Economistas preveem juros menores até 2020

SINOPSE NACIONAL DE 22 DE DEZEMBRO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho

JORNAIS  :

Manchete e destaques do jornal O Globo : Inflação baixa deve garantir juros menores até 2020. Estimativa é de alta média de preços de 4%, abaixo da meta do governo pelo 3° ano seguido. O IPCA-15, que é uma prévia da inflação oficial, fechou 2018 em 3,86%, abaixo do centro da meta do governo para este ano. E este cenário deve se repetir, com os analistas prevendo alta em torno de 4% no IPCA em 2019. Com os preços sob controle, a tendência é que não haja aumento na taxa básica de juros, atualmente em 6,5%, o menor patamar já registrado no país. Safra agrícola recorde e a previsão de uma alta menor nos combustíveis e no dólar explicam a perspectiva favorável, dizem especialistas. A recuperação ainda tímida da economia, com mais de 12 milhões de brasileiros desempregados, também ajuda a segurar os preços.

Queiroz, de novo, não vai depor; MP intima Flávio. Como já havia ocorrido na quarta passada, Fabrício Queiroz, ex-assessor do deputado Flávio Bolsonaro identificado pelo Coaf em movimentações financeiras atípicas, não compareceu ao depoimento no Ministério Público, ontem, alegando problemas médicos. O MP intimou Flávio a depor no dia 10 de janeiro.

Detido, ex-PM toma arma e mata aposentado. Um registro de perda de documento resultou na morte do aposentado Valdecir de Jesus, de 62 anos, baleado no peito pelo ex-PM Jefferson Saraiva. Detido em delegacia no Centro, o ex-soldado tomou a arma de um policial e disparou. No tiroteio, houve três feridos. Valdecir morreu na porta da delegacia.

Cresce a onda dos que desativam as redes sociais. Falta de segurança, com vazamento de dados e fake news, e os danos provocados pelo uso descontrolado estão afastando os usuários das redes sociais. Especialistas refletem sobre o futuro dessas ferramentas, e se é possível ter uma relação mais saudável e menos viciante com elas.

Polícia Civil volta a apreender dinheiro em residência de João de Deus, preso no domingo. Em novas buscas, também foram encontradas pedras preciosas. Ministério Púlico já identificou 255 vítimas do médium. Indiciado por violação sexual mediante fraude, ele é alvo de novo mandado por posse ilegal de arma.

Caos na Casa Branca. Últimas decisões de Trump geram crise nas áreas militar e administrativa.

Editorial1: A recepção de corporações ao governo Bolsonaro. Antes de assumir, presidente eleito acompanha demonstrações de resistência à austeridade fiscal.

Editorial2: Quadrilhas multinacionais são desafio para futuros governantes. Qualquer plano de segurança pública deve prever estreita colaboração com países vizinhos.

 

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo : Futura ministra quer acabar com inspeção diária em frigoríficos. Ideia de Tereza Cristina (Agricultura) é que setor adote ‘práticas de autocontrole’. A futura ministra Tereza Cristina disse a André Borges que uma de suas primeiras propostas na pasta da Agricultura será alterar o sistema de inspeção de carnes e derivados produzidos no País, acabando com a fiscalização diária feita por servidores. A medida beneficiaria principalmente os frigoríficos. As regras de vigilância sanitária determinam que é função do governo fazer a inspeção sanitária diária da carne, desde antes do abate dos animais até seu processamento para consumo. O plano de Tereza Cristina é fazer com que o setor adote “práticas de autocontrole”, com protocolos estabelecidos pelo governo, que “fará auditoria de tempos em tempos”. Hoje, segundo ela, a produção não pode ser ampliada para os fins de semana porque os fiscais não trabalham sábado e domingo e não podem receber hora extra.

‘Estado é vital’, diz Blairo. Ministro diz que mercado internacional exige a presença diária de auditor sanitário ligado ao poder público.

BR18. Destaques do dia: Onde está Fabrício? E Battisti?

Derrubou liminar. STJ autoriza Correios a não fazer entregas em regiões de risco em São Paulo

Impasse no financiamento do muro. Estados Unidos entram em paralisação parcial pela terceira vez no ano.

Chefiava missão da ONU. Itamaraty suspende por 85 dias embaixador acusado de assédio sexual e moral.

Secretário diz que vai ‘tirar as muletas’ da indústria. Escolhido para comandar a Secretaria de Indústria, Comércio e Inovação do futuro Ministério da Economia, Caio Megale disse que vai “retirar as muletas” do setor, como subsídios e benefícios que foram criados para compensar a falta de competitividade e não deram resultado. Segundo ele, os industriais não estão felizes com o atual ambiente de negócios.

Agronegócio no Itamaraty. Ernesto Araújo, futuro ministro das Relações Exteriores, anunciou a criação do departamento.

Alberto do Amaral Junior: O Brasil e a política externa de Trump. Os interesses de uma superpotência não são idênticos aos de uma potência média regional.

Ministro das Relações Exteriores ‘NÃO SOMOS UM PAÍS PODEROSO’. Entrevista : Aloysio Nunes Ferreira. O atual chanceler brasileiro, Aloysio Nunes Ferreira, critica posições de Jair Bolsonaro como o plano de transferência da embaixada brasileira em Israel de Tel-Aviv para Jerusalém e o controle da entrada de imigrantes no País. “Não somos um país poderoso a ponto de chutar o balde quando alguma regra internacional não nos beneficia”, disse. Para ele, Bolsonaro trará para o governo ideias como nacionalismo e “antiglobalismo”, em contraponto à cultura política presente no País desde a redemocratização.

Ex-assessor falta a novo depoimento sobre caso Coaf. O PM Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), faltou pela segunda vez a depoimento no Ministério Público do Rio para esclarecer movimentações atípicas de R$ 1,2 milhão em sua conta, apontadas em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Como da primeira vez, ele alegou problemas de saúde para se ausentar. Segundo a promotoria, a defesa de Queiroz se comprometeu a apresentar laudos médicos até dia 28.

OCDE questiona eficácia do Enade. Relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) questiona a eficácia do Enade, exame obrigatório para conclusão da graduação no Brasil. A avaliação é que a prova tem objetivos “irreais” e falha na tarefa de atestar a qualidade dos cursos. Uma das críticas é sobre o índice de abstenção.

Reforma da Previdência de SP passa em 1° turno. Vereador Eduardo Suplicy (PT) tenta evitar que manifestante seja retirada da Câmara de SP; por 33 votos a 16, projeto que aumenta a alíquota de contribuição de servidores municipais de 11% para 14% e prevê teto de aposentadoria similar ao do sistema privado foi aprovado; votação em 2° turno deve ser no dia 26.

Escritório de advogado de Adélio é alvo da PF

‘Querem saber é se foi o Lula que pagou a defesa’, diz advogado de Adélio.

Paulo Roberto da Silva Gomes Filho: O drama dos refugiados. Crise humanitária pode aumentar as tensões entre a Venezuela e os países vizinhos.

Adriana Fernandes: Nenhum governo tem fôlego para ficar votando a reforma da Previdência por dois anos.

Fernando Reinach: Avança a possibilidade do uso de corações de porcos como alternativa para transplantes.

Editorial1: No gasto, o Brasil parece rico. Relatório do Tesouro ressalta o peso dos juros e o crescente desarranjo do sistema de aposentadorias e pensões.

Editorial2: Rigor nos fundos de pensão. Novas regras vão reduzindo o tamanho do rombo.

Editorial3: A insegurança do direito. Fundamentando decisões em princípios vagos, setores do MP e da Justiça agiram como se detivessem o poder de dirigir a economia brasileira

 

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo : Covas decide destinar verba de privatização para a previdência. Texto é enviado para a Câmara paulistana; gestão tucana havia prometido usar na área social o dinheiro arrecadado. A gestão Bruno Covas (PSDB) decidiu buscar aval da Câmara Municipal para utilizar recursos de privatizações de instalações públicas para cobrir o rombo da previdência paulistana. A proposta foi incluída na nova versão do projeto de reforma da previdência dos servidores municipais. O texto foi enviado para a Casa, e Covas quer aprovar as mudanças, em duas votações, ainda neste ano. A sessão para a primeira delas começou ontem, com tumulto e bate-boca entre vereadores, além de protesto de milhares de funcionários públicos na frente da Câmara, no centro da cidade. Quando concebido no início da gestão, com João Doria como prefeito, o projeto de desestatização previa que a verba iria para a área social, em setores como saúde, educação e habitação. Gargalo de diversas prefeituras no país, a previdência de São Paulo tem um déficit de R$ 6 bilhões.

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro falta de novo a depoimento; defesa diz que ele foi internado. Fabrício Queiroz deve explicar a movimentação atípica de R$ 1,2 mi em sua conta.

Advogado de autor de atentado é alvo de busca e apreensão pela PF

Setor de bebidas reage a proposta de restrição no horário de venda

José Simão: E a árvore de Natal dos Bolsonaros: em vez de bolas, laranjas!

Pela primeira vez, ministério excluirá Norte e Nordeste. Pela primeira vez na República, o presidente eleito tomará posse sem representante das regiões Norte e Nordeste no primeiro escalão. Jair Bolsonaro (PSL) diz que adotou critérios técnicos na escolha de seus ministros.

Local de nascimento de ministro é detalhe, indicação é técnica, diz Bolsonaro.

Emails detalham ação de petista com influenciadores. Emails entregues ao Ministério Público mostram como influenciadores digitais eram pautados por empresa de deputado do PT para elogiar candidatos da sigla. As postagens não informam terem sido pagas, o que fere a lei.

Chanceler sinaliza expurgo no Itamaraty antes da posse. Antes de assumir, novo chanceler ‘encosta’ diplomatas não alinhados. Mudanças promovidas por Ernesto Araújo no Itamaraty são vistas como expurgo geracional

Israel tenta se aproximar de ruralistas preocupados com mudança de embaixada. Ruralistas temem que possível alteração gere represálias comerciais de países árabes.

Demétrio Magnoli. Fora de Caracas, Brasil se exclui do jogo político. O Brasil de Bolsonaro oferece a Maduro um conveniente inimigo externo.

EUA podem sofrer paralisação parcial por causa de muro. Donald Trump se recusa a aprovar proposta de orçamento que não contemple recursos para o muro na fronteira com o México. Ele está sem maioria no Senado para passar a medida. Um apagão atingiria 25% do governo.

Bolsas americanas têm pior semana desde 2008.

Editorial1: Recaída no vício. Mudança para beneficiar município que estoura limite de gastos evoca paternalismo perigoso.

Editorial2: Limpeza nos quartéis. Age bem a Corregedoria ao desbaratar os bandos que se utilizam da farda para praticar crimes.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu