Economia, governo, política e sociedade são os temas em destaque nas manchetes dos jornais

SINOPSE DE 25 DE JUNHO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Nível superior garante emprego, mas renda cai. Desocupação para os que têm diploma universitário é de 6,6%. Indicador é metade da média nacional, de 13,1%. Mas grupo aceita salários menores/

Há 143 mil mandados de prisão em aberto. Com uma das maiores populações carcerárias do planeta, o Brasil tem ainda mais de 143 mil mandados de prisão em aberto. São fugitivos do sistema e pessoas que jamais foram encontradas pelas autoridades. O maior número é no Rio/

Drone vira arma na mão de traficantes. Traficantes do Rio estão usando drones para monitorar ações da polícia e de facções rivais nas favelas. Sem investimentos, o Bope é a única unidade da PM que opera a aeronave/

Eleição no Tocantins tem 52% de brancos, nulos e abstenções. Eleito ontem, Mauro Carlesse (PHS) governará o estado até o fim do ano/

Aliado de Marina Silva vence disputa em Cabo Frio. Rede Sustentabilidade conquista sétima prefeitura no país/

Trump defende expulsão sumária. O presidente Trump quer que imigrantes ilegais detidos nos EUA sejam imediatamente expulsos, sem julgamento. Ele comparou a uma “invasão” a chegada dos imigrantes/

Como a Interpol prendeu brasileiro em estádio. Em ação que incluiu a PF, acusado de assaltos aos Correios foi reconhecido pelo cadastro de torcedores e detido no estádio durante Brasil x Costa Rica/

Ancelmo Gois: ‘DESCULPA, RÚSSIA’. Site acolhe pedidos de desculpas por assédio alheio na Rússia/

Editorial: Sobre o aborto. Uma postura laica. Assunto em que se misturam aspectos morais, éticos e religiosos, o aborto desafia a necessidade de equilíbrio na abordagem do tema, principalmente por agentes públicos que atuam em um Estado constitucionalmente laico, obrigado a ficar equidistante de credos. Este é o entendimento racional da questão, mas, infelizmente, nem sempre é assim que transcorrem os debates.

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Candidato, França triplica verba para asfalto em SP. Em busca de projeção, governador aumenta em 201% os repasses para recapear ruas de 362 municípios. Em dificuldade nas pesquisas de intenção de voto, o governador do Estado de São Paulo, Márcio França (PSB), recorreu a uma velha máxima da política em busca de projeção eleitoral: investir na relação entre asfalto e voto/

Desafio da crise fiscal. O governo federal precisaria gastar R$ 76 bi para concluir obras paradas no País. Estudo mostra 7 mil casos, como o CEU na zona norte de São Paulo/

TSE julga candidatura de mulheres ‘laranjas’. O TSE vai julgar casos de “candidaturas femininas fictícias” registradas oficialmente apenas para partidos e coligações tentarem cumprir a cota de exigência legal de reservar 30% das vagas para mulheres. Um dos casos mais emblemáticos, de relatoria do ministro Jorge Mussi, trata de cinco candidatas à Câmara de Vereadores de Valença do Piauí, que tiveram votação inexpressiva, não praticaram atos de campanha nem tiveram gastos declarados em suas prestações de contas. A 18.ª Zona Eleitoral do Piauí viu fraude à legislação eleitoral no caso/

Coluna do Estadão: O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, vai decepcionar deputados que têm pedido pela criação de uma regra de transição, por meio de decreto legislativo, para empurrar para as próximas eleições o repasse de 30% do Fundo Eleitoral para mulheres candidatas. A pressão por um decreto que modifica a decisão do TSE aumentou após partidos informarem aos deputados que repassarão 30% a menos para as campanhas deles. Nos bastidores, uma alternativa à regra é que candidatas ajudem a pagar despesas das campanhas dos colegas. Por exemplo, incluírem na nota fiscal delas o custo da confecção de panfletos deles/

Coluna do Estadão: A Segunda Turma do STF pode julgar pedido do Senado para anular decisão da Justiça que resultou em busca e apreensão no apartamento funcional de Gleisi Hoffmann, em 2016. O alvo era o marido dela, Paulo Bernardo. Como Gleisi tem foro, o Senado entende que só o STF podia autorizar a busca no apartamento/

‘Aécio não vai definir sozinho sua candidatura’. Postulante ao governo de Minas, Anastasia diz que senador vai ouvir PSDB antes de decidir sobre disputa ao Senado/

Editorial1: Um escândalo sem fim. Não cessa de render frutos, dos mais amargos, o escândalo da delação premiada do sr. Joesley Batista/

Editorial2: Fake news sobre fake news. Luiz Fux afirmou que a lei manda anular eleição influenciada por fake news/

Editorial3: Honestidade com o eleitor. Recentemente, num seminário promovido pela Instituição Fiscal Independente (IFI), entidade vinculada ao Senado, o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, alertou para a necessidade de que o ajuste fiscal esteja presente na campanha eleitoral. “Temos que ser sinceros com o eleitor”, afirmou Mansueto, lembrando a realidade ineludível do País: não há como não fazer o ajuste fiscal. É preciso, de fato, que cada candidato à Presidência ou ao Legislativo explicite as medidas, concretas e realistas, que pretende adotar para reequilibrar as contas públicas.

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: A cada três dias uma mãe entrega um filho para adoção/

Ministro do STF homologa duas delações fechadas pela PF; casos estão em sigilo/

Câmara tem mais de mil projetos que tramitam em regime de urgência/

Celso Rocha de Barros. Haddad e o discurso petista. Se o PT tiver um plano B, espero que também tenha uma retórica B/

PSDB chega aos 30 e passa de adversário a celeiro ruralista. Fortalecimento do agronegócio, porém, não garante apoio do setor à legenda/

Carlesse é eleito governador do Tocantins em pleito com abstenção de um terço. Candidato do PHS é governador interino desde março; novo mandato irá somente até dezembro/

Cabral e mulher dão autorização à Justiça para leiloar bens apreendidos. Decisão não implica redução da pena em futuras sentenças, mas eles pedem devolução se forem absolvidos/

Ricardo Balthazar: O pior que Moro pode fazer pela Lava Jato é ignorar seus críticos. Juiz sempre revela incômodo quando alguém questiona sua atuação/

Leandro Colon: Neymar e o flá-flu na políticaNão há dúvidas sobre os obstáculos superados por Neymar para se transformar no jogador mais caro do mundo e mais importante do país. Questionar sua atitude mimada em campo e fora dele, porém, não significa ignorar sua genialidade com a bola. Quem o critica não necessariamente quer seu mal ou o odeia. O mesmo tipo de situação torna-se cada vez mais comum no debate político. Não à toa, apelidou-se de “flá-flu” a guerra insana na internet. Importa menos o sucesso de um e mais provocar ou achincalhar o outro/

Editorial1: Álcool livre. Possibilidade de venda direta de etanol da usina para os postos favorece o consumidor/

Editorial2: Humor sem veto. Renitente espírito censório dos legisladores acabou encontrando uma barreira definitiva no STF.

Manchete e destaques do jornal Valor Econômico: Novos hábitos de usuários causam estagnação de teles. Crescimento lento da economia e mudança do perfil do consumidor estão entre as razões do fraco desempenho do setor de telecomunicações. A receita total das operadoras caiu e depois estagnou durante a recessão (2014-2016). Serviços de telecomunicações acumulam queda de 4,4% até abril, segundo IBGE/

BC enfrenta hoje teste na área cambial. O Banco Central (BC) dá hoje novo passo no mercado de câmbio, ao oferecer leilão de linha de US$ 3 bilhões, isto é, a venda de dólares das reservas com compromisso de recompra/

Crédito para aquisição passa dos R$ 40 bi. Bancos brasileiros e estrangeiros fecharam grande volume de financiamentos a aquisições de empresas no primeiro semestre. Transações como a compra da Fibria, da Somos Educação e da Eletropaulo serão, em grande parte, financiadas/

Crise muda destinação de verbas públicas. Apenas 1% dos mais de R$ 2 bilhões arrecadados com multas impostas pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e outros órgãos desde 2012 tiveram como destino a reparação de danos causados aos direitos difusos, como previsto pela lei/

Questão de ‘vida ou morte’ desafia o setor de petróleo. Setor se depara com um dilema: precisa decidir se deve continuar ou não a investir em petróleo numa era na qual as preocupações com o clima podem levar a demanda a atingir seu pico talvez já na década de 2020/

PSL quer transformar Bolsonaro em novo Enéas. O PSL aposta no “efeito Enéas” para aumentar sua bancada federal. Com menos de dez segundos na propaganda eleitoral – se não fechar alianças-, o partido vai usar como bordão o sobrenome do presidenciável Jair Bolsonaro na televisão para pedir votos na legenda/

Novos filtros no acesso à faculdade. O Ibmec é o caso mais recente de faculdade privada a avaliar habilidades comportamentais dos candidatos a seus cursos. O Insper, o curso de administração da Fundação Getulio Vargas (FGV) e a graduação em medicina do Hospital Israelita Albert Einstein também mudaram seus vestibulares/

Jungmann defende distinção entre traficantes e usuários de drogas. Segundo o Ministério da Segurança Pública, cerca de 74% da população carcerária brasileira são formados por pessoas que praticaram crimes de baixa periculosidade, entre eles pequenos traficantes e usuários/

PT pode reeditar estratégia usada por Perón para voltar ao poder. Em 1973, peronismo ganhou eleição presidencial na qual Perón não pôde concorrer/

Lula tem até 15 de agosto para se registrar/

Vice dos EUA encontra-se com presidente. Temer deve externar a preocupação com a detenção de crianças brasileiras em abrigos dos Estados Unidos/

Guerra comercial. EUA vão restringir o investimento chinês em empresas americanas. Governo Trump quer barrar o acesso dos chineses à alta tecnologia dos EUA. Para isso, deverá usar uma lei de emergência econômica. Medida deve ser anunciada nesta semana/

Erdogan é reeleito na Turquia e terá de enfrentar pressão dos mercados. Líder que mais tempo governou a Turquia, presidente obtém novo mandado com maioria no Parlamento. Opositores dizem que eleição, que aconteceu sob estado de emergência, não foi justa e que país ruma para regime de um homem só/

Editorial: Congresso não respeita regra constitucional ao criar despesa. O Congresso ainda não entendeu a gravidade da situação das contas públicas. Ao mesmo tempo em que aprova um teto para os gastos, cria sem parar novas despesas para a União.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu