Mídia destaca política, avalia candidaturas e repercute pesquisa que consolida Lula, em primeiro, e Bolsonaro, em segundo

Edição: Sérgio Botêlho“Na rotina do carioca, exemplos de honestidade. No VLT, onde não há cobrador, calote é inferior a 10%”, revela a manchete de O Globo. “Um policial militar é morto a cada 5 dias no Estado de SP. Foram 1.147 assassinatos desde 2001 e 43 só neste ano”, conta a manchete do Estadão. “Lula se fortalece para 2018 e Bolsonaro se consolida em2º. 29% dos eleitores seguiriam bênção do petista”, mostra a manchete da Folha.“Bolsonaro empregou ex-mulher, ex-cunhada e ex-sogro no Legislativo”, informa a manchete do portal de O Globo. “Um policial militar é morto a cada 5 dias em São Paulo; são 1.147 desde 2001”, repete o portal do Estadão. “Rejeição a Temer para de subir, mas economia preocupa, diz Datafolha. Governo é ruim ou péssimo para 71%”, noticia a manchete do portal da Folha.*OS DESTAQUES*. A política está no destaque do noticiário deste domingo, 03. Jornais e portais, em notícias e análises, informam sobre candidaturas e suas chances. Pesquisa Data Folha com Lula na dianteira e Bolsonaro em segundo está entre as matérias em evidência. Fernando Henrique Cardoso defende voto do PSDB a favor da reforma da Previdência. Temer se encontra com Alckmin e diz que desembarque do PSDB será “cortês”. PMDB e PSDB, por enquanto, só têm alianças previstas em três estados: Acre, Tocantins e Bahia.*POLÍTICA/ELEIÇÕES*. Eliane Cantanhêde: Como João Doria, Luciano Huck jogou a toalha, deixando uma ponta à mão. Vera Magalhães: Antes da eleição, Alckmin tem de mostrar que é capaz de comandar o próprio partido. O presidenciável Jair Bolsonaro empregou ex-mulher, irmã dela e o pai das duas em seu gabinete e nos de seus filhos. Merval Pereira: A proposta do semipresidencialismo em análise. Marina Silva decidiu se lançar pré-candidata à Presidência. Não fico à vontade com político, sou do futebol, afirma Tite. Lula lidera pesquisa do Datafolha, e Bolsonaro se consolida em segundo. No Rio, Lula se encontrará com Pezão. O petista, líder nos cenários em que aparece, ampliou em quatro pontos percentuais a vantagem. Do total de favoráveis a candidatura de Lula, 29% dos eleitores votariam “com certeza” no candidato apoiado por ele. Ex-presidente ganha em todos os cenários de 2º turno. Leandro Colon: Tempo é curto para Planalto dar vigor político a nome próprio. Com Alckmin, Temer diz que saída do PSDB será ‘cortês’ e ‘elegante. Temer e Alckmin não discutiram saída de ministros do PSDB em SP. Reforma política libera debandada de eleitos por partidos nanicos.*PREVIDÊNCIA*. Fernando Henrique: Não vale desfigurar crenças para ganhar eleição. É hora de o PSDB mostrar como vê o futuro e colaborar para uma sociedade melhor, opina o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Sem Previdência, verba para educação seca em 2028.MANCHETES DOS JORNAIS:Manchete e submanchetes do jornal O Globo:.Na rotina do carioca, exemplos de honestidade. No VLT, onde não há cobrador, calote é inferior a 10%/Confusão de impostos de R$ 549 bi. A estrutura tributária brasileira, com regras complexas e, muitas vezes, conflitantes, fomenta o litígio, afirmam especialistas. Um mesmo produto pode ser classificado de maneira diferente por órgãos do governo. Isso acarreta um risco bilionário: levantamento mostra que, no ano passado, 35 grandes empresas brasileiras informaram, em seus balanços, que podem ter perdas de até R$ 549 bilhões em disputas sobre impostos/A ‘grande família’ de Bolsonaro. O presidenciável Jair Bolsonaro empregou ex-mulher, irmã dela e o pai das duas em seu gabinete e nos de seus filhos. Ele diz que agiu dentro da lei/Novos números da corrida pela Presidência. Lula lidera pesquisa do Datafolha, e Bolsonaro se consolida em segundo/Lauro Jardim: No Rio, Lula se encontrará com Pezão/Merval Pereira: A proposta do semipresidencialismo em análise/Ancelmo Gois: PF descobre que Eike Batista tem 35 empresas/Fernando Henrique: Não vale desfigurar crenças para ganhar eleição. Não há razão para um partido como o PSDB repudiar o apoio que deu ao governo de transição, nem muito menos para, dentro ou fora do governo, deixar de votar a agenda reformista, que é a do próprio partido/Miriam Leitão: Exposição revela a memória dos conflitos da República. A exposição conta com imagens a História do Brasil através dos seus conflitos, do início da República até 1964. A exposição exibe imagens de uma sequência impressionante de revoltas, motins, guerras sangrentas ao longo de 75 anos da República, dissolvendo a ideia de que o Brasil resolveu desavenças apenas na negociação/Falta um adesivo na paisagem do Rio: ‘Eu fui Cabral’. Os pacientes do hospital Rocha Faria ficaram sem comida, culpa do Cabral. Depois de ter se transformado no símbolo de um Rio do futuro, Sérgio Cabral virou o ícone da sua ruína.Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Um policial militar é morto a cada 5 dias no Estado de SP. Foram 1.147 assassinatos desde 2001 e 43 só neste ano; número de feridos passa de 3 mil em 30 meses/‘Governo populista não faz bem à economia’. Entrevista – Fabio Schvartsman, presidente da Vale. Para Fabio Schvartsman, o populismo produz benefícios em um primeiro momento, mas “a conta vem depois”. “Passamos por duríssimo aprendizado nos últimos anos.” Ele acredita ainda que 2018 será um ano volátil por causa da campanha. A entrevista com o presidente da Vale é a primeira de uma série com empresários sobre eleições/Uma sucessão kafkiana de erros. Luiz Maklouf Carvalho conta a história “kafkiana” do reitor que se suicidou em Florianópolis e do pedido de investigação do caso/PMDB e PSDB devem se unir só em três Estados. Até agora, apenas no TO, AC e BA peemedebistas e tucanos caminham para um acordo na disputa estadual; lógica local prejudica ideia de candidatura única à Presidência/Eliane Cantanhêde. Como João Doria, Luciano Huck jogou a toalha, deixando uma ponta à mão. Ambos dependem do desempenho de Alckmin/Vera Magalhães: Antes da eleição, Alckmin tem de mostrar que é capaz de comandar o próprio partido.Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Lula se fortalece para 2018 e Bolsonaro se consolida em2º. 29% dos eleitores seguiriam bênção do petista, se ele fosse barrado, mas rejeitam opções, diz Datafolha. O ex-presidente Lula (PT)se fortaleceu e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) está isolado em segundo lugar na corrida presidencial de 2018, afirma pesquisado Datafolha realizada nos dias 29 e 30 de novembro. A constatação coincide com o momento no qual o PSDB tenta emplacar o governador paulista Geraldo Alckmin como o candidato das forças de centro no pleito. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos. O petista, líder nos cenários em que aparece, ampliou em quatro pontos percentuais a vantagem, em relação a pesquisa em setembro, no embate direto com Alckmin(52%a30%), Marina Silva (48% a35%)e Bolsonaro (51%a33%). A candidatura de Lula pode ser barrada pela Lei da Ficha Limpa, se a condenação no caso do tríplex for confirmada em segunda instância. Do total, 29% dos eleitores votariam “com certeza” no candidato apoiado por ele. Mas há rejeição aos aventados pela sigla. Só 14% aceitariam Fernando Haddad. O ministro Henrique Meirelles(Fazenda), do PSD, tem até 2% das intenções/Marina Silva decide lançar pré-candidatura à Presidência. Após período que chamou de “ciclo de reflexão”,Marina Silva decidiu se lançar pré-candidata à Presidência.“O compromisso e o senso de responsabilidade me convocam”, disse neste sábado, em Brasília. Ao lado de Alckmin, Temer afirmou no mesmo dia,no interior paulista, que o desembarque do PSDB do governo será “de modo cortês e elegante”/Fernando Segóvia – Monopólio para celebrar delação é inconveniente. O STF está na iminência de decidir se há monopólio para recebimento e processamento da delação premiada. Acredita-se que a capacidade e a legitimidade da Polícia Federal para firmar tais acordos encontrarão o devido respaldo,e que novas operações Lava-Jato se espalharão/Não fico à vontade com político, sou do futebol, afirma Tite. Para o técnico da Seleção,Tite, não se deve confundir política com futebol. “Não me sentiria à vontade com político. Meu meio é o futebol”,disse à Folha neste sábado, em Moscou, um dia após o sorteio dos grupos da Copa. Ele não gostou de ter de viajar 7.376 km na primeira fase. “Lastimo”.MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online: Bolsonaro empregou ex-mulher, ex-cunhada e ex-sogro no Legislativo. Ana Cristina Valle, ex de Bolsonaro e mãe de Jair Renan, o quarto filho do presidenciável; a irmã dela, Andrea, e o pai das duas, José Cândido Procópio, ocuparam as vagas a partir de 1998, ano de nascimento de Jair Renan. Ana Cristina e José Cândido não estão mais nos gabinetes da família, mas Andrea continua no do deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do presidenciável/Após decisão de Gilmar, Barata e Lélis deixam a prisão. Foi a terceira decisão do ministro do Supremo favorável ao empresário de ônibus; ex-presidente da Fetranspor também foi beneficiado/Rede lança Marina como pré-candidata à Presidência. Em reunião realizada em Brasília, partido apresenta carta repleta de críticas ao atual governo e condena reformas planejadas por Temer/Datafolha: Lula segue líder, e Bolsonaro se consolida em 2º. Ex-presidente ganha em todos os cenários de 2º turno, diz pesquisa/Com Alckmin, Temer diz que saída do PSDB será ‘cortês’ e ‘elegante’. Presidente e o governador de SP estiveram juntos em evento do ‘Minha Casa’ , em Limeira/Temer e Alckmin não discutiram saída de ministros do PSDB em SP/MPF e PF não se entendem sobre operação Lava-Jato. Delegado reclama de restrição no acesso a sistemas de propinas da Odebrecht/Mesmo presa, Adriana Ancelmo tem registro na OAB reativado. Suspensão para mulher de Cabral advogar durou 90 dias, e processo não foi concluído/Lava-Jato: Força-tarefa em Curitiba pode perder reforços. PGR defende devolução de 9 cargos para outros casos. Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Um policial militar é morto a cada 5 dias em São Paulo; são 1.147 desde 2001. Até agora, apenas no TO, AC e BA peemedebistas e tucanos caminham para um acordo na disputa estadual/Mortes se concentram na Grande SP e na Baixada Santista. 80% dos crimes são esclarecidos, diz Corregedoria/’Só vou dar um tiro na cabeça do seu marido’/Só 5,9% das mortes de policiais têm ligação com serviço/Com coragem e decência. É hora de o PSDB mostrar como vê o futuro e colaborar para uma sociedade melhor, opina o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso/‘Político não é uma criação de última hora’. Presidente da Vale não crê em ‘outsider’ e diz que carreira de político é construída no longo prazo/Sem Previdência, verba para educação seca em 2028. Ameaça aos gastos públicos é tentativa de sensibilizar os parlamentares para aprovar as mudanças no INSS/Eliane Catanhêde: Ao lançarem seu nome antes da hora, Huck virou alvo de ataques. Como João Doria, Huck jogou a toalha, mas seu prazo final para filiação partidária é 6 de abril/Vera Magalhães: Existe espaço para lideranças menos inflamadas? Antes da eleição, Alckmin tem de mostrar que é capaz de comandar o próprio partido. Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Rejeição a Temer para de subir, mas economia preocupa, diz Datafolha. Governo é ruim ou péssimo para 71%; sensação de que a economia ficará como está nos próximos seis meses ocorre para 37%, enquanto 32% esperam piora e 27%, melhoria/Painel. Pesquisa Datafolha chama para a realidade os aliados de Temer. Meirelles terá que correr para se tornar viável/Leandro Colon: Tempo é curto para Planalto dar vigor político a nome próprio/Reforma política libera debandada de eleitos por partidos nanicos/Em dois meses, Dodge dobra pedidos de arquivamentos no STF. Procuradora-geral critica ineficiência nas investigações de seu antecessor, Rodrigo Janot.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


0 0 vote
Article Rating
Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments