Eleição 2018 é o tema em destaque nas manchetes dos jornais

Primeira Hora – Anexo 6

SINOPSE NACIONAL DE 22 DE SETEMBRO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Por ‘governabilidade’, guru de Bolsonaro defende que maioria da sigla decida todos os votos da bancada. Principal assessor de Jair Bolsonaro (PSL), o economista Paulo Guedes defende a adoção de um sistema pelo qual a maioria dos deputados de uma sigla decida todos os votos do partido, se sobrepondo a escolhas individuais.

Delator: irmão de Ciro recebeu caixa dois em dinheiro. Executivo da Galvão Engenharia relata repasse de R$ 1,1 milhão a Lúcio Gomes, irmão de Ciro Gomes (PDT), em troca do pagamento de obras no governo do Ceará na gestão de Cid Gomes, outro irmão do presidenciável. Lúcio nega.

Situação de emergência na saúde do Rio. Os hospitais do Rio estão em colapso. Ontem, o Albert Schweitzer chegou a fechar as portas, e o Getulio Vargas foi alvo de protestos de parentes de idoso que, com dores de um câncer avançado, recebeu alta, faleceu em casa e retornou morto à unidade para ter atestado de óbito.

Alta da gasolina faz disparar frota de carros a gás no Rio. A alta do preço da gasolina, aliada ao desconto no IPVA, fez disparar o número de veículos no Rio convertidos ao Gás Natural Veicular (GNV). De janeiro a julho deste ano foram registradas 52.299 adaptações, 40% a mais que no mesmo período do ano passado.

Haddad cancela presença em sabatina do Globo. Candidato do PT à Presidência alega problemas de agenda para não comparecer à entrevista que havia sido confirmada.

Candidatos rejeitam união sugerida em carta de Fernando Henrique. Para Ciro, ex-presidente tenta ‘ressuscitar’ campanha tucana; Alckmin elogia o aliado, mas descarta procurar apoio de rivais.

Em queda nas pesquisas, Marina lança vídeo para conter desânimo. Candidata da Rede caiu de 2º para 5º lugar desde as primeiras sondagens.

PF prende segundo ‘peladeiro’ do PTB no Ministério do Trabalho. Time do sobrinho do deputado Jovair Arantes (GO) perdeu outro integrante. A Polícia Federal (PF) prendeu nesta semana um segundo integrante do “Curva de Rio”, um time de “pelada” de Goiânia levado para dentro do Ministério do Trabalho pelo líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO).

Diplomata demitido é alvo em outros três processos. Preso por suspeita de agredir namorada, Renato Viana diz que deu ‘abraço apertado até ela se acalmar’.

Merval Pereira: Voto, modos de usar. Com uma eleição polarizada como nunca se aproximando, este é um bom momento para se discutir as maneiras de votar, ainda mais que o voto útil transformou-se em instrumento de cidadania para evitar “o mal maior”.

Míriam Leitão: Grande impacto da guerra comercial. Guerra comercial entre China e EUA pode tirar 2 pontos do PIB mundial em 2019 e fazer o comércio cair 17,5%, estima o diretor-geral da OMC

Jorge Zaverucha: Bolsonaro não é causa, e sim consequência da avacalhação das instituições políticas. Quem pariu Matheus que o embale.

Marcelo Adnet: Eleições já superam a Copa. A corrida eleitoral está nos deixando exaustos e ultrapassa em paixão, emoção e torcida os jogos do mundial de futebol.

Andrea Pachá: Poucas instituições são tão sólidas e consistentes quanto o colo acolhedor e generoso das mães e das avós. São essas as mulheres que têm preservado um sopro de dignidade e liberdade nesse pântano de ódios e ressentimentos. São essas as mulheres que simbolizam a resistência e indicam que o pessimismo que imobiliza não nos faz mais realistas. Apenas mais tristes.

Editorial1: Expectativa de inflação baixa pode ser ilusória. Prévia é a menor desde 2006, mas há possibilidade de a eleição levar o dólar a acelerar preços.

Editorial2: Negociação do Brexit caminha para divórcio litigioso entre as partes. Bloco europeu rejeita proposta da premier britânica, e prazo exíguo torna mais difícil um entendimento.

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Planos de Bolsonaro e Haddad criam perda bilionária para o IR. Cálculo aponta que queda de arrecadação seria de R$ 69,3 bi e R$ 38,7 bi.

‘Se CPMF fosse bom, o resto do mundo teria feito’. Apesar de as contas públicas agonizarem, a retomada do País não passa pelo aumento de impostos, afirmou Persio Arida, coordenador econômico da campanha de Geraldo Alckmin (PSDB). “Dá para fazer ajustes sem aumentar a carga tributária”, disse na FGV.

Pressionado por Bolsonaro, Guedes falta a eventos. Após polêmica sobre criação de ‘nova’ CPMF, economista era esperado em debates na Amcham e na corretora XP.

Adriana Fernandes: O debate em torno da reforma tributária se transformou numa salada de propostas completamente desconectadas da realidade fiscal.

Bolsonaro diz que sai logo do hospital. Candidato do PSL à Presidência grava vídeo para dizer que ‘nunca se sentiu tão bem’; boletim médico cita recuperação, mas não menciona datas.

Aécio recebe R$ 2 mi do fundo eleitoral. Quatro anos depois de perder a eleição presidencial, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) faz campanha fora dos holofotes para uma vaga na Câmara dos Deputados.

Gasto federal com estatais deficitárias sobe 125%. Contas. Em nove anos, Tesouro teve de aportar R$ 67,9 bilhões nas empresas que não geram receita suficiente para suas próprias despesas; aumento de gastos se deve principalmente à elevação do número de funcionários, que têm salário médio de R$ 13,9 mil.

PF prende libanês que financiaria o Hezbollah. Assad Ahmad Barakat era considerado foragido pelas autoridades paraguaias desde 2017 e procurado pela Interpol; na Argentina, o comerciante foi apontado como um dos financiadores do atentado contra a Amia, em 1994, que matou 85 pessoas.

Radiocirurgia é opção para câncer de pulmão. Trabalho de profissionais do Hospital Sírio-Libanês mostra que procedimento não invasivo é eficaz em 89% dos casos recomendados.

Consumo de bebida alcoólica cai no País. Sociedade. Quantidade de litros consumidos por brasileiro anualmente passou de 8,8 em 2010 para 7,8 em 2016, diz Organização Mundial da Saúde. Apesar da boa notícia, entidade teme que índice volte a subir para 8,3 litros em 7 anos; no mundo, média é de 6.

País cria 110 mil postos de trabalho em agosto. Foram 110,4 mil postos criados, melhor resultado para o mês desde 2013, diz Caged.

Reunião em Caracas. Após reunião em Caracas, governadora Suely Campos (PP) enviará os primeiros 100 imigrantes para a Venezuela na semana que vem.

Temer viaja e Toffoli assume a Presidência. Emedebista cumprirá agenda nos EUA e presidentes da Câmara e do Senado também estarão fora do País.

Na reta final, Alckmin promove ‘arrancada’. A 15 dias da eleição presidencial, Geraldo Alckmin fará um ato neste fim de semana em São Paulo intitulado “Arrancada 45” para tentar motivar a militância. Estagnado nas pesquisas e atrás de Bolsonaro (PSL), Haddad (PT) e Ciro Gomes (PDT), o tucano tem perdido apoio de candidatos da sua aliança, que estão tirando seu nome dos santinhos, mas ainda conta com o aval da cúpula das oito siglas. Aliado de primeira hora, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, diz: “Vamos cumprir o nosso desafio e ir com o Geraldo até o final. Lealdade é lealdade”.

João Domingos: Apelo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso à união das candidaturas de centro parece ter vindo tarde demais.

Fernando Reinach: Uma das grandes questões da embriologia é entender a simetria bilateral do corpo. Gene explica parte do processo.

Editorial1: Pacto pela governabilidade. Descontados os arroubos de campanha, todos precisam se importar com as condições mínimas de governabilidade, e a principal é o equilíbrio das contas públicas

Editorial2: O rio em recuperação. Embora não ofereça grandes motivos para os paulistas comemorarem seu dia, o Rio Tietê vem sendo recuperado

Editorial3: A dinâmica eleitoral. A polarização entre PSDB e PT, que presidiu os pleitos dos últimos 24 anos no País, parece ter chegado ao fim.

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Bolsonaro defende assessor criticado por propor CPMF. ‘Tudo terá de passar pelo meu crivo’, diz candidato, em 1a entrevista desde ataque. Na primeira entrevista desde que sofreu um atentado a faca há duas semanas, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) defendeu seu guru econômico, Paulo Guedes, que criou polêmica ao defender uma espécie de CPMF (o chamado imposto do cheque) em palestra. “O Paulo segue firme”, disse a Igor Gielow, por telefone, sobre boatos de que o assessor poderia se afastar da campanha. Nesta sexta (21), Guedes cancelou uma série de eventos em que falaria sobre seus planos para a área econômica. Ele tentou minimizar o mal-estar que a fala de Guedes criou na sua campanha. “Se ele usa a palavra IVA (Imposto de Valor Agregado) e não CPMF, não tem confusão nenhuma. Parece uma boa ideia, vamos estudar. A alíquota única do IR para quem ganha mais é uma boa ideia”, disse, sobre propostas anunciadas por Guedes a investidores e reveladas pela Folha.

Fernando Canzian: Minha eleição. Em 1994, Brasil se dividiu entre plano liberal e estatizante. Nenhuma eleição pós redemocratização foi tão definidora como a de 1994. Além de contrapor pela primeira vez PSDB e PT, assentou as bases para a estabilização da economia. Foi também quando o país rachou entre dois projetos.

Candidatos propõem conta individual de trabalhador para a Previdência.

União do centro sugerida por FHC é rechaçada por presidenciáveis.

Com campanha enxuta, Marina Silva prevê gasto de R$ 67 mil com moda.

Luís F. Carvalho Filho: Perdão a Lula não faria desaparecer o crime.

Urnas terão maior parcela de nomes inéditos em 12 anos. A eleição deste ano terá o maior percentual de candidatos inéditos desde o pleito de 2006. Considerando todos os cargos em disputa, a taxa de postulantes novatos é de 42,8%. Candidatos pela primeira vez representaram 39,7% em 2014,41,1% em 2010 e 38,8% em 2006.

Letra de hino feita por Machado de Assis é encontrada. O pesquisador Felipe Rissato encontrou em um antigo jornal de Florianópolis uma letra para o hino nacional escrita em 1867 por Machado de Assis. Os versos inéditos foram feitos para celebrar o aniversário de 42 anos do imperador Dom Pedro II.

Ódio não deve orientar o voto dos brasileiros, afirma Clinton. Em palestra em São Paulo, o ex-presidente dos EUA Bill Clinton recomendou aos brasileiros que não tomem decisões orientados pela raiva e pelo ódio. “Não tente tomar decisão quando está nervoso, [pois] você nunca toma decisões acertadas”, disse sobre a eleição presidencial, uma das mais polarizadas da história.

Polícia prende no Paraná suspeito de financiar Hizbullah. A Polícia Federal prendeu em Foz do Iguaçu Assad Barakat, acusado pelo governo dos EUA de ser financiador do Hizbullah, grupo considerado terrorista por Washington, Israel e União Européia. Barakat sempre negou associação com o terrorismo.

E agora, Brasil? Educação. Apesar do aumento de matrículas entre crianças e jovens, prevalecem os dados negativos do ensino; caderno discute mudanças estruturais e pontuais.

Editorial1: O centro de FHC. Ex-presidente tucano faz apelo público por união de lideranças moderadas

Editorial2: Disputa comercial. A águia e o dragão. Tensão entre Estados Unidos e China, as maiores economias do mundo, continua a subir.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu