Inflação, juros, PSL e Bolsonaro são os temas das manchetes

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 334- A 82 dias do fim do ano de 2019, hoje é quinta-feira, 10 de outubro de 2019, 283º dia do ano.

*Sinopse da grande mídia impressa*: Manchetes dos grandes jornais se dividem em dois campos: Estadão e Valor Econômico abordam a possibilidade de queda de juros diante dos números negativos da inflação, apontados pelo IPCA mais recente. Folha e O Globo destacam os movimentos do presidente Jair Bolsonaro para deixar o seu partido, o PSL, garantindo o mandato dos deputados de sua base.

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

📃 *Manchetes do dia*:

“Para Guedes, deflação em setembro pode levar à queda de juros. Oferta de alimentos e promoções de eletrodomésticos ajudaram a derrubar IPCA”. Manchete de capa do Estadão.

“Inflação cai a zero e corte de juro será ainda maior. A queda surpreendente da inflação em setembro fez o mercado apostar que haja espaço para reduzir ainda mais a taxa básica de juros (Selic)”. Manchete de capa do Valor Econômico.

“Bolsonaro busca via jurídica para deixar PSL e levar base. Presidente quer evitar cassação de congressistas que o seguirem em novo partido”. Manchete de capa da Folha.

“Bolsonaro tenta solução jurídica para deixar o PSL. Presidente quer garantir que deputados conservem mandato se saírem com ele”. Manchete de capa do O Globo.

📃 *Editoriais do dia*:

“Bolsonaro agora quer romper até com seu partido, o PSL. Bolsonaro não tem base parlamentar e não fez questão de montar uma”. Editorial do Valor Econômico.

“Admissão tardia. WhastApp reconhece uso ilícito em 2018; autorregulação no setor ainda é lenta”. Editorial da Folha.

“O sucesso da geringonça. Pragmática, aliança de esquerda obtém êxito econômico e eleitoral em Portugal”. Editorial da Folha.

“Greta, Raoni e primeira-ministra da Nova Zelândia lideram apostas para Nobel da Paz”. Na Folha.

“Concluir obras paradas. É reconfortante para o contribuinte saber que Jair Bolsonaro não pretende realizar grandes obras que possam ser transformadas em símbolos de seu governo”. Editorial do Estadão.

“A crise no Equador. Embora tenham desencadeado uma onda de violentos protestos, as medidas adotadas pelo presidente Lenín Moreno para debelar a grave crise econômica do Equador têm fundamento”. Editorial do Estadão.

“Critérios para a infraestrutura. Propor regras para os investimentos em infraestrutura é bom para o interesse público”. Editorial do Estadão.

📃 *Outros destaques*:

“TCU aprova edital do pré-sal, e governo comemora”. Na capa da Folha.

Extração de petróleo ameaça pesca, baleias, corais e atobás em Abrolhos. A área de proteção, na Bahia; moradores tenta excluir  de leilão, que será realizado hoje, blocos de exploração que trazem risco ao arquipélago”. Na capa da Folha.

“Câmara dá aval a partilha de recursos do megaleilão”. Na capa da Folha.

“Congresso aprova mais R$ 3 bi para pagar emendas. Congresso aprova liberação de crédito para seis ministérios, verba que será usada pelo Planalto para honrar compromissos com deputados que aprovaram a Previdência. Nova oferta de recursos deve contemplar projetos indicados por senadores”. Na capa do O Globo.

“SP, RS e MT ganham mais no novo acordo do pré-sal. Partilha foi aprovada na noite de ontem pelos deputados e precisa passar pela chancela dos senadores, em votação, na terça-feira”. Na capa do Estadão.

“Estado do Rio terá R$ 2,3 bi do megaleilão do pré-sal. Estado terá R$ 149 milhões a menos que o previsto em acordo fechado pelo Senado. Prefeitos terão liberdade para usar os recursos, mas governadores terão de cobrir os déficits de seus regimes previdenciários”. Na capa do O Globo.

“Petróleo em praias do Nordeste ‘muito provavelmente’ é da Venezuela, diz Salles”. Na Folha.

“Mancha de óleo chega à foz do São Francisco”. Na capa do Estadão.

“Óleo chega à foz do São Francisco. Governo ainda apura causas; pesquisadores suspeitam de navio afundado em 1944”. Na capa do O Globo.

“Ministro do Meio Ambiente recebe ‘prêmio Exterminador do Futuro’ na Câmara”. Na Folha.

“Orçamento aprovado para 2020 prevê salário mínimo de R$1.040”. Na capa da Folha.

“Reforma {administrativa} prevê dois anos de trainee na carreira pública”. Na capa da Folha.

“Servidor ganha o dobro do setor privado, aponta Banco Mundial. Nos Estados, os salários são 36% mais elevados; nos municípios não há diferença”. Na capa do Estadão.

“Banco Mundial recomenda que Brasil limite salário de servidor e reduza contratações”. Na Folha.

“Tecnologia deve ter taxação global, propõe OCDE”. Na capa da Folha.

“Bolsonaro tenta saída jurídica para deixar PSL. Após reunião com parlamentares e advogados, presidente diz ter feito crítica ‘do bem’; bancada prega o diálogo, mas, para Bivar, ele ‘não tem mais relação’ com a legenda”. Na capa do Estadão.

“MPF pede à Justiça que MEC refaça consulta pública sobre o Future-se”. Na Folha

“Bolsonaro veta lei que previa atendimento de psicólogo na rede escolar”. Na Folha.

“Rio vai estimular eventos e voos para atrair turistas. Rio vai criar estímulos a voos e eventos para reaquecer turismo”. Na capa do O Globo.

“Sanfoneira, irmã Dulce visitava prisões e chegou a atender cangaceiro”. Na capa da Folha.

“Com R$100 mi a menos, área social é prejudicada na gestão João Dória”. Na capa da Folha.

“‘Narcomilícia’ já atua em 180 áreas do Grande Rio. Paramilitares e traficantes se unem em 180 locais, segundo investigação”. Na capa do O Globo.

“Após retirada dos EUA, Turquia ataca curdos na Síria”, Na capa da Folha.

“Turquia lança ofensiva contra curdos na Síria. Poder de fogo. Após Donald Trump ordenar a retirada das tropas americanas da região, caças turcos bombardearam posições curdas e tanques realizaram incursões com o objetivo de criar uma ‘zona de segurança’, afastar milícias da fronteira e reassentar refugiados”. Na capa do Estadão.

“Atentado diante de sinagoga mata dois na Alemanha”. Na capa da Folha.

“Equador tem greve geral e atos por democracia e paz”. Na capa da Folha.

“Equador abre diálogo com indígenas. Negociações, mediadas por ONU, Igreja Católica e OIT, ocorrem em meio à onda de protestos que paralisou o país”. Na capa do O Globo.

📃 *Colunas e artigos*:

“Tortura não é besteira. Bolsonaro extrapola os limites ao defender sevícias como método de disciplina”. Na coluna de Uirá Machado, na Folha.

“Mistério de Bolsonaro sobre prêmio a Chico é ato de governo mesquinho. Presidente não consegue dissociar administração pública de suas paixões ideológicas”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

“O barraqueiro. Bolsonaro acha que não precisa de ninguém; com esse raciocínio, Collor e Dilma foram apeados do cargo”. Na coluna de Mariliz Pereira Jorge, na Folha.

“Cheiro de gás. Medidas do governo são como o gás que escapa lentamente de um vazamento”. Na coluna de Maria Hermínia Tavares de Almeida, na Folha.

“A era do ‘indignismo’. Opiniões ponderadas têm pouca chance de sucesso”. Na coluna de Rubens Figueiredo, na Folha.

“Após ataques, PSL vai tirar Zambelli, Jordy e outros dois deputados de comissões”. Na coluna Painel, da Folha.

“Radicalização de Bolsonaro e crise fiscal sugerem impasse perigoso. Medidas podem levar a ruas indóceis e a Congresso mudo, estimulando autoritarismos”. Na coluna de Igor Gielow, na Folha.

“Reforma administrativa ou do Estado? Quando o governo abriu mão de executar serviços, produziu resultados muito melhores”. Na coluna de Fernando Schüler, na Folha.

““No Brasil da depressão e da inflação baixa, juros ainda estão muito altos. Pelo terceiro ano, país em depressão terá IPCA abaixo da meta: algo deu errado aí”. Na coluna de Vinícius Torres Freire, na Folha.

“Cidade bombardeada pela Turquia é ponta das tensões entre árabes e curdos na região. Turquia se aproveita de instabilidade para tentar neutralizar curdos sírios”. Na coluna de Patrícia Campos Melo, na Folha.

“Multiplicador distributivo. Estratégias mais equilibradas de ajuste podem ser mais eficazes contra estagnação”. Na coluna de Laura Carvalho, na Folha.

“A atriz contra o bufão. Como Fernanda Montenegro virou símbolo da resistência às trevas”. Na coluna de Sérgio Rodrigues, na Folha.

“Governo conta nos dedos ministros que, como Moro, defendem Bolsonaro. Ministro da Justiça, antes considerado ‘ingrato’, agora acumula pontos”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

“A reforma administrativa é ofensiva ambiciosa contra um dos mais poderosos aparatos burocráticos do mundo.” Na coluna de William Waack, no Estadão.

“Perfil montado por colegas revela que policial assassino de Paris era jihadista com acesso a dados de segurança.” Na coluna de Gilles Lapouge, no Estadão.

“PSL deu cartão vermelho a Bolsonaro”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Presidente continua a fabricar crises”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“As manifs vêm aí. Não falo dos manifestantes de corporações, que apenas sopram a brasa debaixo da sua sardinha. Me refiro aos que gritam pela floresta, pelos direitos civis, em favor das mulheres, dos gays, dos negros, da liberdade de expressão, da democracia.” Na coluna de Ascânio Seleme, no O Globo.

📊 *Mercado*: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quarta-feira, 09, em alta de 1,53%, a 101.509 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,34%, a R$4,10.

⏳ *Destaque histórico*:

“Em 10 de outubro de 2000, o russo Zhores Alferov e os norte-americanos Herbert Kroemer e Jack Clair Kilby dividem o Prêmio Nobel de Física pela invenção do chip na década de 70.” No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu