ONU ajudará IBGE a coletar dados sobre refugiados para o Censo 2022

Na última segunda-feira (1) a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Agência da ONU para as Migrações (OIM) assinaram um acordo de cooperação técnica com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para apoiar a coleta de informações sobre a população refugiada, solicitante da condição de refugiado e apátrida que vive especialmente em Roraima, Amazonas e Pará.

O acordo de cooperação prevê que o ACNUR apoiará equipes de recenseadores a fim de garantir acesso a abrigos que acolhem pessoas refugiadas e acompanhará a realização das entrevistas, garantindo o respeito às normas culturais e à organização social, de maneira especial das pessoas refugiadas e migrantes de diferentes etnias indígenas.

A OIM dará suporte na tradução para o espanhol do questionário e dos materiais de divulgação, na mobilização e divulgação da pesquisa junto aos venezuelanos que vivem fora dos abrigos federais na capital de Roraima e promovendo sessões informativas.

ACNUR – O acordo de cooperação prevê que o ACNUR apoiará equipes de recenseadores do IBGE a fim de garantir acesso a abrigos que acolhem pessoas refugiadas e acompanhará a realização das entrevistas, garantindo o respeito às normas culturais e à organização social, de maneira especial das pessoas refugiadas e migrantes de diferentes etnias indígenas.

No Pará, o ACNUR já realizou treinamentos para os coordenadores do Censo deste ano a fim de garantir uma abordagem culturalmente qualificada aos indígenas venezuelanos da etnia Warao. Além disso, apoiou a elaboração de um vídeo sobre o Censo no idioma Warao, com legendas em espanhol, e a identificação de intérpretes que serão contratados para auxiliar a realização do recenseamento no estado junto a essa população.

No Amazonas, os promotores comunitários e voluntários da Cáritas Arquidiocesana de Manaus estão facilitando o entendimento das pessoas de outras nacionalidades sobre o que é o Censo 2022, traduzindo materiais informativos e apoiando os recenseadores a incluírem pessoas refugiadas na pesquisa. Em Roraima, o ACNUR forneceu treinamento para recenseadores e apoiará as entrevistas nos abrigos da Operação Acolhida.

OIM – Para o Censo 2022, a OIM dará suporte na tradução para o espanhol do questionário e dos materiais de divulgação, na mobilização e divulgação da pesquisa junto aos venezuelanos que vivem fora dos abrigos federais em Boa Vista e promovendo sessões informativas. 

A OIM irá ainda acompanhar os recenseadores, funcionários do IBGE que realizam a coleta de dados, em comunidades indígenas venezuelanas e nos Postos de Apoio e Recepção (PRA) de Boa Vista e Pacaraima, onde são oferecidos serviços e há possibilidade de pernoite. Em Manaus, informações sobre as ocupações espontâneas também estão sendo levantadas para a inclusão dessas residências na pesquisa.  

Para o desenvolvimento das atividades, a equipe da OIM participou como ouvinte no treinamento dos recenseadores e de reuniões para estabelecer a aplicação dos questionários nas localidades apontadas, respeitando as formas de moradia e cultura de refugiados e migrantes.  

Desde 2017, a OIM e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) trabalham em conjunto e discutem a importância da contabilização oficial de cidadãos da Venezuela em Roraima, estado fronteiriço com esse país, reforçadas pela entrada e permanência desse grupo populacional no estado.  

Foto: © Felipe Irnaldo/ACNUR

Edição do Anexo 6: Sérgio Botêlho, com informações das Nações Unidas

You may also like

Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments