Queimadas, sindicatos, precatórios e negócios se destacam em manchetes

Queimadas, sindicatos, precatórios e negócios se destacam em manchetes. G7 ajudará na Amazônia, novos sindicatos registram queda, Senado deve adiar precatórios empresas ganham com ajustes.

“Macron promete ajuda de países ricos à Amazônia. Francês diz haver ‘convergência’ no G7 para apoio técnico e financeiro”. Manchete de capa do O Globo.

“Pedidos para abrir sindicato despencam após reforma. Fim da obrigatoriedade da contribuição sindical explica queda: de janeiro a agosto foram apenas 176 solicitações”. Manchete de capa do Estadão.

“Senado negocia pacto que atinge 1 milhão de credores. Para aprovar reforma da Previdência, pagamento de precatórios deve ser adiado”. Manchete de capa da Folha.

“Ajustes garantiram resultado das empresas no 2º trimestre. As empresas de capital aberto conseguiram mais uma vez passar no teste de resistência a crises. Apesar do fraco desempenho da economia, ajustes em processos internos garantiram aumento da receita em ritmo superior ao da variação da inflação no segundo trimestre”. Manchete de capa do Valor Econômico.

📃 Editoriais do dia:

“Renegociação em Itaipu precisa ser transparente. Retomada da negociação ocorre entre equipes técnicas, como deveria ter sido desde o início”. Editorial do O Globo.

“Anvisa tem de continuar a avançar na regulamentação do canabidiol. Substância medicinal derivada de maconha, já sendo usada, precisa de rápida normatização”. Editorial do O Globo.

“Irresponsabilidade fiscal. Guardião da Constituição, STF deve zelar pela efetividade de suas normas, promovendo – e não dificultando – medidas que assegurem a responsabilidade fiscal”. Editorial do Estadão.

“Mortes por armas nos EUA. Apesar de as variações anuais no número de tiroteios em massa tornarem difícil identificar uma tendência inequívoca, o FBI registra um crescimento alarmante”. Editorial do Estadão.

“Simplismo tributário. Se o interesse do governo é arrecadar mais, o primeiro passo é não atrapalhar quem produz”. Editorial do Estadão.

“Privatize-se. Plano de desestatizações é tímido; venda dos Correios dependerá de regulação”. Editorial da Folha.

“Mais horas na escola. MEC deveria incentivar o ensino integral, política de eficácia comprovada”. Editorial da Folha.

“Governo usa desemprego para defender nova CPMF. Ministro Paulo Guedes prefere “abraçar um imposto horroroso” ao desemprego”. Editorial do Valor Econômico.

📃 Outros destaques:

“Alcolumbre costura apoio a Eduardo. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), articula a aprovação da indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, para embaixador nos EUA”. Na capa do Valor Econômico.

“Um novo rumo. O desempenho da economia tem sido aquém do esperado, mas “a gente entra no 2º semestre otimista com o rumo do país”, diz o presidente do Citi no Brasil, Marcelo Marangon”. Na capa do Valor Econômico.

Foto-legenda: “Produtores contam prejuízos do fogo. Adriano Santos, diante da plantação de eucaliptos queimada na fazenda que administra em Humaitá, Amazonas: produtores rurais que nas últimas décadas avançaram com monoculturas e rebanhos de gado sobre o arco norte do País também veem, impotentes, seus negócios virarem cinzas na Amazônia.” Na capa do Estadão.

“PF vai investigar se houve incêndio criminoso no Pará. A pedido do presidente Jair Bolsonaro, a Polícia Federal vai investigar supostos incêndios criminosos no Pará. O ponto de partida será a atuação de um grupo de 70 pessoas que teria se articulado no Whatsapp para promover queimadas no dia 10 de agosto.” Na capa do Estadão.

“Novo deve discutir suspensão de Ricardo Salles. O deputado estadual Chicão Bulhões (Novo) disse que pediu a suspensão do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, do quadro de filiados do partido. Ele questiona “postura inadequada” contra dados científicos.” Na capa do Estadão.

Países ricos prometem ajuda contra queimadas. Reunidos na cúpula do G-7, os países mais ricos do mundo vão ajudar as nações afetadas pelos incêndios na Amazônia, anunciou ontem o presidente da França, Emmanuel Macron. Segundo ele, serão “compromissos concretos de recursos técnicos e financeiros”. A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse ainda que o reflorestamento será discutido com o Brasil quando os incêndios cessarem.” Na capa do Estadão.

“G7 propõe mobilização global contra incêndios na região da Amazonia. A França e os outros países do G-7 estão em contato com nações da região amazônica para finalizar um mecanismo de mobilização internacional para ajudar no combate às queimadas e, depois, no reflorestamento da Amazônia, disse o presidente francês Emmanuel Macron”. Na capa do Valor Econômico.

“G7 quer ajudar a combater incêndios na Amazônia. Os líderes do G7 concordaram em ajudar “o mais rapidamente possível” os países afetados pelos incêndios na Amazônia, anunciou o presidente francês, Emmanuel Macron. Ele havia criticado o presidente Bolsonaro por não combater o desmatamento. “Há uma convergência real para dizer que todos concordamos em ajudar os países atingidos por esses incêndios”, disse Macron, anfitrião da cúpula. Ele citou o pedido de vários países atingidos pelos incêndios, especialmente a Colômbia.” Na capa da Folha.

“É possível multar desmate como se faz com trânsito. O engenheiro florestal Tasso Azevedo diz que, graças ao monitoramento por satélite, já é se pode multar propriedades rurais da mesma forma com que radares produzem multas de trânsito. “O que falta é transformar os alertas em ações efetivas”, afirma.” Na capa da Folha.

“Não podemos ficar sem a verba do Fundo Amazônia. O Fundo Amazônia é essencial para a conservação da floresta, afirma Wilson Miranda Lima (PSC), governador do Amazonas. Ele cogita, se necessário, formar um consórcio entre os estados, sem o governo federal, para buscar dinheiro internacional.” Na capa da Folha.

“Frustração no G7 com posição americana. O ambiente no G7 era de certa frustração com os EUA por insistirem na espiral de tensões comerciais com a China, o que afeta duramente a economia mundial”. Na capa do Valor Econômico.

“Mortes por policiais crescem em nove estados. Números mostram que aumento de autos de resistência nem sempre tem relação com queda de homicídios”. Na capa do O Globo.

“Atos pedem veto de Bolsonaro a projeto. Ao menos 12 Estados e o Distrito Federal tiveram atos ontem pedindo o veto de Jair Bolsonaro ao projeto que criminaliza o abuso de autoridade, aprovado pelo Congresso.” Na capa do Estadão.

Foto-legenda: “A volta dos armeiros. Agenda pró-arma impulsiona registros, que cresceram 42%, e multiplica número de profissionais que consertam armas, como Sandro Severo.” Na capa do Estadão.

“’Dinheiro é para fazer mais dinheiro’. Com patrimônio de R$ 2 bilhões – e encarando o metrô diariamente –, o paulistano de 80 anos não se preocupa com a oscilação da Bolsa: sua aposta é nas ações que pagam bons dividendos. “Não compro como a maioria. Sou sócio das empresas.”” Na capa do Estadão.

“Dados de 14 estados e do Distrito Federal mostram que, embora haja o avanço de mortes por policiais em nove estados este ano, não é possível relacioná-los às quedas de homicídios no país, fenômeno que O GLOBO vem mostrando em série de reportagens desde domingo.” Na capa do O Globo.

“Witzel quer novo modelo de privatização da Cedae. Apostando numa valorização da Cedae com a eventual aprovação de novo marco regulatório para o saneamento, o estado pede ao BNDES que refaça modelo de venda da empresa.” Na capa do O Globo.

“Valor cria canal para reforma tributária. Hoje, há três propostas de reforma tributária no Congresso: uma na Câmara, outra no Senado e uma terceira será enviada pelo Executivo. Para colaborar com o debate, o Valor passa a dedicar um ambiente especial no site sobre as propostas de reforma tributária”. Na capa do Valor Econômico.

“Acordo viabiliza trâmite da nova Lei de Falências. A proposta de reforma da Lei de Recuperação Judicial e Falências formulada pelo governo Temer não andou no Congresso, apesar do caráter de urgência aplicado à sua tramitação”. Na capa do Valor Econômico.

“Concessão de creches. Governo avalia repassar mais de mil creches à iniciativa privada. Segundo a secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos, Martha Seillier, ideia é atrair parceiro para acabar obras, administrar operações e ofertar vagas.” Na capa do Estadão.

“Tráfico toma condomínio do Minha Casa Minha Vida em Niterói.” Na capa do O Globo.

“Governo Alckmin construiu viaduto sem utilidade pública. Pista elevada da Nova Tamoios Contornos, que custou R$ 3 milhões aos cofres de SR liga a estrada a apenas uma fazenda em Caraguatatuba, pertencente à empreiteira que fez a obra”. Na capa do Estadão.

📃 Colunas e artigos:

“Crepúsculos precoces. De uma certa forma, tento falar disso há muito tempo: Bolsonaro não tinha noção das forças que enfrenta quando está em jogo o futuro da Amazônia. É algo que acontecia também com seu ministro Onyx Lorenzoni. Ele disse que não iria ver as queimadas na Amazônia porque há coisa mais importante para fazer.” Na coluna de Fernando Gabeira, no O Globo.

“Isolamento esplêndido. Irrelevância ou ridículo — eis a questão. O Brasil de Jair Bolsonaro oscila entre esses polos, como fruto de políticas externa e ambiental que, aos olhos do mundo, nos rebaixam à condição de república bananeira.” Na coluna de Demétrio Magnoli, no O Globo.

“O cafona quer ser autoridade, para poder dar carteiradas. Quer vencer, para ver o outro perder. Quer ser convidado, para cuspir no prato. Quer bajular o poderoso e debochar do necessitado. Quer andar armado. Quer tirar vantagem em tudo.” Última coluna de Fernanda Young, no O Globo.

“Queimadas à direita. Nossos corações pegam fogo com as queimadas na Amazônia. Não é só que o incêndio da floresta nos faz temer pelo futuro físico do Brasil e do mundo, como é natural que aconteça. Mas a fumaça, que nos faz anoitecer tão cedo, talvez nos torne incapazes de reconhecer o desmantelamento provável da nação que tentamos elaborar, ao longo da história recente.” Na coluna de Cacá Diegues, no O Globo.

“Mesmo com acordo União Europeia-Mercosul seguindo em frente, País continuará sendo visto com desconfiança.” Na coluna de Cida Damasco, no Estadão.

“Brasil foi levado para coxia do debate ambiental. Ao ver conspiração, Bolsonaro tirou nosso protagonismo no tema.” Artigo da deputada Tabata Amaral, na Folha.

“Protecionismo de tiozão é péssima política. Economias ricas, perto da estagnação, erram ao evitar a incorporação de vastas populações à economia moderna”. Na coluna de Vinícius Mota, na Folha.

“A força de Moro. Ex-juiz pode não ser um superministro de fato, mas parte das ruas o trata assim”. Na coluna de Leandro Colon, na Folha.

“A fogueira perfeita: quais as consequências da crise? Estratégia de quanto mais quente melhor ‘backfired’!”. Na coluna de Marcus André Melo, na Folha.

“Riscos e tensões no horizonte. Governo não tem vértice, e sinal amarelo pisca forte”. Artigo de Gaudêncio Torquato, na Folha.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) reabre nesta segunda-feira, 26, após o fim de semana.

Destaque histórico:

Em 26 de agosto de 1542, Francisco de Orellana navegou o rio Amazonas, alcançando o oceano Atlântico.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu