Judiciário e governança são os destaques das manchetes dos jornais

SINOPSE DE 10 DE MAIO DE 2018 Edição: Sérgio Botêlho  JORNAIS: Manchete e destaques do jornal O Globo: STF discute ampliação de nova regra do foro. Ministro Dias Toffoli
Primeira Hora – Anexo 6

SINOPSE DE 10 DE MAIO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: STF discute ampliação de nova regra do foro. Ministro Dias Toffoli propõe estender mudanças a Executivo e Judiciário. Câmara dos Deputados também instala comissão para rever legislação sobre o tema. O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, encaminhou ontem à presidente Cármen Lúcia proposta para estender a restrição do foro privilegiado a todas as autoridades, além de deputados e senadores. Desde a decisão do STF na semana passada, 44 processos e inquéritos envolvendo políticos já deixaram a Corte. A Câmara instalou comissão especial para analisar proposta sobre o tema/

Corte rejeita pedido de Lula. Quatro dos cinco ministros da Segunda Turma do STF votaram contra recurso da defesa do ex-presidente Lula para libertá-lo/

Argentinos temem nova ‘crise de 2001’. Jovens voltam a pensar em sair do país. Dólar sobe mais, e oposição pressiona Macri. A escalada do dólar, que ontem teve alta de 0,83%, a perspectiva de a inflação passar de 25% este ano e o retorno ao FMI após quase 15 anos reacenderam nos argentinos o temor de que o país mergulhe em uma crise como as de 1989 e 2001 — um “trauma social profundo”, segundo analistas. Os jovens voltam a pensar numa vida melhor no exterior. Em mais um dia de manifestações em Buenos Aires, grupos protestaram contra aumentos de energia e transportes. A pressão da oposição sobre o presidente Mauricio Macri agrava a tensão política. No Brasil, integrantes da área econômica veem risco limitado de contágio/

Míriam Leitão: Cenas do passado. Crise na Argentina e atos de Trump cabem em filmes de época/

Mercado considera R$ 3,50 piso para dólar. Petróleo em alta no exterior, perspectiva de aumento dos juros nos EUA e cenário político instável no Brasil são fatores que devem manter o dólar acima de R$ 3,50, cotação que atingiu em fins de abril e é agora considerada um novo piso pelo mercado. Dólar turismo chegou a R$ 3,99/

PM estava no carro de assassinos de Marielle. A testemunha-chave que envolveu o vereador Marcello Siciliano no assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, disse que um PM lotado no 16º Batalhão (Olaria) participou da execução da vereadora e do motorista. Siciliano afirmou que não conhece o miliciano Orlando de Araújo e voltou a negar ligação com as mortes/

Temer desiste e atua por Meirelles. Sem apoio do PMDB, o presidente Michel Temer confirmou a aliados próximos que não disputará a eleição e sinalizou que atuará nos bastidores pela candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles/

Editorial1: Saída de Joaquim pressiona por definições. Em uma campanha curta, candidatos já devem começar a expor suas propostas sobre questões básicas para o país, o que facilitará a escolha pelo eleitor/

Editorial2: Testemunha reforça papel de milícia no caso Marielle. As denúncias confirmam o fortalecimento de um tipo de crime que está entranhado na máquina pública e tem conseguido escalar representantes no Legislativo.

 

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Gastos dos Estados com Previdência de servidor sobem 111%. Para o economista Raul Velloso, autor do levantamento, números mostram que o rombo enfrentado pelos governadores é mais grave que o do INSS. Os gastos dos Estados com a Previdência dos servidores saltaram de R$ 77,3 bilhões em 2005 (em valores atualizados) para R$ 163 bilhões no ano passado. O aumento foi de 111% em termos reais, ante um crescimento econômico de 28% no período. Para o economista Raul Velloso, autor do levantamento, os números mostram que o rombo da Previdência pública é mais grave do que o déficit do INSS, relativo aos trabalhadores do setor privado. Velloso traça um cenário dramático para o futuro, mas o problema não consta da agenda dos pré-candidatos à Presidência da República. Segundo o economista, os gastos com aposentadoria são o “problema número um” da crise fiscal dos Estados, que atendem 2,7 milhões de funcionários públicos da ativa e 2 milhões de pensionistas e aposentados. O principal motivo apontado é o envelhecimento da população. De 2005 a 2016, Sergipe, Piauí e Santa Catarina registraram os maiores crescimentos nas despesas/

Funcionalismo também paga. O aumento dos gastos com aposentadorias também atinge os servidores. Nos Estados, eles enfrentam elevação das contribuições previdenciárias e até atrasos de salários, como no Rio/

Steinbruch se filia ao PP e é cotado para vice de Ciro. Após se filiar ao PP, em abril, o empresário Benjamin Steinbruch passou a ser cotado para vice na chapa de Ciro Gomes (PDT) para a Presidência. Amigo do pré-candidato, o dono do grupo Vicunha Têxtil e da CSN seria mais uma tentativa de Ciro de se aproximar do mercado financeiro. Segundo o presidente do PDT, Carlos Luppi, Steinbruch tem “o que se quer de um vice”. A legenda ainda busca apoio do PSB após a desistência de Joaquim Barbosa/

Lewandowski nega recurso do ‘Estado’ no caso da censura. O ministro do STF Ricardo Lewandowski negou recurso do Estado contra decisão que impede o jornal de publicar informações da Operação Boi Barrica, envolvendo o empresário Fernando Sarney. O ministro mandou o processo para a 12.ª Vara Cível de Brasília. O jornal está há 3.145 dias sob censura. “Lamento que a decisão aconteça 3 mil dias depois”, disse o advogado do Estado, Manuel Alceu Affonso Ferreira/

Supremo mantém Lula na prisão. Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Edson Fachin, da Segunda Turma do STF, formaram maioria para negar recurso da defesa e manter o ex-presidente Lula preso/

Toffoli propõe tirar foro dos 3 Poderes. O ministro Dias Toffoli encaminhou, no STF, proposta de restrição do foro privilegiado a todas as autoridades que dispõem da prerrogativa, não apenas no Legislativo/

Foto-legenda: No último dia, filas nos TREs. Fila de eleitores no Recife (PE). Em SP, Justiça Eleitoral decidiu concluir hoje o atendimento aos eleitores que foram ontem a cartórios/

Para a McKinsey, País tem de mirar exterior/

Contra fraude, concessão de rodovias vai mudar/

Cresce número de brasileiros em universidades de Portugal. O número de brasileiros em cursos de graduação em universidades de Portugal cresceu 31% nos últimos três anos – eles já são a maioria entre os estrangeiros, à frente dos espanhóis. No ano letivo de 2016/2017, havia 4,9 mil estudantes brasileiros em licenciaturas ou mestrados integrados (cursos de 5 anos). Desde 2014, parte das instituições daquele país passou a considerar a nota do Enem como critério de entrada/

William Waack: Sem ‘outsider’. Brasileiro clama pelo “novo”, mas terá de decidir por candidaturas que só prosperam dentro do arcabouço do “velho”/

Verissimo: Pânico. Seria bom saber a que atribuem a explosiva criminalidade brasileira os que negam que a sua causa seja social/

Editorial1: A recuperação da Petrobrás. Ao alcançar seu maior valor de mercado, a Petrobrás dá um claro exemplo de que, se gerida com competência e responsabilidade, produz resultados/

Editorial2: O jogo perigoso de Trump. Ao retirar os EUA do acordo nuclear com o Irã, ele contrariou poderosos aliados/

 

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Toffoli, do STF, quer foro restrito para todas as autoridades. Ministro encaminha à corte proposta que, se aprovada, restringirá benefícios dos três Poderes em todo o país. O ministro do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli propôs em ofício estender a restrição do foro especial a todas as autoridades. Assim, além de congressistas, também poderiam ter casos remetidos para instâncias inferiores servidores do Executivo, Legislativo e Judiciário nas esferas federal, estadual e municipal. A informação foi antecipada pela coluna Painel. Toffoli apresentou duas propostas. Uma estenderia a nova regra do STF, de foro especial apenas para crimes praticados no cargo e em razão dele, aos três Poderes e ao Ministério Público. A segunda levaria à derrubada das regras de foro da Constituição de alguns estados. Se aprovada, a mudança pode atingir, por exemplo, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, investigado no STF sob suspeita de receber propina da Odebrecht no Rio Grande do Sul/

Mônica Bergamo: Limitação pode respingar em ministros do STJ/

Projeto que cria o cadastro positivo avança no Congresso. A Câmara dos Deputados aprovou o texto-base do projeto de lei que prevê adesão automática de consumidores ao cadastro positivo, que reúne dados de tomadores de crédito. Prevaleceu a proposta da equipe econômica, que vê na iniciativa forma de reduzir juros ao consumidor. A votação de emendas ao texto foi adiada para aproxima terça (is)./

Caixa fará festa para funcionários no Mané Garrincha. Citada em escândalo de corrupção, a Caixa escolheu o estádio Mané Garrincha, símbolo de superfaturamento da Copa,para evento festivo com 6.000 funcionários. A maioria viajará com despesas pagas pelo banco. A instituição mantém em sigilo os custos da festa/

Maioria do Supremo nega pedido para libertar Lula. Três dos cinco ministros que compõem a Segunda Turma do STF votaram contra o pedido do ex-presidente petista. São eles Edson Fachin, Dias Toffoli e Gilmar Mendes/

Assessora do PT cobra aluguel de sem-teto em áudio. Na mensagem, líder do Movimento Moradia Para Todos Ednalva Franco alerta porteiros que devedores não poderiam mais entrar em prédio invadido, informa Leandro Narloch. Franco, assessora de deputada do PT, diz que taxas bancam custos./

Vereador nega que tenha atuado na morte de Marielle. Marcello Siciliano (PHS) negou que tenha sido mandante do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL). “A minha relação com a Marielle era muito boa, não estou entendendo por que esse factoide foi criado contra a minha pessoa”, disse./

Foto- legenda: Último dia para regularizar situação eleitoral teve filas. Atendimento em Cartório Eleitoral do Anhangabaú, em SP; prazo para tirar título, transferir local de votação e registrar biometria terminou ontem/

Editorial1: Fantasmas argentinos. Governo Macri busca o socorro do FMI, o que deve levar ao endurecimento do ajuste econômico/

Editorial2: O resgate de Plutão. Decisão da União Astronômica Internacional ainda suscita incômodo e celeuma.

 

 

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.