Câmara aprova obrigatoriedade de execução orçamentária, pelo governo. Presidente do Senado diz que dará apoio total à proposta

Crédito da foto: Luis Macedo/Câmara dos DeputadosCâmara dos Deputados aprova em primeiro e segundo turnos Emenda à Constituição que torna obrigatória a execução orçamentária das emendas estaduais destinadas a obras e equipamentos e assunto vira destaque na grande mídia. Proposta segue, agora, para o Senado, e presidente da Casa, Davi Alcolumbre, diz que dará apoio total à proposta aprovada na Câmara. Ministro Paulo Guedes adia presença na CCJ, para falar sobre Reforma da Previdência, após confirmação. Petrobras anuncia reajustes de 15 em 15 dias, para o diesel, para evitar greve de caminhoneiros. Leia a sinopse:

? Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 137

?Edição: Sérgio Botêlho

? A 279 dias do fim do ano de 2019, hoje é quarta-feira, 27 de março de 2019, 86º dia do ano.

? Editorial:

? Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a terça-feira, 26, em alta de 1,76%, a 95.307 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,26%, a R$3,87, e o euro em baixa de -0,14%, a R$ 4,36.

? Denúncias:

“Dar posse a deputados presos é um acinte à luta contra a corrupção. Quatro parlamentares assinaram termo no presídio Bangu 8, fato inédito na história da Assembleia.” Editorial do O Globo.

? Denúncias:

“55 anos do golpe. Justiça reconhece 1ª vítima da ditadura, um militar morto 4 dias depois do golpe.” Na Folha.

?Economia:

“Petrobras anuncia reajuste do diesel a cada 15 dias. O preço do óleo diesel nas refinarias da Petrobras será reajustado a cada 15 dias e não mais a cada sete dias, como ocorria desde janeiro, com o fim do subsídio do governo federal ao combustível. A estatal vai lançar ainda o Cartão Caminhoneiro. Para analistas, medidas visam evitar nova greve dos caminhoneiros.” Na capa do O Globo.

?Economia:

“Com ameaça de greve, estatal muda política de diesel. A Petrobrás anunciou medidas favoráveis a caminhoneiros, que articulam greve. Empresa mudou a política de preços do diesel, uma das causas da crise de 2018, e criou o ‘cartão caminhoneiro’”. Na capa do Estadão.

?Economia:

“A conta do diesel. Decisão da Petrobras de ajustar o preço do diesel a cada 15 dias é defensável.” Editorial da Folha.

?Economia:

“As seis mil vagas oferecidas pelo Mutirão do Emprego, da prefeitura de São Paulo e do Sindicato dos Comerciários, levaram 15 mil pessoas ao Vale do Anhangabaú, no Centro da capital. Previsto para acabar na sexta-feira, o mutirão vai se estender por dez dias.” Na capa do O Globo.

?Economia:

“Consumo deve crescer pelo 3º ano e puxar PIB. Natureza do crescimento não assegura recuperação mais forte, mas crescem as projeções otimistas.” No Valor Econômico.

?‍?Educação:

“Idas e vindas – MEC anula portaria da véspera e exonera presidente do Inep.” Na capa do O Globo.

?‍?Educação:

“Novo recuo de Vélez mostra MEC à deriva. Depois de 15 exonerações, decisões polêmicas e 6 recuos, o Ministério da Educação (MEC) se mostra à deriva. Ontem, o ministro Ricardo Vélez Rodríguez desfez medida tomada no dia anterior – sem que ele soubesse – de não avaliar crianças em fase de alfabetização. Segundo analistas de educação, o episódio aponta falta de articulação. Ele tem dificuldade para montar a equipe, já foi desautorizado pelo Planalto e tem auxiliar que acumula duas secretarias. No Inep, deve assumir o general Mamede de Brito Filho, que não trabalha com educação.” Na capa do Estadão.

? Governo:

“Corte de R$ 30 bi deve prejudicar funcionamento de ministérios. O corte de R$ 30 bilhões no Orçamento federal deve afetar o funcionamento de ministérios, informam Adriana Fernandes e Idiana Tomazelli. A proposta é bloquear 21% das despesas com custeio e investimentos não obrigatórios. Saúde e Educação serão as únicas pastas poupadas. Com a medida, gastos não obrigatórios ficarão em R$ 90 bilhões, menor valor da série histórica, iniciada em 2008.” Na capa do Estadão.

? Governo:

“Vice reúne 700 empresários em evento na Fiesp. Hamilton Mourão foi ontem o centro das atenções de dois eventos com empresários e executivos do País. Em discurso para 700 dirigentes ligados à Fiesp, ele defendeu o diálogo do governo com parlamentares e pediu confiança no Executivo. À noite, participou de jantar oferecido por Paulo Skaf.” Na capa do Estadão.

? Governo:

“Criticado, governo decide alterar time de comunicação.” Na capa da Folha.

?Internacional:

“Venezuela em crise – Novo apagão leva governo a decretar feriado”. Na capa do O Globo.

?Internacional:

“Grupo paramilitar cerca Assembleia na Venezuela. Políticos da Assembleia Nacional, de maioria opositora, foram cercados na tarde de ontem no prédio onde o órgão funciona em Caracas. Comboio do líder Juan Guaidó e jornalistas foram atacados pelos coletivos na saída.” Na capa da Folha.

?Internacional:

“Michelle já vendeu 10 milhões de livros. A autobiografia de Michelle Obama, “Minha História”, caminha para se tornar o livro de memórias de maior sucesso do mercado editorial, após vender mais de 10 milhões de volumes.” Na capa do Valor Econômico.

?Internacional:

“Brasil provoca controvérsia na OIT. O governo brasileiro ameaça deixar a Convenção 169, que trata dos direitos dos povos indígenas na Organização Internacional do Trabalho, em mais um reposicionamento de Brasília na cena internacional.” Na capa do Valor Econômico.

?Investigações:

“Relato de Cabral põe Fisco do Rio na mira da Lava-Jato. Em depoimento ao juiz Marcelo Bretas, o ex-governador Sérgio Cabral confessou, pela primeira vez, que recebeu propinas de uma empresa em troca de concessões tributárias. Relato abre nova linha de investigação da Lava-Jato, sobre corrupção na área fiscal do estado.” Na capa do O Globo.

?Investigações:

“Brasileiros presos por venda de falsa cidadania na Itália. Sete brasileiros foram presos na Itália acusados de vender cidadania fraudada. Autoridades estimam que mais de 800 títulos de nacionalidade podem ser invalidados. Um padre também foi detido, suspeito de falsificar certidões de batismo.” Na capa do O Globo.

⚖️Justiça:

“Defesa de Lula tenta chicana na Justiça Eleitoral.” Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

⚖️Justiça:

“CPI da Lava Toga é arquivada pela 2ª vez.” Na capa do Estadão.

⚖️Justiça:

“Estado de Direito preservado. Ignorar os requisitos legais da prisão preventiva agride o Estado Democrático de Direito.” Editorial do Estadão.

⚖️Justiça:

“Disputa pela PGR deflagra lobby de procurador militar. Chefe do Ministério Público Militar, Jaime de Cássio Miranda encaminhou ofício ao presidente Jair Bolsonaro no qual questiona como será a escolha do substituto de Raquel Dodge na Procuradoria-Geral da República.” Na capa da Folha.

⚖️Justiça:

“A correta proposta de Dodge à Justiça Eleitoral. Juízes federais atuarem em casos de caixa 2 garantirá um melhor cumprimento da decisão do STF.” Editorial do O Globo.

?Política:

“Câmara desafia Planalto e aprova limite a poder de gasto do governo. Derrota por 453 votos a 6 ocorreu após Paulo Guedes desistir de explicar reforma da Previdência a deputados e ida de Onyx ao Congresso.” Manchete de capa do O Globo.

?Política:

“Câmara mostra força e limita poder de gasto do governo. PEC aprovada por ampla maioria torna obrigatório pagamento de despesas que hoje podem ser adiadas.” Manchete de capa do Estadão.

?Política:

“Presidente do Senado diz que dará ‘total apoio’ a Orçamento impositivo.” No Valor Econômico.

?Política:

“Câmara manda recado forte à equipe econômica.” Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

?Política:

“Presidente briga até com o passado.” Na coluna de Bernardo Mello Franco, no O Globo.

?Política:

“Bolsonaro procura firmar-se criando tensões”. Na coluna de Elio Gaspari, no O Globo.

?Política:

“Guedes adia ida à CCJ. O ministro da Economia, Paulo Guedes, desistiu ontem de ir à CCJ da Câmara, o que desagradou aos parlamentares. O ministro argumentou que ainda não havia um relator da reforma da Previdência, mas ele foi orientado a não ir para evitar ataques.” Na capa do Estadão.

?Política:

“Bolsonaro cria ruído e está cercado de gente que gosta de comprar brigas inúteis.” Na coluna de Mônica de Bolle, no Estadão.

?Política:

“Festejo indevido. Bolsonaro determina comemorações de golpe, no que felizmente deve ser contido.” Editorial da Folha.

? Política:

“Política destrutiva de Jair Bolsonaro abala apoio até entre militares. Já há general questionando se governo sobreviverá após o embate da Previdência.” Na coluna de Igor Gielow, na Folha.

? ? Política e Previdência:

“Líderes criam frente para mudar texto da Previdência. Desconstitucionalização é alvo de deputados, que aprovam PEC para liberar emendas”. Manchete de capa da Folha.

? ? Política e Previdência:

“Planalto piora as condições para aprovação de reformas. O uso compulsivo do confronto, além de afastar aliados e potenciais aliados, arranhou o prestígio de Bolsonaro.” Editorial do Valor Econômico.

? Previdência:

“Sem cortar tropa, projeto de militares custa R$ 23 bi. A economia de R$ 10,4 bilhões em 10 anos, prevista com a reforma da previdência dos militares, só será possível com o corte de 10% do efetivo, ou 36 mil dos 368 mil postos atuais. Sem a redução, a proposta teria custo de R$ 23 bilhões ao longo dos próximos anos, o que não foi aceito pela equipe econômica.” Na capa do Estadão.

? Previdência:

“O ‘abacaxi’ da Previdência. Paulo Guedes foi designado por Jair Bolsonaro como articulador da reforma da Previdência no Congresso, como se isso bastasse para aplacar os ânimos hostis à proposta.” Editorial do Estadão.

? Previdência:

“Plano para militar contraria a ideia de flexibilizar gastos. O plano de reestruturação das carreiras militares, apresentado na semana passada, vai diminuir ainda mais a margem de manobra para uso dos recursos orçamentários.” Manchete de capa do Valor Econômico.

? ? Saúde e Política:

“O pesadelo do sono de Bolsonaro. Em uma de suas internações os médicos conferiram a qualidade do sono de Jair Bolsonaro e registraram 89 breves interrupções por hora. E perguntaram: “Como é que você consegue raciocinar?”. Sono é coisa séria.” Na coluna de Elio Gaspari.

Destaque histórico:

“Em 27 de março de 1940, durante a II Guerra Mundial, Heinrich Himmler ordena a construção do campo de concentração de Auschwitz, o maior do regime nazista. Localizado ao sul da Polônia, possuía três campos – de prisioneiros, de extermínio e de trabalhos forçados.” No portal Terra.

?Positivo:

“Cine-debate dá voz às mães de vítimas da violência estatal. Evento promovido pela 7ª Câmara discutiu o protagonismo das mulheres no enfrentamento à violência e à letalidade policial.” No portal do MPF.

?Negativo:

A saga continua: “Boeing 737 Max faz pouso de emergência na Flórida”. Na revista Exame online.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments