Judiciário, economia e eleição 2018 são os destaques das manchetes dos jornais

Judiciário, economia e eleição 2018 são os destaques das manchetes dos jornais. Penduricalhos nos salários dos Judiciário são questionados por Cármen Lúcia; Bolsa brasileira é afetada por crise turca; candidatos militares se apresentam motivados por aumento da violência.

SINOPSE NACIONAL DE 11 DE AGOSTO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho

JORNAIS    :

Manchete e destaques do jornal O Globo  : Cármen Lúcia defende fim dos penduricalhos para salários do Judiciário/

Área técnica da CVM pede condenação de Dilma por Pasadena. Compra de refinaria america, autorizada pela petista e ex-administradores da Petrobras, teria causou prejuízo de mais de US$ 580 milhões à estatal/

Lava-Jato denuncia os ex-ministros Guido Mantega e Antonio Palocci/

Helicóptero com governador do Espírito Santo cai na região serrana do estado/

Citada por Cabo Daciolo, Ursal seria 5ª economia do mundo/

Daciolo é investigado por suspeitas de desvio de verba pública/

Ciro registra candidatura à Presidência/

Record terá sabatinas dos presidenciáveis a partir da próxima terça-feira/

Ancelmo Gois: Marcelo Crivella pode ser multado por reunião secreta do ‘Fala com a Márcia’.

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo  : Crise turca derruba mercados e afeta Bolsa e dólar no Brasil. Fragilidade da lira, a moeda da Turquia, e animosidade com os EUA tiveram reflexo em todo o mundo/

Partidos apelam a fidelidade para dividir recursos. Partidos. Sem padronização, legendas usam critérios como votação no Congresso e até desempenho nas pesquisas eleitorais para divisão de recursos públicos para as campanhas/

Um disco afetivo. Prestes a estrear programa na TV, Gilberto Gil reflete sobre a vida e o envelhecer no disco ‘Ok Ok Ok’. Após superar grave problema renal ao lado de filhos, netos e bisneta, Gil lança OK OK OK/

2,2 milhões de pessoas saíram da Venezuela. Agências da ONU estimam que 2,2 milhões deixaram o país, um dos maiores movimentos de emigração da história da América Latina/

‘A forma de se fazer política apodreceu’. Para André Lara Resende, colaborador da Rede, reforma precisa ser negociada e não afetar ‘os mais desfavorecidos’. Colaborador da Rede, André Lara Resende foi o segundo entrevistado da série Economistas das Eleições, promovida pelo Estado e FGV IBRE/

Fernando Reinach: Achados arqueológicos põem mais 400 mil anos em nosso passado fora da África. Os cientistas acreditam que os hominídeos que deram origem à nossa espécie surgiram na África e depois se espalharam pelo planeta. Os ossos mais antigos de ancestrais do Homo sapiens encontrados na África têm aproximadamente 7 milhões de anos/

Marcelo Rubens Paiva: Se Tancredo Neves tivesse subido a rampa, teria mais legitimidade para mudar País. É difícil explicar o ano de 1985 para quem não o viveu. A esperança era unanimidade. Confiávamos em políticos, na nova política e democracia que construíamos, depois de 21 anos de ditadura/

Coluna do Estadão: A Câmara dos Deputados gasta meio milhão de reais por ano para lavar 83 carros oficiais. A limpeza de cada um custa R$ 538 por mês. A Câmara dos Deputados gasta mais de meio milhão de reais por ano para lavar 83 carros oficiais. Por mês, a limpeza de cada veículo custa R$ 538 aos cofres públicos. A frota atende 19 deputados com cargos de direção e de outros departamentos. A firma mantém 11 funcionários, que se dedicam à tarefa. Até julho, o contrato com a Adjel Serviços era maior, de R$ 602 mil, mas um aditivo baixou o valor para R$ 563 mil. O negócio entre a Câmara e a empresa foi assinado em 2016, por um ano. Desde então, aditivos prorrogaram a vigência até 2019/

Coluna do Estadão: O PCdoB prepara uma ação intensa, porém discreta, para convencer o ex-ministro Jaques Wagner a desistir da disputa ao Senado e concorrer à Presidência, em substituição a Lula. A ideia é fazer uma chapa mais forte com Jaques e Manuela d’Ávila/

Coluna do Estadão: Michel Temer planeja evento para comemorar a chegada da água ao Ceará pelo canal de Transposição do São Francisco até outubro. A agenda ajuda a popularizar seu candidato, Henrique Meirelles, na terra de Ciro Gomes. Ciro e Temer travam duelo. Recentemente, o emedebista chamou o presidenciável de “pigmeu político” após ser acusado por Ciro de “ladrão” e “quadrilheiro”/

Até fidelidade define verba de fundo para candidatos nas eleições 2018. Legendas usam também desempenho em pesquisas eleitorais para divisão de rcursos/

MPF quer 16,38% de reajuste salarial. Por unanimidade, Conselho Superior do Ministério Público Federal acata proposta de reajuste de 16,38% dos salários dos procuradores/

TSE. Haddad não poderá usar arrecadação de ‘vaquinha’ a Lula/

Interlocutor. Alckmin elege ACM Neto ‘presidente’ da coligação tucana/

Análise. Não dá para dizer que a decisão do PT de insistir em Lula não é um erro/

Vice de Bolsonaro. ONG quer que Mourão seja investigado por racismo/

Coluna do Estadão. Câmara gasta R$ 563 mil para lavar carros oficiais/

Paraná. Pai de advogada morta será assistente de acusação/

Editorial1: Erro e consequência. A instituição da tabela de valores para o frete foi um erro. Ou a lei não “pegará” ou os agentes econômicos encontrarão meios de evitar a interferência do Estado/

Editorial2: Facilitar o comércio externo. Entre outubro do ano passado e maio deste ano, os membros do G-20 criaram 39 restrições à entrada de produtos estrangeiros/

Editorial3: Uma possível contradição. Placar no STF mostra que ação de ressarcimento de dinheiro público é tema controvertido.

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo  : Policiais e militares ganham destaque em chapas nesta eleição. Escalada da violência e candidatura de Jair Bolsonaro são fatores que impulsionam busca de cargos majoritários/

Painel: Lula diz que é hora de colocar Haddad e Manuela na rua/

BC autoriza compra da XP pelo Itaú, mas limita atuação/

Economista ligado ao PSDB nega fraude para favorecer siderúrgica Paranapanema em débito fiscal/

Gleisi verbaliza determinação de Lula ao dizer que Haddad deve ir a debates/

Mônica Bergamo: Expor ou não Haddad como plano B ainda é dúvida entre velhos caciques do PT/

De desconhecido a protagonista no debate, conheça Cabo Daciolo/

Análise: Em 1º debate, Bolsonaro joga pelo empate, Alckmin veste figurino da política e PT desaparece/

André Singer: Pós-graduação paga é proposta dura de Alckmin/

Demétrio Magnoli: Centrão não servirá a hipotético presidente Alckmin como espada das reformas/

São Paulo. Manobra alça cunhado de França a órgão que controla verbas na Baixada/

Doria trava guerra a ‘uso da máquina’ por governador/

Editorial1: Debate tutelado. Encontro televisivo segue regras usuais que tolhem intervenção jornalística/

Editorial2: Derrota do aborto. Com decisão do Senado argentino, prevaleceu a perspectiva proibicionista.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu