Mortos no Brasil por covid-19 passam de 60 mil; eleições são adiadas

Mortos no Brasil por covid-19 passam de 60 mil; eleições são adiadas. Esses são destaques da grande mídia impressa, nesta quinta-feira, 02 de julho de 2020.  

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

📃 *Manchetes do dia*:

“Mortos passam de 60 mil, e reabertura congestiona UTIs. Número de óbitos dobra em menos de um mês; 13 capitais têm mais de 80% da terapia intensiva ocupada.” *Manchete de capa da Folha*.

“Câmara aprova adiamento das eleições para novembro. Votação ocorrer´no dia 15; onde houver segundo turno, eleitores voltarão às urnas dia 29.” *Manchete de capa do O Globo*.

“Câmara aprova adiamento das eleições para novembro. Primeiro e segundo turnos ocorrerão nos dias 15 e 29; início da propaganda eleitoral na TV ficou para 9 de outubro.” *Manchete de capa do Estadão*.

“Pessimismo para de crescer e recessão prevista é de 6,5%. Alguns economistas acreditam, no entanto, que o desemprego provocará uma queda de renda mais forte do que os ganhos vindos dos programas oficiais. ” *Manchete de capa do Valor Econômico*.

“Vacina da China contra covid será testada no DF. O Distrito Federal, que ontem chegou a mais de 50 mil casos de infectados pelo novo coronavírus, está entre as seis unidades da Federação que participarão da terceira fase de testes de vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech. ” *Manchete de capa do Correio Braziliense*.

📃 *Editoriais do dia*:

_FOLHA_

“Alvo errado. Solução para desinformação nas redes não pode sacrificar privacidade de usuários.” 

“Educação à deriva. Tumulto no MEC prova amadorismo de Bolsonaro e testa sua nova conduta.”

_O GLOBO_

“Projeto das fake news tem um bom início. O que foi aprovado no Senado é um avanço, mas são necessários aperfeiçoamentos na Câmara.” 

“Demolição é forma eficiente de conter as construções da milícia. Espera-se que ação da prefeitura na Gardênia Azul, onde prédios foram derrubados, prossiga.” 

_ESTADÃO_

“Educação, fundamento do País. Deve ser intolerável submeter a educação a interesses eleitoreiros, políticos ou ideológicos. O MEC precisa de homens e mulheres responsáveis à sua frente.”

“O futuro não é para populistas. Definitivamente, 2020 não tem sido um ano alvissareiro para este tipo de governante.” 

“Mais ajuda na hora certa. Prorrogar o auxílio emergencial tem valor humanitário e macroeconômico.” 

“Menos crédito, apesar da pandemia. Concessões para as empresas diminuíram 9,4% em maio mesmo com aumento da necessidade.” 

_VALOR ECONÔMICO_

Programas de emergência chegam até os mais pobres. Governo tem chance de acertar no pós-covid-19 robustecendo programas de renda que deem sustentabilidade à recuperação e sejam fiscalmente viáveis.” 

_CORREIO BRAZILIENSE_

“Desemprego em alta. A pandemia continua a fazer estragos, mas se vislumbra a retomada econômica. A recuperação será lenta por duas razões principais. Uma: a fragilidade da economia anterior à covid-19, com crescimento médio de 1% ao ano no período de 2017 a 2019. A outra: o agravamento do quadro, que levou ao fechamento de empresas, sobretudo pequenas e médias. Voltar ao normal implica retomar a capacidade de crescer. O desenvolvimento sustentável exige projetos, foco e liderança.” Editorial do Correio Braziliense.

📈 Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quarta-feira, 01, em alta de 1,21%, a 96.203 pontos. O dólar terminou o dia em baixa de -2.30%, a R$ 5,32.

Destaque para o dia de hoje:

Realce histórico para o 02 de julho.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments