Planos de saúde, sindicalismo, Cuba e economia são destaques das manchetes dos jornais

SINOPSE DE 20 DE ABRIL DE 2018 Edição: Sérgio Botêlho  JORNAIS: Manchete e destaques do jornal O Globo: Plano de saúde sobe 4 vezes a inflação. Reajuste previsto para
Primeira Hora – Anexo 6

SINOPSE DE 20 DE ABRIL DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Plano de saúde sobe 4 vezes a inflação. Reajuste previsto para os individuais é de 13%. Será o quarto ano seguido de aumento neste percentual. Contratos coletivos devem ter alta ainda maior. Com base nas regras atuais de reajuste, o mercado já sabe que o aumento nos planos de saúde individuais ou familiares será de 13% este ano, o equivalente a quatro vezes a inflação prevista para 2018, de 3,48%. Trata-se do quarto ano seguido de alta na faixa de dois dígitos. O índice oficial será anunciado em maio pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e deve afetar pouco mais de 9 milhões de pessoas. A expectativa é que os contratos coletivos, que não são regulados e abrangem mais de 31 milhões de beneficiários, tenham reajuste ainda maior. A ANS discutia uma nova fórmula de cálculo para os planos individuais, que resultaria em aumento menor, mas a proposta foi rejeitada/

Petrobras decide vender 4 refinarias. Estatal estima arrecadar até US$ 10,7 bi com a operação, programada para 2019. A Petrobras revelou ontem um plano para vender 60% do capital de quatro de suas 13 refinarias, que respondem por 37% da capacidade de refino do país. Hoje, a Petrobras controla 99% desta atividade. Bancos estimam que a estatal arrecadará até US$ 10,7 bilhões com a operação, em 2019. A venda pode ajudar a empresa a atingir sua meta de desinvestimento, que é de US$ 21 bilhões/

Novo chefe cubano sinaliza que não haverá grandes mudanças. Em sua posse, o novo chefe da ditadura cubana, Miguel Díaz- Canel, disse que tentará avançar na atualização do modelo econômico, mas indicou que não se devem esperar grandes mudanças, relata o enviado especial HENRIQUE GOMES BATISTA. Para a OEA, a transição foi “ilegítima”/

Prefeitura fecha boxes de milicianos. Camelódromo no Centro tinha 45 pontos explorados por bando paramilitar. Órgãos municipais interditaram 45 boxes no camelódromo da Rua Uruguaiana, no Centro, alegando que eles foram construídos por uma milícia. Segundo a prefeitura, os pontos começaram a ser vendidos no segundo semestre do ano passado, com preços que variavam de R$ 50 mil a R$ 70 mil cada um deles. As informações foram encaminhadas à Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). Pela manhã, a polícia prendeu em Santa Cruz e em Nova Iguaçu 13 suspeitos de pertencer a uma quadrilha de milicianos que atua na Baixada e na Zona Oeste. (PÁGINA 8)

Barbosa: ‘Ainda falta muito para candidatura’. Na primeira reunião com o PSB como possível candidato a presidente, Joaquim Barbosa disse que ainda não convenceu a si mesmo e admitiu que há dificuldades com o partido/

Lydia Medeiros. Serraglio relata pressão de Aécio. Ex-ministro conta que senador quis nomear delegado da PF/

Editorial1: Em defesa do princípio da Ficha Limpa. A permissão do Supremo para que Demóstenes Torres — cassado pelo Senado pelas ligações com o bicheiro Cachoeira — concorra contraria espírito da lei moralizadora/

Editorial2: Novo presidente tem que avançar reformas em Cuba. Díaz-Canel não deve cair na tentação de reagir às restrições de Donald Trump. A hora é de acelerar a abertura iniciada após acordo histórico com Obama.

 

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Sindicatos obtêm na Justiça o direito de cobrar imposto. Levantamento mostra que já há 123 decisões favoráveis à contribuição obrigatória, extinta na reforma trabalhista. Cinco meses após a reforma trabalhista entrar em vigor, sindicatos de todo o País têm obtido liminares que mantêm uma de suas principais fontes de receita, a contribuição obrigatória, informa Luciana Dyniewicz. Levantamento online feito por advogados de entidades de trabalhadores mostra que já são 123 decisões a favor dos sindicatos, sendo 34 em 2.ª instância – não há dados sobre sentenças contrárias. Também não há um levantamento oficial nacional sobre o assunto. Em Santa Catarina, o Tribunal Regional do Trabalho da 12.ª Região contabiliza 54 decisões favoráveis às entidades dos trabalhadores e uma contra. Pelo menos um sindicato deverá receber, até o fim deste mês, a quantia equivalente a um dia de trabalho de cada funcionário. O caso envolve o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de São Paulo (STIA) e a empresa de laticínios Vigor/

Governo é contra liberar FGTS. Aprovada em comissão da Câmara, a liberação do FGTS para o trabalhador que pedir demissão poderá drenar até R$ 25 bilhões por ano do Fundo de Garantia, o que colocaria em risco sua sustentabilidade, diz o Ministério do Planejamento/

‘Lula não é preso político, é político preso’. Em entrevista, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso minimiza os 8% das intenções de voto de Geraldo Alckmin (PSDB) e diz que Joaquim Barbosa foi “competente” como juiz, mas que isso não o qualifica para presidente. Sobre Lula, dispara: “Não é preso político, é político preso”/

Barbosa e o PSB se reúnem em Brasília. Joaquim Barbosa durante encontro com a cúpula do PSB, em Brasília. O presidenciável costuma se definir como social- democrata, adepto da responsabilidade fiscal, mas defensor de um Estado indutor do desenvolvimento social. A um interlocutor, ele afirmou que sua história de vida não lhe permite abraçar um projeto ultraliberal ou defender o “capitalismo selvagem”/

STF nega recurso a Maluf e mantém prisão em casa. O STF decidiu que o deputado afastado Paulo Maluf, condenado a 7 anos e 9 meses de prisão, não tem o direito de apresentar recurso que pode reformar a sentença. Ele ficará em prisão domiciliar. O TRF-4 manteve pena de 30 anos e 9 meses imposta a José Dirceu/

Negociação entre Boeing e Embraer avança. As negociações entre o governo brasileiro e a Boeing apontam para 80,01% de participação da empresa americana e 19,99% da brasileira em uma nova companhia. A joint venture deve ficar restrita à área de jatos comerciais e deixar de fora setores militar e executivo/

Presidente de Cuba terá poder pleno só em 2021. Miguel Díaz-Canel assumiu a presidência de Cuba prometendo “continuidade”, com “pouco espaço para o capitalismo”. Raúl Castro sinalizou que seu sucessor ficará também à frente do Partido Comunista a partir de 2021/

Fernando Gabeira: Esta será uma eleição singular. A grande personagem é a sociedade. Sua atuação, imprevisível/

Eliane Cantanhêde: Depois de Lula, o centro também tenta reaglutinar suas forças políticas. A união faz a força, a dispersão leva à derrota/

Editorial1: Dívida explosiva. Dez anos depois do início da última crise global, o mundo está vulnerável a novos abalos. Há dois anos a soma das dívidas privada e pública chegou a 225% do produto mundial/

Editorial2: Dívida explosiva. Dez anos depois do início da última crise global, o mundo está vulnerável a novos abalos. Há dois anos a soma das dívidas privada e pública chegou a 225% do produto mundial.

 

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Díaz-Canel assume em Cuba sob a sombra de Raúl Castro. Ato marca saída da dinastia Castro do principal posto do regime, mas não sua perda de influência. Sem surpresa ou comoção nas ruas, Miguel Díaz-Canel, o homem escolhido por Raul Castro para sucedê-lo como chefe de Estado e de governo em Cuba, tomou posse ontem após ser confirmado em votação de deputados, narra a enviada Isabel Fleck. A maior mudança política na ilha desde que Fidel Castro tomou o poder, após a revolução, há quase 60 anos, foi transmitida pela TV estatal. Poucos cubanos, entretanto, se esforçaram para acompanhar a sessão da Assembleia, na capital Havana. Em seus discursos, Díaz-Canel, 58, e Raúl, 86, deixaram evidentes as condições da passagem de bastão. Enquanto o primeiro garantiu que seguirão nas mãos de Castro as principais decisões, o segundo deu as diretrizes que ele deverá seguir. Raúl, que falou três vezes mais que seu sucessor, permanecerá à frente do Partido Comunista Cubano até 2021 e das Forças Armadas. Castro “encabeçará as decisões de maior transcendência para o presente e o futuro da nação”, disse Díaz-Canel. Engenheiro, o novo dirigente é discreto e pouco conhecido —muitos o veem como um tecnocrata/

Hélio Schwartsman: Regimes fracassados devem mudar com revoluções ou reforma gradual?/

União Europeia suspende compras de 12 fábricas da BRF. A UE proibiu importações de 12 fábricas da BRF, dona de Sadia e Perdigão. Pelas estimativas, a empresa terá perda de R$ 1 bilhão coma ação, por deficiências no controle sanitário. Ontem, o Conselho de Administração aprovou indicação de Pedro Parente, da Petrobras, para liderá-lo/

Joesley diz que pagou mesada de R$ 50 mil a Aécio por 2 anos. Joesley Batista afirmou à Procuradoria que pagou R$ 50 mil por mês a Aécio Neves (PSDB), durante dois anos, por meio de rádio da qual o senador era sócio. Segundo ele, a mesada serviria para custear despesas do tucano. A defesa de Aécio diz que a relação entre a JBS e a emissora era lícita/

Preciso cumprir a pena, não posso brigar com a cadeia. Por decisão do Tribunal Regional da 4ª Região, o ex-ministro do PT, José Dirceu, deve voltar à prisão para cumprir pena de 30 anos por crimes investigados na Lava Jato. Em entrevista a Mônica Bergamo, ele fala sobre a cadeia. “Você está preso. Convive com [condenados pela lei] Maria da Penha, com um pedófilo.”/

Em seu novo livro, FHC elenca rivais a combater. Em “Crise e Reinvenção da Política no Brasil”, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso cita o ultramercadismo, a esquerda estatista e o corporativismo como rivais à modernização na política/

São Paulo tem indústria de creches conveniadas. A demanda por vagas na educação infantil em São Paulo estimulou a criação de uma indústria da creche, que cobra aluguel inflado da prefeitura. A gestão Bruno Covas (PSDB) diz que reavalia contratos/

Editoriai1: Em lugar nenhum. Candidatura de Marina tem o mérito de escapar da polarização, mas insiste em respostas vagas/

Editorial2: Trilhos tucanos. Há desmandos e trapalhadas de todos os tamanhos na gestão dos sistemas.

 

Manchete e destaques do jornal Valor Econômico: Emperra acordo da Petrobras com Braskem. Odebrecht condiciona a reestruturação ao fechamento de acordo para a nafta por um prazo de dez a 15 anos, enquanto a estatal defende entre cinco e 10 anos/

Petrobras quer vender quatro refinarias. A Petrobras quer vender 60% das refinarias dos polos do Nordeste e Sul. O Sul inclui as refinarias Refap (RS) e Repar (PR), que correspondem a 18% da capacidade de refino do país. O Nordeste contempla a Rlam (BA) e a Rnest (PE), que respondem por 19% da capacidade de refino/

A utopia viável. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso diz que a crise será superada pela liderança que conseguir captar um eleitor de bolso apertado que repudia a corrupção. Em entrevista ao Valor, ele nega a seletividade da Lava-Jato e defende seus correligionários Geraldo Alckmin, Aécio Neves e Eduardo Azeredo/

Delatores da J&F acusam Kassab. O ministro das Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), foi acusado pelos delatores e sócios da J&F, Joesley e Wesley Batista, de solicitar uma espécie de ‘mensalinho’ que teria totalizado mais de R$ 25 milhões em pagamentos efetuados à empresa Yape Assessoria e Consultoria, da qual é sócio/

STJ nega adesão de empresa em recuperação judicial ao Refis. O STJ negou a uma empresa em recuperação judicial a possibilidade de aderir ao “Refis da Crise”, de 2009, o que permitiria parcelar as dívidas fiscais em prazo maior que o estabelecido na Lei nº 13.043/14/

Expansão. A americana Marriott vai acelerar sua expansão no Brasil trazendo novas bandeiras. O plano é elevar de 15 para 25 o número de empreendimentos no país até 2020, diz Gil Zanchi/

Cresce o custo logístico nas empresas. A falta de investimentos relevantes na infraestrutura de transporte nas últimas décadas somada a um problema mais recente – a restrição à circulação e distribuição de carga em áreas urbanas – tem elevado os gastos com logística das empresas/

Direita lidera as eleições no Paraguai. O Paraguai elegerá no domingo seu novo presidente, em uma disputa liderada por dois candidatos de centro-direita. Segundo as pesquisas, o representante do Partido Colorado, Mario Abdo Benítez, tem 55% das intenções de voto e Efraín Alegre, do Partido Liberal, 29%. Não há 2º turno no país/

Decreto vai regulamentar reforma trabalhista. O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, deu aval à elaboração do decreto. O conteúdo ainda não foi definido, mas os técnicos voltarão a se reunir na próxima semana/

Combinação de fatores, como as investigações judiciais envolvendo Trump e as recentes desistências de congressistas republicanos de tentar a reeleição, elevam chances de democratas tomarem a Câmara dos Deputados/

Em encontro com PSB, Barbosa diz que não sabe se quer ser presidente. Entre os governadores da sigla, França elogiou Alckmin, Coutinho falou em frente de esquerda e Rollemberg mostrou simpatia pelo ex-ministro do STF/

CNBB pede voto a candidatos ficha limpa. Entidade católica orienta eleitores a rejeitar postulantes que busquem o foro privilegiado/

Editorial: Brasil fecha brechas legais e avança no combate à corrupção. O ideal seria que regras e procedimentos fossem estabelecidos por uma lei nacional e não por uma norma infralegal, administrativa.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.