Eleição 2018 é o grande tema das manchetes dos jornais

SINOPSE NACIONAL DE 15 DE AGOSTO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho

JORNAIS  :

Manchete e destaques do jornal O Globo : Rosa Weber diz que TSE negará registro a inelegível. Nova presidente afirma que tribunal não precisa ser provocado para indeferir candidaturas, sem citar o nome de Lula, que será apresentado hoje pelo PT/

Governo pode antecipar fim de concessões de rodovias. Estradas federais administradas pela iniciativa privada têm problemas graves, mas pedágio continua a ser cobrado/

PT inicia batalha para registrar candidatura de Lula à Presidência. Prazo para entregar documentação ao TSE se encerra hoje, e petistas convocam manifestação em Brasília. Entenda o caminho que a chapa tem de percorrer e os quatro desfechos possíveis para a disputa judicial/

Análise: Insistência do PT em candidatura de Lula ignora crise e fatos/

Dinheiro público não deve financiar pretensão de inelegível, afirma Dodge/

Decisão da 2ª Turma do STF reduz alcance de delações. Em derrota da Lava-Jato na Corte, Toffoli, Gilmar Mendes e Lewandowski decidem que só a colaboração é insuficiente para recebimento de denúncia. Acusação da PGR contra Ciro Nogueira (PP-PI) é rejeitada/

Bernardo Mello Franco: Obsessões de Bolsonaro estão em toda parte de seu programa. O presidenciável Jair Bolsonaro registrou um programa de governo no TSE. Ou quase. O material entregue pelo capitão lembra uma apresentação escolar feita no PowerPoint. Perto dele, o procurador Deltan Dallagnol parece um ás do design/

Bolsonaro agora promete Bolsa Família a toda população. Sem explicar de onde tiraria recursos para expandir o benefício, candidato defende programa que já condenou/

Marina defende discussão sobre parlamentarismo. Em seu programa de governo, candidata da Rede à Presidência pede o fim da reeleição como parte de uma reforma política; ex-senadora quer dividir território brasileiro em 400 regiões, cada uma com um ‘prefeito’ exclusivo para cuidar da saúde/

Merval Pereira: Acreditar que Lula é ficha limpa é como duvidar da ida do homem à Lua/

Míriam Leitão: A ficção conveniente de Lula em artigo ao ‘New York Times’. Um político muito popular, que está na frente nas pesquisas, é preso em ano eleitoral, em uma conspiração da direita para que ele não volte ao poder. Para quem vê a cena de longe, parece mesmo ser essa a realidade brasileira, descrita pelo ex-presidente Lula ontem ao “New York Times”. O problema são os detalhes que ele esqueceu deliberadamente/

Temer decide manter correção de gastos com educação no Orçamento. Ministro do Planejamento havia afirmado antes que presidente aceitara recomendação da área econômica para restringir despesas da pasta. No fim, foram rejeitados 17 artigos da LDO/

Ponte cai e mata mais de 30 na Itália. Mais de 30 carros despencaram de 45 metros em zona industrial de Gênova; dentre as vítimas, estavam menina de 10 anos e um bebê/

Patrimônio de Indio da Costa é R$ 3,4 milhões maior do que o declarado ao TSE/

Deputados federais pelo Rio declaram queda de patrimônio/

Zé da Vergonha e Alceu Dispor são alguns dos nomes inusitados de candidatos a deputado em 2018/

Valor dos bens de Romário quadruplica em 4 anos/

Confronto com a polícia causa 4 mortes por dia no estado/

Tiroteio no Rio assusta chefe do Pentágono. Vítima foi atingida por duas balas perdidas no Morro da Mineira; chefe do Pentágono foi acordado por disparos em favelas do Leme/

Justiça dos EUA acusa 300 padres e fala em mil vítimas. Investigação acusa 300 padres de pedofilia nos EUA, com mais de mil vítimas/

Lei de proteção de dados entra em vigor em 18 meses. Presidente veta criação de autoridade que fiscalizaria cumprimento das regras, que entram em vigor em 18 meses. Órgão depende de projeto de lei ou medida provisória. Consumidor poderá pedir que informações sejam corrigidas ou apagadas/

Editorial1: Violência não será combatida com mais armas. Dados mostram que aumento do número de registros coincide com crescimento de homicídios no país/

Editorial2: Cristina K segue Lula e é levada aos tribunais acusada de corrupção. Dois movimentos ideologicamente primos entre si cumprem a mesma regra de que fins justificam meios.

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo : PT desafia lei para registrar Lula hoje, mas já planeja substituição. Sigla insiste em nome que não se enquadra na Ficha Limpa; Rosa diz que TSE pode negar registro de ofício/

Raquel Dodge aproveitou posse para cobrar rapidez na definição de candidatos/

Candidato do PDT. Ciro diz a revista que foi bombardeado por convites do PT para ser vice/

Ex-presidente. STF tira de Moro novos trechos de delação da Odebrecht que citam Lula/

2ª Turma do STF reduz ainda mais poder de delações. Ministros do Supremo rejeitam denúncia e dizem que não havia prova para abrir ação contra o senador Ciro Nogueira (PP) na Lava Jato/

Ponte cai e mata 31 em Gênova. Estrutura, construída entre 1963 e 1967, tinha sido reformada em 2016, mas logo surgiram novos sinais de desgaste atribuídos ao excesso de peso dos caminhões; professor de engenharia havia alertado sobre falhas na obra e projeto ultrapassado/

Governador do PSB. Paulo Câmara anuncia que vai a ato de registro da candidatura de Lula/

Preso no semiaberto. Liminar permite que deputado João Rodrigues registre candidatura/

Plano de Bolsonaro fala em ‘superministério’. Candidato do PSL ao Planalto divulga diretrizes do plano de governo, que incluem ainda tipificar como terrorismo invasão de propriedades/

Crédito cresce, mas impacto no consumo é limitado. Retomada lenta. Bancos percebem melhora nos níveis de concessão de financiamentos desde o último trimestre do ano passado; analistas dizem que a greve dos caminhoneiros foi um marco da reversão de expectativas, mas acham que haverá melhora à frente/

No Brasil, pobreza atinge 60% das crianças e jovens. Unicef aponta que 6 milhões são de famílias sem renda para comprar cesta básica; outros 12 milhões enfrentam esse problema aliado a outras privações (como saneamento e educação); 14 milhões possuem condição financeira, mas têm direitos negados/

32 PMs são presos em Campinas por elo com o narcotráfico. Agentes de Campinas recebiam pagamento para vazar informações e deixavam de deter criminosos, segundo Promotoria; sete civis também foram presos/

Suposto terrorista ataca pedestres em Londres. Polícia trata atropelamento diante do Parlamento, que deixou três feridos, como ato terrorista; britânico de 29 anos que dirigia foi preso/

EUA apuram abusos sexuais de sacerdotes. Trezentos sacerdotes estiveram envolvidos e foram acobertados pela Igreja, diz estudo/

Temer recua e corrige gastos pela inflação. Governo sofreu ‘pressão por todos os lados’ para rever decisão sobre gastos com educação; ministro Colnago havia defendido proibição/

Uruguai. ‘Quero licença antes de morrer’, diz Mujica ao renunciar ao Senado/

MST pede ajuda de R$ 250 mil de PT e centrais para ato pró-Lula/

Campanha. 84% das crianças ainda não foram vacinadas contra pólio e sarampo/

Violência. Secretário de Defesa dos EUA é acordado por tiroteio no Rio/

Candidato do PSDB. Alckmin defende mudanças no sistema político/

STF. Fachin devolve processo de Dirceu para julgamento na 2ª Turma/

Estados Unidos. Após gravação vazar, Trump chama ex-assessora de ‘cachorra’/

Presidenciável da Rede. Marina defende proteger por lei casamento homossexual/

Após 13 anos. Acusado de participar de assalto ao Banco Central de Fortaleza é preso/

Coluna do Estadão: Lula deve ser um dos 3 candidatos mais ricos. O ex-presidente Lula deve registrar hoje sua candidatura no TSE e, se ele repetir o que informou à Justiça no processo de inventário da ex-primeira-dama Marisa Letícia, deverá ficar entre os três presidenciáveis mais ricos. Em junho, o petista informou ao Judiciário que os bens do casal somam R$ 12,3 milhões. Em 2006, sua última eleição, ele declarou patrimônio de R$ 839 mil. Atualizado pelo IPCA, R$ 1,7 milhão. O patrimônio de Lula informado no inventário é superior ao de Alckmin, Ciro Gomes, Alvaro Dias, Bolsonaro e Marina Silva somados/

PSL ganha 4 vezes mais filiados do que os rivais. TSE. Legenda do presidenciável Jair Bolsonaro registra 13,6 mil novas adesões desde o início do ano; analistas afirmam que número reflete insatisfação com siglas tradicionais/

Vera Magalhães: Eleitor propenso ou decidido a votar em Bolsonaro se vê acolhido com seu programa de governo. O que Jair Bolsonaro apresentou no TSE não é um programa de governo stricto sensu, mas um compilado das palavras de ordem que tem martelado desde que começou sua campanha. O resultado é um texto de fácil entendimento e alto poder de comunicação/

Editorial1: Contra a vigarice, a lei. Se o PT de fato consagrar hoje Lula da Silva como seu candidato, caberá à Justiça Eleitoral fazer cumprir a lei e impugnar de pronto essa candidatura que escarnece da democracia/

Editorial2: Bom senso como para-choque. A crise turca deixará algum resultado positivo se mais pessoas, dentro e fora dos governos, passarem a defender políticas prudentes e voltadas para o longo prazo/

Editorial3: Enfim, o Parque Augusta. A solução que, finalmente, foi encontrada para a criação do Parque Augusta, na região central, entre as Ruas Caio Prado e Marquês de Paranaguá – um problema que se arrasta desde a década de 1970 –, não é importante apenas porque dará nova área de lazer, de 24 mil m², a uma cidade como São Paulo, tão necessitada desse tipo de equipamento, e cuja construção estará concluída em 2020, promete o prefeito Bruno Covas. É também porque ela abre caminho, como afirmam os envolvidos na questão, para resolver casos semelhantes de aproveitamento de outras áreas verdes.

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo : Bolsonaro propõe fundir ministérios na área econômica. Criticado por desconhecimento do tema, candidato do PSL promete concentrar poderes em seu guru/

Uma de cada quatro ocupações já utiliza contrato intermitente. Modelo criado com a reforma trabalhista está em 642 das 2.469 carreiras, correspondendo a 6% de postos criados de abril a junho/

Contratação de autônomos causa polêmica em universidade privada/

Segurança. Intervenção federal no Rio faz 6 meses. Medida inédita do governo federal não reduziu o índice de homicídios e ainda viu aumentar a letalidade policial/

‘Imprensa tenta me tornar criminoso’, diz Bolsonaro sobre assessora fantasma/

Após crítica, Ciro altera proposta sobre SPC e estabelece prazo para dívida/

Não há salvação com o modelo político que vigora no Brasil, diz Barroso/

Maria Herminia Tavares de Almeida: Brasileiro estende à democracia a sua reticência com instituições/

Ilona S. de Carvalho: Falar de violência contra a mulher pode salvar vidas/

Painel: ‘Não pretendo renunciar nem morrer, e sim brigar’, diz Lula. Petista pede ‘direitos’ em carta que será lida no ato de seu registro na corrida eleitoral/

Candidato a vice. PT dá a Haddad estrutura de campanha de presidenciável/

Ministra do STF. Em posse no TSE, Rosa diz que pode negar registro de ofício. Sem citar Lula, a nova presidente da corte fala em falta de ‘condições de elegibilidade’/

Procuradora-geral. Dodge afirma que a Justiça deve definir candidatos com rapidez/

‘Não sou candidato profissional’, diz Meirelles em referência a Alckmin/

Editorial1: Orçamento eleitoral. Presidenciáveis prometem acelerar o ajuste das contas do governo, mas sem detalhar como/

Editorial2: Censura rasteira. Nada havia de provocativo em cenas da apresentação do cientista Richard Vogt.

Manchete e destaques do jornal Valor Econômico : ‘Nova’ Aneel tenta cortar subsídios a eólicas e solares. O principal objetivo do novo diretor-geral da Aneel, André Pepitone da Nóbrega, é conter a escalada de subsídios jogados sobre os ombros do consumidor e responsáveis pelo aumento das tarifas/

Instabilidade. Corresponsável global pelo banco de investimentos do Goldman Sachs, John Waldron diz que o risco nos mercados aumentou, mas isso não é sempre ruim: “Vamos bem quando há volatilidade”/

2ª Turma do STF esvazia delações da Odebrecht. A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal decidiu, por 3 votos a 1, retirar do juiz Sergio Moro trechos dos depoimentos de delatores da Odebrecht que implicam o ex-presidente Lula e o ex-ministro Guido Mantega em esquema de repasse ilegal de recursos ao PT/

Vetos na LDO seguram despesas. O presidente Michel Temer vetou praticamente todos os artigos da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2019 que aumentavam as despesas da União/

Receita aperta cerco a planejamento tributário. A Receita Federal aumentou o rigor da fiscalização para diminuir as oportunidades para o chamado “planejamento tributário abusivo”. Neste ano, pretende realizar 532 novas ações fiscais contra pessoas físicas e jurídicas por indícios de sonegação, com potencial para gerar R$ 100 bilhões em autuações/

Tudo indica que a Turquia vá acabar no FMI. A crise cambial da Turquia começou de maneira conhecida, já que fatores tanto internos quanto externos contribuíram para o que foi um colapso assustador da moeda que envolve o risco de recessão, inflação, estresse problemático de bancos e falências corporativas

Brasil. Conjuntura Setor de serviços está na lanterna da retomada. Nem a forte reação de junho foi capaz de tirar segmento do negativo, como ocorreu com varejo e indústria/

Temer veta na LDO 17 artigos que aumentavam despesas em 2019/

LDO: Governo recua e mantém piso para o orçamento da Educação/

Dólar interrompe altas e cai com trégua no exterior/

Ibovespa sobe com recuperação dos bancos/

Crise turca piora situação de empresas e bancos/

Guardia diz que Brasil tem resistência a crises/

Lira turca pode cair mais 20%, diz analista/

Rosa Weber defende ritos no TSE, mas admite barrar candidatura ‘de ofício’/

STF tira de Moro menções feitas a Lula e Mantega em delações da Odebrecht/

Autuações da Receita a partir da Lava-jato somam R$ 18 bilhões até junho. Deste total, somente as cobranças sobre empreiteiras somam R$ 10,306 bilhões, considerando multa e juros/

Em programa de governo, Bolsonaro promete zerar déficit primário em 2019/

Ministros do STF creem que não há empecilho para reajuste/

Fora da Diretriz Orçamentária, aumento é ilegal/

Embraer investe em serviço de aviação executiva/

Volkswagen vai desenvolver novo carro popular no Brasil/

Editorial: Mercados põem em xeque a política econômica de Erdogan. O presidente será forçado a tomar medidas que corrijam o caminho insustentável que designou para a economia turca.

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu