Pautas do novo governo são destacadas por O Globo e Estadão; Folha noticia que “informais já são 43% dos ocupados, um recorde”

Primeira Hora – Anexo 6

SINOPSE NACIONAL DE 03 DE NOVEMBRO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

*_JORNAIS_*:

*Manchete e destaques do jornal O Globo*: Novo governo terá pacote de R$ 150 bi em projetos. Atual gestão deixará 87 propostas prontas para serem concretizadas em 2019.

Moro vai propor leis mais duras ao Congresso. Sergio Moro já prepara pacote legislativo anticorrupção e contra o crime organizado.

Bolsonaro indica que pode romper relações com Cuba. Bolsonaro ameaça cortar relações com Cuba e é criticado por diplomatas.

Witzel estuda uso de drones que atiram. Governador eleito irá a Israel para ver tecnologias.

Homem que mandou matar a ex na frente do filho é preso. Polícia acusa pecuarista de ter mandado primo executar mulher com quatro tiros na frente do filho.

Choque de cultura. Com fim de ministério, especialistas comentam o que pode mudar no setor cultural, da Lei Rouanet a órgãos como a Funarte.

Bolsonaro volta a desautorizar equipe a prestar informações sobre retorno da CPMF. Presidente eleito postou comentário no Facebook após reportagem do GLOBO mostrar planos para recriar tributo; notícia já havia gerado crise interna.

‘Elefante na sala’, Magno Malta confirma: ‘Vou ser ministro’.

Declarações sobre política externa geram críticas no Congresso.

Delegados contestam fala de ministro sobre investigação. Ministro rebate críticas e diz que, em nenhum momento, identificou agentes públicos suspeitos de atrapalhar as investigações do assassinato da vereadora Marielle.

Irmã de Marielle faz desabafo em rede social: ‘Sangue ali derramado será vingado’. Um dia após miliciano Orlando da Curicica dizer que Polícia Civil não tem interesse em elucidar assassinato, Anielle diz que “espiritualmente, todos serão cobrados”.

‘Superministros’ dividem indicações da transição. Paulo Guedes, Onyx Lorenzoni e general Heleno serão responsáveis pelas maior parte das escolhas da equipe que vai preparar mudança de governo; dos 50 nomes, 22 foram definidos e serão oficializados na segunda-feira.

Bolsonaro passa feriado de Finados na base naval da Marambaia. Presidente eleito quebra tranquilidade de Itacuruçá, na Costa Verde; moradores e turistas se surpreendem em pier ao vê-lo.

Esporte aceita com ressalvas fusão com Educação. Setores do movimento olímpico e do futebol chamam atenção para necessidade da manutenção de programas esportivos.

Fotografada com Mourão, maquiadora já foi presa. Carola Cimini chegou a ser acusada de integrar quadrilha de tráfico internacional de drogas, e ficou cara a cara com Sergio Moro.

Após vitória, PSL já articula para eleição de 2020. Na esteira do bom desempenho nas eleições deste ano, partido de Bolsonaro quer lançar nomes próprios para disputar as prefeituras do Rio e de São Paulo, apesar de atualmente não ter estrutura nessas capitais.

Por recomendação médica, Geddel é transferido de cela. Ex-ministro, que estava sozinho, passará a dividir espaço com outro preso.

Editorial1: A cobrança de Mano Brown e Capão Redondo. Bairro do rapper paulistano sustenta as críticas que ele fez ao PT em discurso no Rio.

Editorial2: Superministério da Justiça é passo para integrar ações na segurança. Com facções, violência se tornou um problema transnacional, desafiando sucessivos governos.

*Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo*: Pauta de Bolsonaro pode ir a votação ainda neste ano. Projetos de interesse do presidente eleito já tramitam no Congresso; oposição obstruiu dois nesta semana.

Palestinos criticam plano de mudança de embaixada. Câmara Árabe Brasileira vê risco de retaliação para comércio com representação em Jerusalém; para palestinos, mudança é ‘passo hostil’.

Recomendações a Guedes. Entre propostas que devem ser levadas ao futuro ministro da Economia, está fim do chamado abono salarial. A equipe econômica de Michel Temer vai sugerir ao time de Paulo Guedes medidas para reduzir o déficit das contas públicas, desamarrar o Orçamento e evitar descumprimento da regra que impede dívidas para pagar despesas.

Marina: ‘Amazônia corre risco’. Marina Silva afirma que vê com ‘preocupação’ propostas do governo Bolsonaro para área do meio ambiente.

Marcelo Rubens Paiva: Sociedade civil tem o direito de pedir serenidade ao futuro chefe de Estado. E suas entidades têm o dever de controlar abusos.

O sonho português. Educação. Para ser aprovado em Engenharia na Universidade do Porto, por exemplo, candidato precisa ter feito pelo menos 600 dos mil pontos no Exame Nacional do Ensino Médio; já para ingressar na UFRJ são exigidos 770 pontos. Custo pode ser obstáculo.

Trump anuncia sanções ao Irã. Pressão diplomática. EUA adicionam 700 pessoas e entidades à lista de alvos das punições, que incluem proibição ao comércio de petróleo e atividades bancárias com os iranianos; países europeus prometem resistir e criar mecanismo para driblar cerco americano.

País é campeão em estatais na OCDE. Peso do setor público. País tem 418 empresas controladas direta ou indiretamente por União, Estados ou municípios, de acordo com levantamento da FGV; quantidade supera a dos 36 países da OCDE, clube do qual o Brasil quer ser integrante.

Coluna do Estadão: Moro já terá segurança da PF durante transição. A Polícia Federal fará a segurança de Sérgio Moro já durante o período de transição. Para assumir o Ministério da Justiça, o juiz terá de se desligar da magistratura e perderá a escolta oferecida pela Justiça Federal. A autorização para que o “cidadão” Moro ganhe a proteção, mesmo antes de assumir a pasta, será dada pela direção-geral da PF. Ele já recebeu inúmeras ameaças devido ao seu trabalho na condução da Operação Lava Jato. “Eu e ele temos menos direitos do que alguém com a tornozeleira que está andando por aí”, resumiu Bolsonaro.

Editorial1: O desemprego e a transição. O controle da inflação e as condições de recuperação da economia no próximo ano dependerão em parte de como for conduzida a transição

Editorial2: Respeito ao teto. O Tribunal de Justiça de São Paulo declarou inconstitucional alteração feita na Constituição do Estado para estabelecer novo teto para o salário do funcionalismo público estadual e municipal.

Editorial3: Eficiência e cidadania. O País sabe como organizar bem suas eleições. Isto deve ser motivo de orgulho para os brasileiros.

*Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo*: Informais já são 43% dos ocupados, um recorde. No terceiro trimestre deste ano, taxa de desemprego cai com entrada de trabalhadores sem carteira assinada. A cada 10 brasileiros que estavam trabalhando no terceiro trimestre deste ano, cerca de 4 atuavam na informalidade, apontam dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, do IBGE.

Ministro, Moro deverá entrar em mais conflitos com o STF. Como ministro da justiça do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), Sergio Moro deverá ter uma pauta de discussão, e de potenciais conflitos, com o STF (Supremo Tribunal Federal) muito mais ampla do que a que colecionou durante anos como o juiz federal encarregado da Operação Lava Jato. Além das questões que já enfrentou com a toga, como prisões preventivas e condenação em segunda instância, Moro defende mudanças profundas no sistema recursal — item que consta de proposta anticorrupção, encampada pelo juiz, organizada por Transparência Internacional e FGV.

Demétrio Magnoli: Resistir a eleito é negar os eleitores. Quem, em nome do espantalho do “fascismo”, desceu às trincheiras da “resistência” ignora o significado da democracia.

Luís F. Carvalho F°: O que pensa o novo ministro? Da redução da maioridade penal, da difusão de armas, da carta branca para a polícia matar, de entupir as cadeias de bandidos?

Nova cirurgia de Bolsonaro é tida como de baixo risco.

Fake news superam marca de 2016 em eleições nos EUA. A quantidade de fake news no atual ciclo eleitoral dos EUA já supera a de 2016, quando o assunto se destacou, diz estudo da Universidade de Oxford. A pesquisa analisou material em redes sociais a respeito da eleição, que acontecerá na terça (6).

Horário de verão, que mudará a rotina de críticos e entusiastas, começa à meia-noite.

Chega a 20 mil população que vive nas ruas de São Paulo. O número de pessoas que vive nas ruas da capital paulista cresceu 25% nos últimos três anos, segundo dados da prefeitura. Estima-se que sejam hoje 20 mil. Joelma, 40, saiu de Santos há dez anos e diz estar na rua para fugir do ex-marido agressivo. Por uma semana, a Folha circulou pela cidade ouvindo essas histórias.

Editorial1: Desdesarmamento. Carregada de ideologia, bandeira de Bolsonaro na área da segurança pública não se afigura solução eficaz.

Editorial2: Competição no crédito. Governo simplifica processo para que fintechs recebam capital internacional.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu