Empresários formam lobby pela Previdência; empresas acham que retomada só acontecerá em 2020; milícias ampliam domínio no Rio

Crédito da foto: Sérgio Botêlho
Salão Azul do Senado Federal.

Manchetes dos jornais abordam Previdência, Economia e Segurança Pública. Empresários criam lobby para influenciar posição dos parlamentares na votação da Reforma da Previdência. Empresas avaliam que retomada só virá em 2020 e reclamam de desarticulação política do governo. Milícias ampliam áreas de domínio no Rio de Janeiro. O 31 de março e o golpe de 1964 é destaque de matérias, colunas jornalísticas e artigos.

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 141

🖋Edição: Sérgio Botêlho

📅 A 275 dias do fim do ano de 2019, hoje é domingo, 31 de março de 2019, 90º dia do ano.

📃 Editorial:

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não funciona nos finais de semana.

🇧🇷 Brasil:

“Direita e esquerda têm no golpe uma unha encravada. A ditadura brasileira está mal digerida porque, de um lado, alimentam-se teorias como a dos “probleminhas” e a da “guerra”. De outro, chamam-se ações terroristas de ‘luta contra a ditadura’.” Na coluna de Elio Gaspari, na Folha.

🇧🇷 Brasil:

“Cúpula militar do governo se recusa a falar sobre 1964. Os 50 membros das Forças Armadas na cúpula do Executivo não comentaram o golpe, que completa hoje 55 anos. Só o Exército disse que o “movimento” precisa ser mais bem compreendido.” Na capa da Folha.

🇧🇷 Brasil:

“Regime cometeu crimes contra a humanidade. Apesar de se revestir de discurso dissimulador em defesa da democracia, o regime que emergiu do golpe de Estado foi seu maior violador. Artigo assinado por José Carlos Dias, tendo como coautores Maria Rita Kehl, Paulo Sérgio Pinheiro, Pedro Dallari e Rosa Cardoso, na Folha.

🇧🇷 Brasil:

“Direita festiva está em negação sobre Golpe de 64. É triste ver as Forças Armadas ainda em negação, 55 anos depois. Já Bolsonaro é um caso clínico com sua reverência a ditadores”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

🇧🇷 Brasil:

“Bolsonaro ofende o passado neste 31 de março.” Na coluna de Dorrit Harazim, no O Globo.

🇧🇷 Brasil:

“‘Não há o que comemorar, só rezar pelos mortos’, diz Dilma sobre aniversário do golpe.” Na Folha.

🇧🇷 Brasil:

“Golpe e ditadura são lembrados todos os dias, sem depender de vontade.” Na coluna de Janio de Freitas, na Folha.

🇧🇷 Brasil:

“Podemos discutir até se foi bom ou ruim, mas não que houve um golpe”. Na coluna de Hélio Schwartsman, na Folha.

🇧🇷 Brasil:

“Sobre a admiração dos Bolsonaros por Pinochet. O regime do general chileno foi não apenas uma ditadura, mas das mais brutais da região.” Artigo de Sergio Fausto, no Estadão.

🏙️ Cidades:

“Mais um plano para o Centro. A Prefeitura de São Paulo apresentou mais um plano de revitalização do Centro de São Paulo.” Editorial do Estadão.

👨‍🏫 Debate:

“Luís Roberto Barroso, Ministro do STF. ‘Sociedade deixou de aceitar o inaceitável’. Barroso participa amanhã, com Sérgio Moro, de debate no Estado sobre Lava Jato e Mãos Limpas. Para ele, sociedade, Judiciário e empresas mudaram.” Na capa do Estadão.

👨‍🏫 Debate:

“Sérgio Moro, Ministro da Justiça. ‘Lava Jato prossegue. Foi uma mudança de padrão’. Ministro chama de revés decisão do STF de mandar caixa 2 com corrupção para Justiça Eleitoral e diz que entrevero com Maia foi ‘superdimensionado’.” Na capa do Estadão.

💲Economia:

“Com mais sol, Roraima quer multiplicar sua safra. Roraima recebe uma hora e meia a mais de sol por dia do que outras regiões produtoras, suas terras custam dez vezes menos, as chuvas são regulares e o plantio, por ser no Hemisfério Norte, começa quando o resto do Brasil já colheu. Produtores da “última fronteira agrícola”, no entanto, enfrentam problemas fundiários e dependem da Venezuela ou de termoelétricas para ter energia. A estimativa é de que até 100 mil hectares serão cultivados com grãos no Estado neste ano, área que deve dobrar até 2025.” Na capa do Estadão.

💲Economia:

“Empresas avaliam que retomada só virá em 2020. Setor reclama de desarticulação política do governo; Bolsonaro anuncia que estuda taxar dividendos.” Manchete de capa da Folha.

💲Economia:

“Guedes trava batalha com Sistema S para assumir entidades e seu caixa. Ministro quer ter ingerência sobre orçamento de R$ 18 bi, o que ajudaria no custeio de políticas públicas.” Na Folha.

👨‍🎓Educação:

“UFRJ escolhe novo reitor em busca de redução do déficit. Eleição do reitor da maior universidade federal do país começa terça. As 3 chapas divergem nos planos para reduzir déficit de R$ 171 milhões.” Na capa do O Globo.

👨‍🎓Educação:

“Beabá. No debate sobre alfabetização, desenho de nova orientação de política pública assumiu tons perigosamente ideológicos.” Editorial da Folha.

🏛 Governo:

“Bolsonaro começa hoje viagem a Israel.” Na capa do Estadão.

🏛 Governo:

“Viagem de Bolsonaro a Israel marca virada de posição na região. Em sua terceira viagem internacional, presidente busca investimentos e deve ser usado na campanha de reeleição de Netanyahu.” Na capa do O Globo.

🏛 Governo:

“Ao chegar a Israel, Bolsonaro chama Netanyahu de ‘irmão’ e promete relançar relação bilateral. ‘Abrimos uma nova era nas relações entre Brasil e Israel’, disse Nitanyahu ao receber o presidente brasileiro.” No O Globo.

🏛 Governo:

“Presidente parece querer representar nicho radicalizado. Mais do que ser o presidente de todos, Bolsonaro parece pretender ser o representante de nicho da direita radicalizada” Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

🏛 Governo:

“Em Israel, Bolsonaro não visitará a Igreja da Natividade? Jair Bolsonaro visitará a sagrada Igreja do Santo Sepulcro, embora esta visita estivesse ausente na agenda oficial a Israel. Mas o presidente não planeja ir até a Igreja da Natividade, em Belém, na Palestina. É dos lugares mais sagrados do cristianismo, onde, segundo a tradição, nasceu Jesus. Fica a alguns quilômetros de Jerusalém.” Na coluna de Guga Chacra, no O Globo.

🌐Internacional:

“Risco do Fórum de Santiago, ou Prosul, é repetir os erros da Unasul. Nova entidade precisa trabalhar pela efetiva integração continental, com foco em todo tipo de comércio.” Editorial do O Globo.

⚖️Justiça:

“Cai liminar que vetava comemoração do golpe.” Na capa do Estadão.

⚖️Justiça:

“No Supremo, tempo é poder. O professor Joaquim Falcão, que estuda o labirinto dos processos na Corte, observa que a demora para julgar uma causa pode ter mais importância do que o resultado do julgamento. “No Supremo, tempo é poder. O timing político decide o que é justo e o que não é”, ironiza.” Na coluna de Bernardo Mello Franco, no O Globo.

🧔 Lula:

“Há 1 ano preso, Lula tem rotina de TV aberta e exercícios. Isolado em 15 m2 na sede da PF em Curitiba, o ex-presidente anda na esteira quase todo dia e assiste a novelas e futebol na TV aberta. Abateu-se com a eleição de Bolsonaro, mas o dia mais triste de cárcere foi quando soube da morte do neto Arthur, que o visitou duas vezes.” Na capa da Folha.

💼Política:

“Quem tem discernimento quer mudança, mas sem implodir o Congresso, o Judiciário e a mídia.” Na coluna de Eliane Catanhêde, no Estadão.

💼Política:

“Bolsonaro não mudará e o entorno já acha formas de se adaptar – em alguns casos, alienando o presidente das discussões.” Na coluna de Vera Magalhães, no Estadão.

💼Política:

“O ‘aprendiz de presidente’. A mais recente edição da revista britânica The Economist publica um artigo intitulado Jair Bolsonaro, o aprendiz de presidente. O clima de incerteza provocado pela falta de traquejo presidencial de Bolsonaro, que se reflete em relação hostil com o Congresso e em falta de rumo administrativo, não autoriza otimismo.” Editorial do Estadão.

💼Política:

“Discussão inoportuna. A equipe econômica anunciou que estuda a extinção do Carf com o objetivo de aumentar a arrecadação do governo.” Editorial do Estadão.

💼Política:

“Planalto relativiza ‘velha política’ para se aproximar do Congresso. Apesar do discurso de Jair Bolsonaro (PSL) contra negociar o apoio de parlamentares a projetos do governo, ministros e auxiliares do presidente já acenaram que vão receber indicações para cargos federais com critérios técnicos e distribuir verbas às bases de parlamentares.” Na capa da Folha.

💼Política:

“Pauta da Câmara é teste para trégua entre os Poderes. A trégua entre o presidente Bolsonaro e o deputado Rodrigo Maia, presidente da Câmara, será posta à prova diante das propostas duras para o governo que estão na pauta da Casa, entre elas a reparação aos estados pela Lei Kandir.” Na capa do O Globo.

💼Política:

“Bolsonaro e filhos pensam e agem como um bloco. Um alerta: o Zero Quatro vem aí. Pesquisa de seu perfil nas redes revela que Renan, 21 anos, estudante de Direito, está crescendo coma mesma retórica, os mesmos slogans e os mesmos ranços dos irmãos e do pai. A única coisa que os separados irmãos são as mães diferentes. Mas esse é um detalhe que não significa muita coisa no universo absolutamente masculino dos Bolsonaro. Por isso também a Zero Cinco, Laura, de 8 anos, jamais emergirá.” Na coluna de Ascânio Seleme, no O Globo.

💼 Política:

“Coalizão ou impasse. Só ação concertada das lideranças pode evitar que o país afunde na recessão e na bagunça administrativa.” Editorial da Folha.

👴 Previdência:

“Empresários abrem até escritório de lobby para aprovar Previdência. Grupos reúnem assinaturas de congressistas, procuram ministros e partidos. Empresários que apoiam o governo Bolsonaro lançaram uma ofensiva pela aprovação da reforma da Previdência, cuja articulação foi golpeada nos últimos dias com as trocas de acusações entre o presidente e Rodrigo Maia (DEM-RJ). O movimento Brasil 200, formado, entre outros, por Flávio Rocha (Riachuelo), Sebastião Bomfim (Centauro) e João Apolinário (Polishop), partiu para o “corpo a corpo” com congressistas, fazendo com que eles se comprometam por escrito com a aprovação da reforma. Já reuniram a assinatura de 230 deputados e 10 senadores. O grupo vai abrir um escritório de lobby em Brasília e deve participar de discussões na Secretaria da Previdência, a convite do governo. O Instituto do Desenvolvimento do Varejo (IDV) é outro que trabalha pela reforma e já se reuniu com lideranças partidárias e com ministros. Mesmo frustrados com a paralisia em Brasília, o apoio ao governo continua, mas a confiança não é mais a mesma.” Manchete de capa do Estadão.

👴 Previdência:

“Estados devem poupar R$ 329 bi com reforma. Estudo da equipe econômica mostra que estados devem poupar R$ 329,4 bilhões em dez anos com a reforma da Previdência: R$ 277,4 bilhões com servidores civis e R$ 52 bilhões com PMs e bombeiros. O presidente Bolsonaro disse ontem querer reduzir impostos para empresas e tributar dividendos.” Na capa do O Globo.

👴 Previdência:

“Mais aposentados no campo do que agricultores. Há um número desproporcional de beneficiários do INSS em relação ao de trabalhadores rurais.” Editorial do O Globo.

👮 Segurança Pública:

“Sem lei, polícia decide quem é traficante. Sem lei sobre quantidade de droga, é a polícia que decide quem será preso por tráfico. Estudo do STF mostra que a tolerância é maior para os mais instruídos.” Na capa do Estadão.

👮 Segurança Pública:

“Milícia já atua em 26 bairros da capital e 14 cidades do Rio. Promotor que investiga grupos paramilitares diz que objetivo deles agora é entrar em Madureira.” Manchete de capa do O Globo.

👮 Segurança Pública:

““Governador diz que snipers já estão agindo no estado. O governador Wilson Witzel afirmou, em entrevista ao GLOBO, que os snipers (atiradores de elite) já estão atuando no Rio. “O sniper é usado de forma absolutamente sigilosa. Eles já estão sendo usados, só não há divulgação”, disse o governador, que adotou, na campanha eleitoral, discurso para a Segurança Pública semelhante ao do presidente Jair Bolsonaro. Em seu gabinete, Witzel expõe lado a lado sua foto, com uma faixa azul, e a do aliado. Herdeiro de um estado em crise, o governador diz que é incerto se conseguirá dar aumento ao servidor público. Com pouco mais de três meses no cargo, ele já faz planos para 2022: quer se candidatar à Presidência da República.” Na capa do O Globo.

Destaque histórico:

“Em 1964, o presidente João Goulart é derrubado por um golpe militar. Uma forte pressão de setores da classe média levaram à queda do presidente, que tentava aplicar no Brasil as chamadas “reformas de base”. O primeiro líder do regime, que durou 21 anos, foi o marechal Castello Branco.” No portal Terra.

👍Positivo:

“Aposentados poderão ter 50% de desconto nos medicamentos, analisa Comissão de Assuntos Sociais”. No portal do Senado.

👎Negativo:

Mais uma. “Barragem se rompe em Rondônia e deixa cem famílias isoladas.” No O Globo.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu