Eleição 2018, saúde e economia são os destaques das manchetes dos grandes jornais do país

Eleição 2018, saúde e economia são os destaques das manchetes dos grandes jornais do país. “Aos 30 anos, SUS precisa de mais eficiência e renovação”, avalia O Globo. “Centro sinaliza
Primeira Hora – Anexo 6

Eleição 2018, saúde e economia são os destaques das manchetes dos grandes jornais do país. “Aos 30 anos, SUS precisa de mais eficiência e renovação”, avalia O Globo. “Centro sinaliza união e ataca ‘radicalismo’ de Haddad e Bolsonaro”, comenta o Estadão. “Candidatos que são réus no Supremo já receberam R$ 24 mi”, revela a Folha. “Embraer e Boeing querem fabricar cargueiro nos EUA”, conta o Valor Econômico.

SINOPSE NACIONAL DE 01 DE OUTUBRO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Aos 30 anos, SUS precisa de mais eficiência e renovação. Envelhecimento da população e aumento da violência são desafios. Considerado um dos maiores legados da Constituição de 1988, o Sistema Único de Saúde (SUS) chega aos 30 anos sob cobranças para que se renove e se torne mais eficiente. No Estado do Rio, a má gestão consome 46% dos recursos. O envelhecimento da população e o aumento da violência são desafios para o sistema.

Bolsonaro: ‘Não há nada a fazer em caso de derrota’. Depois de dizer que não aceitaria outro resultado que não fosse sua vitória, o candidato do PSL mudou de tom ontem e afirmou que “não há nada a fazer em caso de derrota”. “O que quis dizer é que não ligaria para Fernando Haddad para cumprimentá-lo”, explicou.

Apoio a Bolsonaro toma a Paulista. Milhares de apoiadores da candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) ocuparam a Avenida Paulista ontem. A Polícia Militar de São Paulo não estimou o público presente. Houve atos pró-Bolsonaro em outras 20 cidades de oito estados.

TSE usa urna eletrônica à prova de fraude há 22 anos. O sistema de urnas eletrônicas usado pelo Tribunal Superior Eleitoral há 22 anos nunca teve caso de fraude registrado. Uma equipe de 300 engenheiros e especialistas atua na segurança do sistema, que passa por 30 procedimentos de auditagem e verificação. As urnas não são conectadas à internet.

Para José Dirceu, procuradores são ‘polícia política’. O ex-ministro José Dirceu, condenado a mais de 30 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, criticou o Ministério Público Federal (MPF), dizendo que os procuradores atuam como “polícia política’’. Em sua opinião pessoal, o MPF deveria perder o poder de investigar.

Renúncia fiscal de R$ 300 bi tem baixo efeito social. Em 2019, a União vai abrir mão de R$ 306,4 bilhões em impostos, mas boa parte dessa renúncia contribui pouco para a redução da desigualdade no país. Em alguns casos, até a aumentam. É o que diz estudo da equipe econômica sobre os benefícios, que dificultam a redução de gastos públicos no próximo governo.

Parada LGBTI: voto consciente é a bandeira. A 23ª edição da Parada do Orgulho LGBTI levou ontem as cores do arco-íris para a orla de Copacabana, com fantasias e trios elétricos. Às vésperas das eleições, o evento teve a importância do voto consciente como maior bandeira.

Fernando Gabeira: O que vem por aí é um período para não invejar os vencedores.

Em ato, filho de Bolsonaro diz que mulheres de direita são ‘mais bonitas’ e ‘mais higiênicas’.

É #FAKE que imagem de manifestação no Rio mostra prédio que desabou. Imagem foi feita durante o protesto na Cinelândia, contra Bolsonaro.

Editorial1: Falta empenho para reduzir a burocracia. Mesmo quando as promessas são cumpridas neste campo, os resultados não têm vida longa.

Editorial2: Economia mundial traz desafios e exige compromissos dos candidatos. Isolacionismo, alta do dólar e do petróleo podem afetar crescimento.

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Centro sinaliza união e ataca ‘radicalismo’ de Haddad e Bolsonaro. Em debate na TV, Alckmin, Meirelles, Marina, Alvaro Dias e Ciro Gomes criticaram os candidatos do PSL e do PT, que estão na frente nas pesquisas. Candidatos do centro se uniram ontem, no penúltimo debate antes do primeiro turno da eleição presidencial, para atacar os líderes das pesquisas, Jair Bolsonaro (PSL), que recebeu alta do hospital após 23 dias internado, mas não compareceu ao evento realizado pela TV Record por indicação médica, e Fernando Haddad (PT). Bolsonaro, mesmo não estando presente, tornouse uma espécie de participante oculto do encontro. Sinalizando união, Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meirelles (MDB), Marina Silva (Rede) e Alvaro Dias (Podemos) se apresentaram como representantes do eleitorado que não quer nem o “radicalismo” de direita nem o de esquerda, em referência a Bolsonaro e Haddad. O petista voltou a ser alvo de Ciro, que tenta arregimentar votos nos dois polos da disputa. O primeiro turno ocorre no próximo domingo. Enquanto os candidatos do bloco intermediário das pesquisas de intenção de voto se ofereciam como uma “terceira via”, Haddad mais poupou do que criticou Bolsonaro, seguindo a estratégia de levar o confronto para um eventual segundo turno.

Fake news preocupam campanhas na reta final. Na reta final da eleição, candidatos, famosos da TV e até religiosos reagem à proliferação de notícias falsas (fake news) na internet. Boatos disseminados em redes sociais obrigam a desmentidos de agressões físicas, caso da atriz Patrícia Pillar; de apoios forjados (do padre Marcelo Rossi); e até de ligação, inexistente, da apresentadora Fátima Bernardes com o esfaqueador de Jair Bolsonaro. Comitês de campanha montam equipes contra os abusos.

Estadão Verifica. Foto de ato contra Jair Bolsonaro no Largo da Batata não foi manipulada. Há uma novidade no universo da desinformação. Além dos conteúdos enganosos e fora de contexto que circulam nas redes, começam a ganhar impulso as supostas “checagens” que apontam montagens e manipulações onde elas não existem. É a falsa verificação de dados.

Sob ataque de rivais, Bolsonaro conta com apoio de evangélicos. Alvo de ataques dos rivais e de parte do eleitorado feminino, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) encontrou no apoio de líderes evangélicos um porto seguro para manter sua liderança nas pesquisas. Representantes de igrejas neopentecostais, como o bispo Edir Macedo, já indicam apoio em eventual segundo turno entre ele e Fernando Haddad (PT). Ontem, atos pró-Bolsonaro ocorreram em São Paulo, no DF e em mais oito capitais.

Presidenciável da Rede. Marina critica proposta de Constituinte e diz que País ‘não pode cair em extremos’.

Alckmin diz que Haddad poupa candidato do PSL.

Filho diz que médicos não devem liberar Bolsonaro para debate da Globo.

Bispo Edir Macedo, da Universal, declara apoio ao candidato do PSL.

Investigações eleitorais. Polícia Federal instala centro de comando para acompanhar eleições.

Novo presidente terá de tomar 36 decisões. O próximo presidente terá de tomar 36 decisões urgentes – muitas delas impopulares – e com impacto no Orçamento até 31 de março. Mapeamento do Ministério do Planejamento será divulgado hoje.

Haddad vai de novo a Curitiba. Fernando Haddad deverá fazer hoje a quarta visita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso por corrupção em Curitiba, desde que se tornou candidato pelo PT.

Eleição em São Paulo. Com dificuldades no pleito nacional, PSDB e MDB caminham para travar no segundo turno em São Paulo uma disputa eleitoral da qual deverá depender o futuro de cada partido.

Cida Damasco: No vale-tudo virtual, sobram “soluções” para a economia. Mas a realidade desafia o governo.

Editorial1: O dia seguinte. Há que se relativizar a ideia amplamente propagada de que foi o processo eleitoral que dividiu a Nação segundo os dois extremos do espectro político-ideológico.

Editorial2: Significado do leilão do pré-sal. É possível construir desde já caminhos para dias melhores no Brasil.

Editorial3: Os problemas do Fies. Com crescimento exponencial da inadimplência nos últimos três anos, o Fies apresenta graves problemas de sustentação.

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Candidatos que são réus no Supremo já receberam R$ 24 mi. Repasses de fundo eleitoral e partidário beneficiaram 19 políticos envolvidos em investigações de corrupção. Réus em ações penais no Supremo Tribunal Federal, 19 políticos já receberam repasses dos fundos eleitoral e partidário que somam R$ 23,5 milhões. O levantamento da Folha identificou verbas para réus determinadas pelos principais partidos, como PT, PSDB e MDB. Não há restrições para o uso dos fundos. Entre beneficiários envolvidos na Lava Jato estão Romero Jucá (MDB-RR), com R$ 2 milhões, e Vander Loubet (PT-MS), com R$ 730 mil. Lúcio Vieira Lima (MDB-BA) recebeu R$ 1,5 milhão da direção nacional do partido. Irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, ele é réu em ação sobre os R$ 51 milhões achados num apartamento. O Congresso criou um fundo de R$ 1,7 bilhão de dinheiro público para bancar a campanha. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou que pediria a devolução de gastos com candidatos atingidos pela Lei da Ficha Limpa. Partidos alegam autonomia e dizem que os repasses estão dentro da lei.

Estudantes acusam fraudes em Sobral (CE), vitrine de Ciro. Em Sobral (CE), cidade com melhor desempenho no ensino fundamental, berço político de Ciro Gomes (PDT) e citada por ele como referência em educação, alunos dizem que são pressionados a fraudar avaliações para melhorar o resultado de suas escolas. Segundo a Secretaria de Educação, os relatos são sem fundamento e podem ter motivação eleitoral. Os casos estão sob investigação.

Entrevista da 2a. – Luiz G. Schymura : Pauta prioritária será desafio para novo presidente. Segundo o economista à frente do Ibre/FGV, o próximo presidente vai enfrentar duras resistências do Congresso e da população para impor ajustes. Terá que discutir sobre salário, teto de gastos e subsídio do diesel. “São brigas complicadas. É inexorável a queima de capital político já no começo do mandato”, afirma.

Bolsonaristas fazem ato em SP. Em resposta a atos contrários ao candidato promovidos por mulheres no sábado (29), militantes pró-Bolsonaro fizeram manifestação neste domingo na av. Paulista.

Opinião – B. Carazza: O PT nos levou a dançarmos à beira do precipício.

Petistas mantêm apoio à Venezuela apesar de guinada ditatorial.

Opinião – L. Colon: Eleição ainda carrega mais certezas que incógnitas.

Luiz Felipe Pondé: A elite é um lixo que sempre compactuou com governos péssimos.

Um terço das universidades do país está fora da lei. Das 196 universidades do Brasil, 68 não seguem os critérios para serem consideradas como tal. A lei exige desse status que parte dos docentes atue em tempo integral e oferta de doutorado e mestrado.

Especialistas e entidades criticam Fux por censura. A decisão do ministro Luiz Fux, do STF, que proibiu na sexta-feira (28)0 ex-presidente Lula de dar entrevista à Folha na prisão foi classificada como equivocada por advogados especialistas e entidades. “É censura prévia”, diz Augusto de Arruda Botelho, do Instituto de Defesa do Direito de Defesa.

Folha pede a Lewandowski para manter autorização de entrevista na prisão.

Davi Tangerino: Ao cassar autorização de entrevista, ministro cometeu sete erros.

Editorial1: Censura de toga. Decisão que proibiu esta Folha de entrevistar Lula atropela o ordenamento jurídico e a liberdade de imprensa

Editorial2: Infraestrutura. Buraco no Rodoanel. Pouco mais de três quartos dos 181 km previstos se encontram em operação.

Manchete e destaques do jornal Valor Econômico: Embraer e Boeing querem fabricar cargueiro nos EUA. A Boeing e a Embraer negociam a instalação de uma linha de montagem do novo cargueiro militar KC-390 nos EUA. Seria uma segunda linha, adicional à já existente em Gavião Peixoto, no interior paulista.

PSDB deve ficar neutro se o 2º turno for entre PT e PSL. Se o candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, não for para o segundo turno, o mais provável é que os tucanos voem para cima do muro, o lugar que mais gostam, e o partido libere o voto de seus militantes.

Volta de leilões rende R$ 28 bi à União. A União arrecadou, em apenas um ano, R$ 27,9 bilhões nos seis leilões de 48 áreas marítimas para exploração de petróleo. As licitações estavam suspensas havia sete anos.

Servidores em licença são 25 mil. Técnicos do governo federal estudam formas de evitar que servidores se afastem do trabalho e continuem a receber seus vencimentos normalmente. Em agosto, por exemplo, mais de 24 mil servidores públicos do Poder Executivo saíram em licença remunerada.

Justiça passa a isentar banco no ‘roubo’ de senha. Após anos sendo condenados, os bancos passaram a vencer disputas sobre saques em caixas eletrônicos e compras em lojas físicas feitos com cartões de crédito ou débito que são contestados por clientes.

Recursos para pesquisa. O pesquisador aposentado Sebastião Barbosa, de 74 anos, novo presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), defende a ampliação de acordos com organismos internacionais para financiar as atividades da empresa.

Desigualdade tem maior ciclo de crescimento. O candidato que vencer a eleição presidencial vai administrar o país após o pior ciclo de aumento da desigualdade social desde a redemocratização.

Sudeste tem 80% dos recursos da Lei Rouanet. As empresas precisam decidir até o fim do ano a quais projetos culturais vão destinar recursos por meio da Lei Rouanet, que prevê renúncia fiscal pela União. Segundo dados do ministério, o Sudeste recebeu, de 1993 a 2018, quase 80% dos recursos captados em todo o país por meio da Lei Rouanet.

Funcionalismo. Governo ‘ataca’ brechas de licença remunerada.

Folha salarial dos 24 mil servidores federais afastados foi de R$ 260 milhões em agosto. Eleito receberá propostas para elevar produtividade

#elenão elimina zona de conforto na boca da urna. Por #elenão atualiza manifestações de 2013 e 2016. Embora incomparáveis em dimensão, protestos impõem vibração positiva a 5 dias da eleição.

Eleições têm efeito negativo para infraestrutura, indica pesquisa. Quase metade dos investidores afirma que incerteza da disputa eleitoral afeta o setor.

Atos pró-Bolsonaro defendem voto útil e vitória no 1º turno para evitar fraude. No ato em São Paulo, Eduardo Bolsonaro, filho do presidenciável, critica “mulheres da esquerda”, que um dia antes fizeram ato #elenão.

Repúdio a candidato nas ruas é inédito.

Militares bolsonaristas reconhecem dificuldades.

A ameaça fantasma. Estratégia suicida da centro-direita criou esta terra arrasada pela qual Bolsonaro ascendeu.

Sem interlocutor, Haddad é alvo de ruídos no mercado. Petista espera 2º turno para ter mais autonomia em relação ao PT e fazer pontes com investidores.

Editorial: Soluções ainda insuficientes para conter o déficit público. A trilha da responsabilidade e do ajuste fiscal é condição necessária para reavivar de forma sustentável a combalida economia.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.