Rebaixamento da nota de risco brasileira, reforma da Previdência e eleições 2018 são os temas em destaque

Edição: Sérgio Botêlho

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Rio tem primeira morte por febre amarela em 2018. Vítima residia na área rural de Teresópolis. Morador de Valença é internado com a doença; ministro descarta antecipar campanha de vacinação, e SP registra longas filas em postos/Uma sexta-feira violenta, do Jacarezinho à Gávea. Dia foi marcado por execução, tiroteios e fila de suspeitos. Casos de violência marcaram a sexta-feira no Rio/Enquanto isso… Reunião de autoridades nada decide. Mais uma reunião de Pezão com os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Torquato Jardim (Justiça) para discutir o Plano Integrado de Segurança terminou sem o anúncio de medidas concretas/Chegada de Bolsonaro implode PSL. O PSL, novo partido do presidenciável Jair Bolsonaro, está em crise desde que ele se filiou. O Livres, corrente de viés liberal do partido, debandou no mesmo dia, alegando incompatibilidade ideológica. Seis deputados que planejavam entrar no PSL desistiram/Meirelles minimiza rebaixamento do país. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que mercado já esperava redução de nota e cobrou apoio do Congresso para a Previdência/Xingamento de Trump causa revolta. Ao chamar de “países de merda” Haiti, El Salvador e nações africanas, Trump provocou reações indignadas de representantes da ONU, dos países citados e até de líderes republicanos. O embaixador dos EUA no Panamá renunciou.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Planalto teme que tensão eleitoral atrapalhe economia. Presidente busca evitar que disputa política divida sua base de apoio e prejudique reforma da Previdência. A crescente tensão eleitoral na base de apoio ao presidente Michel Temer preocupa o Palácio do Planalto em relação ao futuro da economia. Segundo os estrategistas do governo, as pretensões políticas de Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, e de Henrique Meirelles (PSD), ministro da Fazenda, poderão atrapalhar as costuras para a aprovação da reforma da Previdência, considerada neste momento vital para a continuidade da recuperação econômica/Dólar e Bolsa não sentem reflexo. Um dia após o rebaixamento do rating do País, moeda americana caiu para R$ 3,20, menor nível em três meses. Ibovespa manteve 79 mil pontos/Rebaixamento pode impulsionar reforma. O governo quer usar a decisão da S&P de rebaixar o rating do País para obter os 308 votos necessários para a aprovação da reforma da Previdência, em fevereiro/BNDES deve devolver este ano R$ 130 bi ao Tesouro. O BNDES propôs ao governo devolver, ainda no primeiro semestre, R$ 30 bilhões emprestados pelo Tesouro Nacional. Os outros R$ 100 bilhões em negociação seriam repassados no segundo semestre. Depois da polêmica entre o banco e a equipe econômica em torno da devolução antecipada dos empréstimos, a relação começou a se normalizar no final de 2017, quando ficou em evidência a necessidade de recursos para que o governo cumpra seus compromissos/Lava Jato volta a questionar recibos de Lula. Em suas alegações finais, a força-tarefa da Lava Jato no MPF pediu ao juiz Sérgio Moro que reconheça que os recibos assinados por Glaucos da Costamarques e entregues pela defesa do ex-presidente Lula para comprovar pagamento do aluguel de imóvel em São Bernardo são ideologicamente falsos/CVM proíbe fundo de investir em bitcoin/SP faz concessão de transportes. Governo do Estado quer facilitar deslocamentos para centros regionais, mas modelo de concessão dos transportes deve alterar itinerários e reduzir a frota/Delegado é executado no Rio. Policiais fazem operação na favela do Jacarezinho, a cerca de 800 metros da Cidade da Polícia, na zona norte do Rio, horas depois de o delegado Fábio Monteiro, de 39 anos, ter sido encontrado morto a tiros. O corpo estava no porta-malas de um carro/Estado tem 21 mortes por febre amarela. Chega a 21 o número de mortes por febre amarela no Estado de São Paulo desde janeiro do ano passado – foram relatados dez casos em 2017. Também houve aumento, de 29 para 40, nos casos autóctones (transmissão interna) da doença. Na capital, a procura por vacina é grande até mesmo nos bairros fora das áreas de risco/Venezuelano consome comida de cão, diz ONG/Affonso Celso Pastore. Criptomoedas geram oscilações de preços, razão pela qual BCs advertem sobre seus males/João Domingos: Jair Bolsonaro é um candidato reativo. Depende de Lula para se firmar entre os eleitores/Editorial: O Brasil reprovado de novo. O novo rebaixamento do País poderá, segundo analistas, mobilizar os políticos para a reforma previdenciária. Se isso acontecer, será a única surpresa real/Editorial: Corporações encasteladas. Manifestações como as da Ajufe revelam corporações que defendem interesses próprios.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Rebaixamento causa atrito entre Meirelles e Rodrigo Maia. Mudança na nota do país pela S&P faz cotados ao Planalto trocarem acusações. O debate sobre o rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela agência Standard& Poor’s foi afetado pela disputa entre o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ambos disputam o posto de candidato governista nas eleições de outubro/Rocha Loures e empresa têm divergência em depoimento. O ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR), ex-assessor de Michel Temer, integrou grupo criado pelo governo para discutir as novas normas que foram benéficas para o setor dos portos. É o que relatou à Folha a empresa Rodrimar, investigada sob suspeita de ter sido favorecida pelo decreto dos portos do presidente, que foi editado em maio de 2017. Rocha Loures nega. Disse à PF que empresas “imaginavam” nele interlocutor do Planalto para o tema, o que “não era verdadeiro”/Pastor e delegado podem disputar eleição pelo PSOL. Em busca de aproximação com eleitores inclinados à direita, o PSOL do Rio articula lançar ao Legislativo candidatos como o pastor batista Henrique Vieira, 30. Em vídeo divulgado na internet ele diz que “nem todo evangélico é fundamentalista”. O delegado Orlando Zaccone, 53, que ganhou projeção ao atuar no caso Amaril do, também pode concorrer pela legenda/CVM decide que fundos não podem investir em bitcoin. A Comissão de Valores Mobiliários proibiu gestores e administradores de fundos de investirem em bitcoins e outras criptomoedas. Para a Superintendência de Relações com Investidores Institucionais da CVM, o debate sobre o investimento ainda é “bastante incipiente” e envolve riscos/Rodrigo Zeidan: Mobilidade social e violência são o que temos de pior. Um novo colunista deve se apresentar, e aqui vai minha declaração de princípios: um economista que vê na injustiça social o maior entrave a sairmos da armadilha da classe média.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online: Para presidente da Eletrobras, empresa será privatizada no segundo semestre. A dúvida do consumidor é se o processo de venda da Eletrobras pode levar a aumento dos preços de energia/Poder de compra do salário mínimo volta ao patamar de 2015. Dieese critica reajuste do governo (1,81%), menor que a inflação de 2017 medida pelo IBGE (2,07% para o INPC), e pede revisão do cálculo/Estado do Rio registra a primeira morte por febre amarela este ano. Óbito foi em Teresópolis. Outro paciente, morador de Valença, está internado. Os casos foram confirmados após exames feitos pela Fiocruz/Temer responderá a todas as perguntas da PF até quarta-feira. Advogado do presidente criticou, no entanto, algumas das questões formuladas/AGU volta a recorrer para tentar garantir posse de Cristiane Brasil. Órgão questionou o TRF-2 sobre a vara que concedeu liminar suspendendo posse de deputada/Chamados de ‘merda’ por Trump, países protestam: ‘Racista’. Haiti, El Salvador, Botsuana e outras nações citadas por presidente exigem explicações/Em tuíte, Hillary Clinton condena frase racista de Trump sobre Haiti e países africanos. Democrata lamentou que episódio aconteça em aniversário de 8 anos de terremoto em país caribenho/Julgamento de Lula preocupa mercado, dizem analistas. Mesmo com rebaixamento do Brasil pela S&P, Bolsa fechou praticamente estável; dólar recuou para R$ 3,20, menor cotação desde outubro/Meirelles: melhora do rating do Brasil ‘é uma questão de tempo’. Ministro disse que decisão teve pouco impacto sobre indicadores econômicos/Lula celebra seu governo, mas não cita rebaixamento com Dilma. Ex-presidente aproveitou classificação de agências para criticar Temer/Família de brasileiro se desculpa por prisão na Venezuela. Libertado, Jonatan Diniz relatou plano para chamar atenção da prisão/Declarações de Bolsonaro sobre sonegação e auxílio-moradia poderiam resultar em processos. Deputado federal disse a jornal que usa verba da Câmara para pagar condomínio e IPTU.

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Governo usa rebaixamento para tentar aprovar reforma da Previdência. Equipe econômica vai aproveitar avaliação da S&P para angariar votos de deputados para aprovar a medida/‘Risco que interessa a deputados é o eleitoral’, diz parlamentar do PSDB. Marcus Pestana disse duvidar que rebaixamento influencie parlamentares sobre Previdência/Para Meirelles, rebaixamento não deve ser politizado/Nota afeta candidatura de Meirelles, diz líder do DEM/Governo fez progressos lentos na área fiscal, afirma S&P/Apesar de rebaixamento, dólar chega a R$ 3,20/AGU entra com novo recurso por posse de Cristiane. Indicada a Temer pelo PTB, deputada foi impedida por liminar de assumir o Ministério do Trabalho/Bolsonaro faz críticas a Meirelles e diz ser contra a reforma da Previdência. Deputado e pré-candidato afirma que, do jeito que está, mudança na aposentadoria não passará/Bolsonaro critica gestão do exército de PSDB e PT.

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Rocha Loures e empresa de portos têm divergência em depoimento à PF. Rodrimar declara que ex-assessor de Michel Temer integrou grupo criado pelo governo para discutir as novas normas que foram benéficas para o setor; Rocha Loures nega/Filhos de repressores da ditadura argentina se unem contra os pais. “Se a Justiça não se faz nos tribunais, temos de fazê-la nas ruas. É por isso que vamos atrás de cada um dos repressores que receberem o benefício da prisão domiciliar. Para fazer barulho em suas janelas. Para que não possam dormir ou esquecer o que fizeram.” Quem fala não é uma militante pró-direitos humanos qualquer. Trata-se da advogada Erika Lederer, 40, filha de Ricardo Lederer, um médico militar que, durante a última ditadura argentina (1976-83), realizou partos de bebês de prisioneiros no Campo de Mayo, um dos centros clandestinos do regime/Painel. Opção pelo PSL sela vitória da ala radical do grupo de Jair Bolsonaro/O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) não conseguirá morar em um imóvel com banheira de hidromassagem caso solicite a utilização de um apartamento funcional à Câmara dos Deputados. Atualmente, os 216 imóveis funcionais que dispõem do sistema de relaxamento nas suítes principais estão ocupados na capital federal/A vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa Econômica Federal, Deusdina dos Reis Pereira, é suspeita de negociar um investimento de R$ 200 milhões, a ser feito pelo banco, em troca de um cargo para ela própria na Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais)/Os “talk shows” da TV americana repercutiram com humor ácido a suposta frase dita pelo presidente Donald Trump, que segundo relatos afirmou que os Estados Unidos recebem imigrantes de “países de merda“.

 

 

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments