Eleições 2018, economia e violência são os destaques dos jornais

Eleições 2018, economia e violência são os destaques dos jornais. Pouca renovação nas candidaturas chama a atenção; empresas veem dívida crescer com alta do dólar; PM que matou ladrão é
Primeira Hora – Anexo 6

Eleições 2018, economia e violência são os destaques dos jornais. Pouca renovação nas candidaturas chama a atenção; empresas veem dívida crescer com alta do dólar; PM que matou ladrão é condecorado pelo governo paulista

SINOPSE DE 14 DE MAIO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Partidos frustram demanda por renovação. Só 15 outsiders concorrem a governador nos 26 estados e no DF. Forças tradicionais da política e clãs regionais dominam o pleito, apesar da busca do eleitorado por caras novas. Mapeamento dos 26 estados e no Distrito Federal mostra que apenas 15 dentre mais de uma centena de pré-candidatos a governador podem ser considerados outsiders, e a maioria deles está em partidos pequenos, com poucos recursos e escasso tempo de TV. Assim como na eleição presidencial, o desejo dos eleitores de renovação está sendo frustrado pelos partidos. Governadores, ex-governadores, senadores e deputados federais dominam o pleito/

Estatais tentam driblar regras. Quase dois anos após a Lei das Estatais entrar em vigor, as empresas ainda tentam contornar a legislação, que proíbe nomeações políticas. A CVM, órgão regulador, já vetou indicações a comitês, conselho fiscal e até para companhias privadas que têm estatais entre os principais acionistas/

Vereador ligava para milicianos. Grampos comprovam que o vereador Marcello Siciliano, envolvido por testemunha na morte de Marielle Franco, falava com milicianos/

Linhas de ônibus reduzem frota. Levantamento do GLOBO mostra que 61% das linhas de ônibus do Rio circulam com menos veículos que o exigido em contrato. Prefeitura diz estar multando empresas que não cumprem as regras/

Mudança marca os 70 anos de Israel. É de tensão o ambiente em torno da mudança da Embaixada dos Estados Unidos de Tel Aviv para Jerusalém hoje, aniversário de 70 anos da criação de Israel. O Exército israelense dobrou a presença de tropas na Faixa de Gaza, temendo protestos. Os enviados HELOISA TRAIANO e PABLO JACOB mostram a face de um país construído sobre tradições e guerras/

Editorial: Foro privilegiado. Ajuste necessário. Rever a prerrogativa no caso de deputados e senadores indica o caminho a seguir

 

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Alta do dólar faz dívida de empresas crescer R$ 115 bi. Dados do Banco Central mostram que 46,9% das companhias não têm proteção contra variação cambial/

Pressão crescente. A corrida por hedge (proteção) impulsionou cotações do dólar à vista no Brasil nas últimas semanas, em meio à perspectiva de elevação de juros nos Estados Unidos e as disputas comerciais de Donald Trump com a China/

Partidos usam arrecadação online fora do prazo do TSE. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abre amanhã o prazo para arrecadação antecipada de doações de pessoas físicas por meio de vaquinhas online (crowdfunding). Pelo menos quatro pré-candidatos à Presidência já se beneficiaram de financiamentos online extraoficiais – Manuela D’Ávila (PCdoB), Jair Bolsonaro (PSL), Ciro Gomes (PDT) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)/

‘Eleitores estão sem perspectiva’. Entrevista Marcia Cavallari, diretora executiva do Ibope. A diretora executiva do Ibope Inteligência, Marcia Cavallari, diz que as pesquisas mostram eleitores de perfis variados “sem perspectiva de melhora” em relação ao futuro. “Não conseguem ver como sair desse lugar em que estamos, não conseguem enxergar uma luz no fim do túnel.”/

Facções trocam carros do Brasil por armas na Venezuela. Facções criminosas brasileiras aproveitam o aumento do fluxo migratório entre Venezuela e Brasil e as falhas na fiscalização da fronteira em Roraima para ampliar o tráfico de armas e drogas entre os dois países. Bandidos fazem sequestro relâmpago de donos de carros de luxo e trocam os veículos em território venezuelano/

Cida Damasco: Candidatos que parecem ter musculatura para enfrentar a corrida até outubro começam a dar pistas de suas propostas/

Lúcia Guimarães: A usina de ultraje se beneficia quando leva o discurso público para submundo que pensávamos estar confinado às margens/

Editorial1: A desídia do Congresso. Parlamentares estão muito aquém do que o cargo exige. Entretidos com seus interesses, mostram-se incapazes de detectar agressões ao interesse público/

Editorial2: Enxugando gelo. Regimes especiais de aposentadoria aumentam a pressão sobre gastos com inativos e complicam as finanças dos Estados/

Editorial3: Virulência persistente. Levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas deixa claro o papel que os benefícios previdenciários tiveram no aumento do custo do setor público no agravamento da crise.

 

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Governo celebra PM que matou ladrão e contraria polícia. Ação de Márcio França (PSB) se opõe à estratégia da cúpula da segurança em sP, que tenta reduzir índices de letalidade/

Lentidão da Justiça é uma das causas de juro alto no país. Morosidade do Judiciário, competição reduzida entre os bancos e aversão de juízes a juros altos estão entre as causas da persistência das altas taxas de empréstimos bancários no Brasil, segundo estudos. “O Judiciário tem sido incapaz de dar respostas minimamente rápidas”, diz Bruno Salama, da Fundação Getulio Vargas, autor de pesquisa/

‘PT, PSDB e MDB devem explicações sobre Lava Jato’. Entrevista da 2ª – André Singer. Autor de “O Lulismo em Crise: um Quebra-Cabeça do Período Dilma (2011- 2016)”, cientista político aposta que Lula exercerá enorme influência mesmo preso. Para ele, PT, PSDB e MDB precisam acertar contas com erros revelados pela Lava Jato/

Ao deixar governo, Temer enfrentará ao menos 4 ações/

Marcus André Melo: Agenda penal do STF engendrou politização intensa.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.