Petróleo, maconha e economia são os motes das manchetes

🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 323- A 93 dias do fim do ano de 2019, hoje é domingo, 29 de setembro de 2019, 272º dia do ano.

*Sinopse da grande mídia impressa*: Enquanto O Globo destaca o megaleilão do petróleo, que beneficiará o Rio, mas com o desafio de o governo “usar melhor os recursos”, o Estadão realça as possibilidades econômicas para o Brasil com o cultivo e comercialização da maconha medicinal. Já a Folha adianta que Guedes articula novo plano para a economia, chamada de ‘agenda da transformação’, após ‘fogo amigo’.

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

📃 *Manchetes do dia*:

“Royalties vão dobrar em 5 anos com megaleilão do petróleo. Para especialistas, desafio será usar melhor os recursos. Rio é o mais beneficiado”. Manchete de capa do O Globo.

“Maconha medicina pode movimentar até R$4,7 bi no país. Empresários investem na produção de medicamentos à base da planta, apesar da falta de legislação sobre o tema.” Manchete de capa da Folha.

“Guedes articula novo plano para economia após ‘fogo amigo’. Chamada de agenda da transformação, ofensiva prevê ajuda do Congresso para aprovar medidas pró-ajuste”. Manchete de capa do Estadão.

📃 *Editoriais do dia*:

“Ineficiência de empresas agrava crise nos estados. Solução para estatais, boa parte delas deficitárias, é fechá-las ou vendê-las ao setor privado”. Editorial do O Globo.

“Tiros e flechas. Confissão de Janot abala a credibilidade de sua gestão e desgasta Lava Jato”. Editorial da Folha.

“A ofensiva de Damares. Ministra faz tentativa absurda de censurar publicação informativa sobre o aborto”. Editorial da Folha.

“Pragmatismo, afinal. Governo Bolsonaro parece ter decidido abrir negociação com parlamentares inclinados a apoiar o governo, oferecendo-lhes participação na administração”. Editorial do Estadão.

“Populismo é mau negócio. A realidade é o principal obstáculo dos líderes messiânicos e dos falsos profetas”. Editorial do Estadão.

“Corrupção: percepção e realidade. Para ter frutos, combate à corrupção deve ser feito sem demagogia e dentro da lei”. Editorial do Estadão.

📃 *Outros destaques*:

“Partido da Lava Jato atrai a fúria dos bolsonaristas. Identificado como “partido da Lava Jato”, o Podemos atraiu a ira do bolsonarismo. Movimentos recentes da sigla têm sido vistos como uma tentativa de se apropriar do espólio da operação e da imagem popular do ministro da Justiça, Sérgio Moro.” Na capa da Folha.

“De olho em 2022, Witzel atua para ampliar eleitorado. Witzel avança sobre redutos bolsonaristas e críticos do presidente.” Na capa do O Globo.

“Em 147 discursos, o pensamento de um presidente. Pronunciamentos citam mais Israel do que o Nordeste brasileiro e mencionam mais esquerda do que direita”. Na capa do O Globo.

“Presidente acertou ao falar da Amazônia, diz Aldo Rebelo. Jair Bolsonaro falou corretamente em seu discurso na ONU sobre uma Amazônia onde vive parte das pessoas mais miseráveis do Brasil, mas que é tratada por ONGs como paraíso intocável. A opinião é de Aldo Rebelo, ex-militante do PCdoB que ocupou ministérios nos governos do PT. Para ele, o ambientalismo pode ter interesses legítimos, mas também ser vetor de interferência de países fortes em frágeis.” Na capa do Estadão.

“Agenda contra a corrupção fica fragilizada. Após protagonismo nas eleições de 2018, agenda coleciona derrotas nos três Poderes”. Na capa do O Globo.

“Senadores usam verba pública para viajar a SP e gravar com Silvio Santos. Davi Alcolumbre e Flávio Bolsonaro participaram de brincadeira no programa do SBT”. Na Folha.

“Oriovisto, o ‘ativista’. ‘Ativista’ em 1968, segundo o SNI, o senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) é hoje um estrategista do ‘Muda, Senado; Muda, Brasil’.” Na capa do Estadão.

“Câmara volta a debater voto distrital misto. Um estudo exclusivo mostra qual seria o resultado do pleito de 2018 se o sistema, em discussão na Câmara, estivesse em vigor”. Na capa do Estadão.

“Habitação tem plano de leasing para classes C e D. Batizado de Aproxima, projeto será destinado a famílias com renda entre dois e cinco salários mínimos e não deve contar com subsídios; plano é oferecer terreno público para a construtora fazer o empreendimento, que terá imóveis residenciais e comerciais”. Na capa do Estadão.

“Entrevista com Damares Alves. Defendo dar 1 ano de licença remunerada para mães”. Na capa da Folha.

“Guedes perde exclusividade como guru de Bolsonaro”. Na capa da Folha.

“Desemprego só deve baixar a nível pré-crise em 2024”. Na capa da Folha.

“Aborto à brasileira. Polarização reacende debate, mas mulheres ainda são enquadradas em lei da Era Vargas”. Na capa da Folha.

“STF deve restringir decisão sobre Lava Jato, diz Aras.” Na capa da Folha.

“Processo do sítio de Atibaia pode retroagir 9 meses, retrocedendo à Primeira Instância”. Na capa da Folha.

“‘Rivais agora surgem a qualquer momento’. Para Lazari, alta rentabilidade do setor pode estar sob ameaça. A revolução digital tem obrigado grandes bancos a se reinventar. “Antes eu acordava de manhã e sabia que meus concorrentes eram Itaú, Santander, Banco do Brasil e Caixa”, diz presidente do Bradesco. “Agora, novos competidores podem surgir a qualquer momento.” Na capa do Estadão.

“Vídeo de tortura em mercado expõe prática comum de seguranças”. Na capa da Folha.

“Impeachment começa a moldar eleição nos EUA. Abertura do processo de destituição de Donald Trump pela Câmara dos Deputados pode favorecer senadora democrata Elizabeth Warren, prejudicar a campanha do ex-presidente Joe Biden e mobilizar a base eleitoral do presidente americano”. Na capa do Estadão.

“Volta ao centro do mundo. Aos 70 anos da revolução, China reforça controle do PC e quer moldar ordem global”. Na capa do O Globo.

“Investimento chinês no país agora mira tecnologia e serviços. Em nova fase de investimentos, empresas chinesas começam a se voltar para setores de consumo e mais próximos do cotidiano dos brasileiros. País asiático aportou cerca de US$ 60 bilhões no país nos últimos dez anos”. Na capa do O Globo.

“Violência política volta a ronda a Colômbia às vésperas das eleições”. Na capa da Folha.

📃 *Colunas e artigos*:

“Os mocinhos da Lava Jato vão virando bandidos, os réus, vítimas. Mas a história saberá calibrar erros e acertos.” Na coluna de Eliane Catanhêde, no Estadão.

“Interesses corporativos do Senado e dos Bolsonaro fazem a reforma da Previdência se tornar uma pauta secundária.” Na coluna de Vera Magalhães, no Estadão.

“A reforma tributária do Senado (PEC 110) pode desmantelar o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e ameaçar o seguro-desemprego se for aprovado o relatório de Roberto Rocha (PSDB-MA), indica estudo ao qual a Coluna teve acesso. Ao propor acabar com o PIS, o texto elimina uma fonte de recursos permanente para o programa de seguridade (uma provisão anticíclica). O FAT passará a ser um fundo orçamentário comum. Em momentos de crise, por exemplo, com queda na arrecadação, os recursos para o seguro podem ser afetados.” Na Coluna do Estadão, no Estadão.

“TJ-SP quer erguer torres de R$ 1,2 bilhão. Amenos de um quilômetro de distância do pedaço do Vale do Anhangabaú onde as filas de desempregados se formam ao amanhecer, o Tribunal de Justiça de São Paulo quer construir duas torres de 24 andares com seis subsolos para 1.300 vagas de estacionamento”. Na coluna de Elio Gaspari, no O Globo.

“Cedae será fatiada em 5 empresas”. Na coluna de Ancelmo Gois, no O Globo.

“Supremo tem semana decisiva para o país. Supremo Tribunal Federal (STF) estará diante de quatro caminhos que farão completa diferença na vida do país e da Operação Lava-Jato”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“A prevista reação contra a Lava-Jato. Para Maria Cristina Pinotti, Mãos Limpas foi mutilada antes de seu final, e não cumpriu integralmente seu papel”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Boa hora para relembrar os ‘whistleblowers’. O líder russo Vladimir Putin já avisou que espera não ver o teor de suas conversas com Trump reveladas. Imagina-se que o inverso deve ser mais verdadeiro ainda.” Na coluna de Dorrit Harazim, no O Globo.

“Bolsonaro fez pedido inédito de blindado em NY. A Presidência da República exigiu que o carro que transportou Jair Bolsonaro em Nova York fosse blindado. Nunca antes na história deste país um presidente requisitou um automóvel blindado para andar pelas ruas da cidade americana. Quanto custou esse cuidado a mais? Os brasileiros terão de esperar até 2044 para saber. O valor do aluguel do automóvel, acredite, está protegido por um sigilo de 25 anos.” Na coluna de Lauro Jardim, no O Globo.

“Aos poucos, país volta a ser o velho Brasil. Até os eleitores mais fiéis de Bolsonaro devem estar com uma pulga atrás da orelha depois de todos os desdobramentos políticos e jurídicos que atingem com artilharia pesada a Lava-Jato, a mais importante e famosa operação anticorrupção do mundo, depois da Mani Pulite, a Mãos Limpas italiana.” Na coluna de Ascânio Seleme, no O Globo.

“Realismo democrático. Pleito após pleito, grande parte do eleitorado vai às urnas e repete o ciclo, na vã esperança de que, na próxima vez, algo diferente ocorra”. Na coluna de Hélio Schwartsman, na Folha.

“O presidente mente. Bolsonaro desconhece a busca pela verdade pois permanece escravo da ignorância, da soberba e de uma ideologia sinistra”. Na coluna de Marcelo Leite, na Folha.

“Correção de abusos da Lava Jato é um caminho sem volta. Sem enfrentar excessos, combate à corrupção ficará refém de paixões políticas”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

“Sórdida. Nada como um burocrata para nos lembrar de que o papel da arte não é tocar fanfarras para o capitão da guarda”. Na coluna de Marcos Lisboa, na Folha.

“‘Precisamos descobrir, de fato, quem financia o ódio às instituições’, diz Maia sobre CPMI das fake News”. Na coluna Painel, da Folha.

“Sentenças sem defesa. Reconhecimento das garantias constitucionais foi ameaçado pelo Supremo”. Na coluna de Janio de Freitas, na Folha.

“Napoleões de hospício ameaçam Brasil da crise política e da depressão econômica. Descrédito de procuradores aumenta crise institucional e anima autoritarismos”. Na coluna de Vinícius Torres Freire, na Folha.

“Lixo, pescaria e urubus marcam excursão de artista no rio Tietê. Eduardo Srur reuniu convidados como o vereador Xexeu Tripoli e a fotógrafa Marina Klink para ver de perto a obra ‘Pintado’”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

📊 *Mercado*: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não abre aos sábados, domingos e feriados.

⏳ *Destaque histórico*:

“Em 29 de setembro de 1949, o Partido Comunista da China escreve o Programa Comum para a futura República Popular da China”. Na Wikipedia.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu