Lei eleitoral e partidária, e Selic são os temas das manchetes

? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ?

? Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 313- A 103 dias do fim do ano de 2019, hoje é quinta-feira, 19 de setembro de 2019, 262º dia do ano.

*Sinopse da grande mídia impressa*:

Aprovação, na Câmara, do projeto que muda regras partidárias e legislação eleitoral é destaque na Folha e no O Globo, enquanto o Estadão e o Valor Econômico dedicam suas manchetes à redução, pelo Banco Central, dos juros Selic a 5,5%.

? Edição: _Sérgio Botêlho_

? *Manchetes do dia*:

“Câmara reabilita projeto que afrouxa lei eleitoral. Medidas mais contestadas são abandonadas, mas brecha a caixa 2 permanece”. Manchete de capa da Folha.

“Reforma eleitoral passa na Câmara com trecho que facilita caixa 2. Deputados aprovam texto-base após acordo com centrão que retomou pontos polêmicos”. Manchete de capa do O Globo.

“Juro básico cai para 5,5% ao ano e BC indica novos cortes. Taxa Selic é a mais baixa da série histórica; atividade econômica fraca e inflação sob controle contribuíram para decisão”. Manchete de capa do Estadão.

“Taxa de juros do Banco Central deve fechar ano abaixo de 5%”. Manchete de capa do Valor Econômico.

? *Editoriais do dia*:

“A busca pelo equilíbrio na Amazônia. Deve-se chegar ao consenso sobre a execução de projetos que protejam a floresta sem impedir sua exploração”. Editorial do O Globo.

“Caso Marielle precisa ter como foco a identificação do mandante. Disputas em torno da investigação deveriam dar lugar a um trabalho conjunto para esclarecer o crime”. Editorial do O Globo.

“Uma reforma sem projeto. Durante a campanha eleitoral e depois, em quase nove meses de governo, o atual ministro da Economia nunca iniciou uma discussão ampla sobre o tema”. Editorial do Estadão.

“Confiança nos negócios. Segundo o Barômetro de Confiança Edelman 2018, 48% das pessoas não acreditam que nos negócios ‘se faça a coisa certa’”. Editorial do Estadão.

“A insensibilidade da Justiça. STJ tomou duas medidas que devem aumentar ainda mais as despesas do Judiciário”. Editorial do Estadão.

“Meu pirão primeiro. Corrida por verba envolve de militares a congressistas e impõe mediação política”. Editorial da Folha.

“O sol é para todos. Energia solar implica custo, mas benefício ao clima deve ser considerado”. Editorial da Folha.

? *Outros destaques*:

“Manifesto une 230 fundos pela Amazônia”. Na capa do Valor Econômico.

“Fundos que gerem R$65 tri, 9,5 vezes o PIB do Brasil, cobram proteção da Amazônia.” Na capa do O Globo.

“BC reduz juros a 5,5% ao ano, menor marca histórica. Selic vai a 5,5%, menor patamar da série histórica, enquanto taxa básica do Fed fica entre 1,75% e 2%. Copom menciona cenário favorável para a inflação, em meio à desaceleração da economia global. Analistas esperam novos cortes”. Na capa do O Globo.

“Petrobras sinaliza independência e reajusta combustível. Petrobras reajusta combustíveis dois dias depois da disparada global do petróleo”. Na capa do O Globo.

“Petrobrás eleva preço do diesel e da gasolina. Nas refinarias, preço da gasolina vai subir 3,5% e o do óleo diesel, 4,2%; alta reflete aumento do petróleo após ataque à Arábia Saudita”. Na capa do Estadão.

“Coaf esvazia produção de relatórios e enfrenta paralisia após decisão de Toffoli”. Na Folha.

“Aliado de Moro, Valeixo continua na direção da PF. Maurício Valeixo, cuja saída era dada como certa após declaração do presidente, foi informado de que, por ora, não será substituído”. Na capa do Estadão.

“Sem o 13, bolão do PT leva R$ 120 milhões da Mega-Sena. Cada um dos 49 funcionários da liderança da sigla na Câmara vai ganhar R$ 2,4 milhões. Nenhum parlamentar se inscreveu, e ‘socialização do prêmio’ vira alvo de brincadeiras durante votação. 13 não foi um dos números sorteados”. Na capa do O Globo.

“Bolão de assessores do PT ganha Mega-Sena de R$ 120 milhões”. Na Folha.

“Liderança do PT ganha R$ 120 milhões. Prêmio será dividido entre 49 cotas do ‘bolão’”. Na capa do Estadão.

“Agressor terá que arcar com custos do SUS. Lei que obriga agressor a ressarcir o SUS divide especialistas e vítimas”. Na capa do O Globo.

“Bancada evangélica prega parceria com ministros de Bolsonaro contra Supremo”. Na Folha.

“Dono da Havan é condenado por fazer propaganda irregular de Bolsonaro”. No Valor Econômico.

“TSE condena Luciano Hang a pagar R$ 2.000 por vídeo de apoio a Bolsonaro na eleição”. Na Folha.

“Interino na PGR anuncia volta de grupo da Lava Jato que se afastou sob Dodge”. Na Folha.

“Ex-executivo da Odebrecht que delatou Aécio e Lobão na Lava Jato é encontrado morto”. Na Folha.

“Advogado é condenado por tribunal da OAB por excesso de entrevistas à imprensa”. Na Folha.

“Juiz que trabalhou para Gilmar atacou trunfo da Lava Jato ao rejeitar denúncia contra Lula”. Na Folha.

“Juiz da Lava Jato diz que parte dos diálogos de Lula ficou sob sigilo por privacidade”. Na Folha.

“Denunciado no caso Marielle coloca apadrinhado na chefia da Assembleia do Rio”. Na Folha.

“Confiança de CEOs nos Estados Unidos caiu pelo sexto trimestre consecutivo e reduz investimentos”. Na capa do Valor Econômico.

“Embraer entra em estado de greve e pode parar na segunda-feira”. Na capa do Valor Econômico.

“Mancha de poluição do Tietê cresce 33%. Aumento da poluição no rio é resultado de fatores como urbanização e falta de saneamento; governo promete despoluição até 2027”. Na capa do Estadão.

“Ilegal, cigarro eletrônico tem venda livre na web. Anvisa determinou desde 2017 a retirada de 727 anúncios online do item, oferecido em formatos de lápis, batom e até pen drive; modelo virou alvo de autoridades de saúde nos EUA após registro de sete mortes que podem estar ligadas ao uso desse produto”. Na capa do Estadão.

“União Europeia veta 28 ativos de agrotóxicos liberados no Brasil”. Na capa da Folha.

“Huawei vai investir US$1,5 bi para atrair desenvolvedores de softwares”. Na capa do Valor Econômico.

“Arábia Saudita: destroços atestam autoria do Irã. Sauditas exibem restos de drones e mísseis como prova ‘inegável’”. Na capa do O Globo.

“EUA acusam Irã de ‘ato de guerra’ contra sauditas. Secretário de Estado americano, Mike Pompeo, acusa Teerã de estar por trás de ataques que interromperam parte da produção de petróleo da Arábia Saudita; Trump promete novas sanções contra regime iraniano que serão detalhadas até sexta-feira”. Na capa do Estadão.

? *Colunas e artigos*:

“Escolas militarizadas não são modelo para o país”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Guedes defende atos de sua gestão, mas autonomia encolheu”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Mau humor domina economia, artes e jornalismo”. Na coluna de Ascânio Seleme, no O Globo.

“ONG vê ‘sinal verde’ para as milícias amazônicas”. Na coluna de Bernardo Mello Franco, no O Globo.

“Apostas em política externa baseadas em laços pessoais entre governantes causam mais problemas do que resolvem.” Na coluna de William Waack, no Estadão.

“Quando os bons atrapalham… Quanto mais leio as declarações de pessoas, que reputo boas e acima de qualquer suspeita, sobre determinados temas de interesse nacional, mais fico preocupado com o nível de obstáculos, preconceitos e injustiças que lançam diariamente na imprensa, prejudicando o desenvolvimento nacional”. Artigo de Ives Gandra da Silva Martins, professor emérito da Mackenzie e da ESG, no Estadão.

“Ativismo ambiental judiciário. Não trato aqui da grave crise conjuntural das queimadas na Região Amazônica. Trato da insegurança jurídica criada por um setor dito ambientalista que insistentemente nega decisões obtidas por ampla maioria no Poder Legislativo e confirmadas pelo Poder Judiciário.” Artigo de Pedro de Camargo Neto, doutor em Engenharia da Produção, pecuarista e ex-presidente da Sociedade Rural Brasileira, no Estadão.

“Transcorridos mais de 20 anos do lançamento do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (Proer), bancos privados que receberam recursos públicos ainda devem mais de R$ 28 bilhões à União.” Na coluna do Estadão.

“O mergulho continua. A novidade principal não é a queda histórica dos juros no Brasil, mas a queda da inflação para níveis há muito não vistos por estas paragens.” Na coluna de Celso Ming, no Estadão.

“Sinto, logo acredito nas fake news. Mudanças legais para rastrear as mentiras continuam fora da mesa”. Na coluna de Roberto Dias, na Folha.

“Bolsonaro age na origem para asfixiar possíveis rivais de 2022. Rompimento do PSL com Witzel e ataques a Huck criam obstáculos na centro direita”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

“Intolerância aos intolerantes. Ao publicar fotos e nomes de jornalistas, que intenção, além do linchamento, tinha Eduardo Bolsonaro?” Na coluna de Mariliz Pereira Jorge, na Folha.

“Desigualdade à brasileira. Em nosso país, o 1% mais rico se apropria de mais de 1/4 da renda total”. Na coluna de Maria Hermínia Tavares de Almeida, na Folha.

“’Backlash’. Partidos não querem dividir fundos com as candidatas”. Artigo de Marta Suplicy, na Folha.

“Muito mais que uma carteirinha. Ato do governo visa retaliar entidades estudantis”. Na coluna de Iago Motalvão, na Folha.

“A decisão do TSE de cassar 6 vereadores no Piauí por terem fraudado a cota para candidaturas femininas tende a gerar um efeito cascata em diversos estados e na Câmara. Considerada por especialistas em direito eleitoral um recado forte da corte, deve levar juízes de instâncias inferiores a adotar o mesmo entendimento.” No Painel da Folha.

“O quinto poder e as regras eleitorais. Novo movimento é, por definição, reativo e efêmero. De um modo muito geral, a regra é a seguinte: grupos bem organizados, com interesses concentrados, tendem a ganhar o jogo; grupos maiores, inorgânicos e com interesses difusos, tendem a perder.”. Na coluna de Fernando Schüler, na Folha.

“Não é uma maioria bolsonarista que se acotovela nas filas de emprego, mas entre seus eleitores prevalece o arrependimento”. Na coluna de Maria Cristina Fernandes, no Valor Econômico.

“Flexibilizar o teto de gastos é mais uma das velhas tentativas de crescer sem corrigir o que está estruturalmente errado”. Artigo de Pedro Ferreira e Renato Fragelli, no Valor Econômico.

“Árabes-israelenses despontam como vencedores das eleições”. Na coluna de Guga Chacra, no O Globo.

? *Mercado*: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quarta-feira, 18, em baixa de -0,08%, a 104.532 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,64%, a R$4,10. O euro fechou em alta de 0,22%, a R$4,52.

⏳ *Destaque histórico*: “Em 19 de setembro de 1893, a Nova Zelândia torna-se o primeiro país a garantir o direito de voto à mulher”. No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments