso, o PT quer que a competência do STF seja “limitada ao controle de constitucionalidade das leis”/

Alvo de ação da PF, economista Roberto Giannetti deixa a campanha de Doria/

Centrão oficializa apoio a Alckmin; Josué não será vice. O empresário Josué Alencar (PR-MG) formalizou ontem sua decisão de não ser vice na chapa de Geraldo Alckmin (PSDB) nas eleições presidenciais. O bloco de partidos conhecido como centrão oficializou apoio ao tucano. A aliança busca agora um novo nome para ocupar a vaga de vice/

Painel: Centrão diz que Alckmin pode buscar vice fora da coligação, mas quer dar aval a nome/

Programa do PT propõe limitar atuação do STF e rever Lei Anticorrupção/

Sou antagonista ao Lula e contra o candidato do PT, afirma Ciro em convenção em SP/

Leilão de usina térmica pode elevar conta de luz em R$ 1 bilhão/

Estoque de vacina contra meningite é crítico, diz governo. O estoque de vacinas contra meningite C está crítico, diz o Ministério da Saúde. Cidades de seis estados relatam falta da dose. A pasta alega atraso na entrega pelo laboratório responsável, que diz que o cenário é temporário/

Polícia afirma que PCC planeja roubar armas de fóruns/

Reinaldo Azevedo: Lula prefere perder eleição a ficar sem o controle do PT. Para Lula, o mais grave é perder o controle do PT. Se indicasse já um substituto para concorrer à Presidência, este assumiria as articulações, e o grande líder seria só um ex-presidente mofando na cadeia.

*Manchete e destaques do jornal Valor Econômico*: Apoio do BNDES à indústria tem menor nível em 23 anos. Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a indústria atingiram o menor nível da série histórica no primeiro semestre deste ano/

Mudança na Lei de Dados gera embate. Mudanças na Lei de Proteção de Dados após aprovada pelo Congresso estão causando polêmica e o líder do PRB na Câmara, Celso Russomanno (SP), ameaça recorrer ao STF para impedir a sanção/

Com figuras, Juncker explica tudo a Trump. Em encontros recentes, o presidente Donald Trump dominou as manchetes com uma abordagem agressiva. Mas desta vez mostrou-se “charmoso” e “fez um esforço” para chegar a um acordo com os europeus/

À mesa com Kissinger. Não foi difícil atrair Henry Kissinger para almoçar, relata Edward Luce, do “Financial Times”. Aos 95 anos, o grande maestro da diplomacia americana adora falar/

Artigo Choro hoje ou estrondo depois, opções da China. A dívida de um país não pode crescer mais rápido que a economia para sempre. Isso se tornará verdade para a China também. O que não se sabe é quando e como vai acabar/

‘Apagão das canetas’ trava infraestrutura. O secretário especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Vasconcelos, defendeu um pacto entre os três Poderes, e também o Tribunal de Contas da União, para “destravar a infraestrutura”/

As telecomunicações, 20 anos depois. Passados 20 anos da privatização, o setor de telecomunicações precisa de novas regras. A telefonia fixa continua a encolher, com a busca por mobilidade. A Anatel estuda regulamento que dá ênfase à solução de problemas em vez de punição severa às operadoras, diz seu presidente, Juarez Quadros/

Ex-funcionária acusa diretor da Funcef de coação. Ex-funcionária da Funcef, o fundo de pensão da Caixa Econômica Federal, acusa um dos diretores eleitos pelos empregados de ter coagido subordinados a fazer contribuições em dinheiro para a sua reeleição/

Brasil. Conjuntura. Crédito do BNDES para indústria é o pior da história. Para especialistas, parte da lacuna deixada pelo banco vem sendo preenchida pelo setor privado/

O apagão de canetas dos agentes públicos. Empresários do setor de logística reclamam de descontinuidade de planejamento entre um governo e outro, demora e imprevisibilidade na obtenção de licenças ambientais, fragilidade das agências reguladoras e insegurança jurídica causada pelo risco de mudanças súbitas na execução dos contratos/

Secretário propõe pacto entre os três Poderes para destravar infraestrutura. Diante do temor de serem processados na pessoa física, muitas vezes técnicos deixam de agir, criando paralisa em projetos importantes, diz secretário do PPI/

Após um mês, ANP define pagamento de subsídio ao diesel/

Conjuntura. Equipe econômica aposta em alta de 1% no PIB do 3º tri. Para a equipe econômica, não há hipótese de o PIB crescer menos do que 1% neste ano/

Em sua última fase, Zelotes atinge Giannetti, suspeito de fraude no Carf. Economista Roberto Giannetti é suspeito de intermediar R$ 2,2 milhões para favorecer Paranapanema em processo administrativo. Coordenador de Doria aconselhou Alckmin/

Em fim de mandato no TSE, Fux pede celeridade/

Bolsonaro contra a história que se repete/

Em papéis inversos ao de 2014, PSDB pode “salvar” PT e colocá-lo no segundo turno, com o megatempo de propaganda à disposição para desconstruir terceira via/

Partidos. Centrão dá a Alckmin o maior arco de alianças. Vaga de vice está indefinida com desistência de Josué e são mencionados nove possíveis nomes/

Alvaro Dias volta a rechaçar hipótese de desistir de candidatura presidencial/

Empresário {Josué Alencar} deve recusar convite petista/

Marina vai atrás do apoio do PV/

Partidos. Fracassa candidatura própria do PSB. Articulação de Márcio França para lançar Leany Lemos à Presidência surpreendeu líderes do partido/

Editorial Censo mostra progressos e atrasos no meio rural. A crescente tecnificação do campo anda em velocidade bem maior do que a educação dos produtores rurais, um reflexo do Brasil atrasado.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu