Eleição 2018 é o tema maior das manchetes dos jornais

Primeira Hora – Anexo 6

_SINOPSE NACIONAL DE 13 DE SETEMBRO DE 2018_

Edição: Sérgio Botêlho 

*_JORNAIS_*:

*Manchete e destaques do jornal O Globo*: Embolados em 2° lugar, candidatos reveem estratégias. Ciro, Marina e Alckmin tentam se destacar do pelotão intermediário e conter alta de Haddad. Quatro candidatos empatados tecnicamente em segundo lugar, de acordo com as pesquisas de intenção de voto, estão refazendo suas estratégias de campanha a partir da consolidação de Jair Bolsonaro (PSL) na liderança e da retirada formal do ex-presidente Lula. Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB) redobram esforços para se destacar do pelotão intermediário e, ao mesmo tempo, conter o avanço de Fernando Haddad (PT). Conquistar o Nordeste, celeiro de votos do lulismo, é um dos grandes objetivos. Para Ciro Gomes, ‘o país não aguenta outra Dilma’. Na sabatina organizada por O GLOBO, Valor Econômico e revista Época, Ciro Gomes, candidato do PDT à Presidência, atacou o PT e a ex-presidente Dilma Rousseff, e disse que “Haddad não conhece o país’’. Chamou Jair Bolsonaro de “protofascista”. Hoje, às 10h, Geraldo Alckmin (PSDB) será sabatinado.

Bolsonaro é submetido a nova cirurgia para corrigir obstrução. O candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi operado de emergência na noite de ontem, com sucesso, para corrigir obstrução no intestino.

Aliados de Bolsonaro divergem sobre substituição nos debates. General Mourão, vice do candidato, quer participar de programas na TV.

Governador do MS é suspeito de cobrar por incentivos fiscais. Operação da PF prende filho do tucano Reinaldo Azambuja; JBS seria uma das beneficiadas.

Bernardo Mello e Luiz Ernesto Magalhães: Servidor do Rio é instado a usar cargo para pedir voto. Servidores da prefeitura do Rio foram instados pelo vereador Monteiro de Jesus (PRB) a usar a “autoridade do cargo” para pedir votos para o senador Eduardo Lopes, candidato à reeleição. O encontro foi durante o expediente.

Merval Pereira: Marina se liberta da submissão ao ‘pai’ Lula.

Ascânio Saleme: Questão agora é saber quem vai vencer Bolsonaro.

Editorial1: Haddad precisa ser claro diante da crise fiscal. Ungido, o candidato tem de esclarecer se seguirá de fato políticas que geraram a crise.

Editorial2: Punição da Hungria é claro sinal da UE contra o nacional-populismo. Maioria dos eurodeputados manda recado claro à extrema direita, ao defender princípios democráticos.

*Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo*: Bolsonaro passa por nova cirurgia de emergência. Segundo médicos, procedimento foi bem-sucedido; exame mostrou ‘aderência obstruindo intestino delgado’. O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, foi submetido na noite de ontem a uma cirurgia de emergência. De acordo com boletim médico do Hospital Albert Einstein, a nova intervenção foi feita após Bolsonaro apresentar um quadro de distensão (inchaço) abdominal progressiva e náuseas ao longo do dia. Com o aparecimento desses sintomas, os médicos decidiram realizar no início da noite uma tomografia de abdome, que evidenciou a presença de aderência obstruindo o intestino delgado e a necessidade da cirurgia. Segundo fontes médicas, o procedimento cirúrgico terminou por volta de 23h40 e foi bem-sucedido. “A mulher do Bolsonaro já tinha ido embora e teve de voltar (ao hospital). A família está muito preocupada”, afirmou o presidente em exercício do PSL, Gustavo Bebianno. Segundo Bebianno, o candidato começou a se queixar de incômodo anteontem e, ontem, “passou o dia muito mal”. Em mensagem publicada nas redes sociais, Flávio Bolsonaro, filho do presidenciável do PSL, pediu orações e escreveu que o estado de saúde do pai “ainda é grave”. Durante comício na quinta-feira passada no centro de Juiz de Fora (MG), Bolsonaro foi esfaqueado pelo pedreiro Adelio Bispo de Oliveira. Operado na Santa Casa da cidade, o candidato foi transferido no dia seguinte para o Albert Einstein.

Juiz nega teste para agressor. O juiz Bruno Savino negou pedido da defesa de Adelio Bispo de Oliveira para a realização de teste de sanidade mental do agressor. Segundo o magistrado, Oliveira tem “raciocínio organizado”.

Adversários pregam voto útil em busca do 2º turno. Candidatos à Presidência empatados na vice-liderança nas pesquisas anteciparam o argumento do voto útil e recorrem à tática do medo para tentar assegurar vaga no segundo turno. Em busca do voto de centroesquerda, Ciro Gomes (PDT) procura passar a ideia de que tem condições de vencer Bolsonaro em um embate direto com a direita. Geraldo Alckmin (PSDB) investe na mensagem de que é o único capaz de impedir a volta do petismo ao poder. Marina Silva (Rede) acena para o eleitorado lulista.

Risco Brasil dobra com incerteza do quadro eleitoral. A indefinição eleitoral e o cenário externo desfavorável aos emergentes fizeram o risco Brasil dobrar no ano. Esse risco – uma espécie de sobretaxa que se paga em relação aos títulos do Tesouro americano – subiu de 140 pontos, em janeiro, para 282 pontos, após alcançar 310 em agosto. Entre os principais emergentes, o Brasil só está melhor que Argentina e Turquia.

‘País deve seguir tendência de cortar impostos’. Segundo o ministro Eduardo Guardia (Fazenda), a proposta de redução do Imposto de Renda das empresas vai aproximar a carga tributária da praticada pelos EUA. Ele participa hoje da entrega dos prêmios “Empresas Mais”, do Estadão.

A residência e o gabinete do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, candidato à reeleição pelo PSDB, foi alvo de buscas ontem, na Operação Vostok, da Polícia Federal. O filho do governador, Rodrigo, e o deputado estadual José Roberto Teixeira (DEM), o “Zé Teixeira”, foram presos.

Supremo veta prática de ensino domiciliar no País. O STF decidiu ontem, por maioria, vetar o “homeschooling”, em que os alunos são educados em casa, sem precisar frequentar a escola. Os ministros entenderam que o tema deve ser regulamentado pelo Congresso.

Presidente do Uruguai manda prender general. Tabaré Vázquez ordenou a prisão por 30 dias do comandante em chefe do Exército, general Guido Manini Ríos, por “repetidas falhas disciplinares”. O motivo seriam as manifestações contra reforma do fundo de pensão dos militares.

Justiça manda governo de MG devolver carros.

BB tenta mudar plano de saúde deficitário.

William Waack: Candidatos se articulam por uma onda de voto útil bem antes das famosas 36 horas que antecedem as eleições.

Zeina Latif: Quem quer que seja o vitorioso num 2º turno polarizado vai precisar construir pontes com o restante da sociedade.

Editorial1: A ‘Paixão’ de Lula. Tom religioso da carta mal disfarça o verdadeiro sentido da pregação lulopetista: anunciar que, se Haddad for eleito, Lula espera ser beneficiado com a liberdade e tornar-se o presidente de fato.

Editorial2: A OCDE e a tragédia educacional. Ensino de má qualidade nega aos jovens brasileiros uma boa capacitação profissional.

Editorial3: A UE contra os extremos. Bloco aprovou medidas contra líder de extrema-direita da Hungria.

*Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo*: Promotores de casos contra políticos serão investigados. Decisão de corregedor provoca reação de procuradores da Operação Lava Jato. O corregedor-geral do Conselho Nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel, determinou abertura de reclamação disciplinar contra cada promotor que atuou em casos contra políticos em campanha eleitoral. Entre os alvos de ações recentes estão os presidenciáveis Geraldo Alckmin (PSDB) e Fernando Haddad (PT). A corregedoria agiu após receber memorando de conselheiro do órgão que pediu apuração de irregularidades nas iniciativas de integrantes do Ministério Público. Denúncia e prisão de políticos em época eleitoral não são proibidas por lei. Há restrição para a detenção quando o prazo para a ida às urnas é de 15 dias ou menos. Procuradores da Lava Jato, que anteontem deflagraram operação cujo alvo era a gestão do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), candidato ao Senado, reagiram. Para eles, investigar os promotores é comparável a uma “mordaça”. “O tempo da investigação e o tempo da acusação independem do tempo da política”, afirmaram. Investigado sob supeita de corrupção, Reinaldo Azambuja (PSDB), governador de MS, que tenta se reeleger, foi alvo ontem de buscas da Polícia Federal.

Luiz Weber: Não se discute o conteúdo da investigação, mas o timing das denúncias.

Teles recebem multa de R$ 9 mi por SMS irregular. Departamento do Ministério da Justiça multou Vivo, Claro e Oi em R$ 9,3 milhões cada uma, a maior punição imposta pelo órgão. A razão é a venda irregular de serviços como aplicativos de jogos e envio diário de horóscopo por SMS.

É ilegal tirar o filho da escola para educá-lo em casa, diz STF. O Supremo Tribunal Federal decidiu que o ensino domiciliar não é meio lícito para que pais garantam aos filhos o acesso à educação. Para a maioria dos ministros, o Congresso precisa regulamentar a modalidade para que ela seja válida.

Em despedida, Cármen Lúcia cita sensação de dever cumprido e ‘momento difícil’.

JBS diz ter pago R$ 70 milhões em propina acertada com governador de MS. Reinaldo Azambuja (PSDB) teve três endereços alvos de operação da PF e um filho com prisão decretada pelo STJ.

Meirelles comemora direito de exibir imagem de Lula em campanha eleitoral. TSE rejeitou pedido do PT para impedir emedebista de usar imagem do ex-presidente.

Luiz Weber: Ações do Ministério Público contra PT e PSDB deixam cheiro de queimado no ar.

Bruno Boghossian: Toffoli assume o Supremo em busca de equilíbrio na crise política. Tribunal tropeçou no papel de árbitro da vida pública e deixou sequelas.

Editorial1: Quem Haddad será? Prioridade de petista é ligar sua imagem à de Lula, o que prejudica a exposição de propostas

Editorial2: Saúde e educação. Estado de letargia. Casos especiais indicam caminhos alternativos para governos enfrentarem dificuldades.

*Manchete e destaques do jornal Valor Econômico*: Alunos tomam só 50% do crédito oferecido no Fies Apesar das mudanças recentes nas regras do Fies para atrair mais alunos aos vestibulares do segundo semestre, menos da metade dos 50 mil financiamentos estudantis oferecidos pelo governo foram contratados

Incerteza eleitoral faz juro dobrar. Mesmo com a taxa básica de juros (Selic) estacionada em 6,5% ao ano, no mercado as taxas já subiram. O juro real (descontada a inflação) nos contratos futuros com prazo de um ano chegou a 4,14% ao ano, quase dois pontos percentuais acima dos 2,17% registrados em 27 de abril.

Economistas apuram PIB em tempo real. Do Banco Central à Fundação Getulio Vargas (FGV), economistas brasileiros correm para desenvolver ferramentas que permitam medir o PIB praticamente em tempo real.

Inovação e parceria. O presidente da Continental, Frédéric Sebbagh, busca parceiros para lançar dois produtos no Brasil: uma chave virtual que liga o carro pelo celular e um sistema de localização de bicicletas. Mesmo gigantes como ela, que fatura € 44 bilhões por ano, precisam de parcerias para inovar.

Ciro faz críticas a concorrentes. O presidenciável Ciro Gomes (PDT) distribuiu ataques, em sabatina realizada pelos jornais “O Globo”, Valor e “Época”. Para o candidato, o general Hamilton Mourão, vice de Jair Bolsonaro (PSL), é um “jumento de carga” e general Eduardo Villas Boas deveria ser preso.

Empresas ainda ajudam a financiar campanhas. Na primeira eleição nacional desde que o financiamento de campanhas políticas por empresas foi proibido, empresários e setores econômicos continuam se mobilizando para influenciar a formação de bancadas no Congresso Nacional e ter parlamentares simpáticos às suas demandas

Conjuntura. Piora das condições financeiras já afeta PIB. Altas de juro futuro e dólar são parcialmente incorporadas a projeções, que podem recuar mais, dizem analistas

Varejo restrito cresceu apenas 0,2% em julho, calculam economistas.

Um problema para resolver antes da posse. Futuro presidente talvez tenha de pedir favor a Temer para resolver logo problema do subsídio ao diesel.

Eleições. Tasso acredita em reorganização partidária. Tucano diz que Alckmin precisa ser “mais Geraldo e menos PSDB” e mirar o Sudeste para crescer.

Um general no gabinete da conciliação. A busca de uma melhor interlocução militar simboliza a tentativa de Dias Toffoli em retomar a moderação perdida pelo Supremo.

Empresários articulam eleição de bancadas para manter influência. Caixa dois continua bastante utilizado, segundo parlamentares e lobistas.

Eleições ‘Estão com medo do vice’, diz Haddad. Em primeiro ato de campanha, petista fala a beneficiários do Prouni e defende decisão de manter candidatura Lula até a última hora

Petista avança nas redes sociais.

Bolsonaro terá direito de resposta em programa tucano no rádio.

Alckmin prega voto útil contra PT no 2º turno.

Marina mira em Dilma para atacar adversário.

CNMP investigará abertura de ações contra candidatos.

Richa chefiava grupo criminoso, diz juiz. Ex-governador usou cargo para fraudar licitações e praticar corrupção, diz magistrado

Editorial: Instabilidade previsível e ainda moderada nos emergentes. Os problemas fiscais do Brasil são também velhos conhecidos dos investidores e colocam a economia em compasso de espera.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu