PSL, Bolsonaro, economia, Guedes, Lava Jato são os motes das manchetes

*Sinopse da grande mídia impressa*: PSL, Bolsonaro, economia, Guedes, Lava Jato são os motes das manchetes. Bolsonaro e ministro implicados em caixa 2; presidente diz que não vai interferir na economia; multas a empresas por corrupção somam R$25 bi.

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

📃 *Manchetes do dia*:

“Ex-assessor implica ministro e Bolsonaro em caixa 2 do PSL. Planilha sugere dinheiro ‘por fora’ em 2018; Álvaro Antônio nega irregularidade, Planalto não comenta”. Manchete de capa da Folha.

“‘A economia é 100% com o Guedes e não tem plano B’. Presidente diz que não vai interferir na economia nem promete fazer grandes obras como marca de governo”. Manchete de capa do Estadão.

“Multas a empresas por corrupção somam R$ 25 bi. Petrobras, BNDES e FGTS estão entre os principais destinatários dos recursos”. Manchete de capa do O Globo.

📃 *Editoriais do dia*:

“Caixa às bruxas. Banco estatal usa protocolo que induz ao filtro ideológico no apoio à cultura”. Editorial da Folha.

“Queima de fogos. Ministro celebra queda de incêndios em setembro, mas quadro é desalentador”. Editorial da Folha.

📃 *Outros destaques*:

“Entrevista. Rodrigo Maia. ‘Sérgio Moro tenta acuar as instituições democráticas’. Na capa da Folha.

“Cúpula do Congresso revê partilha do pré-sal. Diante da rejeição do Congresso à proposta de divisão do dinheiro megaleilão feita pela equipe econômica, presidentes das Casas querem incluir em texto aprovado no Senado compensação para os governadores de Sul, Sudeste e Centro-Oeste”. Na capa do Estadão.

“Com crise, desigualdade cresce e volta a nível de 2007. Fatia dos 10% mais ricos volta a superar metade de toda a renda do país”. Na capa do O Globo.

“Bolsonaro demite um nome do alto escalão a cada oito dias. Governo Bolsonaro registrou 35 exonerações nos primeiros nove meses do ano, quatro de ministros. Motivos vão do descontentamento pessoal do presidente e de seu filho Carlos a pressões de parlamentares”. Na capa do O Globo.

“Publicidade ignora as negras, maior grupo populacional”. Na capa da Folha.

“Quem paga a conta. Estratégias jurídicas inadequadas tomadas pela Operação Lava Jato fizeram com que penalizações recaíssem sobre empresas, em vez de sobre acionistas responsáveis pelos ilícitos”. Na capa da Folha.

“Cresce a oferta de crédito fora de bancos. Juros mais baixos no longo prazo, tecnologia e alto custo do financiamento bancário impulsionam empréstimos entre empresas”. Na capa do Estadão.

“Infância entre tiros e sonhos. Em meio a confrontos, crianças do complexo tentam estudar e brincar”. Na capa do O Globo.

“Start-ups chegam ao analógico mundo jurídico brasileiro. Start-ups voltadas ao mundo jurídico chegam ao país e trazem mais tecnologia para o planeta analógico dos advogados”. Na capa do Globo.

“Bens e decadência política marcam os Vieira Lima. Dois anos após apreensão de R$ 51 mi, irmãos Geddel e Lúcio enfrentam julgamento no STF”. Na capa do Estadão.

“‘A Amazon é um gigante de papel’. José Isaac Peres, presidente do Grupo Multiplan.” Entrevista, na capa do Estadão.

“Socialista deve vencer em Portugal, mas sem maioria”. Na capa da Folha.

“’Geringonça’ em risco. Aliança das esquerdas em Portugal pode ruir na eleição de hoje”. Na capa do O Globo.

“Trump exibe força em velho reduto democrata”. Na capa do Estadão.

“Sínodo discute perda de católicos na Amazônia. Considerada pelo papa um foco de preocupação, a Amazônia é o tema do sínodo que começa hoje no Vaticano”. Na capa da Folha.

“Sínodo da Amazônia reúne indígenas, ribeirinhos e cientistas. Com sínodo, Igreja inicia hoje debate para recuperar fiéis na região”. Na capa do O Globo.

📃 *Colunas e artigos*:

“Espanta a lucidez afiada de mulher de quase um século. Agora, com a autobiografia, tornou-se farol, luz de integridade em meio ao obscurantismo carola dos adoradores de fuzis”. Artigo de Fernanda Torres, atriz, sobre a mãe, Fernanda Montenegro, na capa da Folha.

“Banquete literário. ‘O Mundo da Escrita’, de Martin Puchner, nos faz provar desde grandes clássicos até pratos exóticos”. Na coluna de Helio Schwartsman, na Folha.

“Na cultura, governo asfixia críticos e monta máquina de propaganda. Bolsonaro investe na submissão de políticas públicas ao personalismo rasteiro”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

“Ausente em seu país. As gravadoras negam ao Brasil os discos de João Gilberto que oferecem ao mundo”. Na coluna de Ruy Castro, na Folha.

“Prioridade. Executivo precisa de uma agenda organizada e maior proximidade com o Congresso, pois há muito a ser feito”. Na coluna de Marcos Lisboa, na Folha.

“O Brasil na contramão. Avanços nos países nórdicos partiram de consensos”. Artigo de Oded Grajew, na Folha.

“Entre a cruz e a arma de fogo. Que o bom senso reine, e que avancemos na paz. Votei no atual presidente da República deixando claro, durante a campanha, minha discordância frontal à sua política de armas de fogo”. Artigo de Eduardo Girão, empresário e senador da República.

“Aliados de Bolsonaro agem para que ele imponha mudanças na cúpula do PSL; 32 deixariam sigla com ele”. Na coluna Painel, da Folha.

“O direito difuso concentrou interesses. Muita gente estrilou com a fundação da Lava Jato, como se fosse novidade”. Na coluna de Elio Gaspari, na Folha.

“O grande impune. Moro fez nova afirmação fraudulenta ao dizer que acabou o Brasil sem justiça”. Na coluna de Janio de Freitas, na Folha.

“Aborto, a passo de tartaruga. Estado mexicano de Oaxaca deveria ser exemplo a legisladores da América Latina”. Na coluna de Sylvia Colombo, na Folha.

“Aliados de Bolsonaro sofrem derrotas, e sonho de Internacional Destra fraqueja. …os líderes políticos com os quais o Brasil se aliou de forma mais intensa neste início de governo estão fragilizados. Cuidam da própria sobrevivência política e não têm encontrado muito tempo para grandes debates sobre a criação de um novo eixo conservador mundial.” Na coluna de Fábio Zanini, na Folha.

“Bolsonaro fraqueja com tropeços nas reformas e acordão na política. Reformas e a propaganda de combate à corrupção sofrem desgaste político”. Na coluna de Vinícius Torres Freire, na Folha.

“Equilíbrio cambial e indústria. Quando recuperarmos o mercado de trabalho, juros de equilíbrio serão menores”. Na coluna de Samuel Pessôa, na Folha.

“Citados como exemplo por Mourão, bandeirantes eram empreendedores da morte. Paulistas dos séculos 16 e 17 era obcecados em escravizar índios”. Na coluna de Reinaldo José Lopes, na Folha.

“’Tive embates com o papai. Ele com o uísque, eu com o vinho’, diz Lucio Mauro Filho. Célebre como o Tuco, de ‘A Grande Família’, ator afirma que a baliza do humor deve ser o respeito e que seu pai, Lucio Mauro, foi seu mestre, ‘mesmo não querendo’”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

“É preciso definir rumos. Os presidentes que marcaram nossa História recente (falando dos que já morreram) agregaram.” Artigo de Fernando Henrique Cardoso, no Estadão.

“Fez bem o presidente peruano em dissolver o Congresso. E bem fizeram as Forças Armadas ao respeitar autoridade.” Na coluna de Mario Vargas Llosa, no Estadão.

“Governo está desmontando o Mais Médicos”. Na coluna de Ascânio Seleme, no O Globo.

“Para Bolsonaro, Witzel conspira contra Flávio”. Na coluna de Lauro Jardim, no O Globo.

“Obscurantismo é pacto contra o progresso”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Bolsonaro, Ciro, Lula e Marina em Shakespeare. Se o gênero humano está representado nas peças de Shakespeare, não poderia ser diferente com a nossa história política”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

📊 *Mercado*: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não funciona nos finais de semana.

⏳ *Destaque histórico*:

“Em 06 de outubro de 1956, o cientista Albert Sabin anuncia ter produzido uma vacina oral contra a poliomielite.” Na Barsa.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu