Crise no petróleo mundial e entrevista de Maduro são os destaques

🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 311- A 105 dias do fim do ano de 2019, hoje é terça-feira, 17 de setembro de 2019, 260º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa: O atentado contra instalações petrolíferas da Arábia Saudita, no final de semana, segue produzindo manchetes, capas de jornais e esforços dos analistas da grande mídia, no país. O maior questionamento, no caso brasileiro, é se a Petrobras vai seguir os aumentos de combustíveis que já e verificam no plano internacional ou se vai segurar os preços, internamente. A princípio, a empresa decidiu esperar para definir sua política, o que analistas enxergam como risco. Por outro lado, os leilões do pré-sal devem ficar mais atrativos diante da crise mundial do petróleo instalada a partir das desavenças no Oriente Médio. O assunto é manchete de capa do O Globo, Estadão e Valor Econômico.

A Folha, embora trate da matéria em sua capa e espaços dos colunistas, traz em manchete entrevista do presidente venezuelano, Nicolas Maduro, que compara oposição, em seu país, a Bolsonaro.

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Petrobras segura preço de combustível. Diretor da ANP compara ataque a atos terroristas do 11 de Setembro”. Manchete de capa do O Globo.

“Preço do petróleo atinge pico com tensão no Golfo. Ao meio-dia, barril chegou a ter maior alta desde guerra de 1991; Petrobrás manterá preço dos combustíveis”. Manchete de capa do Estadão.

“Dúvida sobre oferta de óleo ameaça a economia global”. Manchete de capa do Valor Econômico.

“Oposição na Venezuela é pior do que Bolsonaro, diz Maduro. Em entrevista à Folha, ditador afirma querer paz, mas que suas forças estão preparadas para a guerra”. Na capa da Folha.

📃 Editoriais do dia:

“Projeto de nova regra eleitoral é de má-fé. Projeto aprovado na surdina pela Câmara vai em sentido contrário ao da transparência dos partidos”. Editorial do O Globo.

“O grande poder desestabilizador dos conflitos no Golfo Pérsico. Ataque de xiitas a instalações petrolíferas da sunita Arábia Saudita ameaça o mundo”. Editorial do O Globo.

“Mais fogo na cena global. O ataque à refinaria saudita, seguido de um salto do preço do petróleo, é mais um componente inquietante de um cenário mundial carregado”. Editorial do O Globo.

“Acordos têm de ser cumpridos. Ao descumprir as obrigações assumidas por força de seu ingresso no RRF, o Rio de Janeiro expõe sua população a risco mais uma vez e zomba dos contribuintes brasileiros”. Editorial do O Globo.

“O método. A Jair Bolsonaro e a quem o cerca intimamente pode não interessar ser ‘eficiente’ a sua relação com o Congresso”. Editorial do O Globo.

“Corrida acadêmica. Apesar de maior presença em ranking, universidades do país seguem longe da elite”. Editorial da Folha.

“Que circulem as más ideias. Charlatanices como a “cura gay” também fazem parte da liberdade de expressão”. Editorial da Folha.

“Governo busca meios de conter expansão vegetativa de gastos. O que Paulo Guedes e sua equipe estão propondo é a redução das despesas obrigatórias para manter o teto e a carga tributária”. Editorial do Valor Econômico.

📃 Outros destaques:

“Disparada de petróleo testa política da Petrobras. A Petrobras decidiu não mexer nos preços dos combustíveis, alegando que o cenário ainda é muito volátil”. Na capa da Folha.

“Atentados na Arábia podem ajudar o pré-sal”. Preços dos combustíveis podem subir no Brasil e leilões de áreas do pré-sal marcados para outubro e novembro podem ganhar mais atratividade”. Na capa do Valor Econômico.

“Mais fogo na cena global. O ataque à refinaria saudita, seguido de um salto do preço do petróleo, é mais um componente inquietante de um cenário mundial carregado.” Na capa do Estadão.

“‘É perigoso subestimar riscos’. Para Trita Parsi, fundador do Conselho Nacional Iraniano-Americano, qualquer deslize pode levar a um conflito entre Arábia Saudita e Irã.” Na capa do Estadão.

“Bolsonaro tem alta, volta a Brasília e reassume Presidência hoje”. Na capa da Folha.

“Bolsonaro diz que seu filho Carlos falou ‘o óbvio’ em mensagem sobre democracia. Em entrevista, presidente disse que frase teve grande repercussão só porque foi escrita por seu filho”. Na Folha.

“Aumento de gastos da União pagaria 9 anos de Bolsa Família. Em 2020, os gastos obrigatórios vão atingir 93% do Orçamento, segundo estimativas da equipe econômica; já as despesas com custeio da máquina e investimentos, chamadas de discricionárias, cairão R$ 35,9 bilhões no mesmo período”. Na capa do Estadão.

“Empresários alemães estão menos confiantes no Brasil”. Na capa do Valor Econômico.

“Governo retém R$105 milhões de Base Comum Curricular. Assim, a reforma do ensino médio está travada”. Na capa da Folha.

“Governo quer alterar reajuste do mínimo. Proposta em análise é retirar da Constituição a correção do piso nacional pela inflação. Alteração traria economia de R$ 35 bi no primeiro ano e faz parte de conjunto de medidas de ajuste fiscal que podem ser apresentadas ao Congresso”. Na capa do O Globo.

“Dívida com grau especulativo começa a dar sinais de alerta nos Estados Unidos”. Na capa do Valor Econômico.

“Em rota de colisão com os Bolsonaro, Witzel perde apoio do PSL na Alerj”. Na capa do Valor Econômico.

“Debandada do PSL expõe racha entre Witzel e Bolsonaro. Presidente não gostou de uso de tanque militar e de declarações do governador de que sua eleição foi por méritos próprios; todos os deputados do PSL terão de entregar os cargos que mantêm no Palácio Guanabara”. Na capa do O Globo.

“Projeto que abre brecha a Caixa 2 pode ser alterado. Cedendo a pressões, relator do texto no senado, senador Weverton Rocha (PDT-MA) admite alterações e coloca em risco vigência de novas regras para o pleito de 2020”. Na capa da Folha.

“Fux vê ameaça de judicialização da reforma eleitoral. Fux prevê judicialização se reforma partidária avançar hoje no Senado”. Na capa do O Globo.

“Relator pede que Aras deixe escritório de advocacia. Senador Eduardo Braga pediu, no entanto, que ele deixe sociedade em escritório de advocacia, e será atendido”. Na capa do O Globo.

“2/3 dos jovens acreditam que o bullying cresce com a internet. Pesquisa mostra que dois em cada três acreditam que a internet aumenta bullying”. Na capa do Estadão.

“GM tem primeira greve nos EUA em dez anos”. Na capa do Valor Econômico.

“Plano prevê gasto menor com cubanos. Parlamentares propõem criar categoria de ‘apoiadores médicos’, com bolsa de R$ 3,4 mil, bem abaixo dos R$ 11,7 mil pagos aos demais profissionais.” Na capa do Estadão.

“Intermédica avança no Rio. A Notre Dame Intermédica assinou acordo de intenção de compra Smedsj por R$ 105 milhões”. Na capa do Valor Econômico.

“Dívida com Funrural deve ter novo Refis”. Na capa do Valor Econômico.

“Grandes estatais lucram R$61 bi”. Na capa do Valor Econômico.

“Desigualdade ainda trava a Internet no Brasil”. Na capa do Valor Econômico.

“Indústria quer pool para o gás no mercado livre”. Na capa do Valor Econômico.

“A opção mais sensata é o choque fiscal. …vamos seguir por uma trajetória gradualista ou tentar uma alternativa de choque para combater o déficit fiscal”. Na capa do Valor Econômico.

‘Milho e açúcar sobem com o petróleo”. Na capa do Valor Econômico.

“Sob vaias, Boris deixa entrevista e premier fica sozinho”. Na capa da Folha.

“Após mortes e polêmicas, EUA podem vetar cigarro eletrônico com sabor”. Na capa da Folha.

Violência e impunidade são marcas na Amazônia”. Na capa da Folha.

“Ameaçado pela direita, youtuber Felipe Neto diz que tirou mãe do país”. Na capa da Folha.

“Estética pode afetar cirurgia de câncer de mama. Em estudo, sobra de tecido mamário foi achada em 30% das pacientes que passaram por mastectomia; isso eleva o risco de recidiva”. Na capa do Estadão.

“Pacaembu vai ‘encolher’ e não terá tobogã. Novos administradores, que vão gerir complexo por 35 anos, reduzirão capacidade do estádio de 39 mil para 26 mil pessoas”. Na capa do Estadão.

“Covas contratará por R$ 1,8 milhão pesquisa para avaliar gestão. Prefeito quer mapear qualidade dos serviços prestados; oposição fala em ‘fins eleitoreiros’”. Na capa do Estadão.

“Tragédia do Hospital Badim tem 12ª morte. Desde o incêndio foram registrados 12 óbitos. Chamas destruíram apartamento na Tijuca, mas não deixaram vítimas”. Na capa do O Globo.

“MEC mira gestão escolar e formação de professores. Formação de docentes e diretores será foco de novos programas”. Na capa do O Globo.

“‘Ficará para trás quem não virar empresa’. Em entrevista, o deputado Pedro Paulo, relator do projeto do clube-empresa, fala das principais mudanças previstas.” Na capa do O Globo.

📃 Colunas e artigos:

“Teto de gastos é entrave e desestímulo à maior arrecadação de recursos próprios por universidades e institutos federais”. Na coluna de Gregório Crisa, no Valor Econômico.

“Governos, setor privado e terceiro setor devem buscar iniciativas no sentido de acelerar o processo de digitalização”. Artigo de Francisco Gaetani e Virgílio Almeida, no Valor Econômico.

“Com noticiar asneiras? Como a imprensa deve tratar as declarações escatológicas de Jair Bolsonaro?”. Na coluna de Helio Schwartsman, na Folha.

“Alcolumbre tenta trocar dignidade do Senado por benesses no governo. Político faz papel de despachante de pleitos de colegas na gestão Bolsonaro”. Na coluna de Ranier Bragon, na Folha.

“Amazônia, ontem e hoje. Publicada em 1971, edição especial da revista Realidade mostra que, se muitas coisas mudaram na região, outras continuam iguais”. Na coluna de Alvaro Costa e Silva, na Folha.

“Está na hora de regular a Uber? Nova lei do estado da Califórnia deve reclassificar o trabalho com Uber como emprego”. Na coluna de Pablo Ortellado, na Folha.

“Contagem regressiva contra as fake news. Órgãos preveem estratégias nas eleições municipais”. Artigo de Gilberto Scofield Jr, na Folha.

“Os outros elementos do fascismo. Não se salva a democracia terceirizando sua defesa”. Artigo de Renato Janine Ribeiro, na Folha.

“Para a centro-direita, embate entre bolsonaristas sobre CPI afasta parte da militância do presidente”. Na coluna Painel, da Folha.

“Política é religião e futebol. É hora de resgatar algumas das virtudes que outrora caracterizavam o Brasil”. Na coluna de Joel Pinheiro da Fonseca, na Folha.

“PF deve entregar inquérito sobre barragem de Brumadinho nesta semana. Órgão chegou apenas nos culpados dos crimes de parecer falso ou enganoso sobre o risco de rompimento”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

“Tabata vê ação do PDT para desgastá-la. Apesar de, reservadamente, entender não ter mais clima para ficar no PDT, Tabata Amaral (SP) se recusa a assumir a culpa que o partido quer impor a ela por ter votado a favor da reforma da Previdência e pedir para sair. A deputada federal, segundo interlocutores, enxerga uma nítida intenção dos dirigentes de desgastá-la num processo lento, mesmo ela estando suspensa, ou seja, já ter sido punida pela cúpula pedetista. Para além do PDT, Tabata vislumbra seu futuro na criação de um partido ou no Cidadania. PSDB e DEM estão descartados.” Na coluna do Estadão.

“Não há mais espaço para amadores. Inimigos da democracia são profissionais. Urge uma reforma política que ponha o povo no poder”. Artigo do jornalista Fernão Lara Mesquita, no Estadão.

“Direitos individuais e o advogado. São as prerrogativas que permitem exercer de forma sobranceira o mister advocatício”. Artigo de Michel Temer, no Estadão.

“Talvez seja hora de um freio de arrumação. Fim do PT, fim do PSDB, com reaglutinação das forças contra Bolsonaro.” Na coluna de Eliane Catanhêde, no Estadão.

“Usar os resultados dos excessos de gastos para justificar a necessidade de gastar mais para crescer é falácia.” Na coluna de Ana Carla Abrão, no Estadão.

“Atentado será teste para o governo. A Petrobras terá que ter uma política de preços de combustível confiável e transparente, mas o que se viu ontem foi o presidente Bolsonaro anunciando que não haverá reajuste até que as cotações se estabilizem. As distribuidoras pedirão aumento do gás, e isso afetará a indústria intensiva em energia.” Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Projeto de nova regra eleitoral é de má-fé. Projeto aprovado na surdina pela Câmara vai em sentido contrário ao da transparência dos partidos”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“A intimidação a Felipe Neto. As ameaças ao youtuber Felipe Neto não são caso isolado. As milícias virtuais agem diariamente contra pesquisadores, jornalistas, políticos e artistas que ousam contestar o poder”. Na coluna de Bernardo Mello Franco, no O Globo.

“As bombas brasileiras no Iêmen. Drones bombardearam uma refinaria da Arábia Saudita no sábado. Perderam-se 5% do suprimento mundial de petróleo. Não é pouca coisa. Essa ruptura no abastecimento de 5,7 milhões de barris por dia é mais do que o dobro daquilo que o Brasil consome em óleo a cada 24 horas.” Na coluna de José Casado, no O Globo.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a segunda-feira, 16, em alta de 0,17%, a 103.680 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,05%, a R$4,09 . O euro fechou em baixa de -0,64%, a R$4,50.

Destaque histórico:

Em 17 de setembro de 1939, sob o olhar complacente das democracias internacionais, Hitler inicia a invasão da Polônia, sem qualquer declaração de guerra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu