Prisão de Picciani no Rio é destaque da mídia. Deputados podem solta-lo, hoje.

Edição: Sérgio Botêlho

“Picciani é preso, mas pode ser solto hoje pela Alerj. Deputados decidem à tarde se mantêm decisão do TRF da 2ª Região”, conta a manchete de O Globo. “Moradia popular impulsiona alta do mercado imobiliário. No terceiro trimestre, três construtoras lançaram empreendimentos com R$ 2,02 bilhões em valor geral de vendas”, informa a manchete do Estadão. “Temer freia incentivo a montadora por pacto comercial com Europa. Setor automobilístico faz pressão para o governo aprovar”, revela a manchete da Folha.

Os quatro fatos mais repetidos em jornais e portais de notícias, nesta sexta-feira, 17: prisão do presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani, e a sessão de hoje à tarde promovida pelos deputados estaduais fluminenses, que pode acabar libertando-o, com base em decisão recente do STF; um ano da prisão de Sérgio Cabral e as penas que o ex-governador já acumula; brasileira é morta por engano pela polícia portuguesa, em Lisboa; MPF pede bloqueio de R$ 24 milhões de Lula e filho.

Destaques em títulos
Maiá Menezes: Não havia acordo que não passasse por Picciani. Bretas: corrupção no Rio ‘é uma metástase’. Juiz se assustou com extensão do esquema. Deputados tentarão libertar Picciani, Melo e Albertassi. Aliados devem usar decisão do Supremo Tribunal Federal. Deputados estaduais também encomendaram parecer à assessoria jurídica da Alerj que permita autorizar a retomada dos mandatos dos afastados.

Do palácio à prisão. Governador {Sérgio Cabral} reeleito com 66% dos votos, um recorde no Rio, Sérgio Cabral completa hoje o primeiro ano na cadeia. O candidato que começou a carreira se opondo a velhas práticas da política já acumula 72 anos de prisão – e pode chegar a 300 anos, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro.

Polícia de Portugal mata brasileira. Alvejado por ao menos 40 disparos, o carro onde estava foi confundido com o de assaltantes. Família de brasileira morta em Lisboa diz que acionará Justiça.

O Ministério Público pediu o bloqueio de R$ 23,9 milhões do ex-presidente Lula e do seu filho caçula, Luis Cláudio, no âmbito da Operação Zelotes.

Parte do PSDB defende “diluir” a saída do governo, a fim de manter uma “porta aberta” para uma possível coligação com o PMDB em 2018. PRB quer Direitos Humanos com Tia Eron no lugar de Luislinda. Temer pode manter a tucana para não abrir brecha para viés religioso. Governo federal proibirá abertura de novos cursos de medicina por 5 anos.

MANCHETES DOS JORNAIS:
Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Picciani é preso, mas pode ser solto hoje pela Alerj. Deputados decidem à tarde se mantêm decisão do TRF da 2ª Região. Paulo Melo e Edson Albertassi também estão no presídio de Benfica, no Rio/Merval Pereira: Soltura seria afronta à Justiça e à opinião pública/Miriam Leitão: No Rio, delitos ocorrem no presente contínuo/Maiá Menezes: Não havia acordo que não passasse por Picciani/Bretas: corrupção no Rio ‘é uma metástase’. Juiz se assustou com extensão do esquema/Manobra para reaver também os mandatos. Além da articulação para soltar os três peemedebistas, deputados estaduais também encomendaram um parecer à assessoria jurídica da Alerj que permita autorizar a retomada dos mandatos dos afastados, algo que o TRF-2 proibiu/Lula: pedido bloqueio de R$ 24 milhões. O Ministério Público pediu o bloqueio de R$ 23,9 milhões do ex-presidente Lula e do seu filho caçula, Luis Cláudio, no âmbito da Operação Zelotes. Lula é investigado por tráfico de influência em negociações que levaram à compra de 36 caças suecos pela Força Aérea e na prorrogação de uma MP que beneficiou montadoras/Dodge quer prisão já na 2ª instância. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou ao STF memorial em que defende a prisão de condenados em segunda instância. Esse entendimento foi fixado pela Corte no ano passado, mas pode ser revisto/Polícia de Portugal mata brasileira. A brasileira Ivanice Carvalho da Costa, de 36 anos, foi morta por engano, na madrugada de quarta-feira, em operação da polícia portuguesa. Alvejado por ao menos 40 disparos, o carro onde estava foi confundido com o de assaltantes/Ação de justiceiros é investigada. A Divisão de Homicídios da Polícia Civil suspeita que os assassinos da moradora de rua Fernanda Rodrigues dos Santos, de 40 anos, em Copacabana, tenham ligação com grupos de justiceiros que atuam na Zona Sul.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Moradia popular impulsiona alta do mercado imobiliário. No terceiro trimestre, três construtoras lançaram empreendimentos com R$ 2,02 bilhões em valor geral de vendas/Credores dizem que Venezuela deu calote na dívida. Credores da Venezuela anunciaram que tomaram calote de US$ 200 milhões do governo e da estatal petrolífera PDVSA. O anúncio do grupo, que tem entre seus membros os bancos JP Morgan e Goldman Sachs, deve agravar a crise do país e aumentar a pressão sobre Maduro/Occhi: ‘Não vamos crescer em crédito como crescíamos’. O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, disse que o banco é uma “empresa boa, que está procurando melhorar seus indicadores”, mas tem problema crítico para que possa sustentar o crescimento do crédito. Por isso, vai qualificar a concessão de empréstimos/Do palácio à prisão. Governador reeleito com 66% dos votos, um recorde no Rio, Sérgio Cabral completa hoje o primeiro ano na cadeia. O candidato que começou a carreira se opondo a velhas práticas da política já acumula 72 anos de prisão – e pode chegar a 300 anos, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, entre outros crimes, informa Roberta Pennafort. A defesa nega as acusações/Brasileira é morta por policiais em Portugal. Ivanice da Costa teve o carro atingido por 20 tiros depois de a polícia confundir o veículo com o de bandidos. É a primeira morte pela polícia no país em 2017/Tucanos tentam saída negociada do governo. Parte do PSDB defende “diluir” a saída do governo, a fim de manter uma “porta aberta” para uma possível coligação com o PMDB em 2018. Partido ainda tem três ministérios/Idealizador do Instituto Inhotim é condenado. A Justiça Federal em Belo Horizonte condenou o idealizador do Instituto Inhotim, Bernardo de Mello Paz, a 9 anos e 3 meses de prisão por lavagem de dinheiro. Segundo o MP, US$ 98,5 milhões repassados por um fundo para a manutenção do museu em Brumadinho (MG) teriam sido usados por empresas de Paz/MPF pede bloqueio de R$ 24 mi de Lula e filho/

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Temer freia incentivo a montadora por pacto comercial com Europa. Setor automobilístico faz pressão para o governo aprovar. O governo federal não autorizará a implementação do Rota 2030, programa industrial que substituiria o Inovar Auto a partir de 2018, até que o acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia seja fechado. Pessoas a par das discussões consideram que o novo incentivo para o setor automobilístico inclui benefícios que podem se tomar mais um obstáculo ao tratado. O presidente Michel Temer não quer pôr em risco a chance de concluir o pacto comercial com os europeus/Em Portugal, brasileira é morta a tiros por engano. Uma brasileira de 36 anos foi baleada e morta por engano por policiais de Lisboa na madrugada de quarta (15). Eles confundiram o carro em que Ivanice Carvalho da Costa estava com um veículo usado por assaltantes e fizeram vários disparos. Segundo a corporação, o marido dela, que dirigia, não obedeceu às ordens de parar e tentou atropelar agentes durante a fuga. Essa foi a primeira morte provocada pela polícia de Portugal neste ano/Picciani, chefe da Assembleia do Rio, é preso pela PF. Após tribunal decretar sua prisão, 0 presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani (PMDB), se entregou na sede da Polícia Federal. Outros dois parlamentares da sigla foram detidos. Investigados por favoreci-mento a empresas de ônibus, eles negam as acusações. A detenção ainda precisa ser confirmada por deputados estaduais/Justiça condena criador do museu Inhotim à prisão. Bernardo Paz foi condenado em primeira instância a nove anos de prisão por lavagem de dinheiro em empresas das quais foi sócio. Ele é idealizador do museu Inhotim, um dos maiores centros de arte ao ar livre da América Latina. A defesa, que recorreu da sentença, afirma que ela é injusta/Mônica Bergamo: Governo impedirá abertura de novos cursos de medicina.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:
Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online: ‘Nossa velocidade é metade do que poderia’, diz juiz Marcelo Bretas. Em entrevista exclusiva, o juiz à frente da Lava-Jato no Rio afirma que a corrupção no estado se assemelha a uma ‘metástase’/Análise: Jorge Picciani, o garantidor dos governos do Rio/Deputados tentarão libertar Picciani, Melo e Albertassi. Aliados devem usar decisão do Supremo Tribunal Federal; Wagner Montes assume Alerj/O efeito Cabral. Como as investigações sobre o ex-governador, preso há um ano, revelaram o esquema de corrupção no governo do Rio/Família de brasileira morta em Lisboa diz que acionará Justiça. ‘Quero que tragam minha filha para mim’, diz mãe de Ivanice da Costa, morta por engano após seu carro levar 40 tiros/PRB quer Direitos Humanos com Tia Eron no lugar de Luislinda. Temer pode manter a tucana para não abrir brecha para viés religioso/Míriam Leitão: Temer mexerá pouco para aprovar ‘reforminha’/Janot reage à decisão de Lewandowski sobre delação de marqueteiro. Para ministros do STF, determinação está em harmonia com entendimento do plenário.

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Moradia popular impulsiona alta do mercado imobiliário no País. No 3º trimestre, três construtoras lançaram empreendimentos com R$ 2,02 bi em valor geral de vendas. R$ 3,7 bilhões foi o total das vendas de imóveis populares da MRV, Tenda e Direcional de janeiro a junho/Penas de até 300 anos ameaçam Sérgio Cabral. Preso há 1 ano, ex-governador se diz vítima de juiz ‘parcial’; peemedebista já foi condenado a 72 anos/No Rio, onde MP, PF e Justiça mexem, há escândalos. Nada escapa. Governadores, secretários, deputados, membros do TCE, empresários… Quem escapa?/Destino de Picciani cabe à Assembleia do Rio. Maioria dos deputados é próxima de presidente, mas oposição cita ‘pressão popular’ para manter prisão.

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Temer freia incentivo a montadora por acordo comercial com a Europa. Setor automobilístico faz pressão para o governo aprovar programa de benefício fiscal/Governo federal proibirá abertura de novos cursos de medicina por 5 anos. Ministro diz que mira preservação da qualidade do ensino na área, informa Mônica Bergamo/Grupos que buscam renovação na política podem se unir na eleição/’Feministas pró-Bolsonaro’ pedem discurso mais duro contra assédio/Deputado se reuniu com financeiras de fora do país.

dição: Sérgio Botêlho

“Picciani é preso, mas pode ser solto hoje pela Alerj. Deputados decidem à tarde se mantêm decisão do TRF da 2ª Região”, conta a manchete de O Globo. “Moradia popular impulsiona alta do mercado imobiliário. No terceiro trimestre, três construtoras lançaram empreendimentos com R$ 2,02 bilhões em valor geral de vendas”, informa a manchete do Estadão. “Temer freia incentivo a montadora por pacto comercial com Europa. Setor automobilístico faz pressão para o governo aprovar”, revela a manchete da Folha.

Os quatro fatos mais repetidos em jornais e portais de notícias, nesta sexta-feira, 17: prisão do presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani, e a sessão de hoje à tarde promovida pelos deputados estaduais fluminenses, que pode acabar libertando-o, com base em decisão recente do STF; um ano da prisão de Sérgio Cabral e as penas que o ex-governador já acumula; brasileira é morta por engano pela polícia portuguesa, em Lisboa; MPF pede bloqueio de R$ 24 milhões de Lula e filho.

Destaques em títulos
Maiá Menezes: Não havia acordo que não passasse por Picciani. Bretas: corrupção no Rio ‘é uma metástase’. Juiz se assustou com extensão do esquema. Deputados tentarão libertar Picciani, Melo e Albertassi. Aliados devem usar decisão do Supremo Tribunal Federal. Deputados estaduais também encomendaram parecer à assessoria jurídica da Alerj que permita autorizar a retomada dos mandatos dos afastados.

Do palácio à prisão. Governador {Sérgio Cabral} reeleito com 66% dos votos, um recorde no Rio, Sérgio Cabral completa hoje o primeiro ano na cadeia. O candidato que começou a carreira se opondo a velhas práticas da política já acumula 72 anos de prisão – e pode chegar a 300 anos, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro.

Polícia de Portugal mata brasileira. Alvejado por ao menos 40 disparos, o carro onde estava foi confundido com o de assaltantes. Família de brasileira morta em Lisboa diz que acionará Justiça.

O Ministério Público pediu o bloqueio de R$ 23,9 milhões do ex-presidente Lula e do seu filho caçula, Luis Cláudio, no âmbito da Operação Zelotes.

Parte do PSDB defende “diluir” a saída do governo, a fim de manter uma “porta aberta” para uma possível coligação com o PMDB em 2018. PRB quer Direitos Humanos com Tia Eron no lugar de Luislinda. Temer pode manter a tucana para não abrir brecha para viés religioso. Governo federal proibirá abertura de novos cursos de medicina por 5 anos.

Dodge quer prisão já na 2ª instância.

Credores dizem que Venezuela deu calote na dívida.
Bom-dia

Segue a SINOPSE DE 17 DE NOVEMBRO DE 2017

MANCHETES DOS JORNAIS:
Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Picciani é preso, mas pode ser solto hoje pela Alerj. Deputados decidem à tarde se mantêm decisão do TRF da 2ª Região. Paulo Melo e Edson Albertassi também estão no presídio de Benfica, no Rio/Merval Pereira: Soltura seria afronta à Justiça e à opinião pública/Miriam Leitão: No Rio, delitos ocorrem no presente contínuo/Maiá Menezes: Não havia acordo que não passasse por Picciani/Bretas: corrupção no Rio ‘é uma metástase’. Juiz se assustou com extensão do esquema/Manobra para reaver também os mandatos. Além da articulação para soltar os três peemedebistas, deputados estaduais também encomendaram um parecer à assessoria jurídica da Alerj que permita autorizar a retomada dos mandatos dos afastados, algo que o TRF-2 proibiu/Lula: pedido bloqueio de R$ 24 milhões. O Ministério Público pediu o bloqueio de R$ 23,9 milhões do ex-presidente Lula e do seu filho caçula, Luis Cláudio, no âmbito da Operação Zelotes. Lula é investigado por tráfico de influência em negociações que levaram à compra de 36 caças suecos pela Força Aérea e na prorrogação de uma MP que beneficiou montadoras/Dodge quer prisão já na 2ª instância. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou ao STF memorial em que defende a prisão de condenados em segunda instância. Esse entendimento foi fixado pela Corte no ano passado, mas pode ser revisto/Polícia de Portugal mata brasileira. A brasileira Ivanice Carvalho da Costa, de 36 anos, foi morta por engano, na madrugada de quarta-feira, em operação da polícia portuguesa. Alvejado por ao menos 40 disparos, o carro onde estava foi confundido com o de assaltantes/Ação de justiceiros é investigada. A Divisão de Homicídios da Polícia Civil suspeita que os assassinos da moradora de rua Fernanda Rodrigues dos Santos, de 40 anos, em Copacabana, tenham ligação com grupos de justiceiros que atuam na Zona Sul.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Moradia popular impulsiona alta do mercado imobiliário. No terceiro trimestre, três construtoras lançaram empreendimentos com R$ 2,02 bilhões em valor geral de vendas/Credores dizem que Venezuela deu calote na dívida. Credores da Venezuela anunciaram que tomaram calote de US$ 200 milhões do governo e da estatal petrolífera PDVSA. O anúncio do grupo, que tem entre seus membros os bancos JP Morgan e Goldman Sachs, deve agravar a crise do país e aumentar a pressão sobre Maduro/Occhi: ‘Não vamos crescer em crédito como crescíamos’. O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, disse que o banco é uma “empresa boa, que está procurando melhorar seus indicadores”, mas tem problema crítico para que possa sustentar o crescimento do crédito. Por isso, vai qualificar a concessão de empréstimos/Do palácio à prisão. Governador reeleito com 66% dos votos, um recorde no Rio, Sérgio Cabral completa hoje o primeiro ano na cadeia. O candidato que começou a carreira se opondo a velhas práticas da política já acumula 72 anos de prisão – e pode chegar a 300 anos, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, entre outros crimes, informa Roberta Pennafort. A defesa nega as acusações/Brasileira é morta por policiais em Portugal. Ivanice da Costa teve o carro atingido por 20 tiros depois de a polícia confundir o veículo com o de bandidos. É a primeira morte pela polícia no país em 2017/Tucanos tentam saída negociada do governo. Parte do PSDB defende “diluir” a saída do governo, a fim de manter uma “porta aberta” para uma possível coligação com o PMDB em 2018. Partido ainda tem três ministérios/Idealizador do Instituto Inhotim é condenado. A Justiça Federal em Belo Horizonte condenou o idealizador do Instituto Inhotim, Bernardo de Mello Paz, a 9 anos e 3 meses de prisão por lavagem de dinheiro. Segundo o MP, US$ 98,5 milhões repassados por um fundo para a manutenção do museu em Brumadinho (MG) teriam sido usados por empresas de Paz/MPF pede bloqueio de R$ 24 mi de Lula e filho/

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Temer freia incentivo a montadora por pacto comercial com Europa. Setor automobilístico faz pressão para o governo aprovar. O governo federal não autorizará a implementação do Rota 2030, programa industrial que substituiria o Inovar Auto a partir de 2018, até que o acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia seja fechado. Pessoas a par das discussões consideram que o novo incentivo para o setor automobilístico inclui benefícios que podem se tomar mais um obstáculo ao tratado. O presidente Michel Temer não quer pôr em risco a chance de concluir o pacto comercial com os europeus/Em Portugal, brasileira é morta a tiros por engano. Uma brasileira de 36 anos foi baleada e morta por engano por policiais de Lisboa na madrugada de quarta (15). Eles confundiram o carro em que Ivanice Carvalho da Costa estava com um veículo usado por assaltantes e fizeram vários disparos. Segundo a corporação, o marido dela, que dirigia, não obedeceu às ordens de parar e tentou atropelar agentes durante a fuga. Essa foi a primeira morte provocada pela polícia de Portugal neste ano/Picciani, chefe da Assembleia do Rio, é preso pela PF. Após tribunal decretar sua prisão, 0 presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani (PMDB), se entregou na sede da Polícia Federal. Outros dois parlamentares da sigla foram detidos. Investigados por favoreci-mento a empresas de ônibus, eles negam as acusações. A detenção ainda precisa ser confirmada por deputados estaduais/Justiça condena criador do museu Inhotim à prisão. Bernardo Paz foi condenado em primeira instância a nove anos de prisão por lavagem de dinheiro em empresas das quais foi sócio. Ele é idealizador do museu Inhotim, um dos maiores centros de arte ao ar livre da América Latina. A defesa, que recorreu da sentença, afirma que ela é injusta/Mônica Bergamo: Governo impedirá abertura de novos cursos de medicina.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:
Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online: ‘Nossa velocidade é metade do que poderia’, diz juiz Marcelo Bretas. Em entrevista exclusiva, o juiz à frente da Lava-Jato no Rio afirma que a corrupção no estado se assemelha a uma ‘metástase’/Análise: Jorge Picciani, o garantidor dos governos do Rio/Deputados tentarão libertar Picciani, Melo e Albertassi. Aliados devem usar decisão do Supremo Tribunal Federal; Wagner Montes assume Alerj/O efeito Cabral. Como as investigações sobre o ex-governador, preso há um ano, revelaram o esquema de corrupção no governo do Rio/Família de brasileira morta em Lisboa diz que acionará Justiça. ‘Quero que tragam minha filha para mim’, diz mãe de Ivanice da Costa, morta por engano após seu carro levar 40 tiros/PRB quer Direitos Humanos com Tia Eron no lugar de Luislinda. Temer pode manter a tucana para não abrir brecha para viés religioso/Míriam Leitão: Temer mexerá pouco para aprovar ‘reforminha’/Janot reage à decisão de Lewandowski sobre delação de marqueteiro. Para ministros do STF, determinação está em harmonia com entendimento do plenário.

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Moradia popular impulsiona alta do mercado imobiliário no País. No 3º trimestre, três construtoras lançaram empreendimentos com R$ 2,02 bi em valor geral de vendas. R$ 3,7 bilhões foi o total das vendas de imóveis populares da MRV, Tenda e Direcional de janeiro a junho/Penas de até 300 anos ameaçam Sérgio Cabral. Preso há 1 ano, ex-governador se diz vítima de juiz ‘parcial’; peemedebista já foi condenado a 72 anos/No Rio, onde MP, PF e Justiça mexem, há escândalos. Nada escapa. Governadores, secretários, deputados, membros do TCE, empresários… Quem escapa?/Destino de Picciani cabe à Assembleia do Rio. Maioria dos deputados é próxima de presidente, mas oposição cita ‘pressão popular’ para manter prisão.

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Temer freia incentivo a montadora por acordo comercial com a Europa. Setor automobilístico faz pressão para o governo aprovar programa de benefício fiscal/Governo federal proibirá abertura de novos cursos de medicina por 5 anos. Ministro diz que mira preservação da qualidade do ensino na área, informa Mônica Bergamo/Grupos que buscam renovação na política podem se unir na eleição/’Feministas pró-Bolsonaro’ pedem discurso mais duro contra assédio/Deputado se reuniu com financeiras de fora do país.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments