Governo do Distrito Federal muda secretários de Educação e Casa Civil

Governo do Distrito Federal muda secretários de Educação e Casa Civil. As demissões e as novas nomeações foram publicadas em edição extra do Diário Oficial, nesta quinta-feira, 18. A saída de ambos se deu “por motivos pessoais”.

De acordo com os atos, perderam os cargos Valdetário Monteiro, na Casa Civil, e João Pedro Ferraz, até então, secretário de Educação. Assim, Gustavo Rocha e Caroline Petrarca assumem respectivamente os postos.

O novo secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, desempenhou o cargo de secretário de Justiça e Cidadania, até março passado. Desde então, exercia o cargo de Assessor para Assuntos Estratégicos do GDF.

Rocha exerceu – à época da presidência Michel Temer – a função de Ministro dos Direitos Humanos. Além desse cargo, Rocha foi um dos principais assessores do ex-presidente na área jurídica.

Carolina Petrarca, a nova secretária de Educação, assim como Valdetário, é advogada. Ela foi conselheira da Ordem dos Advogados do Brasil no DF (OAB-DF) e conselheira federal da OAB. E, ainda, vice-presidente da Escola Superior de Advocacia da OAB/DF. Mas também exerceu a docência no Centro Universitário de Brasília (UniCeub) e na Universidade Católica de Brasília (UCB).

Câmara Legislativa

A notícia de que o Governo do Distrito Federal mudou os secretários de Educação e Casa Civil surpreendeu os deputados distritais. O deputado Professor Reginaldo Veras (PDT) foi quem levou a notícia ao plenário. “Agora que o setor educacional estava começando a engatinhar, recebemos essa notícia que poderá atrapalhar os planos de retomadas das aulas”, comentou.

Para o deputado Chico Vigilante (PT), a demissão pegou de surpresa até mesmo a bancada governista. Na avaliação do distrital, a exoneração do secretário, bem como a do chefe da Casa Civil, teria relação com uma licitação prevista para ocorrer na pasta que escolherá uma empresa para cuidar da merenda escolar. “O edital da maneira que foi elaborado fará a Secretaria de Educação mergulhar de vez na corrupção”, afirmou o distrital que mais cedo havia tratado do assunto.

Ele acrescentou ainda que a saída se dá no mesmo dia em que o ministro da Educação deixou o cargo. Sua colega de partido, Arlete Sampaio lamentou a queda de Ferraz e disse que vê uma semelhança entre o governador e o presidente da República, referindo-se ao fato deste último nomear militares. “Aqui, se um cargo fica vago, é preenchido com um advogado”, observou.

Por sua vez, o deputado Leandro Grass (Rede) defendeu que o governador “deverá vir a público para explicar a razão da mudança, nesse momento”. Na visão dele, a saída mostra que Ibaneis não tem projeto para o DF: “Não há um plano para a cidade, o governo age por meio de arranjos, fazendo emendas aqui e ali”.

Defesa

Já o vice-líder do governo na CLDF, deputado Hermeto (MDB), destacou que o governador tem sido “um dos mais elogiados do país”, especialmente, na condução da pandemia. “Mudanças no secretariado são atos normais. O chefe da Casa Civil já havia alegado motivos pessoais e o secretário da Educação, que saiu hoje, estava fazendo um ótimo trabalho”, avaliou.

O deputado Delmasso (Republicanos) disse confiar nas escolhas de Ibaneis Rocha. “Certamente, ele nomeou uma pessoa competente para substituir João Pedro Ferraz”, declarou, desejando boa sorte ao secretário demissionário. Segundo o deputado Martins Machado, também do Republicanos, Ferraz, apesar do desempenho positivo, já vinha dando sinais de que sairia a qualquer momento. E ainda acrescentou que o governo Ibaneis “vem sendo bem aceito pela sociedade”.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments