Eleição e economia são os destaques das manchetes dos jornais

Primeira Hora – Anexo 6

_SINOPSE NACIONAL DE 22 DE AGOSTO DE 2018_

Edição: Sérgio Botêlho 

*_JORNAIS_*:

*Manchete e destaques do jornal O Globo*: Metade dos brasileiros de baixa instrução está sem candidato. Voto nulo, em branco ou indeciso também é alto entre mulheres e na faixa de renda de até um salário. Metade dos eleitores brasileiros que cursaram, no máximo, até a 4ª série do ensino fundamental declara voto nulo ou em branco (34%) ou está indeciso (15%) na eleição presidencial, no cenário sem o ex-presidente Lula na disputa. O registro de sua candidatura já foi contestado na Justiça Eleitoral. O não voto —soma de brancos e nulos com indecisos —também aparece em outros recortes do eleitorado: entre as mulheres (44%); na faixa mais pobre da população, com renda até um salário mínimo (43%); e no Nordeste (41%). Os números foram levantados na pesquisa Ibope divulgada anteontem/

‘Andrade’ inicia busca de votos no Nordeste. Em campanha na Bahia, o vice petista Fernando Haddad não foi reconhecido pelos eleitores, que chegam a confundir seu nome/

Cenário eleitoral indefinido leva dólar a ultrapassar R$ 4. Entre 24 moedas de emergentes, real teve a maior queda ontem. Perdas de ações de estatais fizeram Ibovespa recuar 1,5%/

Ameaçados, partidos lançam número recorde de candidatos a deputado/

Otavio Frias Filho, modernizador da imprensa, aos 61. Diretor de Redação da “Folha de S. Paulo” por 34 anos, Otavio Frias Filho comandou o processo de renovação da imprensa brasileira a partir dos anos 80, implantando linha editorial “crítica, apartidária e pluralista”. Foi dramaturgo e ensaísta/

Violência da PM faz mais uma vítima. A costureira Vânia Tibúrcio foi baleada na cabeça por um PM, em Caxias, durante abordagem a seu carro, que constava como roubado, apesar de recuperado. Com o segundo dia de operação militar na qual morreram um cabo e um soldado, já são 70 detidos/

Míriam Leitão: Para blindar Lula, PT culpa Dilma pelos erros na economia/

Pedro Doria: Twitter é rede miúda frente a outras, mas influencia debate político/

Bernardo Mello Franco: Marina, Ciro e Haddad, ex-ministros de Lula, disputam seu espólio/

Para captar dólares, governo libera compra por bancos/

Editorial1: Ativismo e má gestão prejudicam vacinação no país. Desarranjo administrativo da era Lula-Dilma levou ao desmonte dos sistemas de prevenção de doenças/

Editorial2: Ataques de Trump à imprensa dos EUA são um desafio à democracia. Presidente americano se refugia no papel de vítima de conspiração orquestrada por ‘forças ocultas’.

*Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo*: Pesquisa leva dólar a R$ 4 e faz campanhas revisarem estratégias. Moeda atinge R$ 4,04, maior patamar em 30 meses, com incerteza do mercado após levantamento Ibope/Estado/TV Globo; candidatos repensam planos eleitorais. O dólar subiu ontem pelo quinto dia seguido e superou a barreira dos R$ 4, fechando em R$ 4,04. A alta de 2,13% foi alimentada pela mais recente pesquisa Ibope/Estado/TV Globo para presidente, que mostra Jair Bolsonaro (PSL) isolado na liderança, seguido por Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Fernando Haddad (PT) no cenário sem Luiz Inácio Lula da Silva, preso e condenado por corrupção. Foi a maior cotação da moeda americana em dois anos e meio, quando os mercados repercutiam rebaixamento do Brasil promovido na véspera pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s. Na ocasião, a moeda chegou a R$ 4,05. Também por causa da pesquisa e da resiliência de Bolsonaro, Alckmin, Ciro e Marina estão revisando suas estratégias de campanha em busca de vaga no segundo turno/

‘Meu país merece respeito’, diz FHC. Em artigo no Financial Times, Fernando Henrique Cardoso rebateu afirmação de Lula, que em artigo no The New York Times afirmou estar em curso um golpe no Brasil/

Candidatos declaram ter R$ 304 mi em dinheiro vivo. Candidatos aos cargos em disputa nas eleições declararam à Justiça Eleitoral possuir R$ 304 milhões em dinheiro vivo – R$ 3 milhões a mais do que em 2014, se considerado o valor nominal. Caso fosse corrigido pela inflação acumulada no período (IPCA), o montante declarado em agosto de 2014 pelos candidatos equivaleria hoje a R$ 384 milhões. Quem declarou ter mais dinheiro em espécie é o comerciante e atual suplente de deputado Juraci Tesoura de Ouro (PTB-DF): R$ 5,3 milhões/

STF mantém Dirceu livre. A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal decidiu ontem, por 3 votos a 2, manter em liberdade o ex-ministro José Dirceu (PT) e o ex-assessor do PP João Cláudio Genu/

Tremor e conflito assustam Pacaraima. Refugiados venezuelanos recebem alimentos no centro de acolhimento montado pelo Exército em Pacaraima, em Roraima. O tremor de terra ocorrido no final da tarde na Venezuela, sentido na fronteira do Brasil, interrompeu por minutos o clima de conflito entre brasileiros e venezuelanos na cidade. Mas permanece a tensão entre moradores e refugiados, após o confronto de sábado/

Caixa anuncia plano para salvar Porto Maravilha. A Caixa vai colocar à venda ativos do fundo imobiliário que administra no Porto Maravilha, no Rio, para tentar salvar a maior Parceria Público- Privada (PPP) do País, com investimentos estimados em R$ 10 bilhões. A revitalização da zona portuária do Rio foi apresentada como um dos principais legados da Olimpíada, mas enfrenta dificuldades para ser concluída/

Morre Otavio Frias Filho, responsável pelo Projeto Folha. Morreu ontem, aos 61 anos, o jornalista, dramaturgo e ensaísta Otavio Frias Filho, diretor de Redação do jornal Folha de S. Paulo. Ele foi o responsável por consolidar o Projeto Folha, um conjunto de medidas editoriais que estabeleceu normas de escrita e conduta do jornal, considerado um dos marcos da imprensa brasileira/

Vera Magalhães: Haddad parece disposto a abrir mão da própria biografia para personificar a do padrinho/

Monica de Bolle: O “bolívar soberano”, nova moeda da Venezuela, tem tudo para ser retumbante fracasso/

Editorial1: Bolsonaro e a imprensa. As “opiniões” desse candidato sobre ditadura, mulheres, homossexuais e bandidos já são conhecidas. É preciso questioná-lo sobre Previdência, dívida pública e outros temas cruciais/

Editorial2: Encontro com a realidade. Candidatos podem negar os desafios mais prementes, como o das contas públicas, mas todos estarão à mesa do eleito/

Editorial3: Os penduricalhos da Justiça. Tramitam atualmente no STF quase duas dezenas de ações questionando a constitucionalidade de bonificações e gratificações pagas à magistratura.

*Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo*: Nova pesquisa DataFolha. Preso, Lula tem 39%; sem ele, Bolsonaro lidera com 22%. O petista Fernando Haddad tem dificuldade de herdar votos do ex-presidente, mostra pesquisa Datafolha/

Com vídeo e visita à Bahia, PT inicia fusão das imagens de Lula e Haddad. Ex-prefeito de SP fez caminhada por Salvador; campanha estreia propaganda com foco em vice/

‘Falta à esquerda a humildade de pisar no barro’, afirma Boulos. Haddad precisa se conectar com o povo e PT deve lembrar ‘lições do golpe’, diz candidato/

Ciro cogita fixar o teto de gastos sem afetar investimento do país/

Sonho de todos é ir ao 2º turno com Bolsonaro, diz Alckmin. Para candidato do PSDB, seus rivais preferem enfrentar o capitão reformado a tucano/

Reduto do PSDB. Bolsonaro vai ao interior de São Paulo em busca de voto tucano/

Doria lidera disputa em SP, mas é o candidato mais rejeitado. Tucano tem 25% das intenções de voto no estado, contra 20% de Skaf e 4% de França/

Dólar passa os R$4, em meio a pesquisas de intenção de voto. Em uma reação do mercado ao resultado de pesquisas eleitorais, o dólar subiu 2% e terminou o dia acima de R$ 4 pela primeira vez desde fevereiro de 2016. O Ibovespa, índice que reúne as ações mais negociadas na Bolsa brasileira, recuou 1,5%, atingindo a menor pontuação em seis semanas/

Valor enviado por brasileiros a outros países bate recorde/

Morre aos 61 o jornalista Otávio Frias Filho. Dramaturgo e ensaísta, diretor de Redação comandou a Folha por 34 anos e modernizou o jornalismo brasileiro/

Editorial1: Tristes fenômenos. Datafolha aponta candidaturas mais fortes; seria empobrecedor o debate limitado a lulismo e antilulismo/

Editorial2: O calcanhar de Francisco. Papa tem falhado diante da cobrança por medidas para combater casos de pedofilia.

*Manchete e destaques do jornal Valor Econômico*: Balanços mostram trimestre de lucros. Os resultados das companhias abertas no segundo trimestre trouxeram um certo alívio para o mercado. Apesar da greve dos caminhoneiros, que paralisou o país durante 11 dias em maio, o lucro líquido agregado das empresas cresceu 19% na comparação com o mesmo período do ano passado/

Estabilidade. Ao assumir a presidência do conselho da Aço Brasil, Sérgio Leite, da Usiminas, disse que o dólar a R$ 4 eleva custos e é mais prejudicial que benéfico. “O mais importante é que haja estabilidade”/

Otimista, JBS acelera sua ‘locomotiva’ americana. O ambiente favorável para a JBS nos Estados Unidos, sustentado pela combinação entre maior oferta de gado e economia americana aquecida, reforça a visão de André Nogueira, que preside a JBS USA, de que a companhia brasileira apenas começou a colher os frutos da reestruturação iniciada em 2007/

Jornalista Otavio Frias Filho morre aos 61 anos. Morreu ontem em São Paulo, aos 61 anos, o jornalista e escritor Otavio Frias Filho, diretor de redação do jornal “Folha de S. Paulo” e uma das figuras mais destacadas da imprensa nas últimas décadas/

Eleição leva dólar a R$ 4 e BC pode voltar aos swaps. O risco de o PT ir para o 2º turno levou o dólar à maior cotação desde fevereiro de 2016 e também afetou a bolsa. A alta da moeda americana volta a colocar no radar uma possível intervenção do Banco Central com swap cambial, ferramenta que equivale à venda de dólares no mercado futuro/

Royalties do petróleo já são 3,4% da receita. Os royalties pagos pelo setor de petróleo ao governo ganharam enorme importância graças ao aumento dos preços internacionais. Levantamento do Valor mostra que a participação dessa conta na receita total é a mais alta em pelo menos oito anos/

Planalto já vê 2º turno com Bolsonaro e o PT. Se projeções do Planalto estiverem corretas, passagem de bastão não será nada tranquila/

Datafolha: Lula lidera com 39%; sem o petista, Bolsonaro está na frente, com 22%. Pesquisa aponta que, no cenário com o petista, Bolsonaro tem 19%, Marina 8%, Alckmin 6% e Ciro, 5%/

Eleições Ciro afirma que reforma trabalhista foi ‘selvagem’. “Como é que ela [Kátia] pode ser a favor [da reforma] se ela votou contra?”, pergunta presidenciável/

Ex-ministros citam conquistas em discursos, mas ‘esquecem’ Temer. Oficialmente, presidente diz que se ausenta das campanhas para não melindrar partidos da base aliada/

Editorial: Governo Maduro tenta deter hiperinflação com pirotecnias. O plano não é crível, e o governo que o engendrou, impopular.

Deixe uma resposta

Fechar Menu