Problemas na economia brasileira viram destaque no noticiário

Edição: *Sérgio Botêlho*

“Ajuste fiscal emperra, e governo já prevê mais cortes em 2018”, conta a manchete de O Globo. “Governo calcula perdas de R$ 7,8 bi com novo Refis”, adianta a manchete do Estadão. “Lei de Migração trava contratação de estrangeiros”, revela a manchete da Folha.

As movimentações do PSDB que apontam para afastamento do partido com relação ao governo e o andamento da reforma da Previdência são os destaques maiores do noticiário. Decisão da 2ª turma do STF em manter Cunha preso e da polícia federal indiciando Geddel e o irmão, deputado Lúcio Vieira Lima, também são destaques. Contas do governo fecham no azul depois de 6 meses e superávit primário soma R$5,2 bi, pior resultado no acumulado do ano. Meirelles admite que reforma pode ser adiada para 2018.

Superávit primário em outubro soma R$ 5,2 bi, mas tem pior resultado no acumulado do ano. Tesouro projeta déficit de R$ 109 bi no acumulado até novembro. Só 76 servidores entraram em PDV do governo federal que previa 5 mil. Com ajuda do Refis, contas do governo fecham no azul pela 1ª vez em 6 meses.

PSDB defende “choque de capitalismo” e privatizações. Temer e Alckmin discutirão saída do PSDB do governo no sábado. Alckmin: ‘Sempre fui contra participar do governo Temer’. Temer quer conversar já com Alckmin para organizar saída do PSDB do governo. Jucá: afastamento do governo pode significar suicídio para o PSDB. Arthur Virgílio: ‘Exijo prévias. PSDB tem que parar com reuniãozinha’. ‘Documento do PSDB é fraco e cheio de platitudes’, diz economista. Referência no partido, Elena Landau. Assumir o PSDB foi um pedido de FHC, diz Alckmin. Tasso diz que cumpriu seu dever ao ‘chacoalhar’ o PSDB. Aécio volta a defender desembarque do PSDB do governo.

Meirelles diz que ‘ainda é cedo’ para dizer se Previdência será aprovada neste ano. Reforma “mantém privilégios”, diz Tasso Jereissati. Jucá cobra apoio do PSDB à reforma da Previdência. Governo aposta em unidade tucana para votar. Drogas e explosivos são encontrados em manifestação contra a reforma. Ministro, que defendia aprovação ainda este ano, muda o tom e afirma que prioridade é a aprovação independentemente de data. Maia faz alerta contra novas concessões na reforma.

Presidente da Câmara disse que é preciso que a economia prevista não caia abaixo da metade da planejada originalmente. Aécio e Aloysio defendem que PSDB feche questão na reforma da Previdência. Por INSS, Maia deve pautar projeto de R$ 1,9 bi a Estados. Contra desgaste, presidente do INSS antecipa saída. Planalto vê chance de aliança com Alckmin. Aécio e Aloysio querem fechar questão pró-Previdência. Sem PSDB, é impossível aprovar reforma da Previdência, diz Maia. Aliados querem usar tática do impeachment para sondar reforma.

Em CPI, Marun chama Joesley de “mafiosinho de terceira. CPMI da JBS recorre ao STF para obrigar ex-auxiliar de Janot a depor. Presidente da CPI põe em pauta convocações de Lula, Dilma, Meirelles e outros políticos.

TRF nega transferência de Cunha para Brasília ou Rio. Gilmar vota por soltar Cunha, mas STF mantém prisão. Tribunal mantém bloqueio de até R$ 16 milhões em bens de Lula. STF nega pedido de filho de Lula para processar deputado. Foragido há uma semana, presidente do PR se entrega à PF. Fachin revoga prisão domiciliar de ex-assessor de Geddel. PF afirma que Geddel e irmão lavaram dinheiro e integraram organização criminosa. PF corrige informação de escrivão e informa que malas e dinheiro que seriam de Geddel não sumiram. Ex-MP, Miller recebeu R$ 450 mil de escritório no caso JBS. Deputado flagrado com queijo na cueca permanece no mandato.

Maia conversa com Cármen Lúcia para acordo sobre foro. Congresso estuda novo texto para o fim do foro privilegiado.

Coreia do Norte lança míssil no litoral japonês.

Paulo Guedes confirma aproximação com Bolsonaro.

Segue a _SINOPSE DE 29 DE NOVEMBRO DE 2017_

*_MANCHETES DOS JORNAIS_*:

*Manchete e submanchetes do jornal O Globo*: Ajuste fiscal emperra, e governo já prevê mais cortes em 2018. Sem aprovação de medidas, máquina pública pode sofrer paralisia. Fazenda estima que precisará reduzir gastos em mais R$ 21 bilhões no ano que vem se Congresso não votar projetos/_Alckmin vai tirar PSDB do governo. Futuro presidente do PSDB, o governador Geraldo Alckmin afirmou que, em sua gestão, a legenda vai deixar o governo de Michel Temer. O governador disse, porém, que o partido manterá o apoio às reformas “que sejam do interesse do Brasil”/_Previdência: diretor da PF tenta manter privilégios. Em meio às novas pressões de servidores públicos por mais concessões na reforma da Previdência, o diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, pediu ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, uma regra especial de aposentadoria para a corporação. Ele alegou que policiais morrem em combate e, portanto, não devem “perder direitos”_/Planos de saúde – Relator desiste de reajuste para idoso. O relator do projeto dos planos de saúde, Rogério Marinho, desistiu de mudar a regra de reajuste para idosos. A votação foi adiada/_Laudo não esclarece caso de Garotinho. Exame comprovou que o ex-governador Garotinho teve lesões no joelho e em um dos pés. Mas não informou se ele foi agredido, como sustenta, ou se causou autolesão_/STF nega autorização para aborto. Grávida, com dois filhos e salário de R$ 1.250, queria autorização para interromper gravidez devido a problemas financeiros/_Na escola, exemplo de integração. Escola municipal de SP vira referência nacional ao acolher filhos de imigrantes e refugiados_.

*Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo*: Governo calcula perdas de R$ 7,8 bi com novo Refis. Deputados tentam aprovar programa de parcelamento de dívidas tributárias para micro e pequenas empresas/_Bacha critica PSDB sobre Previdência. Um dos formuladores do Plano Real, Edmar Bacha criticou o seu partido, o PSDB, por não ter fechado questão sobre reforma da Previdência, uma das bases de tudo o que a sigla sempre defendeu para a economia. Em conjunto com Elena Landau, Luiz Roberto Cunha e Bolívar Lamounier, ele publicou carta dizendo que negar apoio à reforma seria abandonar “todo o esforço feito no governo Fernando Henrique Cardoso”_/ Temer e Alckmin vão definir ‘desembarque’. Tucano confirmou ontem que PSDB deixará o governo. Pré-candidato do PSDB à Presidência, o governador de SP, Geraldo Alckmin, disse ontem que os tucanos vão desembarcar do governo federal quando ele assumir o comando do partido, o que deve ocorrer na convenção do próximo dia 9. O tom das declarações incomodou o Palácio do Planalto e levou o presidente do PMDB, Romero Jucá, a cobrar respaldo na transição até 2018. O presidente Michel Temer vai conversar com Alckmin, sábado, para acertar a saída do PSDB. O desconforto no Planalto foi provocado principalmente pelo fato de Alckmin dizer que, se dependesse dele, a sigla nem teria se aliado a Temer/_Quatro horas de silêncio na CPMI. O empresário Joesley Batista se negou a responder a perguntas na oitiva da CPMI da JBS, no Congresso. Segundo a PF, o delator Lúcio Funaro reconheceu a marca de um banco ligado à J&F nos maços de dinheiro – que totalizavam R$ 51 milhões – achados em um apartamento e atribuídos ao ex-ministro Geddel Vieira Lima_/Para ruralistas, propostas de Bolsonaro são inconsistentes. O deputado e pré-candidato ao Planalto Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foi considerado “genérico”, “inconsistente” e “radical” ao apresentar seu projeto para o setor do agronegócio, ontem. Ele discursou contra o MST e voltou a prometer que entregaria fuzis para fazendeiros enfrentarem invasores de terra, mas não agradou/_Vera Magalhães: O primeiro teste. A capacidade de Geraldo Alckmin de unificar o PSDB virá antes da convenção. O anúncio de que não haverá disputa pelo comando da sigla anima Temer e Rodrigo Maia a pensar na votação da reforma da Previdência_/Reajuste de plano de idoso é descartado. Artigo que permitia aumentar os planos de saúde de idosos foi retirado de projeto de lei. Operadoras e entidades de defesa do consumidor criticaram texto/_STF rejeita pedido de grávida para abortar_/Monica De Bolle: Há muitos defensores do “Estado mínimo”, mas pouco entendimento do que significa/_Roberto DaMatta: Proclamamos a República em 1889, mas falta muito para sermos republicanos_.

*Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo*: Lei de Migração trava contratação de estrangeiros. Para empresas, regulamentação tardia deixou pontos em aberto que impedem a entrada de executivos no país. A Lei de Migração, em vigor desde o dia 21 de novembro, bloqueou a movimentação de executivos estrangeiros em multinacionais que operam no Brasil. Empresas acostumadas a trazer executivos têm profissionais retidos no exterior. Elas culpam a falta de definição em procedimentos no Ministério do Trabalho, Polícia Federal e consulados/_Meirelles busca apoio de Temer e Maia para ser candidato em 18. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, decidiu buscar de forma mais incisiva o apoio de Michel Temer e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, à sua candidatura em 2018. Seu objetivo é se consolidar como o nome de aliança entre PMDB, DEM e partidos do centrão para as eleições do próximo ano. Meirelles estabeleceu piso de 5% nas pesquisas de intenção de voto em março como gatilho para se lançar na corrida. Hoje, tem 2%_/Monica Bergamo: Ministro passa a filmar e divulgar suas atividades/_Investimento cairá para cumprir teto de gastos em 2018. Para cumprir o teto de gastos, o país deverá reduzir investimentos e o custeio da máquina pública em 2018. Segundo o governo, o corte terá que ser de ao menos 11% em relação a 2017. O cenário persiste apesar do superavit de R$ 5 bilhões em outubro, primeiro resultado positivo em seis meses_/Ministério Público e PF não salvarão o país, diz procurador. Um dos responsáveis pelo caso JBS, o procurador da República Anselmo Lopes, 36, afirma à Folha que as pessoas não devem esperar que o Ministério Público Federal ou a Polícia Federal livrem o Brasil da corrupção. Ele diz que a sociedade não evolui de forma “linear” e, não raro, retrocessos ocorrem antes dos avanços/_Foto- legenda: Quieto. Convocado pelo Senado para depor em duas CPIs, Joesley Batista, da JBS, ficou calado; a defesa afirmou que o silêncio se deve à ‘situação jurídica’ do empresário_/Dois navios do Brasil deixam de buscar submarino. A Argentina dispensou, segundo a Marinha brasileira, dois dos três navios do país que ajudavam na busca do submarino desaparecido desde o dia 15. A liberação ocorreu no momento em que cresciam as evidências de que um acidente vitimou a embarcação —sua última mensagem indica que houve um incêndio/_Tribunal e base de Doria dificultam concessões em SP. O programa de concessões do prefeito de SP, João Doria (PSDB), enfrenta dificuldades para avançar. O Tribunal de Contas do Município barrou etapas iniciais do plano para o Anhembi e para cemitérios, alvo de resistência também de vereadores governistas_..

*_MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS_*:

*Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online*: Cresce pressão de servidores contra reforma da Previdência. Governo corre para tentar levar proposta à votação na Câmara este ano/_Diretor da PF pede regra especial para policiais na reforma da Previdência. Em encontro com Maia, Segovia diz que categoria não pode ‘perder direitos’_/Meirelles: não há compromisso com prazo para Previdência. Ministro, que defendia aprovação ainda este ano, muda o tom e afirma que prioridade é a aprovação independentemente de data/_PSDB exige mais concessões na reforma da Previdência/Só 76 servidores entraram em PDV do governo federal que previa 5 mil. Uma nova MP será editada com texto que permite adesão, todos os anos, a programa de desligamento voluntário/Alckmin: ‘Sempre fui contra participar do governo Temer’. Governador sinaliza saída dos tucanos do governo depois que assumir a Presidência do PSDB, e defende apoio a reformas sem cargos/Temer quer conversar já com Alckmin para organizar saída do PSDB do governo. Presidente não quer esperar a convenção do partido/PSDB lança documento que sugere revisão do acesso dos ricos a serviços públicos. A pouco menos de um ano das eleições, partido se uniu em torno da candidatura de Alckmin à Presidência/Jucá: afastamento do governo pode significar suicídio para o PSDB/Arthur Virgílio: ‘Exijo prévias. PSDB tem que parar com reuniãozinha’/Prefeito quer cobrar mesmas condições de Alckmin em disputa para ser presidenciável/Meirelles: não há compromisso com prazo para Previdência/Ministro, que defendia aprovação ainda este ano, muda o tom e afirma que prioridade é a aprovação independentemente de data/PSDB exige mais concessões na reforma da Previdência/Maia faz alerta contra novas concessões na reforma/Presidente da Câmara disse que é preciso que a economia prevista não caia abaixo da metade da planejada originalmente/Aécio e Aloysio defendem que PSDB feche questão na reforma da Previdência/Gilmar vota por soltar Cunha, mas STF mantém prisão. Fachin e Toffoli negaram pedido do ex-presidente da Câmara e votação acabou 2 a 1 pela manutenção da prisão/Tribunal mantém bloqueio de até R$ 16 milhões em bens de Lula. Contas, carros e imóveis foram bloqueados no caso do tríplex/STF nega pedido de filho de Lula para processar deputado/Maia conversa com Cármen Lúcia para acordo sobre foro. Ideia é que a Câmara dos Deputados aprove projeto que contemple posição defendida por ministros do STF/Presidência quer cercar Palácio do Jaburu com arame farpado. Gabinete de Segurança Institucional vem alegando risco de protestos/Pedido de impeachment de Temer aguarda há um ano/Congresso estuda novo texto para o fim do foro privilegiado/Relator da CPI da JBS diz que Joesley é ‘mafiosinho de terceira’. Presidente da comissão ameaça pedir rescisão total da delação diante do silêncio do dono da JBS/Presidente da CPI põe em pauta convocações de Lula, Dilma, Meirelles e outros políticos/Foragido há uma semana, presidente do PR se entrega à PF. Antonio Carlos Rodrigues, ex-ministro, se apresentou em Brasília/Fachin revoga prisão domiciliar de ex-assessor de Geddel/PF afirma que Geddel e irmão lavaram dinheiro e integraram organização criminosa. Ex-ministro teria se associado a Lúcio Vieira Lima e outras duas pessoas/PF corrige informação de escrivão e informa que malas e dinheiro que seriam de Geddel não sumiram. Apenas sete das nove malas que estavam em apartamento do ex-ministro foram enviadas de Salvador para Brasília. 

*Manchete e submanchetes da hora do Estadão online*: Lei de Migração é mal implantada e trava contratação de estrangeiros/_Meirelles tenta atrair Temer e Maia para a sua candidatura a presidente. Ministro da Fazenda teve reuniões recentes com os dois líderes para discutir as eleições de 2018_/Mônica Bergamo. Ministro passa a ter agenda filmada para ser divulgada nas redes sociais/_Tucanos. Fortalecido no PSDB, Alckmin irá encarar novos obstáculos para 2018. Governador lidará com disputa por postos e ameaças_/Com ajuda do Refis, contas do governo fecham no azul pela 1ª vez em 6 meses. Governo central registrou um superávit primário de R$ 5,191 bi em outubro, o primeiro positivo desde abril/Por Orçamento, Meirelles diz que vai desmarcar viagens/Só 76 pessoas aderem a PDV do governo; meta era 5 mil/Por INSS, Maia deve pautar projeto de R$ 1,9 bi a Estados/Bancos e poupadores chegam a acordo de R$ 10 bi/Coreia do Norte lança míssil no litoral japonês. Projétil caiu em zona exclusiva econômica do Japão; Trump promete resposta: ‘Vamos cuidar disso’/’Documento do PSDB é fraco e cheio de platitudes’, diz economista. Referência no partido, Elena Landau diz que ‘era melhor não ter feito nada’ e critica ‘discurso velho’/Programa do PSDB defende ‘choque de capitalismo’/Paulo Guedes confirma aproximação com Bolsonaro/Contra desgaste, presidente do INSS antecipa saída/Assumir o PSDB foi um pedido de FHC, diz Alckmin. Governador diz que ex-presidente defendeu seu nome como a melhor opção para apaziguar o tucanato/Grupo de esquerda do PSDB convida PT para evento/Tasso diz que cumpriu seu dever ao ‘chacoalhar’ o PSDB/Aécio volta a defender desembarque do PSDB do governo/Planalto vê chance de aliança com Alckmin/Aécio e Aloysio querem fechar questão pró-Previdência/ELIANE CANTANHÊDE Alckmin por W.O./Presidente do PR se entrega à PF, em Brasília. Rodrigues estava foragido há uma semana; partido é acusado de receber propina para apoiar Dilma em 2014/Ex-MP, Miller recebeu R$ 450 mil de escritório no caso JBS/Joesley se mantém em silêncio em CPMI da JBS/Tribunal mantém bloqueio de R$ 16 milhões de Lula. Confisco havia sido determinado na sentença de condenação no caso do triplex no Guarujá/PF atribui lavagem e associação criminosa a Geddel. Lúcio Vieira Lima também é acusado na conclusão do inquérito sobre bunker de R$ 51 milhões/Segunda Turma do STF mantém Cunha na cadeia. Fachin e Toffoli rejeitaram o habeas corpus; já Gilmar Mendes queria trocar prisão por medidas cautelares/Deputado flagrado com queijo na cueca permanece no mandato. Câmara não decidiu o que fazer com Celso Jacob (PMDB-RJ), atualmente no isolamento da Papuda.

*Manchete e submanchetes da hora da Folha online*: Alckmin vai acertar com Temer ‘desembarque’ do PSDB do governo. Governador, que assumirá sigla, reafirma decisão; tom de declarações, porém, causa desconforto no Planalto/_Sem PSDB, é impossível aprovar reforma da Previdência, diz Maia. Presidente da Câmara defende que o governo estude as propostas de tucanos_/Aliados querem usar tática do impeachment para sondar reforma/Temer e Alckmin discutirão saída do PSDB do governo no sábado/Para PF, Geddel e irmão praticaram lavagem e associação criminosa. Polícia Federal conclui investigação do bunker de R$ 51 mi, descoberto em setembro/Fachin revoga prisão de ex-assessor de Geddel/Procuradoria apresenta planilha de gastos da Odebrecht em sítio/STF nega liberdade a Cunha; Fachin fala em ‘especial periculosidade’/Presidente do PR se entrega à polícia após uma semana foragido. Antônio Carlos Rodrigues é investigado na mesma ação que prendeu Anthony Garotinho/Rodrigues encontra com Joesley, seu algoz/Receitas do governo superaram despesas pela 1ª vez em seis meses/Programa de demissão do governo atraiu só 76; meta era 5.000. Ação foi lançada em julho e instituída por medida provisória, que caducou nesta terça. 

*Manchete da hora do Correio Braziliense online*: Drogas e explosivos são encontrados em manifestação contra reforma. Categoria protesta contra a reforma da Previdência/Maia vai se reunir com servidores federais, que ameaçam greve. 

*Manchete da hora do Estado de Minas online*: Acidente com ônibus deixa ao menos quatro mortos na BR-040.A batida envolveu um carro, uma carreta e um ônibus. Ela aconteceu próximo a Carandaí. Ao menos duas pessoas ficaram feridas. 

*Manchete da hora do jornal Zero Hora, do RS, online*: “10% do garçom” vão virar 13%? Restaurantes de Porto Alegre começam a sugerir gorjeta maior. Consequência de legislação que obriga a empresas a pagar imposto sobre o adicional, Grupo Press vai aumentar, em dezembro, a taxa de serviço sugerida na conta. Outback já tem essa opção. 

*Manchete e submanchetes da hora do Valor Econômico online*: Segunda Turma do STF decide por 2×1 manter Eduardo Cunha preso. Gilmar Mendes votou por revogar a prisão de Cunha/TRF nega transferência de Cunha para Brasília ou Rio/Menos de 1 milhão de poupadores podem receber por perdas com planos. Bancos fecham acordo para pagamento de R$ 10 bilhões a poupadores/Superávit primário em outubro soma R$ 5,2 bi, mas tem pior resultado no acumulado do ano/Tesouro projeta déficit de R$ 109 bi no acumulado até novembro/PSDB defende “choque de capitalismo” e privatizações/PF aponta que Geddel e Lúcio cometeram lavagem ao ocultar R$ 51 milhões. Fachin revoga prisão de assessor de Geddel/Rodrigo Maia destaca importância do PSDB para aprovar reforma da Previdência/Meirelles diz que ‘ainda é cedo’ para dizer se Previdência será aprovada neste ano/Relator da Previdência condiciona mudanças a votos/Reforma “mantém privilégios”, diz Tasso Jereissati/Jucá cobra apoio do PSDB à reforma da Previdência/Governo aposta em unidade tucana para votar/Em CPI, Marun chama Joesley de “mafiosinho de terceira”. Joesley Batista fica em silêncio em CPIs/CPMI da JBS recorre ao STF para obrigar ex-auxiliar de Janot a depor/TRF nega transferência de Cunha para Brasília ou Rio.

*Manchete da hora do DCI-Diário, Comércio, Indústria e Serviços online*: Governo central tem superávit primário de R$ 5,191 bi e pior resultado acumulado no ano da série histórica.

Deixe uma resposta

Fechar Menu