Gestão governamental, economia e política são os destaques da mídia

SINOPSE DE 19 DE ABRIL DE 2018 Edição: Sérgio Botêlho  JORNAIS: Manchete e destaques do jornal O Globo: Rio não cumpre metas fiscais prometidas à União. De 20 medidas,

SINOPSE DE 19 DE ABRIL DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Rio não cumpre metas fiscais prometidas à União. De 20 medidas, sete estão atrasadas e 13, insuficientes. Dívida líquida estadual aumentou 27,6%, em 2017, para R$ 135 bilhões. Sete meses após assinar acordo com a União, o Estado do Rio tem dificuldades para cumprir o plano de recuperação fiscal. Relatório de monitoramento do Ministério da Fazenda revela que sete das 20 metas de ajuste das contas estão atrasadas, e as outras 13 têm resultados abaixo do previsto. O governo fluminense não conseguiu, por exemplo, antecipar receitas com renovação de concessões, aumentar alíquota previdenciária e reduzir incentivos no ritmo esperado. Dados enviados ao Tribunal de Contas (TCE) mostram ainda que a dívida subiu 27,6%, em 2017, para R$ 135 bilhões, equivalente a 269,7% da receita líquida/

Cuba põe fim à era dos Castro. Raúl cede Presidência hoje a Miguel Díaz-Canel, que continuará reformas. Quase seis décadas após a vitória da Revolução Cubana, em 1959, o comando da ilha caribenha sai hoje das mãos dos Castro. Aos 86 anos, Raúl — irmão e sucessor de Fidel — passa a Presidência do país a seu primeiro vice, Miguel Díaz-Canel, designado ontem pela Assembleia Nacional. O engenheiro de 58 anos terá como principal tarefa levar adiante as reformas iniciadas por Raúl/

Empresário diz à PF que coronel captava dinheiro para Temer. Dono do grupo Libra, Gonçalo Torrealba contradiz versão dada por presidente/

Parente assumirá conselho da BRF, e ações disparam. As ações da BRF dispararam 9,51%, na maior alta desde 2011, depois que o presidente da Petrobras, Pedro Parente, foi convidado a assumir a presidência do Conselho de Administração da empresa. Parente informou que aceitou a proposta, que será analisada em assembleia, no dia 26. O nome do executivo é uma saída de consenso na guerra travada entre Abilio Diniz e fundos de pensão/

Marina ataca Bolsonaro e descarta ser vice em chapa. Marina Silva, pré-candidata à Presidência pela Rede, disse que Jair Bolsonaro evoca “lado escuro da força”, acentuou divergências com Lula e descartou ser vice numa coligação/

Alckmin quer Aécio fora da disputa eleitoral. Pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin disse que o “ideal” é que Aécio Neves, réu por corrupção, fique fora da eleição. Compra de trens durante governo Alckmin em SP tornou réu o atual secretário de Transportes/

Caixa Cultural. Produtores e artistas temem fechamento de sede carioca da instituição/

Merval Pereira: Ação para soltar Lula. O Supremo Tribunal Federal (STF), que ontem teve uma sessão sem grandes divergências e num clima ameno começou a decidir se cabem embargos infringentes nos julgamentos das Turmas, vai voltar ao olho do furacão na próxima semana quando uma nova Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC) com liminar, impetrada pelo PCdoB, deve ser apresentada para o plenário/

Editorial1: Lei para reforçar a segurança jurídica. Projeto já aprovado pelo Congresso aperfeiçoa o relacionamento do poder público com a sociedade, mas áreas do governo pressionam para seu veto integral/

Editorial2: Intervenção precisa reduzir índices de criminalidade. Passados dois meses, não seria demais esperar que alguns tipos de crimes perdessem fôlego, mas não foi o que aconteceu. Em março, continuou a escalada de recordes.

Editorial3: Novo nome, mesmo regime. Enquanto o mundo mudava vertiginosamente nas últimas seis décadas e muitas nações não só assistiram à ascensão e queda de seus líderes, como também ao esfacelamento de suas próprias formas de governo, o nome Castro – e tudo que ele representa – foi uma constante para os cubanos e para os desdobramentos dos arranjos geopolíticos.

Editorial1: Renovação à cubana. Saída de cena parcial de Raúl Castro e ascensão de vice geram pouca expectativa de mudança/

Editorial2: Processos. Incentivo correto. Reforma da CLT acerta ao desestimular ações aventureiras na Justiça.

 

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Petrobrás quer ficar fora da nova lei de licitações. Petroleira busca saída para evitar concorrência pública em grandes compras; indústria local ameaça ir à Justiça. A Petrobrás estuda saída legal para ficar fora da nova Lei das Estatais e, com isso, evitar as licitações em grandes compras, como as de plataformas do pré-sal. A partir de julho, todas as empresas públicas vão ter de adequar suas compras à nova legislação, mais restritiva do que a anterior – um efeito direto da Operação Lava Jato. A estatal estuda meios de manter a possibilidade de convidar fornecedores para os projetos que mantém em sociedade com petroleiras privadas. Em resposta, a indústria local ameaça ir à Justiça. A nova lei impõe uma série de exigências às estatais, como a de acabar com a opção da “carta-convite”, em que apenas três fornecedores, os mais reconhecidos no mercado, são convidados a participar das concorrências. O privilégio de poder comprar sem licitação foi questionado pelo Tribunal de Contas da União, que levou o caso ao Supremo Tribunal Federal/

Pedro Parente na BRF. O presidente da Petrobrás, Pedro Parente, aceitou convite e deve substituir Abilio Diniz no comando do conselho de administração da BRF, dona de Sadia e Perdigão. Assembleia de acionistas deve aprovar o nome do executivo/

Alckmin quer que Aécio fique fora das eleições. Um dia depois de o senador Aécio Neves (PSDB-MG) se tornar réu no STF, o ex-governador e pré-candidato tucano ao Planalto, Geraldo Alckmin, defendeu ontem que ele não dispute a eleição este ano. Como presidente da sigla, Alckmin pode barrar a candidatura, mas disse esperar que a decisão parta do senador. Em resposta, Aécio afirmou que a decisão será tomada “coletivamente” em Minas/

Secretário e cúpula do Metrô viram réus por improbidade. O secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, e o presidente do Metrô, Paulo Menezes Figueiredo, além de outros sete ex-executivos da companhia, se tornaram réus por improbidade administrativa. Eles são citados em ação que investiga prejuízos causados aos cofres públicos com compra de 26 trens para a Linha 5-Lilás, por R$ 615 milhões, que ficaram parados por dois anos. O ramal ainda está em obras/

Ação é descabida, diz secretaria. A Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos classifica a ação de “descabida e totalmente fora de propósito” e nega irregularidades na aquisição dos trens para a Linha 5. Todos os citados alegam inocência/

Coluna do Estadão: Procuradoria vai analisar vídeo de Gleisi sobre Lula. A Procuradoria-Geral da República instaurou procedimento preliminar para analisar se abre inquérito sobre vídeo em que a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), diz à TV Al-Jazira que o ex-presidente Lula é um preso político e acusa a Justiça brasileira. No Senado, Gleisi reiterou sua fala à Al-Jazira/

Distribuidoras da Eletrobrás gastam, em 2 anos, R$ 3,7 bi. Em quase dois anos, seis distribuidoras da Eletrobrás que estão na mira do governo para serem privatizadas gastaram R$ 3,750 bilhões em recursos dos consumidores. Por mês, são R$ 202 milhões, dinheiro que poderia ser usado para abater subsídios e programas sociais do governo e assim reduzir a conta de luz dos consumidores. Os leilões dessas subsidiárias podem ser suspensos pelo TCU/

Díaz-Canel põe oficialmente Cuba na era pós-castrista. Único candidato a se apresentar para suceder a Raúl Castro na presidência de Cuba, Miguel Díaz-Canel teve o nome aprovado com louvor pelos 605 deputados. Nascido após a chegada de Fidel Castro ao poder, ele poderá governar por, no máximo, dois mandatos, ou dez anos. Ainda há dúvidas se Díaz-Canel será um líder reformista ou apenas dará continuidade ao atual sistema político/

William Waack: Os integrantes da Lava Jato decidiriam, eles mesmos, traçar a linha entre o que é política e o que é bandidagem/

Editorial1: Inépcia. Processo contra o deputado Flaviano Melo (MDBAC) é exemplo da inaceitável demora do Supremo Tribunal Federal em julgar os casos que envolvem autoridades com foro privilegiado/

Editorial2: BC confirma retomada lenta. Com solavancos, a atividade econômica se distancia do atoleiro de 2015 e 2016/

 

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Pedro Parente aceita lugar de Abilio à frente da BRF. Presidente da Petrobras manterá o posto na estatal; eleição precisa ser confirmada. O presidente da Petrobras, Pedro Parente, aceitou substituir o empresário Abilio Diniz à frente do conselho de administração da BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão e líder do mercado de alimentos processados no Brasil. Na companhia, ele teve apoio de aliados e adversários de Abilio, por quem foi indicado. O consenso de acionistas sobre seu nome era condição de Parente, que acumulará a função, não executiva, com a exercida na Petrobras. O martelo deverá ser batido nesta quinta (19), durante reunião do conselho. Se a eleição for confirmada em assembleia da BRF no dia 26, Parente renunciará ao comando do conselho da B3, que controla a Bolsa de SP, já que pode ocupar apenas uma posição fora da estatal. A montagem de chapa única a ser apresentada no dia 26 é obstáculo para que o acordo prospere, pois há divergências entre acionistas. A BRF passa por dificuldades e teve prejuízo recorde de R$ 1,1 bilhão em 2017. Além disso, sofre ameaça de veto à venda de frango na Europa em decorrência da Operação Came Fraca/

Assembleia cubana indica Díaz-Canel para suceder Castro. Indicado pela Assembleia Nacional de Cuba para suceder o ditador Raúl Castro, Miguel Díaz-Canel, 57, deve ser confirmado hoje como chefe de Estado na ilha. Díaz-Canel assumirá com o desafio de lidar com uma economia desgastada por um sistema de duas moedas e destinada a sofrer o impacto da crise na Venezuela, seu maior parceiro comercial até 2016/

Presidenciável do PSB, Barbosa fará aceno ao mercado. Para viabilizar a candidatura de Joaquim Barbosa à Presidência, o PSB cobra do ex-ministro do STF a apresentação de propostas simpáticas ao mercado financeiro e favoráveis à distribuição de renda. Reservadamente, Barbosa defende que o cerne de seu programa deve ser a relação do poder público com o setor privado/

Aécio não deveria disputar eleição, afirma Alckmin. O presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), ex-governador de SP, afirmou que seu correligionário Aécio Neves, réu por corrupção e obstrução da Justiça em decorrência do caso JBS, não deveria disputar cargo na eleição deste ano. O senador mineiro rebateu: “Isso será resolvido em Minas Gerais, no tempo correto”/

Governo recua de crítica ao TCU para destravar estradas. A desavença entre a gestão Temer e o Tribunal de Contas da União nas concessões rodoviárias poderá chegar ao fim. Após afirmar em documento que o órgão excedeu sua atribuição legal na análise da Rodovia de Integração do Sul, o governo recuou, pois somente destravando esse projeto poderá viabilizar outros/

Justiça de SP torna ex-chefes do Metrô réus em ação civil. A Justiça de SP tomou réus seis ex-presidentes do Metrô. A ação é civil, por improbidade, e envolve as gestões Serra, Goldman e Alckmin, todas do PSDB. Eles serão julgados pela compra, em 2011, de 26 trens que não foram usados e custaram R$ 615 milhões. A Secretaria dos Transportes Metropolitanos diz que a ação ê descabida/

Mais violenta, área do RJ é esquecida em ações militares. Formada por 13 municípios, a Baixada Fluminense tem quase 0 dobro da taxa de mortes violentas da capital do RJ —são 62 a cada 100 mil habitantes. Apesar disso, a região ainda não entrou no foco da intervenção federal na segurança do estado. Desde fevereiro, início da ação, não houve operação significativa ali/

Carga de celulares com valor avaliado em US$ 1 milhão é roubada no Galeão.

 

Manchete e destaques do jornal Valor Econômico: BC criará novo sistema de pagamento instantâneo. O Banco Central (BC) vai autorizar a realização de pagamentos instantâneos no Brasil, sem a intermediação de bancos e sem restrição de dia e horários, em todas as modalidades/

Parente vai substituir Abilio na BRF. Pedro Parente, presidente da Petrobras desde 2016, vai assumir o conselho de administração da BRF e pôr fim à disputa entre os acionistas pelo comando da companhia/

No STF, votos de Barbosa eram de viés liberal. Os votos do pré-candidato Joaquim Barbosa no STF dão uma pista sobre seu pensamento econômico. No conjunto, na economia, a visão de Barbosa foi mais liberal do que a do partido a que hoje está filiado, o PSB/

Pilares do crescimento. O brasileiro Sergio Buniac, que assumiu a presidência mundial da Motorola no fim março, tem a missão de recolocar a empresa, controlada pela Lenovo, em uma posição relevante no mercado global de smartphones. “Não estamos preocupados com crescimento acelerado, mas com os pilares”, disse/

Polícia traça conexão entre a Oak e a corretora Gradual. Apontada pela Operação Encilhamento, da Polícia Federal, como suspeita de investir em títulos sem lastro, a Oak Asset Management foi a gestora do Viaja Brasil, fundo que aplicou mais de R$ 50 milhões em recursos de institutos de previdência de Estados e municípios em empresas do doleiro Alberto Youssef/

UE propõe paz comercial com EUA e união anti-China. A União Europeia elabora proposta com a qual espera encerrar as hostilidades comerciais com os Estados Unidos e evitar a imposição de tarifas sobre o aço e o alumínio exportados pelo bloco, previstas para daqui a duas semanas/

Ser Educacional e SEB disputam o grupo Ilumno. A Ilumno, grupo americano dono da universidade Veiga Almeida, no Rio, e da Unijorge, em Salvador, avalia propostas de aquisição. Uma é do Grupo SEB, do empresário Chaim Zaher, que se uniu a um fundo dos EUA em oferta de até US$ 650 milhões. A outra proposta é da Ser Educacional/

Administração pública Governo engaveta privatização da Casa da Moeda. Avaliação do governo é que projeto não prosperaria e ainda geraria desgaste/

Cadastro positivo não convence aliados. Temer promete trabalhar para manter texto da Câmara, mas PRB mantém críticas à proposta/

Exame de caso de Maluf pode abrir brecha para acusados na Lava-Jato. Maioria no Supremo já decidiu que cabe apresentação de embargos infringentes em decisões de turma que não são unânimes/

PT busca prolongar vigília pró-Lula/

Marina irá reciclar programa de 2014 em sua proposta econômica. Coordenadores serão Eduardo Giannetti e André Lara Resende/

Editorial: Economia global cresce mais, assim como os riscos. Para o Brasil, o Fundo recomenda “acelerar” a consolidação fiscal, o que já é urgente agora e o será ainda mais quando o cenário externo se tornar adverso.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.