Investigações e insegurança são os destaques das manchetes dos principais jornais

Investigações e insegurança são os destaques das manchetes dos principais jornais. Polícia continua cercando assassinos de Marielle; Receita Federal investiga centenas de agentes públicos; edifícios de São Paulo não

Investigações e insegurança são os destaques das manchetes dos principais jornais.

Polícia continua cercando assassinos de Marielle; Receita Federal investiga centenas de agentes públicos; edifícios de São Paulo não têm segurança mais dura contra incêndios

SINOPSE DE 10 DE MAIO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Vereador, PM e ex-PM são investigados, diz ministro. Jungmann afirma que apuração está chegando à ‘etapa final’. Polícia isola local do crime para reconstituição; um dos suspeitos, o ex-PM Orlando Araújo nega participação/

Documento da CIA indica que Geisel autorizou execuções. Memorando da agência americana para Kissinger diz que assassinato de opositores era política de Estado. Documento de um ex-diretor da CIA para o então secretário de Estado dos EUA Henry Kissinger, de 11 de abril de 1974, afirma que o então presidente Ernesto Geisel sabia da execução de 104 opositores da ditadura militar durante o governo Médici. O texto afirma que ele autorizou que as execuções continuassem, como política de Estado, com apoio do general João Figueiredo, então chefe do SNI, que o sucederia na Presidência, em 1979. O memorando foi encontrado pelo pesquisador Matias Spektor, da Fundação Getulio Vargas, que o classificou como “o documento mais perturbador” que leu em 20 anos de pesquisa. Em nota, o Exército informou que os documentos relativos ao período foram destruídos/

Bernardo Mello Franco. Imagem desmanchada. Relatório da CIA mostra que Geisel deu sinal verde à barbárie/

Maioria do PMDB não quer apoio a Alckmin. Levantamento do Palácio do Planalto, obtido pelo GLOBO, mostra que eventual apoio ao tucano Geraldo Alckmin na disputa presidencial é rejeitado por 20 dos 27 diretórios estaduais do PMDB. Se a convenção nacional fosse hoje, 508 dos 629 delegados votariam contra a possível aliança. Diretórios que rejeitam a aliança: Amazonas, Pará, Amapá, Maranhão, Piauí, Rondônia, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Sul/

Liminar devolve direitos a Paes. O ministro Jorge Mussi, do Tribunal Superior Eleitoral, concedeu liminar devolvendo direitos políticos ao ex-prefeito Eduardo Paes e ao ex-secretário Pedro Paulo/

Míriam Leitão: Petrobras volta ao topo da Bolsa brasileira. Empresa petroleira pagou 70% a mais em participações governamentais/

Editorial1: STF precisa conter ímpeto em súmula sobre foro. A revisão da prerrogativa para deputados e senadores não deve levar a que a Justiça a estenda de tal forma que invada área institucional do Congresso/

Editorial2: Primeiro choque militar após fim de pacto nuclear. Bombardeio israelense a posições iranianas na Síria assinala a ausência de um plano B para o rompimento do acordo e o aumento das tensões no Oriente Médio.

 

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Receita cria grupo para investigar 800 agentes públicos. Objetivo é identificar lavagem de dinheiro, corrupção e ocultação de bens. A Receita Federal montou grupo com auditores fiscais especializados para investigar cerca de 800 agentes públicos de Legislativo, Executivo e Judiciário suspeitos de ter cometido fraudes tributárias, informam Adriana Fernandes e Fabio Serapião. O objetivo é mapear até o fim do mês cerca de 50 agentes públicos – como parlamentares, chefes de governo, juízes, procuradores – como alvos de novas investigações de possíveis crimes de lavagem de dinheiro, corrupção e ocultação de bens. Em vez de atuar a pedido de outras instituições, a Receita vai fazer suas próprias apurações. Caso encontre indícios de crime fora do campo tributário, encaminhará o caso para o Ministério Público e a Polícia Federal. Segundo o subsecretário de Fiscalização da Receita, Iágaro Jung Martins, o objetivo é utilizar a experiência acumulada na atuação conjunta com a PF e MPF em grandes operações para fortalecer o trabalho de fiscalização/

Geisel deu aval à execução de opositores do regime, diz CIA. Documento escrito pelo diretor da CIA em 1974, William Colby, afirma que o presidente Ernesto Geisel autorizou a continuidade da política de “execução sumária” de opositores do regime feita pelo antecessor, Emílio Garrastazu Médici. Segundo o memorando, os assassinatos deveriam receber autorização do Planalto, mediante consulta ao general João Figueiredo, então diretor do SNI/

Educação avalia dar ‘voucher’ a pais. João Cury Neto, secretário estadual da Educação empossado há 15 dias, avalia dar dinheiro para famílias escolherem o transporte escolar e a merenda dos filhos/

Tesouro tem R$ 647 bi em reservas para enfrentar crise. Apesar da crise fiscal, o Brasil está, hoje, mais preparado para enfrentar as turbulências de mercado. O volume de recursos do Tesouro para bancar o pagamento de títulos públicos triplicou em cinco anos e chegou a R$ 647,4 bilhões. As reservas internacionais são de US$ 381,6 bilhões/

MP denuncia ex-vereador do PT. O ex-vereador Maninho do PT e seu filho foram denunciados por tentativa de homicídio contra o empresário Carlos Alberto Bettoni, na frente do Instituto Lula/

Vereador é investigado pela morte de Marielle/

Haddad é denunciado por caixa 2 de R$ 2,6 bi/

Eliane Cantanhêde: Há mobilização para limitar o foro privilegiado também para o Executivo e o Judiciário. Resta ver se vai andar mesmo/

Celso Ming: Cesta de consumo para cálculo do IPCA está desatualizada em 9 anos. A diferença anual é de cerca de 0,5 ponto/

Editorial1: A previdência nos Estados. Números e circunstâncias mostram a premência de uma ampla reforma da aposentadoria dos funcionários públicos para a busca do equilíbrio fiscal/

Editorial2: O CNMP e a crise carcerária. Superlotação na maioria dos presídios favorece a expansão das facções que comandam o crime do interior dos cárceres/

Editorial3: Inflação, juros e crescimento. Inflação baixa é o maior benefício possível para famílias com o desemprego elevado.

 

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: SP tem 25 mil edifícios fora de regra mais dura antifogo. Quase metade dos prédios da cidade foi construída antes de incêndio no Joelma (1974), que levou a mudança nas normas. De todos os prédios de São Paulo, 47% foram construídos quando precisavam ter pouco mais que extintores e hidrantes como itens de prevenção e combate a incêndios, de acordo com dados tabulados pela Folha. Segundo a base de informações do IPTU de 2017, da prefeitura, a capital paulista tem 53 mil prédios. Destes, 24,7 mil foram construídos antes de 1974, quando um incêndio no edifício Joelma, na região central da cidade, deixou 189 mortos. À tragédia se seguiram amplas alterações nas normas de prevenção afogo. Até então, o tema era regulado pelo Código de Obras de 1929. Uma especificação do Corpo de Bombeiros exigia somente hidrantes e extintores sinalizados. Uma semana depois do fogo no Joelma, a prefeitura publicou decreto com conjunto mais extenso de normas. Os prédios erguidos antes da entrada em vigor dessas regras têm estruturas antifogo mais frágeis em relação às construções atuais. E o caso do Wilton Paes de Almeida, de 1961, que desabou no dia 1º após incêndio, deixando cinco mortos e seis desaparecidos/

Geisel avalizou execuções na ditadura, diz documento. Documento de 1974 liberado pelo governo americano mostra que, segundo relato do chefe da CIA, o ex-presidente Ernesto Geisel (1974-1979) aprovou a continuidade de uma política de “execuções sumárias” de adversários da ditadura militar no Brasil. Os papéis, públicos desde 2015, foram divulgados pelo colunista da Folha Matias Spektor/

Governador de SP acelera medidas visando eleições. Em dois decretos de abril, Márcio França (PSB) encurtou caminho para a transferência de recursos do estado a municípios. França, que substituiu Geraldo Alckmin (PSDB), tenta crescer nas pesquisas eleitorais para governador — no Datafolha de abril, teve 8%/

Parcerias com setor privado ameaçam caixa de governos. Levantamento feito pela Folha mostra que 53 estados e prefeituras têm parcerias público-privadas, mas 80% deles não acompanham o impacto fiscal de longo prazo desses contratos — que implicarão pagamentos mensais por até 35 anos/

Nelson Barbosa: Eleições precisam incluir discussões sobre Orçamento. Reformar o Orçamento público é inevitável, e isso tem de ser debatido durante as eleições, se não pelos partidos políticos, ao menos pelos economistas. Quem não reformar não governa/

Editorial1: Mais Bolsa Família. Bem-sucedido e depurado de propaganda partidária, programa pode ser aperfeiçoado/

Editorial2: Equívoco sem partido. Avança na Câmara projeto que pretende combater doutrinação política na escola.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.