Futuro governo é tema das manchetes dos jornais

Primeira Hora – Anexo 6

Futuro governo é tema das manchetes dos jornais. “Equipe de transição tem sete militares, seis economistas e nenhuma mulher”, comenta O Globo. “Bolsonaro indica núcleo duro e quer general no Planalto”, informa o Estadão. “Bolsonaro defende algo da reforma da Previdência já”, diz a Folha. “Bolsonaro prevê reforma gradual da Previdência”, noticia o Valor Econômico.

SINOPSE NACIONAL DE 06 DE NOVEMBRO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS

*Manchete e destaques do jornal O Globo*:

Equipe de transição tem sete militares, seis economistas e nenhuma mulher. Gabinete, que vai trabalhar dividido em dez grupos temáticos, reuniu-se em Brasília. Com a nomeação de 27 indicados, o gabinete de transição fez ontem a primeira reunião no CCBB de Brasília, sob a coordenação do ministro extraordinário Onyx Lorenzoni. Os futuros ministros Augusto Heleno (Defesa), Paulo Guedes (Economia) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) estão na equipe, que tem sete militares, pelo menos seis economistas e nem uma mulher. Marcos Aurélio Carvalho, um dos donos da agência AM4, que cuidou da comunicação digital da campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro, também foi nomeado. O gabinete trabalhará dividido em dez grupos temáticos.

As opiniões do presidente eleito:

DESEMPREGO. Forma de calcular taxa pode ser revista. O presidente eleito revelou, em entrevista à Band, que pretende rever a metodologia de cálculo da taxa de desemprego, chamando o índice de “uma farsa”. Ideia foi criticada por especialistas. O IBGE, que adota regras internacionais para determinar o número, não se manifestou.

LGBT. ‘Enem tem que cobrar conhecimentos úteis’. Bolsonaro criticou o Enem, prometendo que em seu governo a prova terá temas de “interesse de todos” e “conhecimentos úteis”. Ele citou questão que abordava “linguagem secreta de travestis”. Para professores, exame trata de grande variedade de temas e autores.

MORO. Busca de ‘meio-termo’ nas divergências. Bolsonaro disse que deu carta branca ao futuro ministro Sergio Moro para tratar de corrupção e crime organizado, mas eles terão que se acertar naquilo em que são “antagônicos”. “Sou favorável à posse de arma; se a ideia dele for o contrário, tem que chegar a um meio-termo”, afirmou.

POLÍTICA EXTERNA. Egito faz represália a declaração sobre Israel. A ideia de Bolsonaro de mudar a embaixada do Brasil em Israel para Jerusalém levou o governo do Egito a cancelar a visita oficial do chanceler Aloysio Nunes. Ao menos 20 empresários brasileiros estão no país e deverão retornar. O Brasil já exportou este ano US$ 10 bilhões a países árabes.

Declarações de Bolsonaro sobre política externa acendem alerta, analisam colunistas do GLOBO. Presidente eleito deve anunciar nos próximos dias o nome do futuro ministro das Relações Exteriores

Possível mudança na política externa do país traz incerteza.

Cálculo do desemprego é ‘uma farsa’, diz Bolsonaro.

Temas variados são marca do Enem, criticado por suposto viés esquerdista. Bolsonaro acusou prova de não ‘medir conhecimento’; pesquisa mostra que diversidade esteve presente no exame na última década.

‘Mamãe, levei um tiro. Eu não quero morrer. Fala com Deus’. Uma das vítimas, de 14 anos, lia um livro em uma praça da Cidade de Deus. Um outro jovem, de 16, foi atingido dentro da casa de uma tia, na Vila da Penha. O terceiro, de 17, levou um tiro em Manguinhos.

Dez pacientes entubados foram removidos sem respiradores. Aparelhos que ajudavam pacientes a respirar foram desligados, diz funcionária.

Editorial1: Incêndio em hospital expõe crise na saúde. Em meio ao caos, cinco pacientes morreram na transferência para outras unidades da prefeitura.

Editorial2: A eleição de hoje é um plebiscito sobre o modo Trump de governar. Pesquisas sugerem que republicanos podem perder o controle da Câmara.

*Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo*: Bolsonaro indica núcleo duro e quer general no Planalto. Ideia é ter Augusto Heleno dentro do palácio; Guedes, Bebianno e Onyx também estão entre os conselheiros. O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), começou a montar a estrutura que o Palácio do Planalto terá a partir de janeiro. Esse núcleo, no qual vai se apoiar para tomar suas principais decisões, deve contar com o general reformado Augusto Heleno Ribeiro, um de seus principais conselheiros, o vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, os futuros ministros Paulo Guedes (Economia) e Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e o advogado Gustavo Bebianno. Destes, apenas Mourão não está na equipe de transição anunciada ontem e que terá 27 integrantes. Bolsonaro quer Heleno no palácio. Para isso, o general poderá ocupar o comando do Gabinete da Segurança Institucional (GSI), que funciona no 4.º andar, um acima do gabinete presidencial. Essa possibilidade, ainda em discussão, alteraria indicações na nova Esplanada, pois Heleno foi anunciado como titular da Defesa. Ainda não foi definido se o futuro ministro Sérgio Moro (Justiça) integrará formalmente essa estrutura.

Moro sai de férias e se compara a juiz italiano. Em mensagem aos colegas juízes, o futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, afirmou que pretende seguir os passos do juiz italiano Giovanni Falcone, da Operação Mãos Limpas. Moro saiu de férias e vai pedir exoneração em janeiro.

‘Nova Previdência’ não agrada presidente eleito. Jair Bolsonaro disse “não estar batido o martelo” com Paulo Guedes (Economia) sobre reforma da Previdência. O presidente eleito vê com “desconfiança” a ideia de substituir o atual modelo pelo de poupança individual do trabalhador.

Egito reage a Bolsonaro e suspende visita de brasileiros. O governo do Egito suspendeu visita oficial que o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, faria ao país nesta semana a seu convite, informa Lu Aiko Otta, conforme antecipado no estadão.com.br. Foi a primeira reação do mundo árabe às declarações pró- Israel de Jair Bolsonaro. O Egito integra grupo de 21 países árabes que representa o quinto maior mercado para produtos brasileiros.

Eliane Cantanhêde: Bolsonaro brinca com fogo, mas quem está saindo chamuscado com suas propostas é o Brasil.

Bolsa perde estrangeiros, mas ganha investidor local. Incertezas sobre os rumos da economia do País em 2019 e o cenário externo fizeram investidores estrangeiros retirar R$ 6,2 bilhões da Bolsa brasileira em outubro. Aportes de brasileiros, no entanto, foram positivos em R$ 7 bilhões. Em um mês, o Ibovespa teve alta de 8,84%.

Pacotes tributários em estudo. Bolsonaro avalia propostas de reforma tributária. Imposto sobre Valor Agregado e imposto sobre movimentação financeira estão entre as sugestões.

PM usa metralhadoras contra fuga de Marcola. A PM enviou metralhadoras MAG, calibre 7,62 mm, para agentes que cobrem o perímetro da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau e negocia o empréstimo de metralhadoras calibre .50 do Exército para proteger o entorno da prisão onde está a cúpula do PCC. A inteligência da polícia detectou um plano de resgate de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, que prevê o uso de lança-foguetes, metralhadoras e aeronaves.

Reajuste de plano de saúde terá nova regra. A ANS estuda nova regra para o reajuste de planos de saúde. Segundo especialistas, ainda não é possível saber o efeito no valor da mensalidade.

Itália pede extradição de Battisti a Bolsonaro.

Bolsonaro diz ver com ‘desconfiança’ proposta de Previdência de Guedes

Atritos. Egito suspende visita oficial do Brasil após anúncio de Bolsonaro sobre Israel.

Nomeado ministro. ‘Serei um técnico no Ministério da Justiça’, diz Sérgio Moro.

Deputado do DEM. PSL de Bolsonaro resiste a apoiar recondução de Maia ao comando da Câmara.

Indicado para a Defesa. Ninguém está pensando em intervenção militar, diz general Heleno

Governo Bolsonaro. Ministério das Comunicações deve ficar com Ciência e Tecnologia.

Combate a fake News. Fux afirma que ataque contra Bolsonaro ‘acabou com o ambiente civilizado’.

Evento com Bolsonaro. Jornalistas serão proibidos de entrar no plenário da Câmara.

‘Desinformação’, diz FHC sobre publicação de Bolsonaro em rede social.

Editorial1: A Lava Jato e a política. Não se pode confundir a “agenda anticorrupção e anticrime”, prometida por Moro após ter aceitado o convite de Jair Bolsonaro, com uma próxima etapa da Lava Jato.

Editorial2: Política externa e sensatez. Há razões para acreditar que as decisões nessa seara serão pautadas pelo voluntarismo. Casa Civil oficializa 27 nomes para equipe de transição de Bolsonaro. Entre os indicados estão Paulo Guedes, Marcos Pontes e general Augusto Heleno.

Editorial3: Falta o roteiro do crescimento. Qualquer resultado positivo dependerá de condições politicamente complicadas.

*Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo*: Bolsonaro defende algo da reforma da Previdência já. Presidente eleito diz que quer tentar votar idade mínima ainda nesta legislatura. O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), declarou que irá trabalhar para aprovar “alguma coisa” da reforma da Previdência ainda neste ano, apesar do “desânimo em Brasília” após as eleições. “Queremos dar um passo, por menor que seja, na reforma, que é necessária.” Bolsonaro citou idades mínimas para servidores diferentes das do projeto que tramita na Câmara. “Se for possível, passar para 61 anos no serviço público para homem e 56 para mulher e majorar também um ano nas demais carreiras”, disse em entrevista à TV Aparecida. O projeto do governo Temer prevê fixar e igualar a idade mínima para trabalhadores dos setores público e privado. A idade seria de 62 anos para mulheres e 65 para homens. O aumento da idade seria progressivo, sendo fixado em 2032 para todos os trabalhadores. Na semana passada, Paulo Guedes e Onyx Lorenzoni, assessores mais próximos de Bolsonaro, divergiram sobre tentar aprovar algo na atual legislatura.

Bolsa fecha mais uma vez em patamar recorde.

Dodge pede urgência ao STF sobre extradição de Battisti. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, requereu “preferência no julgamento” do italiano Cesare Battisti no STF. Jair Bolsonaro, que fala em extraditá-lo, recebeu ontem o embaixador italiano Antonio Bernardini.

Cármen Lúcia diz ver perigo em mudança conservadora do país. A ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia disse, em seminário, que o Brasil e o mundo passam por mudança perigosamente conservadora. Ela defendeu manutenção de direitos conquistados desde 1988.

Fala de Bolsonaro faz Egito cancelar viagem de comitiva.

Transição tem dez núcleos e sugere o novo ministério. O presidente Michel Temer nomeou ontem 28 indicados de Jair Bolsonaro à equipe de transição. Dez grupos de trabalho foram formados e sugerem o desenho do próximo ministério. Agricultura e Meio Ambiente formam um deles, junto com Produção Sustentável, mesmo após as críticas à fusão.

Congresso terá veto inédito a jornalistas em ato com capitão.

Secretário em SP, Kassab terá foro só em novas ações. O governador eleito em São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou Gilberto Kassab (PSD) como futuro secretário da Casa Civil. Ministro de Michel Temer, ele é acusado de improbidade administrativa e não tem foro privilegiado. Se houver novos processos, terá a prerrogativa.

Alvaro Costa e Silva: Estamos perto de virar filme de ação Witzel garante: atiradores terão licença para matar bandidos no Rio. As ações serão filmadas.

Fusão de ministérios cria dúvidas e conflitos entre órgãos. Entidades que tradicionalmente representam interesses contrários serão agrupados dentro dos mesmos superministérios.

Agricultura e Meio Ambiente cabem num só ministério? Política para meio ambiente é um dos pontos de discordância entre diferentes tribos políticas.

Bolsonaro nomeia para transição dono da maior fornecedora da campanha. Marcos Aurélio Carvalho é um dos 28 nomes divulgados nesta segunda para compor equipe.

Nomeado para transição de Bolsonaro foi preso após queixa de agressão à ex. Eleito deputado federal, Julian Lemos é vice-presidente nacional do PSL.

Negociar será desafio de equipe de transição de Bolsonaro, dizem especialistas. Economistas e técnicos ligados à infraestrutura formam quase a metade do grupo.

Painel: Pacote apoiado por Moro contraria plano de Bolsonaro ao defender CGU autônoma. Presidente eleito sugeriu ao juiz que ele poderia incorporar ao ministério o principal órgão de controle interno do governo.

Não pretendo jamais disputar uma eleição, diz Moro.

Mônica Bergamo:  CNJ deve analisar ao menos quatro representações contra Moro na próxima semana. Uma delas questiona o encontro dele com Paulo Guedes para tratar da sua participação no governo.

Editorial1: Escola sem sentido. Movimento que busca vedar doutrinação em sala de aula parte de preocupação justificável, mas pode desencadear uma caça às bruxas

Editorial2: Progresso, enfim. Brasil sobe 16 postos em ranking que avalia facilidade de fazer negócios.

Manchete e destaques do jornal Valor Econômico: Bolsonaro prevê reforma gradual da Previdência. O presidente eleito, Jair Bolsonaro, deu sinais claros, em duas entrevistas concedidas ontem a emissoras de TV, de que sua visão para a reforma da Previdência é de um ajuste gradual.

Guedes quer um Senai ‘privatizado’ . O mal-estar entre a indústria e o economista Paulo Guedes ganhou mais um capítulo com a informação de que o futuro ministro da Economia, segundo apurou o Valor, quer “privatizar” o Senai.

Ataque ao Sistema S é fruto de ‘desinformação’, afirma presidente da CNI

Sistema S entram na mira de Bolsonaro.

Escolas privadas entram com ação contra Sistema S.

Otimismo leva bolsa a novo recorde. O Ibovespa, principal índice da bolsa de São Paulo, bateu ontem novo recorde ao superar os 89 mil pontos. O índice subiu 1,33%, para 89.598 pontos, numa sessão marcada por giro de R$ 12 bilhões.

Dólar volta a subir em dia de baixa liquidez.

“Vendas” de ETF Brasil alcançam US$ 1,66 bilhão.

Nova CLT não entrega os empregos que prometia. A Justiça do Trabalho não tem demonstrado forte resistência à aplicação da reforma trabalhista, que completa um ano no dia 11. Em meio à crise econômica, porém, as mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) não tiveram o impacto esperado na geração de empregos.

Conclusão de Angra 3 atrai estrangeiras. Cinco empresas e consórcios estrangeiros estão interessados em formar parceria com a Eletronuclear para investir na retomada da construção da usina nuclear de Angra 3, no litoral sul do Rio de Janeiro.

WestRock investe mais R$ 1,3 bi no país. Segunda maior fabricante do mundo de embalagens de papelão ondulado, a WestRock vai investir mais US$ 345 milhões – cerca de R$ 1,3 bilhão – para ampliar suas operações no Brasil.

Novos horizontes. Após consolidar sua posição no varejo como pioneira na distribuição de produtos em plataforma aberta, a XP Investimentos vai ampliar a atuação no mercado de capitais, diz Daniel Lemos.

Europa volta ao mercado de açúcar. Além da dificuldade em exportar açúcar para a União Europeia, o Brasil começará a enfrentar a concorrência cada vez maior de países do bloco no mercado internacional.

Abertura comercial adicionaria 1,5% ao crescimento anual, aponta FGV. Estudo mostra que somente a redução de alíquotas para importação de bens de capital e de informática proporcionar aumento extra de 0,5% ao ano no PIB.

Chineses questionam Blairo sobre posições de Bolsonaro

Conjuntura No pós-eleição, consultorias adotam cautela para o PIB

Otimismo com reformas perde força e previsão é de retomada moderada

NY: Apple pressiona Nasdaq, que destoa de pares e fecha em baixa.

Chance de governo  Bolsonaro aprovar reformas e crescer é baixa, diz especialista.

Bolsonaro fala em usar o modelo de ‘golden share’ para privatizar estatais.

Eleito insiste em embaixada em Jerusalém.

Bolsonaro quer elevar idade mínima ainda neste ano

Aceno de Bolsonaro a Taiwan desanima Pequim.

Egito cancela viagem de comitiva brasileira.

10 grupos técnicos foram formados para a transição.

Com Moro no governo, Lula tenta anular julgamento.

Moro sai de férias antes de pedir exoneração.

Vivemos mudança perigosamente conservadora, afirma Cármen Lúcia.

FHC a Bolsonaro: “A desinformação é péssima conselheira”..

Transição Bolsonaro sugere reforma gradual da Previdência

Presidente eleito prega respeito a contratos e diz que, “às vezes, assessores só pensam em números”

Eleito quer modelo de venda da Embraer

Itália retoma negociação para extraditar Battisti

Escolhas de Onyx e Moro incomodam classe política

Transição Bolsonaro planeja fortalecer Casa Civil. Pasta deverá incorporar Secretaria de Governo; Onyx é nomeado por Temer ministro extraordinário.

Transição Gilmar volta a defender o semipresidencialismo. Ministro do Supremo critica presidencialismo de coalizão,

Moro anuncia pacote contra corrupção.

Nomeação de Moro deu novo fôlego ao discurso da oposição.

Recomposição do sistema partidário é entrave para reformas de Bolsonaro. Para cientista político, eleito deve enfrentar muitas dificuldades, sobretudo porque terá que encontrar saídas para a crise econômica

Legislativo. Incerteza marca eleições para o Congresso dos EUA. Americanos vão às urnas hoje para renovar a Câmara e um terço do Senado. Para analistas, oposição democrata deve obter a maioria na Câmara, o que pode paralisar o Congresso americano.

Editorial: Um roteiro para começar a melhorar a economia. O Banco Mundial calcula que uma redução de 10% na complexidade dos impostos tem efeito comparável a uma redução de 1% na taxa efetiva dos tributos.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu