PIB é o assunto maior das manchetes da grande mídia impressa

Sinopse da grande mídia impressa:

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“PIB reage, mas previsão para o ano ainda fica em 1%. Construção civil volta a crescer após 5 anos; cenário externo ameaça expansão”. Manchete de capa do O Globo.

“PIB cresce 0,4% e surpreende, mas retomada é lenta. Resultado, estimulado pelo consumo e por investimentos, afasta País da recessão técnica”. Manchete de capa do Estadão.

“Investimento empurra PIB, mas recuperação segue lenta. Economia cresce 0,4% no 2º trimestre; construção civil e indústria de transformação são destaques”. Manchete de capa da Folha.

“PIB surpreende e afasta temor de nova recessão. A economia brasileira cresceu 0,4% no segundo trimestre, quando comparada ao desempenho do período imediatamente anterior. O resultado surpreendeu porque a maioria dos analistas esperava um comportamento pior – a mediana das projeções coletadas pelo Valor Data indicava expansão de 0,2%”. Manchete de capa do Valor Econômico.

“Fachin entra na mira de colegas do STF; risco de o plenário manter revés à Lava Jato é real”. Na Folha.

“Antes de trégua, Bolsonaro disse a Moro que não gosta de receber recado pelos jornais”. Na Folha.

“CGU pede que Bolsonaro vete 27 itens do projeto que pune abuso de autoridade”. Na Folha.

“Juízes Bonat e Gabriela Hardt atuam a quatro mãos na Lava Jato após saída de Moro”. Na Folha.

“Ministros avaliam que STF deve limitar efeito cascata de decisão sobre Lava Jato”. Na Folha.

“Lava Jato ‘tem coisas que foram verdade’ e não deve ser totalmente anulada, diz Lula”. Na Folha.

“Juíza manda soltar presos com base em decisão de Toffoli sobre Coaf”. Na Folha.

“Fachin arquiva investigação sobre Jaques Wagner no ‘quadrilhão do PT’”. Na Folha.

“Fachin nega pedido para soltar Lula com base em ação de procuradores”. Na Folha.

“Vaccari, ex-tesoureiro do PT, recebe indulto sobre pena de 24 anos na Lava Jato”. Na Folha.

Manuela D’Ávila depõe sobre caso de hacker e entrega celular à PF”. Na Folha.

“Avaliador reduz ainda mais preço de joias de ex-primeira-dama do RJ para leilão”. Na Folha.

“Delegada da PF ordenou grampo clandestino na Lava Jato, mas só agente foi punido”. Na Folha.

“Em esforço para negar desgaste, Bolsonaro chama Moro de ‘patrimônio nacional’”. Na Folha.

“Bolsonaro diz que Doria ‘mamou’ em governos do PT”. Na Folha.

“Delator diz que entregava propina do Metrô de SP em escritório de deputado”. Na Folha.

“Exército cita falta de recursos no governo Bolsonaro e autoriza corte de expediente”. Na Folha.

“Assembleia de SP decide dar advertência a deputado do PSL por ofensa a trans”. Na Folha.

“Minha Casa Minha Vida corre risco de parar em 2020. Governo avalia suspender novas contratações do programa para abrir espaço no Orçamento”. Na capa do Estadão.

“Delator cita ‘mensalinho’ na Assembleia de São Paulo. Ex-diretor do Metrô relata propina de empreiteiras a siglas da base do então governador Alckmin e diz ter feito repasse a atual vice-governador”. Na capa do Estadão.

“Clubes apoiam lei que os transforma em empresas. Dos 20 participantes da elite do Campeonato Brasileiro consultados pelo Estado, 14 defendem a transformação das agremiações em sociedades anônimas”. Na capa do Estadão.

“Afago em Moro, canelada em Doria. Após vários constrangimentos, Sérgio Moro recebeu elogios de Bolsonaro. Depois, em “live”, presidente disse, sobre financiamento de aviões pelo BNDES, que João Doria “estava mamando” no governo do PT. Doria negou irregularidade.” Na capa do Estadão.

“Parte da cúpula das Farc volta à luta armada. Marcha à ré. Anúncio ocorre três anos após guerrilha assinar um acordo de paz com governo que desarmou 7 mil homens e mulheres; medida é criticada por ex-guerrilheiros que se desmobilizaram e pelo presidente Iván Duque, que ordenou a perseguição aos rebeldes”. Na capa do Estadão.

“Bradesco faz PDB e quer fechar agências”. Na capa do Estadão.

“Unesp lança programa para captar doações. Educação. Universidade Estadual Paulista terá um departamento para fazer busca ativa de colaboradores tanto entre ex-alunos – há 20 mil cadastrados em uma plataforma – quanto fora; assim que um valor for depositado haverá direcionamento para uma ação”. Na capa do Estadão.

📃 Editoriais do dia:

“País cresce, apesar do governo. O Brasil voltou a se mover. Quadro ficará melhor se Bolsonaro e ministros contribuírem”. Editorial do Estadão.

“Menos ruim. Temores de recessão se afastam, mas governo precisa acelerar agenda econômica”. Editorial da Folha.

“Recuperação se firma e ritmo lento deve prevalecer. Ainda que um trimestre seja insuficiente para firmar a tendência, a chance de que a economia evoluirá aumentou”. Editorial do Valor Econômico.

“A Previdência avança. Relatório do senador Tasso Jereissati aprimora texto aprovado pelos deputados sem comprometer o ganho final esperado com a aprovação da reforma”. Editorial do Estadão.

“A Justiça em números. Segundo levantamento, entre 2009 e 2018, estoque de processos em tramitação nas instâncias judiciais pulou de 60,7 milhões para 78,7 milhões”. Editorial do Estadão.

“Argentina paga o preço da resistência às reformas. No Brasil, efeito tende a ser ruim, pois trata-se do maior mercado para produtos manufaturados”. Editorial do O Globo.

“Brexit a fórceps. Premiê suspende atividades do Parlamento e saída da UE pode ser mais turbulenta”. Editorial da Folha.

“É preciso impedir naufrágio de projeto que transformou o Porto. Depois de repassar à prefeitura a conservação da área, empresa quer entregar também os túneis”. Editorial do O Globo.

📃 Outros destaques:

Argentina corre risco de um default desordenado. Economistas e analistas argentinos ouvidos pelo Valor indicam que se o governo do país não receber nenhum sinal positivo nos próximos dias, seja dos credores da dívida, do mercado de capitais ou do FMI, as chances de uma moratória ou de um default desordenado crescerão substancialmente”. Na capa do Valor Econômico.

“Lucro com causa, o novo normal dos negócios. A locadora de veículos Movida, do grupo JSL, está em estágio avançado para obter o selo de Empresa B, adotando práticas para gerar impacto social e ambiental positivo, além de lucro para seus acionistas”. Na capa do Valor Econômico.

“Crise ambiental é ameaça para madeira legal. O questionamento de dados do Inpe pelo presidente Jair Bolsonaro e o aumento dos incêndios na Amazônia reacenderam o debate sobre o avanço do desmatamento no Brasil e a atuação das madeireiras”. Na capa do Valor Econômico.

“Dividendo da Petrobras pode quadruplicar. Os dividendos pagos pela Petrobras só vão aumentar de forma significativa quando a dívida da estatal cair abaixo de US$ 60 bilhões. Hoje, a dívida está em US$ 101 bilhões, o que faz o Credit Suisse acreditar que apenas em 2021 a nova política de dividendos melhore a remuneração dos acionistas”. Na capa do Valor Econômico.

“Azul faz estreia à la Rolim na disputada ponte aérea. Como nos velhos tempos da TAM e seu inesquecível comandante, Rolim Amaro, o presidente da Azul, John Rodgerson, esteve a postos ontem no aeroporto de Congonhas para recepcionar os passageiros do primeiro voo da companhia na ponte aérea para o Santos Dumont”. Na capa do Valor Econômico.

“Por Trump, Brasil elevará cota de etanol. A pedido do governo Donald Trump, o Brasil deve aumentar a cota de etanol livre da cobrança de tarifa de importação. A cota atual, equivalente a 600 milhões de litros por ano, expira amanhã e deve ser elevada para 800 milhões de litros”. Na capa do Valor Econômico.

“Bolsonaro vai testar interino como chefe da PGR. Após fritura de favoritos, Bolsonaro decide testar interino na chefia da PGR”. Na capa do O Globo.

“Agência de classificação de risco rebaixa a Argentina. Nota de crédito do país cai de ‘B-’ para ‘SD’ por causa do anúncio de renegociação da dívida em títulos e com o FMI”. Na capa do O Globo.

“Um chinês é morto e outro ferido a facadas na Praia de Ipanema. Chinês foi morto a facadas quando passeava com amigos na areia da praia”. Na capa do O Globo.

“Parque nacional e terra indígena estão em chamas em Rondônia. Parques nacionais e terras indígenas sob ataque”. Na capa do O Globo.

📃 Colunas e artigos:

“Macron deu a Jair Bolsonaro um discurso poderoso e aglutinador baseado em duas palavras: soberania e patriotismo.” Na coluna de Eliane Catanhêde, no Estadão.

“O voo do PIB é curto e a altura, baixa”. Na coluna de Celso Ming, no Estadão.

“Polarização continua em plena atividade, e redes sociais trabalham no limite da falta de responsabilidade de ambos os lados”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“País precisa de foco para a retomada do crescimento. A Argentina é uma boa lição do que não fazer”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Imagem externa ruim abafa a reação do PIB.” Na coluna de Flavia Oliveira, no O Globo.

“Repulsa à ciência é a pior faceta do governo Bolsonaro”. Na coluna de Pedro Doria, no O Globo.

“Indulto de Bolsonaro pode favorecer milícias e grupos de extermínio? Em defesa de policiais em serviço, presidente pode acabar beneficiando criminosos”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

“Guinada antilavajatista. É estranha a decisão do STF anulando sentença de Moro que condenou o ex-presidente da Petrobras”. Na coluna de Hélio Schwartsman, na Folha.

“’Maus modos’, mas bons princípios. ‘Elite intelectual’ não suporta simbologia bolsonarista”. Artigo de Marco Feliciano, na Folha.

“Os Filhos de Januário e pais de Bolsonaro estão inquietos. Temos de decidir se a Lava Jato se subordina à Constituição ou se a Constituição se subordina à Lava Jato”. Na coluna de Reinaldo Azevedo, na Folha.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quinta-feira, 29, em alta de 2,37% a 100.524 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,39%%, a R$ 4,17. O euro fechou o dia em baixa de -0,15%, a R$ 4,60.

Destaque histórico:

“Em 30 de agosto de 1945, a rendição do Japão é aceita e o general norte-americano McArthur entra em Tóquio.” No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu